Itaipu recebe o selo de Empresa Amiga da Mata Atlântica

Entrega foi feita durante o encontro anual da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, que comemora 30 anos da RBMA e 50 do MAB. Selo tem validade de um ano e já havia sido concedido à Itaipu em 2018

A Itaipu Binacional recebeu, nesta noite de terça-feira (23), o selo de Empresa Amiga da Mata Atlântica, um reconhecimento à contribuição à restauração do Bioma Mata Atlântica. A empresa participa, ao longo desta semana, do encontro anual da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA), em Fortaleza (CE) e com transmissão ao vivo pelo canal Cine Biosfera, no YouTube, dos principais eventos e debates.

A entrega do selo (que tem validade de um ano e que já havia sido entregue à Itaipu em 2018) ocorreu durante a sessão solene que marcou os 30 anos da RBMA e 50 do programa O Homem e a Biosfera (MAB, em inglês), da Unesco. A empresa foi representada pelo diretor de Coordenação, general Luiz Felipe Carbonell, e o superintendente de gestão ambiental, Ariel Scheffer da Silva.

O evento contou com a participação de representantes do Conselho Nacional da RBMA, Unesco, Global Wildlife Conservation, Governo do Ceará e Federação das Indústrias do Estado do Ceará. Na ocasião, também foram entregues os troféus do Prêmio Muriqui 2021, reconhecendo importantes contribuições à causa ambiental em diversas categorias.

O presidente do Conselho Nacional da RBMA, Clayton Lino, destacou a importância do programa MAB no contexto internacional. São 727 Reservas da Biosfera em 131 países. “Trata-se de uma rede espetacular de lugares privilegiados pela natureza, mas que também coloca a questão do trabalho, a relação do homem com o uso da água, do solo, os valores culturais e étnicos. É um programa muito inovador”, afirmou.

Em seu discurso como participante da mesa de autoridades, o general Carbonell apresentou as ações que Itaipu desenvolveu desde a época da construção da usina, e que permitiram a formação de mais de 100 mil hectares de áreas protegidas no Brasil e no Paraguai, com destaque para o plantio de 24 milhões de árvores somente na margem brasileira. Além disso, a Itaipu foi responsável por 30% da regeração da Mata Atlântica observada no estado do Paraná entre os anos de 1985 e 2015.

“Itaipu produz energia limpa e renovável com base em um ciclo virtuoso da natureza. As ações da empresa são voltadas ao correto manejo do solo, a recuperação e a manutenção das florestas, a segurança hídrica, e o emprego dos princípios de desenvolvimento sustentável, lastrados em uma ampla rede de educação ambiental”, afirmou o diretor, enfatizando a importância da participação das comunidades, associações e setores produtivos no diagnóstico e execução das ações.

Já o superintendente de gestão ambiental, Ariel Scheffer da Silva, abordou o sistema inovador que permitiu a constituição da primeira Unidade de Gestão Descentralizada (UGD) da Reserva da Biosfera no mundo. A UGD RBMA Itaipu soma cerca de 860 mil hectares de áreas em 29 municípios, e conta com a participação de 10 instituições governamentais e 10 não-governamentais em seu Fórum Consultivo de Apoio à UGD.

“Para a Itaipu, a sustentabilidade da geração de energia no longo prazo tem a ver com segurança hídrica e com a vida útil do reservatório. E essa vida útil tem a ver com os ecossistemas, com sedimentos, com uso do solo e de como cuidamos da natureza no território. E é um trabalho feito em parceria e tendo como referência os 17 ODS da Agenda 2030. Tudo isso foi muito importante para que pudéssemos constituir essa UGD”, disse o superintendente.

