Jaime Lerner deixa legado como arquiteto, urbanista e político

Jaime Lerner nasceu em Curitiba e aqui deixou o seu legado. O arquiteto, urbanista e ex-político tinha 84 anos e morreu nesta quinta-feira (27) em decorrência de complicações de doença renal crônica, no Hospital Evangélico Mackenzie, na Capital.

Era arquiteto e planejador urbano, formado pela Escola de Arquitetura da Universidade Federal do Paraná (UFPR) em 1964. Foi um dos grandes responsáveis pela modernização da capital nos anos 90, referência em planejamento urbano.

Andando por aí encontramos sua história na Rua XV de Novembro, a primeira via exclusiva para pedestres do Brasil. Nas canaletas para ônibus, nas famosas estações-tubo e no sistema integrado de transporte coletivo. Na imagem ecológica de Curitiba, com a campanha que ensinou os curitibanos a separar o Lixo Que Não É Lixo. No pôr do sol do Jardim Botânico, em uma tarde na Ópera de Arame ou em uma voltinha na Rua 24 Horas.

Foi também responsável pela criação e estruturação do Instituto de Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) em 1965, participou do desenvolvimento do Plano Diretor da Capital que resultou no processo de transformação física, econômica e cultural da cidade. Foi prefeito de Curitiba em três mandatos: nos períodos de 1971/75, de 1979/83 e de 1989/92.

Durante sua primeira gestão como prefeito, Lerner consolidou as transformações da cidade e implantou o Sistema Integrado de Transporte Coletivo, reconhecido internacionalmente pela sua eficiência, qualidade e baixo custo.

Nas duas administrações seguintes, além das ações de vanguarda no planejamento urbano, Lerner intensificou um amplo programa que resultou em avanços na área social, destacando Curitiba como uma das cidades com um dos maiores índices de qualidade de vida entre as principais capitais do mundo.

Foi eleito governador do Paraná em 1994 e reeleito em 1998. Apoiado em uma política de atração de investimentos produtivos, o Paraná se consolidou como um polo industrial do País. A exemplo da experiência bem sucedida de Curitiba, Lerner se dedicou a questões de logística, educação, saneamento e lazer.

Essa preocupação, intensa principalmente na área social, de educação e de atenção à criança, renderam ao Governo do Paraná o prêmio Criança e Paz da Unicef, para os programas “Da Rua para a Escola”, “Protegendo a Vida” e “Universidade do Professor”.

ARQUITETURA 

Em sua carreira como arquiteto e urbanista, Jaime Lerner alçou voos internacionais. Ele se formou em arquitetura e engenharia e, a partir de 1970, fez de Curitiba uma referência mundial em urbanismo a partir do modelo de transporte BRT – que, inspirado nos metrôs, acelera a velocidade dos ônibus através de canaletas exclusivas em vias expressas que cortam a cidade.

Além de implementar o sistema, foi durante a sua gestão que os principais cartões-postais da Capital paranaense foram desenhados: o calçadão da Rua XV de Novembro (antes aberta parra carros), a Ópera de Arame, o Jardim Botânico e a Rua 24 Horas – todos fruto do trabalho conjunto de um time de arquitetos liderados por ele, que revolucionaram sua geração dentro do IPPUC.

O seu escritório, Jaime Lerner Arquitetos Associados, também é responsável pelo planejamento urbano de diversas outras cidades do Brasil, como Balneário Camboriú, e projetos como a nova orla do Guaíba, em Porto Alegre.

Seu trabalho como urbanista levou Lerner a ser citado pela revista Time em 2010 como um dos 25 pensadores mais influentes do mundo. Em 2018, foi reconhecido pela revista norte-americana Planetizen como o segundo maior urbanista da história.

DESPEDIDA 

Lerner era viúvo da ex-primeira-dama Fani Lerner, falecida em 2009. Deixa duas filhas: Andrea e Ilana, que atualmente dirige a Biblioteca Pública do Paraná.

LUTO

O governador Ratinho Junior manifestou imenso pesar e decretou luto oficial de três dias pela morte de Jaime Lerner.

