Fiscalização em Curitiba fecha 14 estabelecimentos e aplica 82 multas por falta de máscara

O resultado das Ações Integradas de Fiscalização Urbana (Aifu) realizadas no fim de semana aponta que ainda há muitos cidadãos despreocupados com as atitudes que promovem a disseminação da Covid-19.

Da noite de sexta-feira (15) ao domingo (16), a força-tarefa formada por equipes da Prefeitura e do Governo do Estado percorreu a cidade para averiguar denúncias apresentadas pela população, controlar excessos e assegurar o cumprimentos das medidas sanitárias de saúde. Nos três dias, 42 estabelecimentos foram vistoriados, 14 terminaram paralisados e 96 autos de infração foram lavrados, somando R$ 821.100 em multas.

Ações Integradas de Fiscalização Urbana (AIFU). Curitiba | Foto: Hully Paiva/SMCS

Tanto empresários quanto pessoas físicas foram responsabilizados. Das multas aplicadas, 82 foram para pessoas físicas, devido à falta de máscara, pela participação em evento com aglomeração e desacato a agentes administrativos.              

Formam a Aifu equipes da Guarda Municipal, Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, fiscais das secretarias municipais do Urbanismo e do Meio Ambiente e agentes da Superintendência de Trânsito (Setran).

Desde 5 de janeiro, quando entrou em vigor a Lei 15.799/2021, que responsabiliza e pune quem descumpre as medidas restritivas de enfrentamento à pandemia de covid-19, até o domingo (16), a força-tarefa da Prefeitura lavrou 1.129 autos de infração em 2.592 fiscalizações realizadas com a participação dos fiscais da Secretaria Municipal do Urbanismo (nas Aifus e ações com a Guarda Municipal). Somados os autos ultrapassam R$ 11,3 milhões em multas.

Curitiba, que segue em bandeira laranja (risco médio de contaminação pelo coronavírus) está sob as regras do decreto 860/20212.

Denúncias

Nas vistorias da noite de sexta-feira (14), 22 locais denunciados pela população foram fiscalizados nos bairros Alto da XV, Centro, Rebouças, São Francisco, Batel, Seminário, Santa Quitéria, São Lourenço e Cajuru. Foram quatro os estabelecimentos paralisados: dois bares no Alto da XV, um no Rebouças e uma tabacaria no Cajuru, onde os fiscais lavraram dois autos de infração por desrespeito e desacato à autoridade administrativa.

Ações Integradas de Fiscalização Urbana (AIFU). Curitiba | Foto: Hully Paiva/SMCS

No sábado (15), as fiscalizações aconteceram em oito estabelecimentos nos bairros Portão, Vila Izabel, Água Verde e Santa Quitéria. Foram encontradas irregularidades em seis espaços, que foram paralisados, e 85 autos de infração lavrados, somando R$ 665 mil em multas em uma única noite.

Foram autuados uma casa de eventos no Portão, já reincidente na violação das normas anticovid-19, três bares no Batel, um no Água Verde, um restaurante no Batel, que não estava fazendo o controle do número de pessoas, e uma lanchonete no Santa Quitéria. Neste último local, 78 autos de infração foram aplicados: um por falta de controle de pessoas, um pela restrição de atividade (os fiscais constataram atividade de bar) e 77 multas pela participação de pessoas em evento com aglomeração.

Já no domingo (16/5) foram vistoriados 12 locais. Em um deles, um bar no bairro Fazendinha, foram aplicados dois autos de infração, um pela prática de atividade suspensa no período e o outro por falta de uso de máscara. O local foi interditado pelos fiscais.

A ação da força-tarefa de fiscalização anticovid acontece também nos dias da semana.

Imprudência no trânsito

Foram 16 autos de infração e cinco veículos guinchados nas Aifu. Entre as irregularidades flagradas pelos agentes da Setran, destacam-se um condutor dirigindo com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa e outro com a CNH vencida. Este último ainda se negou a fazer teste do etilômetro (bafômetro) e foi encaminhado à Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran). O veículo dele foi liberado a um condutor habilitado.

