Grupo SEB promove desafio nacional de empreendedorismo e inovação com estudantes da educação básica

Com o objetivo de fomentar ideias inovadoras e apresentar os pilares do empreendedorismo ainda na educação básica, o Grupo SEB, em parceria com o Instituto Grupo Boticário, realiza a primeira edição nacional do Hackathon SEB. O desafio vai engajar 200 alunos da 6ª série ao 2º ano do Ensino Médio das escolas do grupo de 10 cidades do Brasil em uma competição que incentiva o desenvolvimento de soluções para os problemas contemporâneos e coletivos da sociedade.

Nesta etapa, a empresa parceira irá propor às 40 equipes vencedoras das etapas regionais um desafio da área de sustentabilidade, com foco na preservação ambiental. A competição será on-line nos dias 29 e 30 de outubro, e o vencedor, anunciado no dia 12 de novembro, pelo canal do YouTube do Grupo SEB.

Segundo Raphael Fernandes Corrêa, coordenador de Tecnologia Educacional Escola SEB, promover em âmbito nacional esse tipo de iniciativa – que sempre foi muito voltada para profissionais – em um ambiente escolar, junto com instituições e empresas reais, proporciona benefícios que vão além de formar profissionais competitivos para o mercado de trabalho.

“Nosso compromisso é promover a formação integral dos estudantes para que tenham confiança e habilidades necessárias para os desafios do futuro. Ações que envolvem o empreendedorismo na prática cooperam para o desenvolvimento das chamadas soft skills, importantes para que os alunos se tornem grandes profissionais”, afirma o coordenador.

Ele complementa que metodologias ativas como essa, que coloca o aluno como protagonista de soluções, “também contribuem para a construção de desenvolvimento de habilidades não cognitivas que são fundamentais para a vivência em sociedade, como respeito, sustentabilidade, ética e colaboração”.

O desafio

Ao longo dos dois dias, os alunos terão que desenvolver e apresentar a melhor solução, que pode ser um produto, um serviço ou um projeto, à banca formada por especialistas do mercado e mentores da escola, que irá avaliar pontos como implementação, criatividade, eficiência, viabilidade econômica e apresentação do Pitch para determinar o vencedor.

Toda capacitação para essa fase foi realizada na etapa regional do Hackathon SEB, em agosto, quando os estudantes foram orientados e introduzidos em temas associados ao empreendedorismo inovador, como Design Thinking, Lean Canvas e Pitch, pelos especialistas do SEBRAE.

Sobre o Grupo SEB

O Grupo SEB – Sistema Educacional Brasileiro – conta com uma trajetória de mais de 50 anos como especialista em Educação. Considerado um dos maiores grupos educacionais do país, focado sempre na excelência e na diferenciação, ele tem hoje sua atuação essencialmente focada na Educação Básica, segmento no qual é líder no Brasil. Empregando mais de 6 mil colaboradores, possui 300 escolas, entre próprias e parceiras, atendendo assim a mais de 350 mil alunos, distribuídos por todas as regiões de nosso país. Para gerenciar operações tão robustas e agregar qualidade e agilidade nas operações, o Grupo SEB criou unidades de negócios independentes. São elas: SEB Educação – rede de escolas próprias, franquias (Luminova, Sphere International School e Maple Bear), Ensino Superior e Conexia Educação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cinco aulões para acompanhar antes do Enem 2022

Os últimos dias antes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) podem ser a chave para a realização de uma prova com mais tranquilidade e segurança. Especialistas em Educação afirmam que o melhor é equilibrar as rotinas de estudos e de lazer, sem deixar de lado as horas necessárias de sono e uma alimentação leve. Por isso, assistir a aulões de revisão com os principais conteúdos cobrados pode ser uma boa forma de relembrar o que é mais importante. Muitos desses aulões são oferecidos gratuitamente, seja de forma on-line ou presencial.

Cinemas viram sala de aula

Em Londrina e Foz do Iguaçu, no Paraná, salas de cinema viram espaços de aprendizado. O Colégio Positivo Londrina e o Colégio Semeador preparam revisões antes das duas etapas do Enem. O 1.º aulão Revisa Enem do Colégio Positivo – Londrina está marcado para sexta-feira (11), no Aurora Shopping, das 13h30 às 18h30. Por sua vez, o Colégio Semeador, em Foz do Iguaçu, realiza seu 1º aulão também na sexta-feira (11), no cinema do Shopping Cataratas JL, das 13h30 às 17h30.

Londrina tem programado, ainda, o 2º aulão Revisa Enem do Colégio Positivo, no dia 18 de novembro, dessa vez no próprio Colégio Positivo, das 13h30 às 18h30. Em Foz, a segunda rodada de revisão é no dia 18 de novembro, no Colégio Semeador, das 13h30 às 17h30. Nos dois casos, os estudantes podem levar um convidado de fora do colégio.

Aulão on-line é aberto ao público em geral

Um dos maiores do país, o Sistema Positivo de Ensino prepara dois aulões, ambos on-line e gratuitos. Os dois encontros, realizados antes de cada uma das provas do Enem 2022, são transmitidos diretamente da Neo Química Arena, em São Paulo-SP, e da Arena Pantanal, em Cuiabá-MT, pelo YouTube do Sistema Positivo de Ensino. Ao vivo, as aulas continuarão disponíveis mesmo depois que as transmissões forem encerradas, o que permite que os candidatos as revejam quantas vezes forem necessárias.

No primeiro aulão, transmitido na quinta-feira (10), das 10h às 12h, foram abordados temas de Linguagens, Redação e Ciências Humanas. O link para assistir à revisão é: https://sistemapositivo.link/Aulaododia1EnemPositivo2022ge 

Já o segundo aulão vai falar sobre conteúdos de Matemática e Ciências da Natureza e está marcado para a quinta-feira (17), também das 10h às 12h. O link é: https://sistemapositivo.link/Aulaododia2EnemPositivo2022ge 

Curitiba, Cascavel e Florianópolis têm eventos presenciais

Assim como em Londrina e Foz do Iguaçu, Cascavel, também no Paraná, e Florianópolis, em Santa Catarina, têm eventos presenciais agendados para rever conteúdos que podem ser cobrados no Enem 2022. Realizados, respectivamente, pelo Colégio Passo Certo e Colégio Vila Olímpia, os aulões são gratuitos para alunos das instituições. Cada estudante pode, ainda, convidar outro candidato de fora do colégio para participar.

O aulão do Colégio Passo Certo, em Cascavel, é na sexta-feira (11), das 14h às 17h, na sede do Colégio. Por fim, o Colégio Vila Olímpia, na capital catarinense, realiza a revisão em duas etapas. Na sexta-feira (11), das 15h às 17h, os professores revisam tudo de Ciências Humanas, Linguagens e Redação. Já na sexta-feira (18), a revisão é de Ciências da Natureza e Matemática, das 15h às 17h. Os dois encontros são na sede do Colégio. 

Como as telas implicam na vida das crianças

Um estudo da American Academy Of Child e Adolescent Psychiatry (AACAP), mostrou que crianças americanas, com idade entre 8 a 12 anos, passam de quatro a seis horas usando telas. Já quando se trata de adolescentes, esse tempo passa para até nove horas.

As crianças estão cada vez mais expostas às telas, sejam elas de celular, tablet ou até mesmo da TV. É importante reforçar que, como tudo na vida, a tecnologia também deve ser usada com moderação. Ela traz muitos benefícios quando bem usada e quando usada em excesso pode fazer mal.

Vale ressaltar que os jogos digitais estimulam a criatividade e o raciocínio lógico das crianças. Dependendo do jogo, pode até despertar mais interesse por alguma matéria escolar.

É na primeira infância quando a gente mais se desenvolve. Pensando nos pequenos, os jogos voltados para eles devem ser mais lúdicos e com as músicas mais baixas para não afetar a audição. Os jogos estimulam muitos neurotransmissores. Isso faz com que a criança queira jogar cada vez mais.

Por isso, os pais devem limitar um tempo para que elas joguem sem ter prejuízos no desenvolvimento. Lembre-se que a criança precisa ter contato social. Os responsáveis devem evitar jogos com muito barulho e sem objetivo. Verifique a faixa etária dos jogos e veja se eles se adequam a idade do seu filho.

É importante reforçar que já há trabalhos que correlacionam o uso de telas com atraso de linguagem. Isso é muito preocupante e por isso a necessidade de um limite de tempo é necessária. Quando esse atraso acontece na fase de alfabetização, essa criança também pode ter uma demora para aprender a ler e escrever.

Então, aproveite e limite o tempo de uso de tecnologias. Além disso, incentive-o a praticar esportes, participar de jogos coletivos e interagir socialmente com outras crianças para que ela se desenvolva da forma correta e sem prejuízos.

(*) Luciana Brites é CEO do Instituto NeuroSaber (https://institutoneurosaber.com.br/), autora de livros sobre educação e transtornos de aprendizagem, palestrante, especialista em Educação Especial na área de Deficiência Mental e Psicopedagogia Clínica e Institucional pela UniFil Londrina e em Psicomotricidade pelo Instituto Superior de Educação ISPE-GAE São Paulo, além de ser Mestra e Doutoranda em Distúrbios do Desenvolvimento pelo Mackenzie.