Governo do Paraná fecha parceria com a China para produzir vacina

O Governo do Paraná fechou uma parceria de cooperação técnica e científica com a China que permitirá a testagem e a produção de vacina contra a Covid-19 no Estado, por meio do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar).

O acordo foi confirmado nesta segunda-feira (27) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior em reunião por videoconferência com dirigentes do laboratório Sinopharm, empresa estatal chinesa, e o ministro-conselheiro da Embaixada da China no Brasil, QU Yuhui.

Ratinho Junior explicou que agora um grupo de trabalho será formado entre as partes para discutir detalhes técnicos da parceria, como a elaboração do termo científico regulatório e protocolo de validação por parte da Secretaria de Estado da Saúde.

A intenção, destacou o governador, é que o Paraná seja incluído na terceira fase de testagem da vacina experimental da Sinopharm, que começou neste mês nos Emirados Árabes Unidos com a participação de 15 mil voluntários. Segundo a estatal chinesa, as duas primeiras fases de testes, já encerradas, tiverem 100% de positivação e sem reação adversa grave.

Os representantes do Paraná no grupo serão o chefe da Casa Civil, Guto Silva; o presidente do Tecpar, Jorge Callado; o superintendente-geral de Ciência Tecnologia e Ensino Superior do Paraná, Aldo Bona; e o diretor-geral da Secretaria da Saúde, Nestor Werner Júnior.

TECNOLOGIA – “O objetivo do Paraná é fazer a terceira fase do teste aqui no nosso Estado e, com a aprovação por parte da Anvisa e do Ministério da Saúde, a produção da vacina elaborada pela Sinopharm através do Tecpar”, afirmou Ratinho Junior.

Ele reforçou que o acordo estabelece a troca de tecnologia, pesquisa e ciência, fazendo do Paraná um polo para o Brasil e América do Sul para a produção e distribuição da vacina.

“Estamos todos muito esperançosos que essa solução para o coronavírus fique pronto o quanto antes. E que o Paraná, em parceria com a China, possa ser protagonista deste processo, se transformando em um hub logístico da vacina na América do Sul”, ressaltou o governador.

PREOCUPAÇÃO – A empresa demonstrou bastante preocupação com o estágio da pandemia no Brasil. Liu Jingzhen, presidente do grupo, disse que a farmacêutica espera finalizar os testes em estágio avançado em humanos em até três meses.

“Temos pressa para começar esses testes no Paraná por causa da situação do Brasil. Serão oficinas com o mais alto nível de segurança, total confiança para garantir o fornecimento quando a vacina estiver completamente aprovada”, disse.

“A vacina está perto do seu êxito final. É muito urgente começarmos imediatamente esse ensaio clínico no Brasil, ao mesmo tempo em que discutimos acertos comerciais”, completou o diretor-executivo da corporação, Ma Ke.

ESTRUTURA – Jorge Callado explicou que, além do Tecpar, o Governo do Paraná vai colocar a rede de universidades estaduais e hospitais universitários no processo, garantindo mais agilidade ao período de testagem.

“É de fundamental importância a participação das nossas universidades públicas e da Secretaria da Saúde para construirmos tecnicamente um protocolo de validação que atenda aos aspectos regulatórios”, afirmou o presidente do Tecpar. “Os resultados obtidos até aqui já caracterizam uma boa referência para continuar nossas ações de controle”, acrescentou.

RÚSSIA – O Paraná também pode se tornar parceiro da Rússia na produção da vacina contra o novo coronavírus que está em fase final de testes naquele país. O assunto deve ser tratado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior nos próximos dias com o embaixador da Rússia no Brasil, Sergey Akopov.

No início desta semana, o governo daquele País anunciou ter concluído com sucesso a fase de ensaios clínicos do seu antivírus, desenvolvido pelo Centro Nacional de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya. A expectativa é que esteja disponíveis no primeiro semestre do próximo ano.

RECURSOS GARANTIDOS – O Governo do Paraná já se antecipou para garantir recursos para a compra e distribuição de vacinas no Estado. Na segunda-feira (20), o Governo do Estado enviou uma emenda ao Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2021 para alocar R$ 100 milhões no caixa da Secretaria de Saúde para aquisição de vacinas contra o novo coronavírus.

OUTRAS VACINAS – Cerca de 130 vacinas contra a Covid-19 estão sendo produzidas no mundo. Em estágio avançado estão os estudos realizados pela Universidade Oxford, da Inglaterra. O Brasil tem uma parceria para a produção da vacina, por meio da Fiocruz. A expectativa é que a vacina da Oxford possa ser produzida no início de 2021. Os testes também estão na fase 3.

