Ministro do STF autoriza transporte público gratuito no segundo turno

Ministro do STF: O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso decidiu hoje (18) que prefeituras e empresas de ônibus poderão oferecer transporte público gratuito no segundo turno das eleições, que será realizado no próximo dia 30.

Pela decisão do ministro, os prefeitos que adotarem a medida não poderão ser responsabilizados por improbidade administrativa ou crime eleitoral.

A decisão foi tomada a partir de uma ação protocolada pela Rede Sustentabilidade. A pedido do partido, no primeiro turno, o ministro também determinou que o transporte público fosse mantido em níveis normais e que os municípios que já ofereceram a gratuidade em pleitos anteriores mantivessem a medida.

Para pedir a gratuidade universal, a Rede argumentou que o voto é obrigatório no Brasil, mas que muitos eleitores não têm condições de pagar a passagem até o local de votação, que, em muitos casos, é mais cara do que a multa pelo não comparecimento, cujo valor máximo é de R$ 3,51.

A medida também pretende evitar alta abstenção de eleitores no dia da votação.

Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Em cine concerto em Curitiba, improviso do pianista Guilherme Almeida encanta público

O pianista paulistano Guilherme Almeida apresenta um cine concerto, com a execução ao vivo de uma trilha sonora para o filme mudo "Sunrise". Foto: Cido Marques/FCC

Um dos concertos mais interessantes da 40ª Oficina de Música de Curitiba aconteceu na noite de sábado, no Cine Passeio. O pianista paulistano Guilherme Almeida apresentou um cine concerto, com a execução ao vivo de uma trilha sonora para o filme mudo “Sunrise” (Aurora, 1927), do diretor alemão Friedrich Murnau. O mais inusitado e o que causou mais admiração do público é que todo o acompanhamento, em mais de uma hora e meia de filme, foi feito de improviso.

Diante da surpresa da plateia, quando ele contou que assistiu ao filme apenas duas vezes antes do concerto e nenhuma partitura ou roteiro foi previamente pensado, Guilherme explicou que a própria improvisação musical sobre uma imagem é fruto de muito treinamento. O músico estuda essa modalidade musical no Conservatório de Paris e veio para a Oficina de Música para ministrar o inédito curso “Improvisação e imagem: criação e organização do discurso sonoro em diálogo com filmes mudos”.

Referências

Em total sintonia com as cenas do filme, Guilherme criou uma trilha perfeita, autoral, mas com inúmeras referências. “Coloquei baião, jazz, Beyoncé, Boulez, citei harmonias de vários compositores famosos, fabriquei outros timbres no piano sugerindo outros instrumentos, escolhi onde colocar os silêncios. É uma responsabilidade muito grande como artista e músico. Lidar com o dinamismo da improvisação e com a imagem, é uma prova de fogo”, reconhece.

Guilherme conta que já viu mais de 300 filmes mudos nessa trajetória tão peculiar, que o fez também adquirir muitos conhecimentos sobre cinema. Segundo ele, o volume de produção cinematográfica do início do século 20 (filmes ainda sem som e sem cor) é imenso. Eles fazem parte do seu treinamento. Por isso, assistir às cenas uma ou duas vezes já seria o suficiente para lhe trazer a carga de inspiração, sem falar na sua habilidade de deixar os olhos fixados muito mais tempo na tela do que no piano.

A escolha de “Sunrise” para a Oficina de Música tem a ver com a importância do filme. Murnau foi um dos principais realizadores da época do cinema mudo e um expoente do expressionismo alemão. O filme foi o primeiro realizado por Murnau em Hollywood, ganhou três Oscars e ficou para a história como uma das obras-primas do cinema mundial. Trata-se de um romance, mas com uma série de referências às fragilidades humanas.

Artista excepcional

Quem assistiu à performance de Guilherme Almeida, na lotada Sala Luz do Cine Passeio, teve uma oportunidade de conhecer a criatividade e o talento de um artista excepcional, que diz nunca ter tocado uma música de Chopin, mas que conquistou o primeiro lugar no Concurso Internacional de Piano de Moscou, improvisando a partir do título “Reminiscências de uma estrela assassinada”.

“Achei fantástica a habilidade dele com a improvisação. Eu imaginei que haveria um ponto de partida – não uma composição completa, mas que tivesse ao menos algum roteiro. E o mais incrível é que ele assistiu ao filme apenas duas vezes. Então é uma habilidade incrível, diferente de tudo o que eu já tinha visto antes”, comentou a professora de história da arte e da moda, Andréia Lisboa de Miranda. Assim como Andréia, muitos espectadores, durante o bate-papo final com o artista, elogiaram Guilherme pela apresentação.

Na próxima terça-feira (31), às 19h, no Cine Passeio, Guilherme Almeida e seus alunos do curso de Improvisação e Imagem também farão apresentações, realizando performances individuais e coletivas.

Confira a programação completa da 40ª Oficina de Música de Curitiba no site Guia Curitiba

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

“Vamos tirá-los de lá”, diz Lula sobre garimpeiros em Roraima

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva garantiu nesta segunda-feira (30) que o governo brasileiro vai expulsar os garimpeiros da Terra Indígena (TI) Yanomami, em Roraima. Segundo ele, um decreto foi assinado para mobilizar forças federais em uma missão de desintrusão. A estimativa do Ministério dos Povos Indígenas é que haja mais de 20 mil invasores na área protegida.

“O Estado brasileiro, quando ele quer tomar uma decisão, ele toma e acontece. Já houve um tempo que retiramos garimpeiros de determinados locais que eles não podiam invadir. Hoje, eu assinei um decreto dando poderes às Forças Armadas, ao ministro da Defesa, ao Ministério da Saúde. Nós vamos tomar todas as atitudes para acabar com o garimpo ilegal, tirar os garimpeiros de lá, e vamos cuidar do povo yanomami, que precisa ser tratado com respeito. Não é possível que alguém veja aquelas imagens, que tive a oportunidade de ver na semana passada, e não fazer nada”, afirmou Lula em coletiva de imprensa após encontro bilateral com o chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, no Palácio do Planalto. Sobre o decreto, o Palácio do Planalto informou que será publicado na edição de amanhã (31) do Diário Oficial da União (DOU), mas negou tratar-se de decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO).

A TI Yanomami é a maior do país em extensão territorial e sofre com a invasão de garimpeiros. A contaminação da água pelo mercúrio utilizado no garimpo e o desmatamento impacta na segurança e disponibilidade de alimento nas comunidades.

O presidente não deu prazo para concluir a retirada dos invasores, mas destacou medidas já anunciadas pelo governo. “Resolvemos tomar uma decisão, parar com a brincadeira. Se vai demorar um dia ou dois, eu não sei. Pode demorar um pouco, mas que vamos tirá-los, vamos. Não vai ter mais sobrevoo, vamos proibir as barcaças de transitar com combustível”. Lula também falou sobre rigor na concessão de autorizações sobre pesquisa mineral que afete áreas indígenas. “E mais ainda, não haverá, por parte da agência de Minas e Energia, conceder autorização de pesquisa mineral em qualquer área indígena. O Brasil voltará a ser um país sério e respeitado, que respeita a Constituição, às leis e, sobretudo, os direitos humanos”.

Lula aproveitou para criticar o presidente anterior por ter estimulado o crime na região. “Tivemos um governo que poderia ser tratado como um governo genocida. Porque ele [Bolsonaro] é um dos culpados para que aquilo acontecesse. Ele que fazia propaganda que as pessoas tinham que invadir o garimpo, que podia jogar mercúrio. Tá cheio de discurso dele falando isso”.

Crise humanitária

Embora entidades indígenas e órgãos como o Ministério Público Federal (MPF) já denunciem a falta de assistência às comunidades da Terra Indígena Yanomami há muito tempo, novas imagens de crianças e adultos subnutridos, bem como de unidades de saúde lotadas com pessoas com malária e outras doenças, chamaram a atenção da opinião pública nas últimas semanas e motivaram o governo federal a implementar medidas emergenciais para socorrer os yanomami.

Há duas semanas, o Ministério da Saúde enviou para Roraima equipes técnicas encarregadas de elaborar um diagnóstico sobre a situação de saúde dos cerca de 30,4 mil habitantes indígenas da TI Yanomami. Na ocasião, a iniciativa foi anunciada como um primeiro passo do governo federal para traçar, em parceria com instituições da sociedade civil, uma “nova estratégia inédita do governo federal para reestabelecer o acesso” dos yanomami à “saúde de qualidade”.

Ao visitarem a Casa de Saúde Indígena (Casai) de Boa Vista, para onde são levados os yanomami que precisam de atendimento hospitalar, e os polos base de Surucucu e Xitei, no interior da reserva indígena, os técnicos se depararam com crianças e idosos em estado grave de saúde, com desnutrição grave, além de muitos casos de malária, infecção respiratória aguda (IRA) e outros agravos.

Medidas emergenciais

Cinco dias após as equipes começarem o trabalho in loco, o ministério declarou Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional e criou o Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública (COE-Y), responsável por coordenar as medidas a serem implementadas, incluindo a distribuição de recursos para o restabelecimento dos serviços e a articulação com os gestores estaduais e municipais do Sistema Único de Saúde (SUS).

No último dia 21, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva e vários integrantes do governo federal, como as ministras da Saúde, Nísia Trindade, e dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, foram a Boa Vista, onde visitaram a Casai. O presidente prometeu envolver vários ministérios para superar a grave crise sanitária e, já no mesmo dia, aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) transportaram cerca de 1,26 toneladas de alimentos para serem distribuídos às comunidades yanomami. Nos últimos quatro anos, ao menos 570 crianças morreram de desnutrição e doenças tratáveis, como malária.

No último dia (24), os profissionais da Força Nacional do SUS começaram a reforçar o atendimento na Casa de Apoio à Saúde Indígena (Casai) de Boa Vista. A pedido do Ministério da Justiça e Segurança Pública, a PF instaurou, no dia 25, inquérito para apurar a possível prática de genocídio, omissão de socorro, crimes ambientais, além de outros atos ilícitos contra os yanomami. os últimos quatro anos, ao menos 570 crianças morreram de desnutrição e doenças tratáveis, como malária.

Na sexta-feira (27), o primeiro hospital de campanha montado pela Força Aérea Brasileira (FAB) na capital do estado começou a funcionar, com trinta profissionais de saúde militares atendendo a parte dos pacientes transferidos da terra indígena, a cerca de duas horas de voo de distância.

Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com