Filha de agricultores paranaenses, Pequena Miss Brasil representará o Brasil no Mini Miss Universo na Colômbia

Entre as aulas do segundo ano do jardim de infância, Chaychay como é conhecida estuda teatro e tem aulas de espanhol. Sua carreira é planejada pelo especialista em concursos de beleza e consultor de misses Paulo Filho, expert que soma 8 títulos nacionais conquistados para o Brasil.

“Ver o crescimento da Chaychay é algo muito especial, ela gosta do que faz, é muito perfeccionista e tem uma personalidade forte. Características que podem fazer parte de uma receita de sucesso” – comentou Paulo Filho.

Nesse domingo (14) a Pequena Miss Brasil desembarcou em Cartagena das Índias, Colômbia, com objetivo de representar o Brasil no Mini Miss Universo, mais importante competição de beleza infantil do mundo.

O concurso que receberá mais de 30 crianças vindas de diversos cantos do mundo, será realizado entre os dias 16 à 22 de Agosto.

A competição é divida entre provas, desfile em vestido de gala, talento, desfile em traje típico e entrevista. Para cada desafio Chaychay é seu preparador Paulo Filho desenvolveram uma estratégia visando trazer esse título para o Brasil.

“Nosso objetivo é que a Charlotte consiga se destacar em todas as etapas. Criamos uma estratégia que visa trazer as atenções para ela, e sabemos que ela tem potencial para executar tudo com maestria. A Chaychay encanta por onde passa, e no Mini Miss Universo não será diferente” – afirmou o consultor especialista em misses.

A grande final do Mini Miss Universo será no dia 21 de Agosto e pode ser assistido através de link disponibilizado nas redes sociais do concurso. O dia a dia do confinamento será postado no Instagram da Pequena Miss Brasil @charlottemoronii.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ícones da arquitetura curitibana ganham homenagem do Santander

A avenida Água Verde, em Curitiba, é o cenário para uma homenagem do Santander Brasil a ícones da arquitetura curitibana. O Jardim Botânico, a Ópera de Arame, a Torre Panorâmica e a bailarina, que figura em uma das bases do Museu Oscar Niemayer, fazem parte de um grande painel instalado na fachada da agência Select, na capital paranaense. A ilustração, feita pelo arquiteto paulista Sérgio Terahata, valoriza o patrimônio arquitetônico e o talento dos paranaenses em transformar edificações em elementos de grande valor cultural que reforçam a identidade local para além das fronteiras do Estado.

As obras escolhidas para serem retratadas no painel pertencem à história contemporânea, período em que a arquitetura, o urbanismo e as ações de mobilidade urbana transformaram o cenário da cidade, promovendo qualidade de vida e projetando a capital para cenários internacionais. Todas as edificações foram construídas sob o olhar do arquiteto Jaime Lerner durante sua vida pública nas gestões municipal e estadual.

“Trazer em nossa fachada ícones da arquitetura curitibana é uma forma de homenagear a cidade e de demonstrar nossa identificação com a cultura local. O segmento Select é voltado ao atendimento personalizado de clientes pessoas físicas, atividade que exige proximidade para oferecer serviços e produtos que atendem ao estilo de vida de cada pessoa. Traduzir e nos antecipar às necessidades dos curitibanos é nosso foco aqui”, conta Marilize Ferrazza, diretora da Rede Paraná do Santander Brasil.

A agência Select no Água Verde oferece assessoria financeira aos clientes de alta renda, na consolidação e proteção de seus bens. Além de todos os produtos tradicionais do Banco, também disponibiliza serviços exclusivos como o de câmbio e uma equipe – com sete gerentes e um especialista – focada em investimentos. Ou seja, os profissionais fazem recomendações e estudos de acordo com o perfil de investimento e momento de vida do cliente. Os correntistas dessa unidade também contam com serviços internacionais que proporcionam mais tranquilidade e segurança nas viagens ao exterior, além da diversificação dos investimentos por meio de fundos offshore, que investem seus recursos fora do Brasil, sendo o Santander o único banco internacional do país.

10 prédios que fazem parte da história de Curitiba

Cada construção em Curitiba conta um pouco da sua história. O arquiteto Guilherme Macedo, autor do livro “Prédios de Curitiba”, destacou 10 prédios que representam a cultura histórica da capital. Confira!

