Filme gravado em Curitiba é indicado para representar o Brasil no Oscar 2022

O filme Deserto Particular, produzido por ex-alunos do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Estadual do Paraná (Unespar), foi indicado na semana passada pela Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais para representar o Brasil no Oscar 2022. O longa-metragem venceu a disputa com outros 15 filmes nacionais.

A obra será avaliada em conjunto com as indicações de outros países e, se aprovada, deve passar por duas etapas: a primeira em uma lista com 15 pré-indicados no mês de dezembro e a segunda, em fevereiro, com os cinco finalistas que concorrerão ao Oscar. 

Premiado no Festival de Veneza 2021, o longa fará sua estreia brasileira na 45ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, que começa na próxima semana. Em 25 de novembro, chega aos cinemas de todo o País.

O diretor Aly Muritiba, radicado no Paraná, é um dos egressos e destaca a importância do curso na sua formação profissional. “O curso foi de extrema importância para que eu pudesse conhecer profissionais parceiros na minha jornada profissional. Estar em uma universidade pública com professores de qualidade foi determinante para que eu me tornasse um realizador”, explicou.

Outros 15 profissionais que também estudaram na Unespar integram a equipe técnica do filme. Eles fizeram parte da etapa de produção, direção de fotografia, edição e da elaboração do roteiro. O curso de Cinema e Audiovisual é uma das graduações mais concorridas da instituição.

O produtor Antônio Gonçalves Junior, por exemplo, se formou na universidade em 2011. Segundo ele, indústria audiovisual tem talentos incríveis no Paraná.

“Um curso público de cinema é extremamente estratégico para um Estado e para um País. A Coreia do Sul conseguiu fazer com um filme ganhador do Oscar (Parasita) e a série mais assistida da história (Round 6) com investimentos públicos que começaram na década de 90 e hoje estão no seu ápice. Com uma política pública aplicada de forma contínua é possível alcançar mais resultados expressivos”, afirmou.

Para a reitora da Unespar, Salete Machado Sirino, a indicação para a principal e mais relevante premiação da indústria cinematográfica nitidamente representa um diferencial do filme. “O fato de os realizadores dessa obra serem ex-alunos de uma universidade estadual atesta a excelência do ensino e reforça a importância das artes como uma grande área do conhecimento”, afirmou.

REFERÊNCIA – O curso de Cinema e Audiovisual, criado em 2005, é referência nacional na formação produtores, diretores de fotografia, diretores, roteiristas, editores e pesquisadores. Em 2020, o filme Alice Junior, que também tem a participação de estudantes dessa graduação, foi selecionado para uma mostra oficial do Festival de Berlim.

O coordenador do curso, professor Luis Fernando Severo, destaca a projeção que o Oscar proporciona para a produção cinematográfica do Paraná. “A participação dos nossos ex-alunos em premiações é importantíssima, não só para o reconhecimento do curso, mas também para o cinema paranaense. Com isso, conseguimos atrair mais investimentos e novas parcerias. O curso produz materiais de qualidade, contribuindo para a arte e a cultura do Estado”, afirmou.

Segundo ele, a Unespar já formou 400 profissionais para os mercados brasileiro e internacional da sétima arte.

SINOPSE – Deserto Particular será lançado pela Pandora Filmes e também contou com participação da Grafo Audiovisual e da Fado Filmes. O filme tem cenas em Curitiba. Na trama, Daniel é um policial exemplar, mas acaba cometendo um erro que coloca em risco sua carreira. Quando nada mais parece o prender ao Paraná, parte em busca de Sara, mulher com quem se relaciona virtualmente.

Confira o trailer do filme:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curitiba está entre as quatro capitais mais competitivas do País

Curitiba ficou em quarto lugar entre as capitais mais competitivas do País, segundo a edição 2021 do Ranking de Competitividade dos Municípios, divulgado nesta segunda-feira (22/11). Fazem parte do top 4 Florianópolis, São Paulo e Vitória. O ranking, elaborado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), em parceria com a plataforma Gove e o Sebrae, avaliou 411 municípios com população acima de 80 mil habitantes.

O levantamento, que está na sua segunda edição, é composto de 65 indicadores, organizado em 13 pilares temáticos e 3 dimensões: instituições, sociedade e economia.  Os pilares são: Sustentabilidade Fiscal, Funcionamento da Máquina Pública, Meio Ambiente, Acesso à Saúde, Qualidade da Saúde, Acesso à Educação, Qualidade da Educação, Segurança, Saneamento e Meio Ambiente, Inserção Econômica, Inovação e Dinamismo Econômico, Capital Humano e Telecomunicações.

Quanto melhor desempenho, mais perto de 100. Nessa edição a nota mais alta entre todos os municípios obtida foi de Barueri (SP), com 68,26.

Curitiba obteve pontuação 63,74 com destaque para o resultado em temas como funcionamento da máquina pública, saneamento, capital humano, inovação, dinamismo econômico e inserção econômica. O levantamento completo pode ser conferido aqui no site

Macacos-aranha voltam para ilha do Passeio Público

Tico, Fernão, Toniquinha, Boquinha e Esperança começaram a semana matando as saudades da ilha do Passeio Público de Curitiba. Os macacos-aranha-da-cara-preta, que vivem lá desde a década de 1990, foram temporariamente remanejados para o Zoo, no Alto Boqueirão, durante as obras de revitalização do mais antigo parque da cidade, que começaram em 2017 e foram concluídas em 2019.

“Depois das obras, tivemos a pandemia, que adiou um pouco o retorno deles, mas a adaptação no Zoo foi muito boa, eles até se reproduziram”, explica a chefe de Fauna do Zoológico de Curitiba, Nancy Banevicius. Os filhotes que nasceram nesse período, Violeta, Margarida e Denis, também foram para a ilha. 

O retorno, explica a bióloga, tem a ver com o bem-estar dos animais. “Eles estão habituados a viver na ilha e a gente caprichou no enriquecimento ambiental: além de as árvores terem crescido mais, instalamos uma série de mangueiras de incêndio doadas, para que eles possam brincar e se movimentar”, conta.

O enriquecimento ambiental é uma atividade para tirar o animal da rotina e estimular comportamentos naturais da espécie. Nancy lembra que eles são bastante brincalhões, então, vai ser fácil vê-los aproveitando o espaço.

Quem quiser conferir os macacos e a sua casa reformada, pode encontrá-los na ilha que fica mais próxima à Rua Presidente Carlos Cavalcanti.  

Foto: Lucilia Guimarães/SMCS

Educação ambiental 

Muito além de curiosidade para as crianças, os macacos-aranha-da-cara-preta ajudam a ensinar os curitibinhas que forem ao Passeio Público sobre a importância da preservação da espécie. “É uma espécie em extinção, que está em perigo, em função do desmatamento e do tráfico, principalmente”, reforça.

O próprio Tico, o mais velho do grupo que voltou ao Passeio Público, foi abandonado quando filhote ainda em 1994, retirado na natureza indevidamente.