Inscrições para o Sisu serão de 6 a 9 de abril

As inscrições para o processo seletivo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), em seu primeiro semestre, ocorrerão de 6 a 9 de abril. O resultado será divulgado em 13 de abril, segundo informações do Ministério da Educação (MEC). As inscrições serão feitas pela página do Sisu na internet.

Os selecionados terão de 14 a 19 de abril para efetuar a matrícula ou o registro acadêmico na instituição de ensino para a qual o candidato tenha sido selecionado. Quem não for selecionado na chamada única do Sisu poderá disputar uma das vagas ofertadas por meio da lista de espera. O prazo para manifestar interesse em participar da lista de espera será de 13 a 19 de abril.

Para participar do Sisu, o estudante deverá ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), edição de 2020, obtido nota superior a zero na prova de redação, e não pode ter participado do Enem na condição de treineiro.

O Sisu é o programa do MEC para acesso de brasileiros a cursos de graduação em universidades públicas do país. As vagas são abertas semestralmente, por meio de um sistema informatizado, e para participar é preciso ter garantido um bom desempenho nas provas do Enem e não ter zerado a redação.

Além do Sisu, as notas do Enem podem ser usadas para acessar o Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece bolsas de estudo em instituições privadas, e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), que facilita o acesso ao crédito para financiamento de cursos de ensino superior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prazo de inscrições do SiSu é prorrogado para dia 14 de abril

O Ministério da Educação prorrogou para quarta-feira, dia 14 de abril, o prazo para o término das inscrições no Sistema de Seleção Unificada (SiSu).

No Paraná, a Universidade Federal (UFPR) disponibiliza no total 1.227 vagas em 110 cursos de graduação, em todas as áreas do conhecimento, nas cidades de Curitiba, Matinhos, Pontal do Paraná, Jandaia do Sul, Toledo e Palotina.

Regras para participar do Sisu 2021

Para se inscrever no Sisu, o estudante precisa ter feito o último Enem e ter obtido nota maior que zero na redação. Não podem participar estudantes chamados de “treineiros”, isto é, aqueles que ainda estejam cursando ou não tenham concluído o ensino médio, segundo a definição do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

O processo seletivo do Sisu acontece duas vezes ao ano com chamamento para universidades públicas do Brasil. Com uma única inscrição, os candidatos podem escolher duas opções de curso em instituições federais de todo o País. Os estudantes são selecionados de acordo com a nota do Enem, que leva em conta o número de vagas de cada curso, nota de corte, a modalidade e a concorrência.

As instituições de ensino também podem adotar notas mínimas e pesos diferentes para as quatro áreas de conhecimento do Enem – Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Linguagens e Matemática. Em um curso de Física, por exemplo, não é incomum que se atribua mais peso à nota de Ciências da Natureza e uma nota mínima para Matemática, por exemplo.

Assim que o resultado é divulgado, o estudante selecionado para a sua primeira ou segunda opção deve ficar atento aos prazos para fazer a matrícula. Há, ainda, a opção da lista de espera. Nesta, só pode participar quem não foi selecionado em nenhuma das opções na chamada regular.

Como se inscrever no Sisu 2021

1. Faça o Login Único do governo federal, O acesso ao sistema de inscrição do Sisu deve ser feito com o Login Único do governo federal.

2. Confirme seus dados. Antes de começar, a organização do Sisu recomenda que você confira seus dados. A ideia é garantir que estejam corretos e atualizados. Assim que a confirmação estiver completa, você pode começar a sua inscrição.

3. Efetue a inscrição. Assim que você atualizar suas informações pessoais, é hora de começar a inscrição. Em uma nova tela, você deve escolher até duas opções de curso. Depois, é só clicar em “fazer inscrição na 1ª opção”. É também nesse espaço que você poderá acompanhar o status do cadastro durante todo o processo seletivo.

4. Pesquise e conheça as vagas. Em um campo com lupa, você vai pesquisar as vagas disponíveis nas universidades cadastradas para a opção de curso que você marcou. Você pode filtrar pelo nome do município, nome da instituição e nome do curso. Assim que obtiver o resultado das buscas, você poderá conhecer os detalhes e as modalidades disponíveis clicando em cada opção.

5. Escolha a modalidade. As modalidades de inscrição nada mais são do que o tipo e vaga para o qual você vai concorrer. Você vai encontrar três delas: ampla concorrência, lei de cotas e ação afirmativa. Em cada uma, a nota de corte – a menor nota para ficar entre os selecionados – varia. A organização do Sisu recomenda atenção redobrada na leitura de cada descrição: observe, por exemplo, as informações de como comprovar as ações afirmativas na matrícula, caso seja selecionado. Ao definir a opção viável, clique em “escolher esta modalidade”.

6. Confirme a inscrição. O último passo é conferir as informações do curso e da modalidade que você escolheu, assim como a documentação que vai ser exigida pela universidade no momento da matrícula. Se tudo estiver correto, clique em “confirmar minha inscrição”. Depois que a sua inscrição estiver confirmada, você vai voltar para a página inicial, onde poderá consultar todos os dados escolhidos e cadastrados. E lembre-se: durante o período das inscrições, que vão até sexta-feira, dia 9, você poderá alterar suas opções. Após esse prazo, o registro final será o da última atualização.

Google doa R$ 5,5 mi para ajudar no combate à fome durante pandemia no Brasil

O Google.org, braço filantrópico do Google, anunciou nesta quinta-feira (8) a doação de R$ 5,5 milhões para a Gerando Falcões, que aponta como uma das principais instituições à frente dos esforços na luta contra a fome no Brasil. Com o valor doado, o Google.org apoiará diretamente a campanha “Corona no Paredão, Fome Não”, que consiste na doação de cestas básicas digitais por meio de cartões que serão recarregados com R$ 150 mensalmente pelo período de cinco meses.

A expectativa, segundo a empresa, é ajudar mais de sete mil famílias (35 mil pessoas) impactadas pela atual crise humanitária em 40 comunidades carentes nas regiões Norte e Nordeste do País.

“Para o Google, é uma honra apoiar uma instituição comprometida com o Brasil como a Gerando Falcões e poder ser parte dos esforços para o combate à fome no País, especialmente no momento crítico que estamos passando”, afirma Fabio Coelho, presidente do Google Brasil, em nota.

Segundo o grupo, desde o início da pandemia, o Google.org destinou mais de R$ 12 milhões no Brasil para diferentes iniciativas com o objetivo de contribuir com o País visando sua recuperação econômica e social.

Entre os projetos beneficiados no último ano estão o Potência Feminina, do Instituto Rede Mulher Empreendedora (IRME); TRANSformAÇÃO, da Transempregos; Conexão Educativa, da Nova Escola; ProtegeBR, plataforma da Olabi; e o Mapa da Saúde Mental, desenvolvido pelo Instituto Vita Alere.