A programação do evento segue ao longo da semana com a participação de Ariel Scheffer e do engenheiro florestal e coordenador da UGD, Luis Cesar Rodrigues da Silva, da Divisão de Áreas Protegidas (MARP.CD), no seminário internacional “A RBMA e a agenda global de sustentabilidade”. “O evento é uma oportunidade para se conhecer boas práticas implementadas em outros locais, com potencial para replicação na área de influência da Itaipu”, afirmou Luís César.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com investimento da Itaipu, Projeto Trilha Jovem terá 300 participantes em 2022

Número de alunos será o dobro do atual. Anúncio foi feito em cerimônia de encerramento da turma de 2021, nesta terça-feira (14)

O Projeto Trilha Jovem terá 300 participantes na edição do ano que vem, o dobro de alunos que participaram este ano. O anúncio foi feito na tarde de terça-feira (14), durante a cerimônia de encerramento da turma de 2021. No evento, o 1º Workshop de Empregabilidade Jovem, 12 participantes puderam apresentar o que aprenderam ao longo de cinco meses de qualificação profissional. A Itaipu é apoiadora do projeto.

A cerimônia aconteceu na sede da Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu (Acifi) com transmissão pela internet para cerca de 50 pessoas, entre participantes do Trilha, profissionais de entidades parceiras, gestores de RH e empresários. Representaram Itaipu o gerente da Divisão de Iniciativas de Responsabilidade Social (RSIR.GB), Adriano Hamerschmidt, e o gestor do convênio com o Trilha Jovem, Rodrigo Cupelli, da Divisão de Educação Ambiental (MAPE.CD).

“Itaipu está sempre disposta a investir em projetos que trazem resultados para a população. E este, com certeza, traz muitos resultados”, resumiu Hamerschmidt, que falou em nome do diretor-geral brasileiro, general João Francisco Ferreira. “O Trilha tem essa característica de trazer ao jovem a oportunidade de crescimento pessoal e profissional. Ele deixa um legado à cidade, o legado da educação”, complementou Cupelli.

Participaram da 12ª edição do Trilha Jovem 150 estudantes de 16 a 24 anos em quatro áreas de formação: turismo e atendimento, hospedagem, eventos e comércio. Desde que o projeto foi criado, 1.670 jovens foram capacitados para ingressar no mercado de trabalho – 60% conseguiram uma inserção profissional e, para muitos deles, o primeiro emprego.

“Eu tive a sorte de ser contratado por minha própria professora do Trilha”, lembra o presidente do Conselho Municipal do Turismo (Comtur) e do Complexo Turístico Itaipu (CTI), Yuri Benites, que participou da primeira turma, em 2006. “Vocês precisam aproveitar essa oportunidade para criar um futuro melhor para vocês, suas famílias, seus filhos e netos.”

Segundo Fernanda Fedrigo, presidente do Instituto Polo Internacional Iguassu, entidade promotora do Trilha Jovem, o sucesso do projeto se deve, principalmente, ao esforço dos participantes, mas também ao patrocínio das empresas. “A Itaipu apoia o projeto desde o início, porque ela percebeu seu potencial e seus resultados”, afirmou.

Ao final das apresentações, o coordenador geral do Capacita Foz, Lee Chih Li, fez um resumo sobre o projeto, patrocinado pela Itaipu Binacional, que tem o objetivo de apoiar os profissionais do turismo de Foz do Iguaçu por meio de treinamentos e com o fornecimento de uma bolsa mensal de R$ 550 durante os três meses do curso. O objetivo é capacitar 2.250 pessoas nos próximos dois anos.

Participantes

Gabriel Garcia Rocha, 17 anos, estava se sentindo perdido quando chegou a Foz do Iguaçu, há sete meses, vindo de Viamão (RS) com a família. Foi quando ele viu num jornal da cidade a propaganda do Trilha Jovem. “Eu precisava começar uma carreira e, hoje, posso dizer que o projeto mudou a minha vida. Sei que vai mudar a vida de muitos outros jovens”, contou Gabriel, participante da turma de Eventos.

Já Higor Josue Almeida Chagas, 19, buscou orientação na figura paterna do coordenador do Programa de Iniciação e Incentivo ao Trabalho (PIIT) da Itaipu, Vinícius Ortiz, quando participou do programa, em 2018. “Ele tinha me sugerido participar do Trilha e, de início, não dei muita bola. Depois avaliei com calma e fiz a inscrição. Entrar no Trilha Jovem foi, com certeza, a melhor escolha que fiz na vida”, afirmou Higor, que participou da turma de Turismo e Atendimento.

