iGaming: background check é fundamental para plataformas de apostas

Plataformas de iGaming devem apostar em segurança digital para atender à legislação e conquistar a confiança dos usuários. Como esses sites e programas operam com entrada e saída de dinheiro dos clientes, é preciso colocar em prática medidas de prevenção. Soluções de background check e know your customer são exemplos de ferramentas utilizadas.

iGaming é um termo usado para se referir ao conjunto de jogos disponibilizados pelos cassinos online, que ganharam protagonismo no entretenimento virtual. O termo faz referências às palavras “gambling” (aposta, em inglês), “i”, que vem de “internet” e “gaming”, que significa “jogando” em inglês.

Esse compilado oferecido pelos cassinos online conta com jogos desde os mais populares, com bingo, poker, apostas esportivas, roleta, blackjack, até os menos tradicionais. 

A indústria deve crescer significativamente nos próximos anos, com seus jogos de azar online, cassinos virtuais e plataformas de apostas esportivas. Conforme análise da consultoria Facts and Factors, dos EUA, as estatísticas indicam um crescimento de mais de US$ 100 bilhões até 2026. 

Com tanto dinheiro em jogo, atualizam-se também as necessidades de segurança digital para o crescimento das plataformas de iGaming. 

Soluções de segurança digital

Conforme Leandro Casella, CEO da Exato Digital – empresa especializada em soluções customizadas baseadas em big data e Inteligência Artificial –, para mitigar riscos de fraudes e, consequentemente, prejuízos financeiros, é possível oferecer segurança às plataformas e aos seus clientes por meio de soluções de background check e know your customer

“Esses serviços consultam informações nos principais portais governamentais para validar CPF ou CNPJ, identificar irregularidades, pendências e restrições”, esclarece. Ele explica que background check é a prática de checagem e verificação de dados de uma pessoa ou empresa, com o objetivo de examinar informações de clientes, fornecedores, parceiros ou colaboradores de um negócio. 

O processo é feito por meio de verificações em fontes de dados públicos e privados. Eles contribuem para reduzir os riscos de fraudes e crimes virtuais, pois permitem a confirmação da veracidade das informações fornecidas pelo usuário e a fácil identificação de irregularidades praticadas por ele. 

“Plataformas de iGaming precisam atender à legislação, principalmente nas práticas para prevenção de lavagem de dinheiro e corrupção, pois lidam diretamente com a entrada e saída de dinheiro dos usuários”, pontua Casella.

Como funcionam as plataformas de iGaming 

Segundo informações da EstrelaBet – maior plataforma de iGaming do Brasil e cliente da Exato Digital – é importante conferir documentos e dados de usuários para checar a veracidade das informações apresentadas por eles no momento das apostas. O site considera fundamental verificar as transações financeiras, para evitar possíveis irregularidades. 

Uma plataforma de apostas esportivas online funciona sobre dois pilares. Eles incluem dados e estatísticas sobre as partidas e a probabilidade de um palpite apresentado pelos apostadores se concretizar. A partir dessa relação, é estabelecida uma cotação (ou odd – chance, em inglês).

Quanto menor a odd, mais provável o evento tem de acontecer. Com isso, o cliente decide qual valor quer investir, e caso acerte, o prêmio passa a ser o valor investido multiplicado pela odd.

As apostas mais populares na plataforma são as de futebol, representando mais de 93% do total de jogos. Também fazem sucesso o tênis, o basquete e o voleibol.

Como são trabalhados os indicadores 

Para funcionar adequadamente em uma plataforma de iGaming, a checagem de dados de usuários utiliza indicadores e notificações sobre cada apostador. Leandro Casella destaca que, ao verificar o CPF do usuário junto à Receita Federal, por exemplo, há um retorno de status de regularidade ou irregularidade. “A partir disso, a plataforma pode configurar no sistema alertas ou, até mesmo, impedir que o usuário avance na jornada.”

Averiguar o CPF de usuários e clientes é importante, pois esse documento de identificação é um dos principais do Brasil. A ampla utilização do CPF pode dar margem para diversos tipos de fraudes financeiras e de identidade. 

Não verificar o CPF dos clientes expõe a companhia a problemas jurídicos, financeiros e fiscais. Alguém mal-intencionado, na posse dos dados de outra pessoa real, pode, por exemplo, adquirir cartões de crédito e fazer transações em nome do portador do CPF, realizar compras online, além de solicitar empréstimos, abrir e movimentar contas. Esses golpes fazem com que a pessoa tenha dívidas em seu nome, mas que não são suas. 
Por meio do CPF ou do CNPJ, é possível conferir todos os registros disponíveis em bases de dados online e offline das fontes oficiais e portais governamentais. As consultas feitas num processo de background check verificam informações junto a órgãos governamentais como Receita Federal, Tribunal Superior do Trabalho, eSocial, Controladoria Geral da União, Sintegra, listas internacionais de sanções (OFAC, Lista União Europeia, Lista da ONU), Polícia Federal, entre outras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cidades inteligentes podem movimentar US$ 2,4 trilhões até 2025, aponta estudo

Hoje, cerca de 4,2 bilhões de pessoas vivem em centros urbanos. Esse número diz respeito a 55% da população mundial. Para o Brasil, a expectativa da Organização das Nações Unidas (ONU) é de que, até 2050, 70% da população esteja vivendo em áreas urbanas. Esses dados confirmam a necessidade de se pensar em cidades inteligentes, ou seja, que utilizem a tecnologia para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Segundo uma reportagem publicada pela Isto É Dinheiro, ainda não existem métricas que informem sobre a relação direta entre cidade inteligente e atração de investimentos, mas especialistas afirmam que há um vínculo imediato para isso, já que empresas e trabalhadores qualificados tendem a buscar por essas cidades. Um estudo da consultoria Frost & Sullivan citado na mesma reportagem, prevê que as cidades inteligentes podem movimentar US$ 2,4 trilhões em 2025.          

O engenheiro civil e pré-candidato a deputado federal, Joel Krüger, defende que com o número cada vez maior de pessoas que optam por viver nas grandes cidades, é necessário que os governantes pensem em gestões mais ativas. “Quando pensamos que cada vez mais as pessoas estão conectadas e buscam praticidade no dia a dia, é necessário pensar em soluções que atendam essas necessidades, como infraestrutura moderna de transporte, saneamento, moradia e mobilidade urbana que suportem o crescimento de demandas públicas”, explica.

Por aqui, ainda há o fato de que muitos problemas se arrastam por mais de 500 anos e que passam por áreas como planejamento urbano, saneamento básico, regularização fundiária, ineficiência de processos, entre outros. Apesar de o Brasil ter boas iniciativas, nenhuma cidade pode ser considerada inteligente, pois não tem infraestrutura.

Em 2021, a consultoria Urban Systems considerou Curitiba a cidade mais inteligente e conectada do país. Sendo mobilidade urbana um dos indicadores levados em consideração, a capital paranaense, por exemplo, incentiva desde 1980 a utilização de transporte público, tida como um exemplo no campo de mobilidade. “Uma das bandeiras que defendo é transformar as cidades brasileiras em lugares que funcionem melhor, utilizando a tecnologia e o conhecimento técnico que tenho na área de infraestrutura para alcançar o objetivo de oferecer mais qualidade de vida a todos os brasileiros, principalmente aos paranaenses”, enfatiza Joel.

O que são cidades inteligentes?

Songdo, na Coreia do Sul, é um ótimo exemplo de cidade inteligente. Ela foi planejada com edifícios conectados a sistemas que monitoram energia e alarmes de incêndio, assim reduz gastos com manutenção. Além de que todos os apartamentos possuem um sistema que destina resíduos jogados diretamente para a central de coleta de lixo.

Copenhague, capital da Dinamarca, possui 400 km de ciclovias, diminuindo a emissão de poluentes e contribuindo para a preservação ambiental. Por lá, 63% dos parlamentares vão de bicicleta todos os dias para o trabalho. Até 2025, Copenhague quer ser a primeira capital do mundo neutra em carbono.

Joel explica que cidades inteligentes utilizam a tecnologia de maneira estratégica para o planejamento urbano, contribuindo para melhoria da infraestrutura, habitação e mobilidade urbana. “A tecnologia também contribui para o desenvolvimento de ações e soluções sustentáveis, tais como coleta de lixo consciente, controle da poluição do ar e preservação ambiental, entre outras ações que melhorem a qualidade de vida dos habitantes”, finaliza.

Brasil é 1º no ranking mundial de crescimento das compras online

Com a pandemia e as lojas físicas fechadas, as vendas online cresceram significativamente em todos os países do mundo.

A grande surpresa, é que especialmente no Brasil, o aumento foi ainda mais significativo. O país que lidera o ranking de crescimento das vendas online, com 22,2% no ano de 2022, e um crescimento estimado de 20,73% ao ano, entre 2022 e 2025.

É o que revela um estudo divulgado pela CupomValido.com.br <https://www.cupomvalido.com.br/> , plataforma de cupons de descontos online, com dados da Statista sobre as vendas no e-commerce.

De acordo com o estudo, o Brasil possui uma expectativa de crescimento quase duas vezes maior que a média mundial (11,35%), e acima até de países como o Japão (14,7%), o Estados Unidos (14,55%) e a França (11,68%).

 <https://i.imgur.com/NyokP3T.png>

Por que o e-commerce no Brasil cresce tanto?

Dois fatores foram cruciais para influenciar o forte crescimento das vendas online no Brasil.

A pandemia é um dos primeiros fatores, pois com as lojas físicas fechadas, fez com que diversos brasileiros passassem a realizar sua primeira compra online. Ao encontrar facilidade na compra, métodos de pagamento instantâneos (como o PIX), e entregas rápidas (diversas lojas com entregas em 1 dia útil), muitos deles se tornaram consumidores recorrentes.

Um segundo fator, é que o índice de penetração de compras online, ainda é relativamente baixo no Brasil.

Segundo a pesquisa, no Reino Unido, 84% das pessoas realizaram pelo menos uma compra nos últimos 12 meses. Nos Estados Unidos e no Japão, em ambos os países a taxa foi de 77%. E na Alemanha, foi de 74%.

Como boa parte da população, principalmente destes países desenvolvidos, já realiza frequentemente compras online, a taxa de crescimento em potencial tende a ser menor nos próximos anos.

Em contrapartida, no caso do Brasil, apenas 49% da população realizou ao menos uma compra online no último ano. Isto explica o potencial significativo de crescimento que o Brasil ainda possui, ao comparar com os outros países.

Fonte: Statista, CupomValido.com.br <https://www.cupomvalido.com.br/>

 <https://i.imgur.com/RmnjN66.png>

Confira o infográfico completo abaixo:

 <https://i.imgur.com/JXXz1iQ.png>

 <https://i.imgur.com/JXXz1iQ.png>