O Instituto Butantã, de São Paulo, está testando no Brasil a vacina produzida pela Sinovac, que tem sede na China. Esta vacina já está na fase de testagem clínica em humanos. A intenção é de que a vacina comece a ser produzida no início do ano que vem.

PRESENÇA – O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, também participou da reunião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Em Pinhais, de cada 4 confirmados, 3 já estão recuperados do novo Coronavírus

Diariamente as Secretarias Municipais de Saúde atualizam os novos casos de Coronavírus. As informações são repassadas para a Secretaria Estadual de Saúde que faz um informe completo e detalhado da doença em todo o Paraná.

Mesmo com as medidas e recomendações por parte das autoridades de saúde, os casos confirmados de coronavírus vem aumentando e as estatísticas reforçam que o momento exige precaução. No boletim, os novos casos de pessoas confirmadas com Covid-19 e o de óbitos registrados são os pontos que mais chamam atenção. No entanto, há um dado extremamente importante, que revigora a esperança e fortalece a todos para vencer a doença: os casos de pessoas recuperadas.

Os dados do último boletim oficial do município de Pinhais, de 04 de agosto, revelaram um o total de 1641 diagnósticos positivos. Destes, aproximadamente 78% dos pacientes (1286) já estão recuperados, um índice maior que a média do Estado e entre os primeiros da Região Metropolitana.

A Secretaria Municipal de Saúde do município da Região Metropolitana destaca que este é um número positivo e explica como é feito o trabalho deste quando o paciente é diagnosticado até ele se recuperar. A partir da avaliação médica no atendimento as pessoas que apresentam alguns sintomas característicos da doença, as equipes realizam ou marcam a coleta do exame para detecção. Com o exame confirmado, a equipe da Unidade de Saúde realiza o monitoramento para avaliação da evolução dos sintomas, bem como orientações, quando do agravamento e ou complicações. Conforme recomenda o Ministério da Saúde, os pacientes com casos leves entram na conta de recuperados quando não apresentam mais os sintomas após 14 dias do início da infecção.

Um caso de paciente recuperado é o da moradora do bairro Maria Antonieta, a psicóloga Maria Edna de Souza, de 58 anos. Ela conta que ficou mal, teve febre, falta de ar, dores no corpo e ficou sem vontade de comer. Devido aos sintomas, foi até a UPA de Pinhais e fez o exame, mas para surpresa dela o resultado deu negativo. Com a situação ficou em casa, em isolamento e novamente fez o exame que desta vez a diagnosticou com a doença. Neste período, durante praticamente dois meses, entre abril e maio, ela conta que foi uma fase difícil, sem ver os netos, os filhos, e as pessoas. Maria destaca que recebeu um bom atendimento da Secretaria de Saúde que entrava em contato todos os dias e foi muita prestativa, dando todas as orientações ao caso.

Ver este alto índice de pessoas recuperadas em Pinhais é positivo afirma a secretária Municipal de Saúde, Adriane da Silva Jorge Carvalho. “Este número de pessoas recuperadas é um dado importante no monitoramento. Considerando que o município já tem 78% dos casos confirmados considerados recuperados porque conseguiram superar a doença. Avaliamos ainda que a maioria dos pacientes passou este período em isolamento domiciliar, com sintomas leves, como demonstram os estudos apresentados que de 80 a 85% da população vai desenvolver a forma leve da doença” explicou.

E mesmo quem já se recuperou segue praticando os procedimentos de prevenção. Maria confirma que continua usando máscara de proteção, passando álcool em gel nas mãos, chegando da rua já coloca a roupa que usou para lavar e mantém as precauções. Desta fase que vivenciou ela conta que serviu para reforçar dois pontos que ajudaram a se curar. “Esta doença me fez refletir bastante. Primeiro é que temos que ter consciência e seguir as orientações médicas. Segundo é que temos que ter fé, não nos esquecermos do nosso lado espiritual. Para mim foi o que mais me marcou. A dificuldade esta aí, ela existe e temos que estar preparados. Temos que ter consciência, pois se todos fizerem a sua parte, venceremos esta doença”.

Novo acidente na BR-277 no mesmo local da tragédia de domingo

A tragédia de domingo, que vitimou fatalmente 8 pessoas na BR-277, aconteceu no KM 76 da rodovia. Ontem, terça-feira (04), no mesmo local um novo acidente aconteceu. Segundo o site Plantão 190 – “o acidente envolveu um carro e um caminhão. Equipes do Siate e Corpo de Bombeiros foram para o local, mas por sorte ninguém ficou ferido”.

A concessionária se manifestou em sua conta no Twitter, onde comunicou a interdição total das pistas devido a falta de visibilidade na região:

Um motociclista filmou a situação na pista, confira: