Melhorando a saúde bucal com água!

A resposta é mais simples do que você imagina. Vamos pensar: o corpo humano é 70% água, portanto se manter hidratado é de importância vital para o organismo. A absorção de nutrientes, por exemplo, ou mesmo o sistema circulatório contam com o líquido mor para funções completamente diferentes e igualmente dependentes. Com a saúde bucal então não seria diferente: quanto mais líquido é consumido, menor a possibilidade de alterações do hálito. E aliado com uma boa higiene, o hábito pode tornar as consultas odontológicas rotineiras e sem traumas.

Então a resposta é sim, podemos melhorar a saúde bucal quando nos hidratamos com maior frequência, como explica a especialista, a dentista Cláudia Gobor. “A ingestão diária da quantidade adequada de líquidos está diretamente relacionada com a produção de saliva. Beber bastante líquidos – água, chá, sucos – mantém os níveis corretos dos minerais, estimula a salivação e ajuda na limpeza da boca e dentes”, explica ela.

Essa hidratação diária ajuda na produção salivar, fluido aliado do corpo que por sua vez tem ação antibacteriana. A saliva, além de trazer muitos benefícios na percepção dos sabores e no conforto do paladar, ajuda a remover as bactérias bucais nocivas – como aquelas que causam mau hálito – e devolvendo a qualidade de vida ao paciente que também se percebe mais confiante para socializar.

Serviço:

Dra. Cláudia Christianne Gobor

Cirurgião dentista especialista pelo MEC no tratamento da Halitose

Ex-presidente e atual diretora executiva da Associação Brasileira de Halitose

www.bomhalitocuritiba.com.br

Instagram: @bomhalitocuritiba

Facebook: Bom Hálito Curitiba / Halitose Curitiba

(41) 3022-3131 / (41) 99977-7087

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

4 tipos de olheira e como tratar

Dias cansativos, noites mal dormidas ou simplesmente fatores genético, são vários os motivos para as olheiras e cada uma é identificada por uma característica. Você sabe a causa da sua?

Existem 4 tipos de olheiras e talvez você se identifique com uma delas.

*Olheira profunda*

É quando a olheira é funda embaixo dos olhos perdendo o volume habitual. Ela se dá por um fator genético, por isso muitas pessoas desenvolvem desde muito cedo, dando uma impressão de envelhecimento ao rosto.

*Olheira melânica*

São aquelas olheiras mais castanhas e amarronzadas, elas são causadas pelo excesso de melanina na região dos olhos, por fatores hormonais e a exposição ao sol também pode influenciar.

*Olheira vascular*

Apresentam uma coloração mais azul, roxa ou vermelha. Ela ocorre pela dificuldade de circulação sanguínea na área abaixo dos olhos.

*Olheira mista*

Esse tipo de olheira é a mistura de todos os outros tipos mencionados. Juntando vários fatores, no qual a pessoa nem sempre sabe como tratar corretamente.

Independente do tipo da olheira, o fato é que muitas vezes passa-se anos tentando tratá-las com cosméticos e maquiagens que nem sempre dão certo. Esse processo se torna cansativo e pode acabar com a autoestima, não é mesmo?

Por isso, a biomédica Dra. Eliane Pescador da Ane Bello Estética dá a solução para esse problema: o preenchimento com ácido hialurônico. “Esse tratamento é um dos mais eficazes para as olheiras, porque ele vai atuar proporcionando volume, acabando com o contorno escuro aparente, além de hidratar a região”, explica a especialista. Além de preencher, esse ácido também serve como um reforço para hidratação da pele.

Antes do tratamento é aplicado uma anestesia local e o ácido é aplicado com uma agulha fina, mas não tenha medo, pois você não sente nada! O seu efeito é imediato e dura entre 6 a 18 meses podendo ser reaplicado para retoques.

Como os hormônios atuam na saúde feminina?

Conforme envelhecemos, a produção de hormônios diminui e os efeitos colaterais surgem. Como interferem na elasticidade, hidratação e viço da pele, estes são alguns dos primeiros fatores a chamarem a atenção: rugas, olheiras, perda do contorno facial e até mesmo flacidez vaginal. É um processo natural, mas que dependendo da intensidade, pode impactar na autoestima e na saúde das mulheres. A boa notícia é que não precisa ser um momento traumático, é possível envelhecer bem sem deixar de lado o autocuidado.

“O que posso fazer por mim hoje?”, muitas se perguntam. A fisioterapeuta, sexóloga e terapeuta sexual Dra. Cida Dornelles aponta que “o primeiro caminho é buscar profissional especializada, que te ajude a entender em que etapa o seu corpo está”. Por meio de exames específicos e observações detalhadas, tudo feito com escuta acolhedora, você vai poder entender quais são os níveis atuais dos hormônios no seu corpo e de que forma estão interferindo no seu dia a dia. Isso vale para mulheres de todas as idades. Mas qual o passo seguinte?

As escolhas podem seguir alguns objetivos: prevenir sinais precoces de envelhecimento, equilibrar os impactos durante uma mudança significativa (como a menopausa) ou corrigir algumas consequências deixadas pela baixa produção hormonal (após o enfrentamento do câncer de mama, por exemplo). “Nunca é muito cedo ou muito tarde para começar a cuidar de si mesma”, destaca a Dra. Cida. As soluções se dividem entre diversas linhas de tratamentos indolores como o laser íntimo – com múltiplos benefícios para a harmonização e saúde íntima -, e o acompanhamento é feito pela própria profissional em seu espaço, o Toda Linda. Um lugar pronto para cuidar de você… está esperando o quê?

Serviço: Toda Linda

Dra. Cida Dornelles

Sexóloga e Terapeuta  Sexual / Palestrante e Empreendedora

https://www.instagram.com/dra.cidadornelles/

(41)3022-0839 – (41) 99238-1470

Av. Sete de Setembro, 6219, Batel, Curitiba/PR

Em Balneário Camboriú, com parcerias