“Manifestação” do dia 21 de junho

“Manifestação” do dia 21 de junho

Decepção é o que resume o que foi feito na “manifestação”, eram protestos para todos os lados. Iniciou-se de uma maneira ótima como os outros protestos: povo gritando por seus direitos, cantando o hino nacional, vi uma desorganização tremenda (comentamos sobre isso), mas estava lindo, até que recebi a notícia juntamente com o amigo @purosso que estavam indo em direção à Arena da Baixada e haveria pessoas esperando o grupo que estávamos lá, saímos loucamente avisando a todos mas não nos deram ouvido e mesmo assim foram lá e em poucos minutos soubemos que tinha acontecido brigas no local. Nesse meio tempo estávamos voltando para a Praça Rui Barbosa onde de fato deveria ter sido feita a manifestação e avisávamos quem podíamos. Encontrei alguns amigos e fomos nos deparando com outros grupos que estavam protestando também, achei estranho, e fomos até o Palácio Iguaçu para averiguar o que estava acontecendo de fato, pois todas as manifestações se encerravam lá. Chegamos lá e nos deparamos com bombas de gás lacrimogênio e vários foguetes. Vi pessoas sendo atingidas, pessoas sendo presas e conversei com um senhor que estava dando entrevista à uma rádio aqui de Curitiba e ele me disse: “Haviam alguns piás tacando pedras e pedaços de madeira nos policiais, a partir daí os policiais revidaram”, pensei na hora está tudo errado isso, como pode?

Um pouco depois encontramos mais um amigo meu e perguntei o que tinha acontecido ali e ele me disse que tinham quebrado um tubo ali no Centro Cívico, depredaram vários lugares e inclusive saquearam uma farmácia. Bom se tivesse parado por aí, quando cheguei em casa, nossos leitores falaram que até animais de rua não foram poupados.

Decepcionante ver isso tudo, o que se tornou uma manifestação em prol do povo em uma “cagada generalizada” por conta de alguns baderneiros, é difícil admitir mas já estava previsto desde a hora que percebemos que aquilo não estava com uma cara boa. Enfim, agora aguardemos o que sucederá nos próximos capítulos.

Confiram que nesse vídeo filmado pelo amigo Tiago Pazini do blog Fotografia Profissional, que pediam para largarem a bandeira! =/ Era pra ter sido uma festa da democracia, olha só o que acabou virando!

0 Comments

  1. Mas o protesto do Grupo que foi pra 7 de Setembro foi bem bacana, não tenho do que reclamar. Ida e volta sem violência, gritando por direitos e chamando o povo pra rua…

  2. FIQUEM DE OLHO!
    Sempre que ver um saqueador ou vândalo tire uma foto e compartilhe no face. Assim quando alguém conhecer o baderneiro, ele poderá ser denunciado às autoridades.

  3. Eu fui no protesto, e não sabia dos torcedores, só fiquei sabendo que tinha algo "errado" quando estava a uma quadra da Arena. Por sorte eu e várias outras pessoas conseguimos fugir, do que pensei inicialmente ser a polícia. Depois que vi na internet que eram torcedores, fiquei muito de cara… E isso que aconteceu no Centro Cívico também foi lamentável… Fiquei decepcionado pelo final do protesto, mas orgulhoso do que aconteceu pacificamente, enquanto estávamos na 7 de setembro.

  4. Affe se estão fazendo isso mesmo com os animais… a Tropa de Choque tá fazendo é POUCO. Por mim podem linxar esse tipo de "gente" desgraçada que comete essa barbárie!!

  5. por que só tao mostrando as partes ruins? eu fui ate o fim da sete de setembro/republica argentina com o pessoal e nao teve PROBLEMA NENHUM, por que isso vcs nao mostram? eu nao tive problema nenhum, fui e voltei bem, esse e outros videos tao incentivando a galera a nao ir mais pra rua, q é oq o governo quer. por que vcs nao ajudam a incentivar mostrando, talvez nao somente, mas tambem as partes boas?? foram mais de 2 horas de 6 kilometros de paz no protesto, e so pegam a parte q deu problema…

    1. Rebecca, a Globo está apoiando os protestos, você não acha meio suspeito?
      E tem outra coisa, se 1 pessoa se machucar nas manifestações, já temos que repensar a forma como está sendo feito, quando o assunto é pessoas OS FINS NÃO JUSTIFICAM OS MEIOS.
      O movimento está sem rumo sim, todo mundo pôde ver que tem MUITA gente no meio que só está pra fazer volume, não sabe nem o motivo da luta.
      É triste, mas o movimento está se autodestruindo, pois não há como legitimar uma manifestação "meio" certa, "meio" coerente.

    2. acho suspeito sim, mas se vc ver os outros paises, como eles mudaram? com revoltas, brigas, matança… como por exemplo uma das maiores revoluçoes da historia, a revoluçao francesa. o povo cansou de ser tratado com injustiça, foi pras ruas, invadiram casa de armas e a bastilha. mataram todos q se colocaram na frente deles. nao apoio a violencia nem o vandalismo, mas eu acho q o brasil ta há 500 anos sofrendo com injustiças, e isso tem q mudar, de uma maneira ou outra. ficar parado nao vai ajudar em nada, temos q nos arriscar, nao temos nada a perder.