Aglomerações dispersadas

No domingo (16), a Guarda Municipal dispersou cerca de 500 pessoas que participavam de aglomeração no Parque do Semeador (bairro Sítio Cercado). Já no sábado (15) foi feita uma autuação por promoção de aglomeração no bairro CIC, com multa no valor de R$ 5 mil.

Desde o início da vigência da lei municipal 15.799/2021, a Guarda Municipal aplicou 351 autuações. Juntas, elas somam R$ 1.213.050. São 59 autuações no valor de R$ 359.250 para pessoas jurídicas e 292 autuações no valor de R$ 853.800 para pessoas físicas.

Além de respeitar o cumprimento das medidas sanitárias obrigatórias o cidadão pode colaborar no enfrentamento da covid-19 denunciando casos de abusos à saúde pública, como situações que geram aglomeração, falta de uso de máscara e do álcool em gel.  A queixa pode ser feita por meio da Central e aplicativo 156 e 153, da Guarda Municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Campanha “Vacina UFPR” chega a mais de mil doações individuais; saiba como contribuir

A campanha “Vacina UFPR” mobiliza a sociedade para a captação de recursos e o financiamento de uma vacina 100% nacional e de baixo custo contra a Covid-19 e outras doenças. 

Em 20 dias, já foram arrecadados R$ 83.323,48 em 1005 doações individuais. No mesmo período, o site vacina.ufpr.br já teve mais de 8 mil acessos e os posts nas redes sociais da UFPR já alcançaram quase 400 mil pessoas, com 3600 compartilhamentos. 

A divulgação da campanha estimulou outros tipos de engajamento. Por sugestão de uma amiga, a fotógrafa e influenciadora digital Patrícia Miguez compartilhou um vídeo para incentivar as doações. Apenas nas redes da UFPR, o material já foi visto por mais de 132 mil pessoas.

Ela aceitou o desafio por entender que a vacina pode servir para outras doenças e ajudar pessoas no Brasil e em outras partes do mundo, no futuro.  “É uma questão de ajudar a comunidade científica e o nosso país como um todo. A vacina é uma arma muito importante. Caso você não possa ajudar, marque as pessoas nas suas redes e espalhe. Quanto mais gente tiver essa informação, mais gente pode doar e ajudar a UFPR a desenvolver a vacina. Vai ser uma bênção ter uma opção barata, nacional e com multipropósito”, relata Patrícia.  

As contribuições para a campanha “Vacina UFPR” permitirão aos pesquisadores avançar com as fases de testes em animais até o final do ano, o que credenciará o pedido à Anvisa para os testes em humanos. 

Com as doações, será possível também aprimorar a infraestrutura física e laboratorial, buscar a transferência de tecnologia para produção em escala industrial e o desenvolvimento de imunizantes.

Sobre a capacidade de produção 100% nacional, o reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca, destaca: “É muito importante para a soberania do país que tenhamos uma vacina sem a dependência de importação de insumos. Esta luta por uma vacina nacional reforça a importância da ciência e da universidade pública, que se mostraram imprescindíveis durante essa pandemia”. 

O superintendente de parcerias e inovação da UFPR, Helton José Alves, ressalta a economia para os cofres públicos que o imunizante da UFPR poderá trazer. “Para cada real economizado por dose da vacina, estamos falando de milhões de reais, o que torna mais interessante essa plataforma, para a Covid-19 e outras patologias”, revelou Alves em entrevista ao programa “Volume UFPR”, da Rádio UniFM. 

O professor Emanuel Maltempi de Souza, um dos pesquisadores responsáveis pelo desenvolvimento da Vacina UFPR, em reportagem da Agência Escola de Comunicação Pública da UFPR, explica que o projeto foi concebido pensando no retorno à sociedade dos conhecimentos produzidos na universidade. “Se continuarmos tendo sucesso no desenvolvimento e testagem da Vacina UFPR, estou convencido que o país terá condições de produzir as doses necessárias para todos os brasileiros”. 

Para alcançar esses objetivos, os custos estão estimados em R$ 76 milhões de reais. Por isso, a campanha aceita doações de qualquer valor, por depósito, transferência bancária para a conta da campanha ou usando chave Pix. 

No site vacina.ufpr.brestão disponíveis os relatórios de acompanhamento dos recursos captados para o desenvolvimento da vacina e notícias sobre o avanço das pesquisas. 

