Manjericão: muito mais do que sabor marcante, erva aromática possui propriedades medicinais

O manjericão é uma erva aromática bastante utilizada em diversas culinárias ao redor do mundo. Conhecida ainda como alfavaca e basílico, acredita-se que sua origem seja asiática, especificamente na Índia, onde há relatos de seu cultivo há 5 mil anos. O fato é que, independente de onde tenha surgido, ele rodou o mundo e é bastante conhecido e utilizado na culinária mediterrânea. Sua chegada ao Brasil ocorreu junto com a migração italiana. Um dos principais e mais conhecidos molhos italianos é o “pesto genovese”, feito com bastante manjericão e parmesão. 

A erva, que possui mais de 60 tipos espalhados pelo mundo, além de fazer parte de diversos pratos, detém inúmeros benefícios, entre eles a de ser uma das aliadas para o bom funcionamento do estômago, melhorar a digestão e ser um ótimo antioxidante e anti-inflamatório. 

A chef de cozinha Erica Cesconetto, da L’artigiana Pastifício, de Curitiba (PR), utiliza a erva em várias receitas de suas massas. O basílico, o manjericão-de-folha-larga, faz sucesso no cardápio e no paladar dos consumidores das massas artesanais e naturais da L’artigiana. A receita utilizada por ela foi aprendida durante o tempo que estudou em uma cidade no interior da Itália, Chiavari, que fica a aproximadamente duas horas de Gênova.

“Lá eles só fazem o pesto genovês usando esse tipo de manjericão e ele tem um sabor musical muito diferente dos outros, bem sutil e deve ser consumido em temperatura ambiente. Assim, você preserva todo sabor e as propriedades, fora que garante que o pesto não vai talhar. A diferença do pesto de Gênova para os de outros lugares é que ele é mais grosso, vai mais queijo de primeira qualidade e o manjericão gigante. É um molho bem cremoso”, explica Erica.

Na L’artigiana, diversos itens do cardápio possuem manjericão. O talharim, por exemplo, utiliza a erva na sua própria massa, assim como o raviolone caprese, que contém listras de tomate e recheio de mozzarella. O molho napulè é chamado “molho em três fases” e  leva tomate defumado, creme de manjericão e creme de parmesão. “Spaghetti caprese é feito de manjericão, tomate e ovos e principalmente o próprio pesto genovês que vem em dois tamanhos, pequeno e o grande”, acrescenta a chef. 

Inverno rigoroso gera escassez na oferta

Em 2021, o estado do Paraná sofreu uma escassez de manjericão. Segundo a coordenadora do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater (IDR-Paraná), Laís Adamuchio, o clima foi um dos principais fatores para que isso acontecesse. “Tivemos eventos climáticos ano passado que prejudicaram a cultura, assim como toda a agricultura no estado, principalmente a seca na primavera”.  

Na ocasião, um dos produtores do manjericão no estado do Paraná precisou exportar a erva de outros estados, como explica o diretor executivo da Chácara Strapasson, Gilson Strapasson. “Nunca tivemos um evento com tal dimensão. Foi um inverno bem rigoroso e longo, com temperaturas muito baixas e que atingiram vários estados. Tivemos que trazer manjericão do Pernambuco”. 

Por conta disso, a chef do L’artigiana observou que a falta do manjericão prejudicou também na execução de alguns pratos e teve que substituí-lo em massas e molhos em que a erva seria utilizada. “O pesto genovês foi substituído pelo de rúcula e salsinha”, relembra Erica. 

Ainda de acordo com a coordenadora do IDR-PR, o melhor período para plantio da erva é de setembro a novembro, iniciando a colheita três meses após seu plantio e podendo ser realizada a cada 60 dias. O principal motivo para esses meses serem considerados melhores é o clima mais ameno e com menos chuvas. Em 2022, o frio não foi tão intenso, fazendo com que até o momento a distribuição esteja estável. 

Dica da chef

O principal parceiro de combinação da erva é o tomate, mas há ainda alternativas de como combiná-la. Erica aproveitou para dar uma super dica de como utilizar o manjericão em pratos caseiros ou até mesmo em molhos. “Manjericão combina muito bem com peixe, principalmente assados como robalo ou dourado. A dica é colocar sempre ao final do preparo, pois o calor tira o sabor aromático. Uma salada com folhas, mozzarella de búfala, morangos frescos e manjericão também harmoniza super bem”, menciona a chef.