Para sua colega de turma, Franciele Gobi, 21, o treinamento ajudou muitos jovens, especialmente, a vencer a timidez. “No início, a gente tinha muita vergonha de se expressar, o professor perguntava algo e a gente não respondia, por timidez. Graças ao Trilha, nós ganhamos confiança para manifestar nossa opinião, eu não conseguiria estar aqui agora, fazendo essa apresentação, se não tivesse feito o curso”, disse.

Ter confiança para interagir com o público facilita a entrada dos jovens no mercado de trabalho, mas não é a única qualidade procurada pelas empresas. “O mais importante é o comprometimento com o trabalho. Nós buscamos saber quais são os valores dos jovens, se eles batem com os nossos. Então, chamamos para a entrevista”, explica a analista de RH do Grupo Muffato, Cassia Macente, que acompanhou o workshop presencialmente. Só em Foz do Iguaçu, a rede de supermercados tem sete lojas, com cerca de 190 funcionários cada.

Movimento supera expectativa e aquece turismo em Foz do Iguaçu e Litoral no feriadão

O movimento em Foz do Iguaçu e no Litoral, principais destinos turísticos do Paraná, superou as expectativas neste feriado prolongado, alcançando as melhores marcas no ano, equivalentes ao período pré-pandemia. Foz do Iguaçu (Oeste) recebeu mais de 20 mil visitantes de sábado a terça-feira (4 a 7). No Litoral, a estimativa é de que as sete cidades da região tenham recepcionado mais de 150 mil turistas no período.

Nos quatro dias, apenas as Cataratas do Iguaçu atingiram a marca de 19.273 pessoas, número 39% superior à expectativa inicial, com turistas de todas as regiões do País e de 30 diferentes nacionalidades. O complexo da Usina de Itaipu recebeu 7.801 pessoas, superando em 73,3% a previsão inicial de 4,5 mil visitantes.

O secretário estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, destaca que os atrativos do Oeste, como as Cataratas e a Usina de Itaipu, e do Litoral, principalmente a Ilha do Mel, são portas de entradas de turistas de fora para outros atrativos do Estado. “Os turistas de outros estados e países buscam grandes destinos, como Foz e o Litoral. O Estado trabalha para que esses visitantes conheçam outros atrativos ao redor”, afirma.

Entre as ações para conquistar visitantes aos demais atrativos estão o avanço da vacinação contra a Covid-19 e as campanhas de divulgação realizadas pelo Governo do Estado e também pelo Ministério de Turismo e Itaipu. “O aumento de visitantes será ainda mais acentuado no segundo semestre, com o verão, os próximos feriados e os eventos já marcados”, diz Nunes.

O prefeito de Foz, Chico Brasileiro, enfatiza que os turistas foram recebidos com toda a segurança sanitária. “Nos preparamos para isso”, afirma. “Os primeiros números mostram que Foz do Iguaçu já está sendo um destino muito requisitado e esperamos um segundo semestre acima da média do período pré-pandemia”.

LITORAL – De acordo com dados da concessionária Ecovia, cerca de 110 mil veículos passaram pelas cancelas do pedágio na praça da BR-277, rumo ao Litoral do Estado. O prefeito de Guaratuba, Roberto Justus, destacou o movimento no calçadão, quiosques, Avenida 29 de Abril e nas praças Central e dos Namorados.

Guaratuba, Litoral do Paraná – Foto: Rafael Soveral/Prefeitura de Guaratuba

“Esse eixo forma a grande atração turística da cidade. O parque municipal também foi bastante procurado. O movimento na cidade como um todo foi acima da média e acima do esperado. A cidade esteve movimentada, com bastante reflexo no comércio”, afirma.

O prefeito destacou, também, o trabalho das forças policiais, principalmente com blitzes. “Tivemos ocorrências de pequeno potencial. Foi um trabalho muito sério de fiscalização e de orientação feito pela Polícia Militar. O feriado foi um termômetro, um indicativo para uma excelente temporada de verão”, completa.