Instituto Legado comemora 10 anos e lança camisetas com renda revertida para o programa de aceleração da organização

Há 10 anos, o Instituto Legado de Empreendedorismo Social promove impacto socioambiental por meio do fortalecimento do empreendedorismo social. Para celebrar esta trajetória norteada por programas educativos, de aceleração e de conexão, o Instituto e a Laluz Brasil –  negócio social que produz camisetas com matérias-primas não poluentes e manejo responsável de recursos naturais, culturais e sociais – criaram uma campanha de venda de camisetas especialmente desenvolvidas para agentes de transformação social e para as pessoas que se identificam com seu propósito.

Estampadas com as palavras “Sou propósito, sou inovação, sou atitude e sou impacto”, que traduzem o DNA do empreendedor social, conceito desenvolvido pelo presidente do Instituto Legado, James Marins, no livro “A Era do Impacto”, as camisetas são feitas sob encomenda e o prazo para solicitação é até dia 7 de agosto. As peças são feitas com algodão orgânico, possuem pigmentação natural e acompanham embalagem de tecido reutilizável e os valores arrecadados vão contribuir para os projetos do Instituto no fortalecimento dos empreendedores sociais. 

Consumo ético e sustentável

Todo o processo de produção preza pelo consumo ético e responsável, reduzindo custos, pegada de carbono e resíduos, e por condições dignas de trabalho para as costureiras, que recebem uma remuneração justa e participam de associações e cooperativas. A cada camiseta vendida, uma roupa íntima infantil feita com os retalhos das peças será doada no Programa Desfralde Solidário, criado pela LaLuz Brasil. O resto de tecido dos cortes das camisetas que seriam descartados são transformados em calcinhas e cuecas para crianças de um a quatro anos em situação de vulnerabilidade social. 

“O coeficiente médio de aproveitamento da matéria-prima de uma camiseta tradicional, que é o mesmo desde o século 16, está em torno de 80% e isso gera um grande problema: 20% vira descarte. Comecei a pesquisar para pensar no que poderíamos fazer. Descobri que era possível vestir crianças de um a quatro anos com os retalhos. Não consigo fazer grandes quadris, mas consigo vestir crianças. Nossas doações são sempre de quatro a cinco unidades por criança. Estamos muito felizes com a parceria com o Legado, pois o programa nasceu a partir dos ensinamentos do Instituto”, afirma Fabiana Muranaka, designer da Laluz Brasil.

Ao promover a sustentabilidade e a cidadania, a campanha se alinha às necessidades do planeta e contribui para apoiar ainda mais empreendedores sociais. Para o presidente do Instituto Legado, comemorar a jornada do Legado dessa maneira é “uma campanha de impacto, para homenagear os empreendedores sociais que trabalham todos os dias pela diversidade, pela inclusão e pela ecologia”. 

O preço das camisetas é R$ 89,00 e está disponível nos modelos feminino e masculino. Para adquirir uma camiseta, basta acessar a página da Laluz Brasil. Não haverá políticas de trocas, por isso, é preciso observar bem a tabela de medidas. A entrega dos produtos ocorrerá a partir do dia 2 de outubro. Participe! 

Sobre o Instituto Legado

O Instituto Legado acredita que o Empreendedorismo Social é uma ferramenta eficaz para a transformação do mundo. Acredita no Movimento Transformador Massivo e no poder exponencial da inovação, entendendo que pessoas empoderadas têm poder de mudança e que o trabalho em conjunto produz mais e melhores resultados. Oferece educação formal, programas de aceleração e oportunidades estratégicas para fortalecer, desenvolver e conectar agentes de transformação com atuação socioambiental. Tem o propósito de impulsionar o Movimento Transformador Massivo, apoiar e criar condições de trabalho em rede para que o impacto socioambiental do mundo cresça. Saiba mais em www.institutolegado.org

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Estratégia comercial impulsiona escalabilidade das startups em meio a escassez de investimentos

A escalabilidade dos negócios por meio de um baixo investimento é um dos principais desafios das startups nos últimos meses, que devido ao contexto econômico mundial de pandemia e alta da inflação enfrentam uma escassez de investimentos. Segundo informações divulgadas pela KPMG em parceria com a Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (Abvcap), o aporte em empresas em estágio inicial teve um recuo de 51,8% no período entre o primeiro semestre de 2021 e 2022, resultando em uma queda de recebimento de capital de R$ 22,4 bilhões para R$ 11,6 bilhões.

No entanto, há uma estratégia comercial capaz de driblar a falta de recursos financeiros no ecossistema: o modelo de agente autônomo. “Trata-se de um profissional com o papel de ser o multiplicador da marca. Ou seja, é uma pessoa que irá representar os produtos e serviços da empresa na região em que está inserida ou até mesmo em um ambiente digital”, diz Daniel Abbud, CEO e sócio-fundador da 7Stars Ventures, holding de investimentos em startup em estágio inicial. O executivo, que começou a implantar o sistema de distribuição comercial em suas investidas, explica que com a iniciativa é possível economizar até 70% do valor destinado ao crescimento do negócio.

“O custo de aquisição do cliente final é oneroso para os negócios. Ou seja, a empresa investe em ações de construção da marca no mercado e em uma equipe tradicional de vendas na espera de um retorno. Em contrapartida, através da performance do agente autônomo, é possível conquistar o cliente primeiro e arcar com esse custo depois por meio de uma comissão para o profissional que realizou a venda, visto que não há um investimento no modelo de contratação formal nesse sistema de distribuição comercial. Aqui, é possível que a empresa troque um custo fixo de mão de obra qualificada por um variável”, pontua Abbud.

Uma investida da holding que enxergou valor na iniciativa é a Dryve. A fintech que atua no financiamento digital de automóveis tem mais de 7.000 agentes autorizados nos mais de 800 municípios em todo o território nacional. “Os profissionais são autônomos, o que torna esse sistema uma via de mão dupla. Enquanto a marca cresce, o agente tem acesso a ferramentas e treinamentos em uma rotina 100% flexível. Ele será o dono de seu tempo”, finaliza Pedro Gandra, sócio-fundador da Dryve.

Projeto EnTenda de Economia leva orientações gratuitas para a população      

A alta da inflação, os juros elevados e a perda de renda dos brasileiros têm resultado no crescimento da inadimplência, dificultando para as famílias o equilíbrio do orçamento doméstico, segundo economistas. E, para auxiliar a população a organizar os seus gastos para ter uma vida financeira mais saudável, além de dar dicas para quem está abrindo um negócio ou está querendo investir, o Conselho Regional de Economia do Paraná (CoreconPR) promove a ação EnTenda de Economia, em parceria com economistas, instituições de ensino e estudantes nas cidades de Curitiba, Londrina nesta sexta-feira (12), e em Apucarana no sábado(13). O evento é promovido anualmente durante o mês de agosto, em comemoração ao Dia do Economista, celebrado no dia 13.

A ação promovida em diversas regiões do Estado, tem o objetivo de destacar a importância do economista para a sociedade, levando serviços gratuitos para a população, com o objetivo de auxiliar no planejamento doméstico. Também, quem passar pelas tendas poderá retirar, gratuitamente, a cartilha “EnTenda de Economia: Dicas para o Consumo Consciente”.

De acordo com o presidente do CoreconPR, Eduardo André Cosentino, o evento é mais do que oportuno neste momento em que as famílias estão com dificuldades de pagar as suas contas. “O endividamento das famílias está alto, e a orientação dos profissionais economistas e estudantes de economia visam contribuir neste processo para que os consumidores possam agir da forma mais correta. Também, estaremos lá para esclarecer dúvidas sobre investimentos e orientar pessoas que desejam abrir o seu negócio”, comenta.

Segundo dados divulgados pela Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, em abril de 2022, 77,7% das famílias tinham dívidas a vencer. O índice é o maior desde 2010.


A ação EnTenda de Economia envolve economistas, professores de economia e acadêmicos dos cursos de economia de diversas instituições de ensino superior do Estado, para sanar dúvidas dos mais variados assuntos ligados ao tema, em tendas instaladas em regiões centrais.



Serviço:

12/08 – Curitiba – Boca Maldita – Av. Luiz Xavier, centro – das 8h30 às 16h30

12/08 – Londrina – Calçadão da Avenida Paraná, em frente ao Banco do Brasil Centro.– das 8h30 às 16h30

13/08 – Apucarana – Praça Rui Barbosa, Centro – das 8h às 13h30

Informaçõeswww.coreconpr.gov.br