Guarda municipal agressivo ameaça atirar em terminal

Guarda municipal agressivo ameaça atirar em terminal

A prefeitura já divulgou que o Guarda Municipal foi afastado.

0 Comments

  1. Tudo bem que era contra coxa-branca, mas esse guarda tem sérios problemas mentais.

    Uma arma na mão dele é tragédia na certa!

  2. Tudo bem que era contra coxa-branca, mas esse guarda tem sérios problemas mentais.

    Uma arma na mão dele é tragédia na certa!

  3. Depois dizem que armas fazem o mal. Como sempre digo: carros não atropelam pessoas, pessoas atropelam pessoas. E armas não matam pessoas, pessoas matam pessoas.

    Isso sim é soltar uma arma na mão de um idiota!

  4. pra isso que pagamos os salarios deles??????po se destrava essa porra ia dar merda,esse tipo de comportamento,so almenta a revolta das pessoas contra o sistema de segurança do estado,perdeu completamente a razao com essa atitude,logo da motivo pra repudio lamentavel,pois gostariamos de contar com a proteçao do estado,mais infelizmente,esse tipo ai so faz os cidadaos comuns procurar pela propria segurança se armando,diga se de passagen,poucos cidadaos comuns tem condiçoes de portar uma arma,isso ai nao acontece nos E U A,porque la todos podem portar uma arma,so que todos tem conciencia do uso delas ,salvos alguns psicoticos ,mais no geral ninguem oprime ninguen por que tem uma arma…………..

  5. 1 Esses FDp não tem poder de policia
    2 nao podem portar armas de fogi quaisuqe se um porco muniici pica ameaca fala qie a constituicçao proibe e
    KEro eswe fdp Preso , ou melhro yuma calera dando corridao nesse maxao de arma
    Pq so e macho d egarela e armado , SEU BOTSA
    MUNICIPICA DE MERDA
    CAde cumpri a leie e exteingui esses lixos ke se axa poicia ( aliss peka constituição Não existe policia militar xupa porcos fadadps )

  6. Desculpe, mas as condições dessa profissão não são segredo. Se não sabe ou não pode lidar com isso, não vá se candidatar a ser policial.

  7. Isto na realidade não é um guarda municipal, é um bandido municipal. Não entendo como policiais BABACAS como esse não entendem que, tentando combater algo com esta postura, passam a ser oque estão combatendo! E mais oque ele faz com agente da lei é um fato público, os que não querem ser filmados sabem que estão cometendo delitos. Prova é que foi afastado! Daria parabéns a quem afastou ele, se em primeiro lugar não tivesse tido tão pouco critério pra selecionar um representante da lei com este perfil.

  8. Paga os salários deles né fera? ta pagando ainda em! Que eu saiba, sem a farda, todo policial é um cidadão como qualquer um, ele também está sujeito a assaltos, pagar impostos, algum usam transporte coletivo, ou seja, você não paga o salário dele, até porque se fosse levar isso em consideração, ele também paga o próprio salário. Mas e ai, você ta ligado no que acontece por trás das câmeras? Você sabe oque aconteceu para os policiais abordarem aqueles homens? Acho que não né? O policial errou em apontar a arma para os retardados que estavam ali? sim, errou, mas eu duvido que você caro Emersom, aguente 2, até 1 dia como policial de qualquer corporação, pegando tiroteios, patrulhamentos preventivos em jogos de torcidas rivais, brigas de casais, perseguições, com a população te detonando porque acredita mais na mídia, na mentira dos outros, do que nos homens que estão todo dia se fudendo lá na favela, pra pegar traficante, para que seus filhos, amigos, parentes, não se tornem usuários de drogas, ladrões, preferem acreditar em povo que não sabe se comportar, e por isso sai espalhando calúnias e mais calúnias, do que nos homens que estão todos os dias nas ruas, protegendo suas famílias, para vocês não serem sequestrados, assaltados, e seus pertences furtados, mas em fim, eu acho que vocês não precisam da polícia né? são tão fodas, podem se guardar sozinhos com uma arma, podem passar madrugadas e mais madrugas acordados para não serem roubados, então eu acho que se não existisse polícia, vocês estariam de boa né? bom é por pessoas tipo você, que cada vez mais polícias são demitidos, só porque engatilhou uma arma, uma ultima pergunta, você gosta quando te xingam, quando você discute com alguém, e essa pessoa te xinga de Filho da Puta, de merda, você simplesmente abaixa a cabeça e concorda né? então pare pra pensar antes de ficar defendendo só o seu cu, beleza?

