Itaipu by Bike abre novas vagas para quem quer explorar a usina sobre duas rodas

Passeio, que estreou nesse final de semana, agradou turistas e lindeiros. Vagas para o mês de maio se esgotaram em menos de uma semana

O sucesso da primeira edição do passeio Itaipu by Bike foi tão grande que já não há mais vagas disponíveis para o mês de maio. Para atender aos pedidos do público, o Complexo Turístico Itaipu decidiu acrescentar mais cinco vagas a cada passeio – no sábado às 16h30 e no domingo, às 8h30.

Para se inscrever, basta preencher o formulário disponível em https://bit.ly/itaipubybikelindeiros. Turistas podem se inscrever pelo site www.turismoitaipu.com.br, mediante pagamento do ingresso, de R$ 42. Para moradores de Foz do Iguaçu e outros municípios lindeiros, a atividade é gratuita. A idade mínima para participar é de 14 anos.

O passeio de estreia, que aconteceu no último sábado (1º), estava cheio. Os ciclistas aprovaram. “Achei fantástico. Estou vindo para conhecer e poder passar essa experiência aos turistas que eu recebo, para termos opção a mais de passeio, ainda mais com tanta coisa fechada, em tempos de pandemia”, disse o guia de turismo Clayton Camargo.
Mesmo os turistas que vêm de longe e sem bike podem fazer o passeio, pois há bicicletas disponíveis para aluguel no Centro de Recepção de Visitantes da Itaipu.

Foto: Sara Cheida

Até quem conhece a paisagem da usina curtiu o ponto de vista diferente do passeio de bike. Heloisa Ruiz, empregada da Divisão de Remuneração e Movimentação de RH de Itaipu, era só elogios. “Gostei da oportunidade de conhecer lugares diferentes dentro da Itaipu, em um passeio ao ar livre e com segurança. Vou fazer propaganda agora, trazer meu namorado e meus amigos para verem esse por do sol maravilhoso”, disse.

Foto: Sara Cheida

Pedal na usina
Os passeios Itaipu by Bike ocorrem em dois horários: no por do sol de sábado, às 16h30; e nas manhãs de domingo, às 8h30. O percurso tem 19 km, duração estimada de 1h30 e quatro paradas. A rota inclui asfalto, terra, pedrisco e mato. Devido à dificuldade do trajeto, pede-se que sejam usadas somente bicicletas tipo mountain bike.

Todos os cuidados são tomados para garantir a segurança e a saúde dos participantes, que devem usar capacete e máscara de proteção durante todo o percurso. Recomenda-se, também, o uso de protetor solar e garrafas d’água para hidratação.

Foto: Kiko Sierich

O grupo é acompanhado por um monitor ao longo de todo o trajeto, além de um veículo para prestar assistência e fazer reboque da bicicleta caso ela apresente defeito ou o ciclista não consiga acompanhar. Uma ambulância também estará à disposição, em caso de emergência.

Outras atrações
Além do “Itaipu by bike”, o Complexo Turístico Itaipu continua oferecendo outras opções para turistas e moradores em busca de um passeio diferente. Na Itaipu Panorâmica, é possível conhecer os lugares mais incríveis da usina a bordo de um ônibus de dois andares. As belezas da fauna e da flora são o destaque no passeio Itaipu Refúgio Biológico e, no Ecomuseu, o visitante tem um encontro inesquecível com a história, a ciência e a tecnologia.
Para informações detalhadas de horários e compra de ingressos, visite www.turismoitaipu.com.br.