A conta bancária para as doações é exclusiva do Programa de Imunizantes da UFPR, gerida pela Fundação da Universidade Federal do Paraná – FUNPAR. Todas as doações de pessoas físicas e/ou jurídicas são destinadas exclusivamente à continuidade da pesquisa e desenvolvimento da vacina  e não são dedutíveis do Imposto de Renda. 

Os valores captados pela campanha se somam aos financiamentos já obtidos via Rede Vírus, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), a recursos próprios da UFPR e aos do Governo do Estado do Paraná, que chegam a R$ 1,3 milhão.  

Além disso, o Tribunal de Contas do Estado transferiu R$ 18 milhões ao Governo do Estado, que serão destinados à estrutura de laboratórios para a Vacina UFPR. O poder executivo deve repassar esse valor à universidade por meio de um acordo que será celebrado em breve. 

Compre 2 e pague 1: clube Prime Gourmet chega a Curitiba com desconto em experiências exclusivas

O Prime Gourmet, clube de descontos exclusivos e focado na experiência do cliente com parceiros de excelência, chegou em Curitiba.

O intuito do clube é proporcionar momentos únicos baseados na experiência de outros usuários do aplicativo em estabelecimentos ou serviços requintados da cidade. Ao comprar 2 experiências, o cliente paga apenas 1!

O Prime Gourmet funciona através de um aplicativo (que pode ser baixado na AppStore ou no PlayStore) com serviço e ofertas. É quase um Guia Gastronômico, Turístico e Hoteleiro que proporciona aos clientes uma variedade enorme de ofertas entre os melhores estabelecimentos comerciais de cada região.

O valor da assinatura promocional e exclusivo para Curitiba é de apenas R$ 100,00 por ano. As ofertas disponibilizadas pelos estabelecimentos parceiros são na modalidade de pague por um e ganhe outro do mesmo ou menor valor.

  • Na compra de um PRATO, ganhe outro de igual ou menor valor;
  • Na compra de um INGRESSO, ganhe outro de igual ou menor valor;
  • Na compra de uma DIÁRIA, ganhe outra de igual ou menor valor.

Leitores do Busão Curitiba ainda contam com um desconto adicional: R$ 10 ao ativar o plano anual com o código BUSAOCURITIBA. Com isso, a assinatura anual sai por apenas R$ 90, ou seja, apenas R$ 7,50 por mês de assinatura para aproveitar todos os descontos em Curitiba e região!

Experiências do Prime Gourmet em Curitiba

O aplicativo já conta com mais de 60 empresas parceiras em Curitiba. Algumas opções que o Busão Curitiba conferiu:

  • Mozarellart (compre uma burrata e ganhe outra)
  • Cervejaria Way (compre 1 ingresso e ganhe outro)
  • Clube Doce (Box de doces)
  • Ahmed Kmeshi (Tour fotográfico nos pontos turísticos de Curitiba)
  • Cooktop CWB (Deguste de vinhos com sommelier)
  • SPA Bewll (Argiloterapia)
  • Calango Expedições
  • Boiacross na Serra do Mar
  • Mister Dea Restaurante
  • Don Andreatta Hamburgueria
  • Emporium Schmitz no Vila Yamon
  • Hotel Intercity
  • Transfer para o Aeroporto Afonso Pena com a Bob Receptivos
  • Entre outras

Sobre o Prime Gourmet

O Prime está atualmente em 17 cidades espalhadas por todo o Brasil, – além de oferecer parcerias no Paraguai e Argentina. No Paraná atua há dois anos em Foz do Iguaçu, contando na região da tríplice fronteira com mais de 150 parceiros da área gastronômica, hoteleira e de entretenimento.

O Prime Gourmet oferece descontos para passeios, gastronomia e hotelaria em Curitiba e região💛😎
O Prime Gourmet oferece descontos para passeios, gastronomia e hotelaria em Curitiba e região💛😎

Mais informações:
SITE: linktr.ee/primegourmetcwb
INSTAGRAM: @primegourmetcuritiba
WHATSAPP: +55 45 2102-7768 ou bit.ly/PRIMEGOURMETPR