  9. Kaio Augusto Quem foi que atirou contra quem aqui? To meio perdido, por até onde eu sei, apontar uma arma, não mata ninguém, pelo contrário, garante a segurança dos próprios policias que estão fazendo a abordagem, ou você nunca foi xingado e ficou com raiva? ¬¬

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bailarinos do Teatro Guaíra oferecem oficinas on-line gratuitas

O Balé Teatro Guaíra inicia na próxima sexta-feira (23) oficinas virtuais abertas para profissionais e estudantes de dança. A atividade é gratuita e os interessados devem acessar o link da transmissão pela plataforma Zoom. As aulas acontecem às sextas-feiras, a partir das 13 horas, para até 100 pessoas. Não é necessário fazer inscrição prévia. 

A ação é uma parceria do Governo do Estado, via Secretaria da Comunicação Social e da Cultura, Centro Cultural Teatro Guaíra e PalcoParaná. Veja a programação. O projeto “Aulas como Unidade e Cooperação” é uma ideia dos próprios bailarinos, que realizaram em 2020 aulas abertas para todo o Estado.

A coordenadora da iniciativa em 2021 é a bailarina Juliana Rodrigues. “Esse projeto tem o objetivo de trocar experiências e criar novas conexões. O bailarino proponente irá compartilhar a sua vivência pessoal durante a aula, criando estímulos para que cada um possa descobrir e experimentar a arte sobre novos olhares e caminhos. No final de cada aula acontecerá um pequeno bate-papo para trocar curiosidades, perguntas, sensações”, afirma. 

No ano passado, as atividades com maior adesão do público foram as oficinas e aulas virtuais, que tiveram a participação de cerca de 10 mil pessoas. Em abril de 2020, começaram as aulas virtuais abertas à comunidade da dança em geral, além de oficinas com coreógrafos renomados. Em julho, um programa mais amplo ofertou oficinas virtuais de dança para crianças, jovens e melhor idade, de 30 municípios de todo o Paraná. 

“Exercitando a criatividade, a composição do corpo com o espaço e de ambos em relação à câmera, a proposta busca ampliar o olhar do artista para as possibilidades audiovisuais utilizando os equipamentos que são acessíveis a cada um. Os encontros são abertos a artistas da dança e interessados em criações audiovisuais”, conta Paula Sousa, uma das bailarinas participantes.  

Sobre os bailarinos:

Clarissa Cappellari é bailarina profissional, formada pela Escola de Danças do Teatro Guaíra (Curitiba). Dançou no Balé Teatro Guaíra entre 2004 e 2007. É graduada em dança (licenciatura e bacharelado) pela Faculdade de Artes do Paraná e pós-graduada em Ensino de Artes pelo instituto Itecne. Entre 2013 e 2017, fez parte do elenco da Curitiba Cia de Dança. Em 2017, voltou a integrar o elenco do Balé Teatro Guaíra onde atua até hoje. Neste projeto, irá propor aulas de alongamento para que os alunos possam buscar uma amplitude maior do movimento e aumentar a flexibilidade.

João Luiz Bicalho nasceu em Vitória (ES). É formado em Qualificação/Técnico Profissional em Dança Contemporânea pela FAFI – Escola de Teatro, Dança e Música (ES). Integrou profissionalmente a companhia de dança Mitzi Marzzuti (ES) – 2012, na qual pôde trabalhar com uma gama de bons profissionais da dança contemporânea. Em 2015, integrou a companhia Divinadança (SP), dirigida por Andrea Pivatto, e trabalhou como intérprete/criador no Coletivo dos Sonhos (SP), dirigido por João Pirahy. Em 2016, integrou a companhia Mercearia de Ideias + Bongiovanni (SP), dirigida pelo coreógrafo Luiz Fernando Bongiovanni. Desde 2017 atua na companhia Balé Teatro Guaíra. Em 2019, dirigiu e coreografou Peixe Solúvel para o Balé Teatro Guaíra, na plataforma Novos Criadores. Vem praticando e pesquisando técnicas voltadas para a improvisação na dança contemporânea e para o desenvolvimento do potencial criador individual.

