Maior evento de criatividade urbana do Brasil começa neste sábado em Curitiba

Um convite para os habitantes explorarem, curtirem e refletirem sobre a cidade: isto é o que promove o festival Subtropikal. Após edição de sucesso em 2017, o festival de criatividade urbana ganha uma nova edição neste mês de julho, entre os dias 7 e 15, em Curitiba (PR). O evento, que no ano passado movimentou mais de 5 mil pessoas em torno de atividades criativas, aposta em um formato semelhante ao de 2017 e ocupa um imóvel inédito, durante toda a semana. Oficinas, apresentações, intervenções artísticas e o circuito de debates conhecido como REFLITA acontecem no Palacete Zacarias de Paula Xavier, imóvel que data do ciclo do mate e está localizado no coração de Curitiba: a história e bela Avenida Marechal Floriano (n° 720).

Tendo maior parte de sua programação acesso 100% gratuito, o festival continua sua missão de promover encontros entre diferentes áreas da criatividade num mesmo espaço, criando conexões espontâneas e o “clash” entre ideias pré-estabelecidas. Entre os temas de interesse, fruto de discussões entre uma equipe de cocriadores rotativos, estão: Futuro, Arte, Criatividade, Consumo, Relações, Propósito e Consciência. Entre os convidados a compartilhar seus olhares estão o estilista Mário Queiroz, da Chilli Beans, que compartilha sua visão sobre os malefícios do machismo para o homem; o rapper Rico Dalasam; a responsável pelo Sexlog.Tv Mayumi Sato, que fala sobre pornô para mulheres; além de personalidades curitibanas que são referência dentro da criatividade, inovação, educação e posicionamento. Lembrando que o acesso para o REFLITA é pago (R$ 40 – primeiro lote), mas o acesso à toda Casa Subtropikal é gratuito.

Mais atrativos, como instalações artísticas, bate-papos e laboratórios gratuitos como o de upcycling, apresentado pelo Sustainable Fashion Awards, serão atrações à parte na Casa, onde os visitantes encontram sempre um bar funcionando com drinks exclusivos e comidinhas autorais, fruto de cocriação entre Botanique crew e a chef Gabi Mahamoud. Um circuito de festas assinadas por núcleos locais também está planejado para a Casa Subtropikal, e a programação completa será revelada ao longo dos próximos dias.

As oficinas serão ministradas por especialistas como a pesquisadora de tendências Andrea Greca, o produtor musical Laercio Schwantes (L_cio), o fotógrafo Daniel Castellano e o jornalista especializado em cultura contemporânea Camilo Rocha do NEXO. O sul-africano Esa Williams, DJ e conhecido “digger” musical, vem ao Brasil para dar um workshop exclusivo falando sobre as raízes da cultura Afro-Brasileira na música.

A Festa de Encerramento acontece no dia 14 de julho (sábado) na Usina 5, complexo de galpões localizado no bairro Boqueirão. Entre as atrações, estão os rappers Flora Matos, Rael e Rico Dalasam, que se apresentam no inédito formato de jam session no palco NAVE CONVIDA, assinado pelo beatmaker curitibano indicado a 2 Grammys, [Vinícius] Nave. Também se apresentam na festa o inédito e provocador live-performance paulistano Teto Preto, composto pela vocalista Laura Diaz (CARNEOSSO) e o produtor musical Pedro Zopelar, além dos DJs rhr., Cauana Stival, Zopelar, Bila Sampaio e o Sul-Africano Esa Williams, convidado especial do palco DISCOTECA ODARA, assinado pelo coletivo local.

As atividades diárias do festival serão realizadas na Casa Subtropikal – Palacete Zacarias de Paula Xavier (Av. Visconde de Guarapuava, 2900), que vai funcionar diariamente, entre os dias 07 e 15 de julho, a partir das 10h. Já a festa de encerramento será realizada no dia 14 de julho, na Usina 5 (Rua Constantino Bordignon, 5 – Prado Velho), a partir das 21h. Os ingressos e passaportes para todas atividades do evento podem ser adquiridos na plataforma oficial Sympla (sympla.com/subtropikal). Mais informações no site www.subtropikal.com.br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mural feito por mulheres deixa a Presidente Faria mais colorida

Curitiba está ganhando uma grande e colorida obra de arte a céu aberto. Dois murais estão sendo pintados na lateral de um prédio comercial na Rua Presidente Faria, ao lado da sede da Guarda Municipal, no Centro. A previsão é de que estejam prontos neste domingo (28/11).

As pinturas fazem parte do projeto Muchas Minas, que coloca em evidência o trabalho de artistas mulheres.

O painel fica no corredor cultural entre o Passeio Público e o Cine Passeio, produzido pela artista espanhola Marina Capdevila, uma das maiores muralistas de grafite do mundo, e a paranaense Cristina Pagnoncelli.

Mural feito por mulheres deixa a Presidente Faria mais colorida. foto: Cido Marques

Juntas as duas obras totalizarão 400 metros de arte e estão sendo produzidas com recursos da Lei de Apoio e Incentivo à Cultura.

Inspirada por sua avó, Marina Capdevila costuma retratar pessoas idosas, inspiração que traz também neste novo trabalho. Ele retrata uma senhora que alegremente almoça uma variedade de iguarias culinárias, cada uma representando uma ou mais culturas que compõem a diversidade da capital paranaense. 

