Fotógrafo curitibano é destaque em evento na Geórgia

O fotógrafo curitibano Nuno Papp esteve recentemente com sua exposição “The Food Project” no Kolga Festival, realizado no MOMA Tbilisi, em Tbilisi, na Geórgia. Esse é o maior festival de fotografias do Cáucaso, famosa região que engloba parte da Europa Oriental e da Ásia Ocidental, entre o mar Negro e o mar Cáspio. Durante a abertura do evento, no dia 6 de maio, a exposição contou com a presença do embaixador do Brasil na Georgia, o Diplomata Oswaldo Biato.

A “The Food Project”, assinada por Papp, é uma exposição com retratos das aves que o fotógrafo cria em sua chácara, na cidade de Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, para a alimentação de sua família. O material vai integrar, também, um fotolivro com receitas especiais, desenvolvidas pelo profissional, que também é apaixonado por gastronomia.

“A ideia é humanizar os animais e fazer as pessoas refletirem sobre a forma como tratamos a comida que comemos”, explica Nuno Papp. O projeto também faz uma crítica ao próprio trabalho de Nuno Papp, que fotografa moda e beleza para diversas marcas brasileira e internacionais.

Além do grande destaque na Geórgia, o “The Food Project” foi selecionado para o Meeting Fotofest, realizado em Houston, nos Estados Unidos, e estampou a capa da revista Fotomagazin, de Hamburgo, na Alemanha, uma das grandes referências da fotografia mundial.

“Estamos tratando de um projeto que me orgulha muito, principalmente por gerar uma onda de discussão muito interessante sobre o papel dos animais e da alimentação em nossas vidas. Fico muito satisfeito com essa repercussão positiva ao redor do mundo, indo muito além daquilo que eu imaginava”, destaca o fotógrafo.

Sobre Nuno Papp

Nuno Papp é formado em publicidade e propaganda pela PUC-PR e é fotógrafo há mais de 20 anos. Atua no mercado publicitário e é responsável por campanhas de moda e beleza no Brasil e no mundo. Suas fotos já estamparam anúncios premiados em festivais em Cannes, Nova York e Buenos Aires. Foi selecionado para o prêmio Conrado Wessel de fotografia em 2003, 2004 e 2005 e suas fotos foram expostas no MUB-SP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 espetáculos gratuitos para curtir o teatro no fim de semana

Na agenda do sábado (25/02), às 14h tem “A roupa nova do rei”; às 16h, se apresenta o Circo S/A; e às 18h, “Trigêmios”. No domingo (26/02), tem “Histórias de um ratinho sonhador”, às 11h; seguido por “Alípio no mundo da cooperação”, às 16h; e para finalizar, o espetáculo “Circo de um homem só”, às 18h. 

Não tem desculpa para não sair de casa e se divertir, as apresentações possuem o Ingresso Consciente, ou seja, o público, consciente do trabalho envolvido para realização do evento e do valor que ele dá para vivenciar esta experiência, escolhe se quer ou quanto acha adequado pagar pelo seu ingresso, de acordo com a sua condição financeira. O dinheiro das entradas vai para o pagamento dos custos da apresentação como, equipe técnica, alimentação, divulgação, e o restante é dividido entre os grupos participantes. 

O teatro está localizado dentro do Shopping Estação, no piso L2. Os ingressos estão à venda no site https://www.diskingressos.com.br

Serviço
6 espetáculos de teatro com ingresso consciente
Ingressos: https://www.diskingressos.com.br
Onde: Teatro Regina Vogue 
Av. Sete de Setembro, 2.775, Rebouças
Curitiba (PR)
(41) 3094-5300
https://www.instagram.com/shopping_estacao/
 www.shoppingestacao.com.br

Sobre o Shopping Estação
O Shopping Estação é ponto de encontro e referência em entretenimento e gastronomia na cidade, com um mix de lojas e serviços completo, além de reunir parte da história de Curitiba no Museu Ferroviário, único museu dentro de um shopping no Brasil. Inaugurado em 14 de novembro de 1997, há 25 anos o Shopping Estação tem participação ativa na vida dos curitibanos e de milhares de turistas que passam pela capital paranaense.

Livro didático e tecnologia: como a inovação pode ajudar o PNLD, um dos maiores programas de distribuição de livros didáticos gratuitos do mundo

85 anos. Esta é a idade do Programa Nacional do Livro Didático, o PNLD, programa desenvolvido pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), no Ministério da Educação. Para se ter uma ideia, atualmente, são mais de 172 milhões de livros distribuídos nos mais de 5 mil municípios brasileiros. Entre os outros números que impressionam estão também as mais de 150 mil escolas e os 32 milhões de alunos atendidos. Todos esses dados mostram a complexidade de um dos maiores sistemas de produção e entrega de material didático do mundo e alertam para a necessidade de reformulações constantes no programa, que movimenta mais de R$ 1 bilhão por ano. E para que isso aconteça é preciso começar a falar de inovação. 