Lindeiros
Podem fazer o passeio gratuitamente os moradores de Diamante d’Oeste, Entre Rios do Oeste, Foz do Iguaçu, Guaíra, Itaipulândia, Marechal Cândido Rondon, Medianeira, Mercedes, Missal, Pato Bragado, Santa Helena, Santa Terezinha de Itaipu, São José das Palmeiras, São Miguel do Iguaçu e Terra Roxa, no Paraná; Mundo Novo, no Mato Grosso do Sul; e Ciudad del Este, Hernandarias, Minga Guazú e Presidente Franco, no Paraguai.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Consórcio finaliza concretagem das duas torres principais da Ponte da Integração

Conclusão marca o fim da fase de concretagem de grandes volumes da obra, que tem recursos da Itaipu Binacional. Índice de execução da nova ponte já está em 73%

O consórcio responsável pela construção da Ponte da Integração Brasil-Paraguai, que ligará Foz do Iguaçu (PR) a Presidente Franco (Alto Paraná), vai concluir nesta sexta-feira (26) a concretagem do mastro principal na margem paraguaia, que terá 184 metros de altura, da fundação ao topo. No lado brasileiro, o mastro principal já está pronto, com 190 metros, equivalente a um prédio de 63 andares. Com isso, as obras da nova ponte alcançam mais de 73% de execução e investimentos de aproximadamente R$ 170 milhões, conforme o último boletim técnico divulgado pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER/PR). Os recursos são da margem brasileira de Itaipu Binacional.

Os dois mastros principais, que têm formato de “Y” invertido, são as maiores estruturas de sustentação da Ponte da Integração, compostas também por apoios intermediários. A conclusão desta etapa marca o fim da fase de concretagem de grandes volumes da obra. No total, serão usados na construção 38 mil metros cúbico de concreto.

“A partir de agora, os volumes de concreto serão menores e a obra vai ganhar um ritmo mais contínuo, passa a ser um processo de quebra-cabeça”, explicou a engenheira civil Pamela Mocelini, supervisora de execução.

Na última quarta-feira (24), na margem brasileira, foi posicionada a quinta aduela metálica no vão-livre da ponte. Cada segmento (que vai compor a base da futura pista de rolamento) tem 11,9 metros de comprimento, 20 metros de largura e de 50 a 60 toneladas de peso. No lado paraguaio, já foram instaladas três aduelas.

Após a instalação do segmento, ainda é feito o processo de solda das emendas (uma aduela a outra), instalação das lajes pré-moldadas, concretagem de interligação das emendas e, para finalizar o estaiamento da unidade.

Crédito: Rubens Fraulini | Itaipu Binacional

Somente depois da execução dessas etapas é que uma nova aduela é posicionada no vão-livre. Esse processo ocorre simultaneamente nas margens brasileira e paraguaia. Quando a ponte estiver concluída, serão 36 aduelas (18 do lado brasileiro e 18 do lado paraguaio) e uma aduela de fechamento (central).

Como vai ser

A Ponte da Integração, construída sobre o Rio Paraná, terá 760 metros de extensão e vão-livre de 470 metros, o maior da América do Sul. A obra é uma iniciativa do governo federal, com gestão do governo do Estado Paraná e execução do Departamento de Estradas de Rodagem (DER/PR) e recursos da Itaipu Binacional. No total, serão investidos R$ 323 milhões no projeto. A previsão é que a obra esteja pronta até setembro de 2022.

Perimetral

Neste mês de novembro, as obras da Perimetral Leste alcançaram 5,08% de execução, com investimentos de aproximadamente R$ 5,28 milhões. A perimetral terá 15 quilômetros de extensão e vai ligar a Ponte da Integração e a nova aduana argentina às rodovias BR-469 (Rodovia das Cataratas) e BR-277 (saída para Cascavel e Curitiba),

No período, de acordo com boletim técnico do DER-PR, foram instaladas 76 estacas-raiz (de um total de 88) no viaduto da Avenida General Meira e outras 78 (de um total de 90) no viaduto da BR-469. Também avançaram as obras no viaduto da Ponte Tancredo Neves e começaram os serviços de terraplanagem na nova aduana argentina, com o lançamento, espalhamento e compactação de camadas.

Investimentos de Itaipu

A Ponte da Integração e a Perimetral Leste integram o rol de obras estruturantes financiadas na região Oeste do Paraná pela margem brasileira da Itaipu – que incluem a duplicação da pista do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu (já concluída), a duplicação da Rodovia das Cataratas (em fase de licitação), a revitalização do sistema de transmissão de Furnas, entre outras. A soma dos investimentos da empresa na região chega a R$ 2,5 bilhões.

Itaipu recebe o selo de Empresa Amiga da Mata Atlântica

Entrega foi feita durante o encontro anual da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, que comemora 30 anos da RBMA e 50 do MAB. Selo tem validade de um ano e já havia sido concedido à Itaipu em 2018

A Itaipu Binacional recebeu, nesta noite de terça-feira (23), o selo de Empresa Amiga da Mata Atlântica, um reconhecimento à contribuição à restauração do Bioma Mata Atlântica. A empresa participa, ao longo desta semana, do encontro anual da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA), em Fortaleza (CE) e com transmissão ao vivo pelo canal Cine Biosfera, no YouTube, dos principais eventos e debates.

A entrega do selo (que tem validade de um ano e que já havia sido entregue à Itaipu em 2018) ocorreu durante a sessão solene que marcou os 30 anos da RBMA e 50 do programa O Homem e a Biosfera (MAB, em inglês), da Unesco. A empresa foi representada pelo diretor de Coordenação, general Luiz Felipe Carbonell, e o superintendente de gestão ambiental, Ariel Scheffer da Silva.

O evento contou com a participação de representantes do Conselho Nacional da RBMA, Unesco, Global Wildlife Conservation, Governo do Ceará e Federação das Indústrias do Estado do Ceará. Na ocasião, também foram entregues os troféus do Prêmio Muriqui 2021, reconhecendo importantes contribuições à causa ambiental em diversas categorias.

O presidente do Conselho Nacional da RBMA, Clayton Lino, destacou a importância do programa MAB no contexto internacional. São 727 Reservas da Biosfera em 131 países. “Trata-se de uma rede espetacular de lugares privilegiados pela natureza, mas que também coloca a questão do trabalho, a relação do homem com o uso da água, do solo, os valores culturais e étnicos. É um programa muito inovador”, afirmou.

Em seu discurso como participante da mesa de autoridades, o general Carbonell apresentou as ações que Itaipu desenvolveu desde a época da construção da usina, e que permitiram a formação de mais de 100 mil hectares de áreas protegidas no Brasil e no Paraguai, com destaque para o plantio de 24 milhões de árvores somente na margem brasileira. Além disso, a Itaipu foi responsável por 30% da regeração da Mata Atlântica observada no estado do Paraná entre os anos de 1985 e 2015.

“Itaipu produz energia limpa e renovável com base em um ciclo virtuoso da natureza. As ações da empresa são voltadas ao correto manejo do solo, a recuperação e a manutenção das florestas, a segurança hídrica, e o emprego dos princípios de desenvolvimento sustentável, lastrados em uma ampla rede de educação ambiental”, afirmou o diretor, enfatizando a importância da participação das comunidades, associações e setores produtivos no diagnóstico e execução das ações.

Já o superintendente de gestão ambiental, Ariel Scheffer da Silva, abordou o sistema inovador que permitiu a constituição da primeira Unidade de Gestão Descentralizada (UGD) da Reserva da Biosfera no mundo. A UGD RBMA Itaipu soma cerca de 860 mil hectares de áreas em 29 municípios, e conta com a participação de 10 instituições governamentais e 10 não-governamentais em seu Fórum Consultivo de Apoio à UGD.

“Para a Itaipu, a sustentabilidade da geração de energia no longo prazo tem a ver com segurança hídrica e com a vida útil do reservatório. E essa vida útil tem a ver com os ecossistemas, com sedimentos, com uso do solo e de como cuidamos da natureza no território. E é um trabalho feito em parceria e tendo como referência os 17 ODS da Agenda 2030. Tudo isso foi muito importante para que pudéssemos constituir essa UGD”, disse o superintendente.

A programação do evento segue ao longo da semana com a participação de Ariel Scheffer e do engenheiro florestal e coordenador da UGD, Luis Cesar Rodrigues da Silva, da Divisão de Áreas Protegidas (MARP.CD), no seminário internacional “A RBMA e a agenda global de sustentabilidade”. “O evento é uma oportunidade para se conhecer boas práticas implementadas em outros locais, com potencial para replicação na área de influência da Itaipu”, afirmou Luís César.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com