1 – Paço da Liberdade (construído entre 1914 e 1916)

Poucas pessoas sabem, mas no Paço já funcionou a Prefeitura Municipal de Curitiba. O prédio conta com simbolismos arquitetônicos, como os dois Hércules que sustentam a fachada principal, um de aparência jovem representando o poder executivo e um mais velho, na figura do legislativo, encimados por uma figura feminina, que representa “Curitiba”, a cidade personificada.

Foto: Washington Cesar Takeuchi

Com quatro pavimentos, a construção foi pioneira na implantação do primeiro elevador da capital. Por esses motivos, o Paço da Liberdade é considerado um patrimônio cultural nacional.

2 – Palácio Avenida (construído entre 1927 e 1929)

Foi no Palácio Avenida que nasceu o Cine Avenida, que juntamente com o Cinema da Glória e o Cine Palácio marcaram a cena cultural da região e transformaram a pequena Avenida Luiz Xavier na Cinelândia curitibana.

Foto: Washington Cesar Takeuchi

O Palácio Avenida é nacionalmente conhecido pelos seus espetáculos natalinos, que apresentam um coral de crianças em suas janelas e que ocorrem anualmente desde a reinauguração.

3 – Moreira Garcez (construído entre 1927 e 1959)

O Moreira Garcez já foi considerado o terceiro maior arranha-céu do Brasil. Sua construção apresenta ainda a inserção de elementos paranistas, como pinhões geometrizados presentes ao longo da fachada e em detalhes internos nas esquadrias do átrio.

Foto: Washington Cesar Takeuchi

4 – Brasilino Moura (construído em 1944)

A implantação desse prédio foi um dos pivôs do enfraquecimento do Plano Agache, que previa o desenvolvimento urbanístico da cidade. O destaque do prédio está na estética da fachada, um conjunto de esquadrias de ferro levemente inclinadas, emolduradas por ressaltos volumétricos azulados, as quais transmitem a sensação de estarem prestes a cair, motivo pelo qual recebeu o apelido peculiar de “balança, mas não cai”.

Foto: Washington Cesar Takeuchi

5 – Marumby (construído entre 1946 e 1948)

Foi o primeiro arranha-céu de Curitiba com uso exclusivamente residencial, curiosamente a construção recebeu o mesmo nome de um conjunto de montanhas conhecido no Paraná, e foi por muito tempo considerado ponto culminante do Estado do Paraná. É tido como o primeiro edifício condomínio da cidade.

Foto: Washington Cesar Takeuchi

6 – Anita (construído em 1950)

Apesar do porte baixo, o prédio é praticamente dono da esquina na trifurcação das ruas Cândido Lopes, Carlos de Carvalho e Ermelino de Leão. Porém, ao longo do tempo, acabou cercado por vizinhos gigantes, como os edifícios Tijucas e Souza Naves, além do Hotel Tibagi. Sua estética costuma ser alvo de fotos que ganham as redes sociais.

Foto: Washington Cesar Takeuchi

7 – Eduardo VII (construído entre 1950 e 1954)

Sem dúvidas esse é um dos edifícios mais marcantes de Curitiba. Seja pela sua imponência ou até mesmo a semelhança com o Flatiron Building (um dos primeiros arranha-céus construídos em Nova Iorque, Estados Unidos).

8 – Tijucas 1958 (construído em 1973)

Considerado um dos prédios mais visitados do Centro, pode-se dizer que o Tijucas possui uma cidade própria, um conjunto misto com alas residenciais e comerciais, afamado por uma galeria onde percorrem cerca de dez mil pessoas diariamente.

Foto: Washington Cesar Takeuchi

9 – Araucária (construído em 1969)

O prédio se destaca muito pelas notáveis esquadrias pré-fabricadas vibrantes e ritmadas que compõem uma fachada única.

Foto: Washington Cesar Takeuchi

10 – Governador (construído em 1967)

Quando construído seu formato circular era algo incomum e criava dúvidas do tipo: como mobiliar um quarto redondo? O volume cilíndrico passa a sensação de se soltar do bloco térreo, sua fachada é marcada por faixas verticais que enquadram as esquadrias.

Foto: Washington Cesar Takeuchi

*Fonte Estúdio C via Curta Curitiba