“O sistema de logística do Programa é complexo mas funciona muito bem há décadas. Temos os Correios como um grande parceiro e reconhecemos a magnitude desse processo de entrega dos livros para cada aluno da rede pública. Mas nós não temos um plano B, por exemplo. Assim como nunca foi realizado um diagnóstico nesse modelo de distribuição, e tenho certeza que, ao realizarmos essa avaliação, conseguiremos identificar possíveis problemas e tornar o programa ainda mais eficaz”, conta Nadja Cézar, coordenadora geral do livro no FNDE.

E foi pensando em tudo isso que o Centro de Computação Científica e Software Livre, C3SL, da Universidade Federal do Paraná, vem realizando dois projetos que buscam a melhoria do PNLD. Uma delas é a “Pesquisa sobre otimização do modelo da logística de distribuição dos livros e materiais do PNLD, com suporte técnico para processos de contratação de serviços”. Apesar do nome comprido, o que o C3SL pretende é sistematizar e organizar toda a cadeia de produção e por meio disso, propor melhorias. “Ao longo de seus mais de 80 anos de existência, o FNDE aperfeiçoou o PNLD de modo a garantir que ele alcance o seu objetivo de entregar os livros às crianças em todas as regiões do país. Como a sociedade muda constantemente, a logística também precisa acompanhar essas mudanças. O desafio, em um cenário tão complexo, é obter um entendimento sistematizado, organizado, que apoie a análise do processo e a proposição de melhorias que otimizem o trabalho executado. É aí que o C3SL entra”, explica o professor Marcos Castilho, coordenador do projeto dentro do grupo de pesquisa.

Atualmente, o FNDE executa toda a logística de distribuição dos livros didáticos junto aos Correios e às editoras cadastradas. Um diagnóstico já produzido pelo projeto da UFPR mostra que há dezenas de partes interessadas envolvidas, atuando em um processo complexo. São centenas de conceitos, regras e especificações que detalham todo o processo. O trabalho é tão intenso que, da realização dos pedidos pelas escolas à entrega dos livros a cada uma delas, o FNDE orquestra e monitora toda a cadeia de produção: da especificação da qualidade exigida para os livros, seus tamanhos e pesos, até os procedimentos de entrega e conferência das encomendas. 

Painel de indicadores

Além da pesquisa com logística, o C3SL desenvolve também o projeto Painel PNLD em que professores e bolsistas do grupo estão reunindo e tratando todos os dados constantes nas bases do FNDE e do MEC para criar um banco de inúmeras possibilidades de dados e de cruzamento deles. “Com esse painel, a gente consegue extrair e visualizar de forma integrada dados como ano, programa, escola, editora, títulos, valores e muitos outros que poderão ser usados de forma gerencial por todas as unidades, além de servir de consulta para a sociedade”, conta o professor coordenador do projeto, Eduardo Todt.

Essa disponibilização de uma plataforma unificada permitirá que o próprio FNDE extraia dados e os utilize para o gerenciamento, controle e também criação de novas políticas dentro do próprio órgão. “Esse painel vai ajudar o FNDE a propagar a informação e auxiliar, por exemplo, órgãos de controle da União, assim como para as redes de ensino, que poderão ter essa informação em um clique”, celebra Nadja. 

E para que esses dados se tornem públicos e livres, o C3SL disponibilizará toda informação necessária para que o FNDE possa criar novos painéis de indicadores de forma livre. “A visão unificada de indicadores permite em um olhar para as informações consolidadas de diversos processos e contratos. Excelente para combater falhas, fraudes e dar transparência. E para isso, o software livre é fundamental, ofertando não só o conhecimento, mas também a possibilidade de reprodução do conhecimento de maneira facilitada, sem amarras”, explica Todt.

“O que a gente busca é a máxima transparência do processo, que todos os anos movimenta muito dinheiro público. É o nosso dever, e as parcerias que desenvolvemos com as universidades públicas é uma forma de trazer para a sociedade um retorno por meio de pesquisas, dados, análises técnicas que proponham e implementem melhorias por meio do incentivo à pesquisa e à Ciência”, finaliza a coordenadora do programa.

Sobre o C3SL

O Centro de Computação Científica e Software Livre (C3SL) é um grupo de pesquisa do Departamento de Informática da UFPR que realiza pesquisas em diferentes áreas do conhecimento e que podem ser empregadas para aprimorar processos e serviços tanto para empresas  por meio da Lei de Informática e Lei do Bem, quanto para instituições e órgãos públicos. São seis linhas de pesquisa ativas no grupo: Ciências Forenses Computacionais; Inteligência Artificial Aplicada; Medicina Assistida por Computação Científica; Preservação Digital; Sistemas Computacionais Avançados; Sistemas para Informática na Educação. Os projetos realizados pelo grupo de pesquisadores são direcionados para a inclusão digital, buscando sempre beneficiar a sociedade brasileira de maneira geral. Assim, todo pacote de software que resulta destes estudos é publicado em forma de software livre.

www.c3sl.ufpr.br

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com