Juliana Rodrigues é bailarina do Balé Teatro Guaíra. Mineira, natural de Caxambu, é formada pelo Centro de Formação Artística – Cefar em Belo Horizonte/MG. Trabalhou nas companhias de dança Ballet de Londrina e Curitiba Cia de Dança. Especialista em Artes Híbridas e bacharel em Dança, desenvolve trabalhos de criação própria por meio de improvisos explorando novos caminhos através da edição de vídeo. Juliana criou o projeto Aulas como Unidade e Cooperação e irá compartilhar aulas de improviso trabalhando a dança em uma linguagem híbrida, em que as conexões para construir novos caminhos experimentam a força interior como guia para acessar outras linguagens.

Luana Nery fez parte do Corpo de Baile Jovem na Escola Municipal de Bailados, atual Escola de Dança de São Paulo, sob a direção de Esmeralda Penha Gazal. Iniciou sua carreira profissional no Balé da Cidade de São Paulo, na direção de Lara Pinheiro e Iracity Cardoso, onde teve a oportunidade de trabalhar com vários profissionais da área da dança do Brasil e do Exterior. Fez parte do Núcleo de Pesquisas Mercearia de ideias sob a direção de Luiz Fernando Bongiovanni. Foi convidada pela XII Mostra de Teatro do Colégio Santa Cruz como professora e preparadora corporal. Atualmente faz parte do elenco do Balé Teatro Guaíra como bailarina, interprete/criadora, no qual vem desenvolvendo papeis como solista e corpo de baile no repertório da companhia.

Paula Sousa é bailarina, graduada como Major in Dance pela SEAD na Áustria e formada em dança contemporânea pela Escola do Teatro Bolshoi no Brasil. Integra, desde agosto de 2017, o Balé do Teatro Guaíra. Integrou e colaborou com as companhias Projeto Mov_ola com a direção de Alex Soares, Plataforma Shop Sui de Fernando Martins, em São Paulo, Arsenalle della Danza da Bienal de Veneza e Balé Jovem do Palácio das Artes. Desenvolveu em 2020 o projeto autoral “Pequenas danças”, com vídeos de arte que podem ser acompanhados no Instagram @sousapaula.

Serviço

Aulas como Unidade e Cooperação

De 23 de abril a 9 de julho, às sextas-feiras, das 13h às 14h30. 
Plataforma Zoom: https://us02web.zoom.us/j/87160315382
A atividade é gratuita e aberta a até 100 participantes por dia, por ordem de chegada. Não é preciso fazer inscrição prévia

Dois Corações: a tradicional coxinha curitibana em seis endereços e no Ifood

A coxinha de frango com requeijão cremoso da Dois Corações já pode ser considerada uma iguaria curitibana. Moradores da capital ou visitantes, todos aprovam. E não é por menos, a coxinha já foi eleita duas vezes a melhor de Curitiba. E não para por aí, o empadão vendido pela confeitaria também é de dar água na boca. Difícil escolher um favorito, todos são uma delícia!

Divulgação

E você, já experimentou? O Busão preparou uma lista com os endereços das 6 unidades da confeitaria que estão espalhadas pelo centro da cidade pra você não ficar de fora e saborear uma boa coxinha ou empadão! Confira:

Onde encontrar

  • Rua Senador Alencar Guimarães, 186
  • Rua XV de Novembro, 80
  • Alameda Dr. Muricy, 622
  • Praça Tiradentes, 510
  • Av. Vicente Machado, 218
  • R. Barão do Rio Branco, 61

Ifood: A Dois Corações também está disponível no Ifood, então já sabe né, quando bater aquela fome só pedir seu salgado favorito pelo delivery e receber aí na sua casa.