Entre as iguarias que compõe o mural de Marina estão uma fatia de pizza, um prato de sushi, linguiça e cerveja, além de algumas pinhas e uma espiga de milho que representam os povos indígenas. Já os tomates do mural remetem à terra natal da artista, a Espanha.

Com vários trabalhos ao redor do mundo, a última obra da artista foi em Girona, na Catalunha, e representava idosos felizes ao se abraçarem.

Giusy de Luca, criadora do projeto Muchas Minas, diz que a artista catalã pinta algo no qual as pessoas não acreditam muito: a ideia de envelhecer bem e feliz. “Normalmente a gente relaciona a terceira idade com coisas ruins, já ela traz uma outra perspectiva”, diz. 

Cris Pagnoncelli é uma artista e designer conhecida pelo seu trabalho com lettering, uma maneira estilizada de desenhar letras e palavras. O seu mural, que ficará à direita do de Marina, contará com a palavra “coragem”, acompanhada por uma arte ao fundo.

As duas artistas estudaram juntas em Barcelona. “Os dois murais, lado a lado, vão dialogar e contrastar um com o outro, o que será bastante interessante”, relatou Marina.

Para a paranaense, a obra é uma realização. “Era meu sonho ter minha primeira empena solo na cidade onde vivo”, diz Cristina. Anteriormente ela já tinha participado de outras iniciativas do Muchas Minas, como uma arte feita em setembro no muro da escola municipal Caramuru, no bairro Cabral.

Muchas Minas

O projeto foi criado em 2019, um pouco antes da pandemia de covid-19, por Giusy de Luca, da produtora Mucha Tinta. Por causa da pandemia, a pintura dos painéis acabou sendo adiada por dois anos, até que finalmente conseguiu ser realizada, com recursos da Lei de Apoio e Incentivo à Cultura. O projeto destaca artistas urbanas femininas, já que, segundo sua criadora, as mulheres não são valorizadas nessa área. 

Giusy acredita no potencial de Curitiba como um polo turístico de arte urbana. “Gostaríamos de ver em Curitiba como um museu a céu aberto”, disse.

Curitiba é eleita a capital com a melhor gestão pública do Brasil

Curitiba foi eleita nesta terça-feira (23), em Brasília, a capital brasileira mais eficiente e com a melhor gestão pública pelo Prêmio Cidades Excelentes, uma iniciativa do Grupo Bandeirantes de Comunicação em parceria com o Instituto Aquila.

O objetivo da premiação é reconhecer boas práticas, contribuindo para evolução da gestão pública nos 5.570 municípios brasileiros.

O prefeito Rafael Greca foi representado no evento de premiação pelo vice-prefeito Eduardo Pimentel e pela secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

“Fique em Curitiba imerso no Natal da Luz dos Pinhais”, disse o prefeito. “Celebro com toda alegria esse reconhecimento da qualidade do trabalho desenvolvimento em Curitiba.”

Para Eduardo Pimentel, “a escolha de Curitiba como a cidade com a melhor gestão pública do Brasil por um fórum tão qualificado é uma demonstração que nossa administração, liderada pelo prefeito Rafael Greca, está no caminho certo”.

“Ficamos muito felizes e honrados com mais este reconhecimento”, afirmou o vice-prefeito.

Pilares

Curitiba teve a maior pontuação média entre as capitais brasileiras nos pilares eficiência fiscal e transparência, educação, saúde e bem-estar, infraestrutura e mobilidade urbana e desenvolvimento socioeconômico e ordem pública.

Destaque para a área de educação que teve a maior nota pelo instituto (80,1).

“Fizemos um grande trabalho na educação durante a pandemia para zerar a evasão escolar e garantir acesso ao ensino de qualidade para nossas crianças”, afirmou Pimentel.

Outro ponto destacado pela premiação foi a qualidade da eficiência fiscal da capital paranaense.

De acordo com a reportagem da Band TV, veiculada no evento, Curitiba em 2016 tinha o pior caixa entre todas as capitais. Com um plano fiscal audacioso, conseguiu equilibrar as finanças e se tornar a cidade mais eficiente do Brasil na área.

Reconhecimentos

O vice-prefeito destacou ainda outros prêmios que Curitiba ganhou nos últimos dias, como um dos seis projetos mais inovadores do mundo no World Smart City Awards, em Barcelona, pelo Plano de Retomada Econômica.

“Temos feito um grande trabalho para consolidar Curitiba como a cidade mais inovadora, tecnológica e sustentável do Brasil, projetando o nome da nossa cidade para todo o mundo”, afirmou.

Metodologia

A avaliação para o prêmio da Band é feita a partir da ferramenta desenvolvida pelo Instituto Aquila, IGMA, que consolida resultados a partir de 41 indicadores.

Eficiência fiscal e transparência, educação, saúde e bem-estar, infraestrutura e mobilidade urbana e desenvolvimento socioeconômico e ordem pública estão entre os itens avaliados.

Todos os municípios foram agrupados em três categorias de acordo com o porte da população local: menor ou igual a 30 mil habitantes, entre 30 mil e 100 mil habitantes e acima de 100 mil habitantes.

Para a etapa nacional, duas novas categorias ganham destaque: cidades acima de 500 mil habitantes e capitais.