“Nossas condolências à família e amigos do ex-governador Jaime Lerner. O Paraná perde um grande cidadão, que ajudou a transformar Curitiba e o Estado. Os nossos corações, marca que por muito tempo ele usou, estão juntos neste momento de profunda dor e tristeza para todo o povo do Paraná”, disse o governador.

“Jaime Lerner tinha amor pelo Paraná. Dedicou uma vida inteira ao Estado, com realizações que transformaram Curitiba e servem até hoje de inspiração mundo afora. Um exemplo que ficará marcado eternamente pelas centenas de obras espalhadas pelo nosso Estado”, reforçou Ratinho Junior.

No Palácio Iguaçu, as bandeiras ficarão a meio mastro durante todo o período de luto.

REPERCUSSÃO

Edson Fachin, ministro do STF

“O Paraná e o Brasil perdem uma de suas melhores inteligências. Jaime Lerner traduziu em sua vida uma respeitável carreira acadêmica, profissional, e de vida pública desvelada ao sentido permanente da existência. Fica a memória de quem com sensibilidade compreendeu o efêmero e com serenidade se inscreveu na história. Brasília, 27 de maio 2021”.

Sergio Moro

“Triste o falecimento do ex-prefeito e ex-governador Jaime Lerner. Minha solidariedade aos familiares. Como arquiteto, urbanista e gestor, fez de Curitiba uma referência positiva mundial”.

Ademar Traiano (PTB), deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Paraná

“Perdemos uma das maiores lideranças políticas do nosso estado. Um homem de uma cultura invejável, respeitável em todo o mundo como arquiteto, pensador. Deixa uma bagagem na história digna e elogiável em nosso estado. Uma perda irreparável no mundo político, no mundo cultural e principalmente pela visão de estadista que Jaime Lerner teve e construiu em todo o mundo”.

João Doria (PSDB), governador de São Paulo

“O Brasil perde um grande homem público, extraordinário arquiteto e urbanista. A morte do ex-governador do Paraná, Jaime Lerner, comove a todos. Meus sentimentos aos seus familiares e amigos”.

Cida Borghetti, conselheira da Itaipu Binacional

“O Paraná perdeu hoje Jaime Lerner. Um homem à frente do seu tempo. Um Urbanista visionário e um político arrojado. Reconhecido internacionalmente, Lerner deixou marcas que transformaram Curitiba e o Paraná. Com ele tive a honra de ser a primeira mulher a chefiar o escritório do Paraná em Brasília. Obrigada, meu grande amigo, pela oportunidade, pelas palavras sempre amáveis e pelos sábios conselhos. Meus sentimentos a Andrea, Ilana e a todos os familiares. Sentiremos saudades”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deputados aprovam projeto que pode reduzir em até 20% o preço do gás de cozinha no Paraná

A Assembleia Legislativa do Paraná aprovou na sessão plenária desta segunda-feira (7) a proposta que pode reduzir o preço do gás de cozinha em até 20%. O projeto de lei 188/2021, assinado pelos deputados Ademar Traiano (PSDB), Delegado Francischini (PSL) e Hussein Bakri (PSD), que permite ao consumidor efetuar a compra do gás de cozinha de qualquer marca, independente daquela estampada no botijão, passou em primeiro turno de votação.

O texto estabelece que, em todo o estado do Paraná, o titular da marca inscrita em vasilhame ou embalagem reutilizável, não poderá impedir a livre circulação do produto ou reutilização do recipiente, ainda que por empresa concorrente, ou criar, por meio de marca, vínculo artificial com o consumidor de maneira a impedir a plena liberdade de adquirir produto de sua escolha.

Os autores destacam na justificativa da proposta que hoje, no país, existem aproximadamente 150 milhões de botijões de posse das revendedoras ou dos consumidores, e que mesmo que cidadão possua o botijão, este não pode enchê-lo, por exemplo, na empresa que tenha o menor preço, pois as maiores distribuidoras se protegem através da marca estampada no botijão, dificultando a entrada de novas empresas distribuidoras no mercado e consequentemente, diminuindo a livre concorrência, a qual poderia promover a redução do preço do botijão e do GLP para a população.

O objetivo do projeto, segundo os autores é permitir a opção de escolha do consumidor pela marca mais barata e não obrigar a adquirir o produto da marca estampada do botijão, que poderá ser mais caro. Ainda segundo a matéria, a medida poderá promover uma redução entre 15 e 20% no preço final ao consumidor.