    3. Se justificar através de uma revolução que aconteceu no século XVIII não é lá muito lógico. Deveriam parar com isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tradicional bar de Curitiba promove Festival do Pinhão

O Bar Quermesse, uma das grandes referências da noite curitibana, acaba de lançar uma opção exclusiva da iguaria pelo preço fixo de R$ 25

A temporada do Pinhão, uma das iguarias mais amadas da região sul do Brasil já começou. Na capital paranaense, não é diferente. Seja sozinho ou como ingrediente principal de receitas, o pinhão é quase unanimidade no gosto dos curitibanos. Versátil e delicioso, o fruto das araucárias também é uma opção perfeita de petisco para os dias mais frios.

Pensando em oferecer uma opção exclusiva para os apaixonados por pinhão, o Bar Quermesse, um dos endereços gastronômicos mais badalados de Curitiba, acaba de lançar o Festival do Pinhão do Quermesse. Quem visitar o bar terá a oportunidade de provar uma deliciosa porção de pinhão cozido servida com bacon. O prato, desenvolvido especialmente para o evento, custa R$ 25 e estará disponível no cardápio do bar até o próximo dia 24 de abril.

Divulgação

Além da opção especial, a casa conta com um menu de bebidas selecionadas e preparos extremamente saborosos, entre eles a carne de onça, torresmo, mignon chic, bife sujo de alcatra, brusqueta e batata brava. Vale lembrar que o empreendimento segue todas as recomendações dos órgãos responsáveis com relação aos cuidados com a COVID-19 para oferecer o melhor em comidinhas de buteco com conforto, responsabilidade e segurança.

O Bar Quermesse fica na Rua Carlos Pioli (nº 513), no bairro Bom Retiro, e funciona de terça a sábado (e aos domingos de acordo com o decreto vigente em Curitiba), das 17h às 22h (ou 23h de acordo com o decreto vigente em Curitiba). Mais informações no site www.quermesse.com.br ou pelo telefone (41) 3026-6676.

Pizzaria Mathilda inaugura segunda unidade em Curitiba

Após conquistar o público curitibano com o verdadeiro estilo napolitano de fazer pizza, o empreendimento gastronômico expande seu atendimento com um novo endereço, agora no bairro Juvevê

A segunda unidade da Pizzaria da Mathilda começa a funcionar em soft opening a partir desta semana, no bairro Juvevê, um dos mais tradicionais da capital paranaense, a nova loja funciona na Rua Rocha Pombo (nº 265), ampliando o raio de atendimento em relação à primeira unidade, no Centro. A marca, lançada há pouco mais de 1 ano, é dedicada ao estilo napolitano de pizza, com formatos individuais e um preparo todo especial dos doze sabores disponíveis.

O empreendimento é comandado por três sócios: o empresário Daniel Mocellin, Giuliano Ziliotto e Maurício Ceschini. A nova unidade da Pizzaria da Mathilda abre as portas do salão para atendimento presencial, dependendo do decreto vigente em Curitiba, e funciona com take away e delivery pelo aplicativo Rappi. “Mesmo com a pandemia, funcionando por apenas 70 dias com atendimento no salão da primeira unidade, conquistamos um grande público e chegamos a fazer perto de 30 mil pizzas em 2020. Até nos surpreendemos com o sucesso, que nos permitiu abrir esta segunda loja. Isso comprova a força da marca Pizzaria da Mathilda”, comenta Mocellin, profissional que ganhou destaque no mercado nacional ao fundar a rede WhataFuck Hamburgueria, mais um grande sucesso na cidade.

Divulgação

O ambiente da nova Mathilda conta com 46 lugares (trabalhando com apenas 50% da capacidade, devido às restrições para o combate do coronavírus), quase o dobro da unidade Centro, com 25 lugares. “Eu e o Maurício desenhamos o layout da loja, sem arquiteto, buscando um espaço alegre, despojado e colorido, seguindo o mesmo estilo da outra loja, mas com uma identidade própria”, explica Mocellin.

Divulgação

Pizza Napolitana

Considerada um patrimônio imaterial da humanidade pela Unesco, a pizza tem sua história iniciada no século 18 na cidade italiana de Nápoles. O preparo napolitano é o mais clássico, com regras específicas a serem seguidas do preparo da massa à finalização. Seguindo esta tradição, a Pizzaria da Mathilda faz o preparo artesanal da massa, por meio de fermentação lenta, com temperatura e tempo controlados. O cuidado com insumos frescos de alta qualidade é aliado às receitas assinadas por Daniel Mocellin. Por fim, a pizza é assada em um tradicional forno napolitano. “Achamos um produto fiel à tradição italiana, com insumos italianos, preço altamente competitivo e que conversa com todos os públicos”, afirma.

Outro detalhe da pizza napolitana é a apresentação individual, seguida à risca pela pizzaria curitibana. São doze sabores disponíveis, cada um saindo a R$ 28. A Margherita é um clássico, preparada com farinha italiana, basílico, parmesão ralado na hora, mozzarella de búfala e azeite extravirgem. Levando o nome da casa, a pizza Mathilda tem mozzarela, frango moído frito temperado com páprica defumada e erva doce, cebola roxa, azeitona preta, orégano e molho de tomate. Há ainda pedidas veganas, como a León, de molho de tomate com berinjela em cubos, cebola branca, azeitona preta em pedaços e basílico.

Divulgação

A segunda unidade da Pizzaria da Mathilda está localizada na Rua Rocha Pombo (nº 265) no bairro Juvevê. O horário de funcionamento é de terça-feira a domingo, das 18h às 23h (segundo o decreto atual, não abre para atendimento presencial aos domingos). Também atende para take away e via delivery pelo aplicativo Rappi. Mais informações no perfil do Instagram: @pizzariadamathilda.