Serviço

L’artigiana Pastifício

Rua Alberto Bolliger, 553a – Juvevê, Curitiba (PR)

Segunda a sexta das 10h às 18h // Sábado das 9h às 13h

Mais informações, acesse: https://www.instagram.com/lartigianapastificio/ 

Sobre a L’artigina Pastifício

Iniciada em 2016, a L’artigiana Pastifício produz massas artesanais com ingredientes naturais. L’artigiana significa artesã em italiano e traduz a essência da marca. Sem corantes, conservantes ou outros produtos químicos, as massas são coloridas naturalmente e podem ser tradicionais ou recheadas. Os produtos possuem base de legumes e verduras como beterraba, abóbora, espinafre e são harmonizados com molhos que garantem um sabor e qualidade especiais, como nozes, bechamel e creme de parmesão. A primeira unidade da empresa fica localizada no bairro Juvevê, em Curitiba (PR).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cachorro quente pra viagem!

Muito comum em eventos americanos, o corn dog já apareceu em filmes adolescentes e até na mão de socialites como Kim Kardashian, e desde então fez salivar o brasileiro faminto que habita em nós. Basicamente a receita é esta: a salsicha no palito, envolta em uma massa – ao invés do pão -, frita e com molhos tradicionais como ketchup e mostarda. Não se deixe enganar pela simplicidade: as pequenas mudanças na apresentação fazem toda a diferença!

O corn dog é crocante por fora, pois a massa feita à base de farinha de milho faz com que a crosta preserve essa textura e o interior continue cremoso. A salsicha retoma o sabor original, sem deixar saudades do que a gente já aprendeu a gostar. Lá no estrangeiro, não é comum misturar muitos acompanhamentos, então o ketchup e a mostarda são dupla suficiente para dar o tempero final. É, já deu para encher os olhos e dar água na boca. Para experimentar não é nada complicado, o American Way Cafe & Food fica aberto todos os dias no bairro Batel em Curitiba, e quem quiser acompanhar o cardápio e as novidades pode ficar de olho nas redes sociais. São muitos sabores esperando você!

Serviço: The American Way Cafe

Cafeteria e espaço gastronômico com culinária norte-americana

Rua Gonçalves Dias, 151 – Batel, Curitiba/PR, 80.240-340

(41) 3121-2917

Instagram @theamericanwaycafe

Open de vinho é a pedida dos fins de semana na Pizzaria da Mathilda

Pedindo uma pizza em qualquer unidade, o cliente pode pedir o open de vinho que dura 3 horas; promoção acontece de quinta a domingo

A combinação de vinho com pizza é celebrada na Pizzaria da Mathilda com preços especiais. O Open de vinho da rede está disponível nas três unidades, de quinta-feira a domingo. Quem consumir uma pizza do cardápio, tem acesso ao open, que dura por 3 horas a partir do pedido e inclui uma seleção de tintos. Na quinta, o valor é especial: sai a R$ 49,90 por pessoa. De sexta a domingo, o open fica por R$ 55, 90 por pessoa.

Os vinhos combinam muito bem com as pizzas da Mathilda, que seguem o tradicional estilo napolitano. Sabores clássicos e releituras fazem parte do menu, elaborado pelo pizzaiolo Daniel Mocellin. A tradição nascida em Nápoles (e considerada patrimônio imaterial da humanidade pela UNESCO) consiste em pizzas individuais feitas com insumos de alta qualidade, massa de fermentação lenta e diversos detalhes do processo de produção, passando até pelo forno ao estilo italiano.

O formato napolitano conquistou o público curitibano, com a Mathilda abrindo seu terceiro endereço em dois anos de existência. Sabores clássicos como a Marguerita (de mozzarela de búfala com parmesão ralado, basílico e azeite extravirgem), se aliam a criações como a vegana León (de basílico com berinjela em cubos, cebola roxa, azeitona preta e orégano) para um cardápio variado e saboroso.

O Open de Vinho da Pizzaria da Mathilda acontece na quinta-feira, a R$ 49,90 por pessoa, e de sexta a domingo, a R$ 55,90 por pessoa. Para ter acesso ao open, basta consumir uma pizza em qualquer uma das lojas. A Mathilda conta com três unidades em Curitiba: Água Verde (Avenida dos Estados, 1066), Juvevê (R. Rocha Pombo, 265) e Vicente (Av. Vicente Machado, 859). As três lojas funcionam de terça-feira a domingo, das 18h às 23h. Mais informações no site www.pizzariadamathilda.com.br ou no perfil oficial da rede no Instagram (@pizzariadamathilda).