“Com esse projeto estamos democratizando o atendimento daqueles que precisam de um bujão de gás, que hoje está concentrado na mão de poucas empresas credenciadas. Queremos oportunizar a possibilidade de que outras pequenas empresas possam fazer essa distribuição e atender aos consumidores”, afirmou Traiano. “É uma proteção ao consumidor. Vai ter uma repercussão enorme no preço na ponta a partir do momento que vamos estimular a concorrência e o proprietário do botijão puder escolher onde trocar”, reforçou Francischini. “A medida também é importante para conter o aumento descontrolado dos preços de produtos essenciais aos paranaenses em meio à pandemia”, concluiu Bakri.

.

Trem que opera na serra do Mar ganha vagões especiais e de luxo

Ao viajar de trem, muitos turistas preferem entrar na história. Mas há os que preferem viajar em vagões mais novos ou temáticos. Para esses, a rota ferroviária entre Curitiba e Morretes, na serra do Mar paranaense, é uma boa opção a ser considerada, por atender os mais variados gostos – e bolsos.

A rota oferece os carros de passageiros convencionais, mas também vagões temáticos e até mesmo específicos para viagens com pets.

Os mais recentes a entrar em funcionamento são o carro desenvolvido para as viagens com animais de estimação e o que homenageia Ildefonso Pereira Correia (1849-1894), o Barão do Serro Azul, que foi o maior produtor de erva-mate do mundo e que foi morto durante a Revolução Federalista na ferrovia Paranaguá – Curitiba. Ambos são qualificados como “vagões boutique”.

O “carro do Barão”, como passou a ser chamado, tem uma varanda panorâmica de seis metros quadrados, em que é possível ao visitante sentir a natureza paranaense ainda mais de perto. Por suas características, é o último vagão da composição e também abriga menos passageiros que os carros convencionais: apenas 32.

Fabricado originalmente em 1954, o carro foi comprado pela Serra Verde Express, empresa que administra a rota ferroviária, num leilão em Vitória (ES). A reforma e transformação em vagão panorâmico custou R$ 530 mil.

Outro carro especial é o Imperial, com mesas de madeira (quadradas e redondas) que comportam quatro pessoas. Produzido com decoração refinada, foi inspirado nos anos 30, mais especificamente nos vagões-restaurante daquela década.

O Bove é o vagão destinado aos pets. Tem janelas panorâmicas e uma varanda central que acomoda até quatro pessoas.

O projeto envolveu o desenvolvimento de uma estrutura que permite que os animais fiquem fora das caixas de transporte na viagem, além de terem poltronas exclusivas. O vagão comporta 28 pessoas e possui 8 poltronas pets. Os animais de pequeno e médio portes podem viajar no colo dos passageiros e têm circulação livre pelo vagão, além de serviço de bordo, com um kit lanche especial.

O desenvolvimento desse carro, cujos assentos têm tecido impermeável, custou R$ 205 mil. Além desses, há os carros de primeira classe batizados de Foz do Iguaçu, Copacabana (ambos com estilo neoclássico) e Curitiba, com símbolos que remetem à capital do Paraná.

São litorinas (automotrizes, que operam com um carro somente) e, por terem ar condicionado e janelas fechadas, não têm sido utilizadas em tempos de pandemia.

Os bilhetes custam a partir de R$ 135 (carros convencionais). Os chamados carros boutique têm passagens a partir de R$ 240, enquanto na litorina custam R$ 270. O trem opera de sexta-feira a domingo.

Há, ainda, vagões das categorias standard (ar condicionado e poltronas estofadas), turística (assento duplo) e econômico.

Além da rota ferroviária entre Curitiba e Morretes, há outra ligando Morretes a Antonina, esta operada pela ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária) e que busca na restauração de seus carros de passageiros deixá-los exatamente como eram no passado. A composição é tracionada por uma locomotiva fabricada em 1884.


Curitiba a Morretes (PR)
Duração: quatro horas e 15 minutos
Trecho percorrido: 70 km
Preços: a partir de R$ 135
Atrações: trecho de mata atlântica e cachoeiras

Informações Banda B