Festival de Curitiba chega a 28. ª edição

Em mais de 80 espaços, na capital e na região metropolitana, o Festival de Curitiba volta a reunir grandes nomes das artes cênicas brasileiras em uma programação com mais de 400 atrações, levando arte, cultura e diversão para diferentes públicos de todas as idades. São estreias nacionais, produções internacionais, teatro, música, dança, circo, stand up comedy, performances, oficinas, show de variedades e gastronomia que transformarão Curitiba ao longo de 13 dias, trazendo novas cores e movimentos para a cidade.

Entre 26 de março e 07 de abril, a 28.ª edição do Festival de Curitiba fará de teatros, praças e ruas o palco para artistas conhecidos como Regina Casé, Guta Stresser, Claudia Abreu, Leandra Leal, Mel Lisboa, Bianca Byington, Ranieri Gonzalez, Gregório Duvivier, Dani Barros, André Abujamra, Nicole Puzzi e Deborah Colker. Em 13 dias serão mais de 1500 apresentações, em torno de 390 delas gratuitas e 196 no sistema “pague o quanto vale”, em que o público escolhe o quanto paga.

Os ingressos para o Festival de Curitiba estarão à venda pelo sitewww.festivaldecuritiba.com.br, pelo aplicativo “Festival de Curitiba 2019” e nas bilheterias instaladas no Shopping Mueller e ParkShoppingBarigüi. O valor varia entre gratuito e R$70.

Com 27 espetáculos a Mostra 2019 conta com curadoria de Guilherme Weber e Marcio Abreu que assinam a seleção pela quarta vez. “A extinção das fronteiras entre gêneros artísticos, o olhar para corpos que performam suas existências no mundo de forma atravessadora e uma investigação sobre o Brasil através das criações de seus artistas tem sido o principal recorte de nosso trabalho”, afirma a dupla.

Abrindo o Festival um espetáculo francês, fascinante e com grande força poética, “Aquele que Cai (Celui qui Tombe)”, uma criação do coreógrafo, bailarino e acrobata Yoann Bourgeois, experimenta novos princípios da física, colocando seis corpos sobre uma plataforma giratória e suspensa que desce, sobe, balança e gira em torno do seu eixo principal com apenas uma instrução: tentarem manter-se em pé. Um propósito simples que oferece um espetáculo ágil, arrojado e inspirador.

Outros seis são estreias nacionais: “As Comadres” – primeiro espetáculo dirigido por Ariane Mnouchkine no Brasil, diretora do Théâtre du Soleil, “Dezembro”, “Do Convento a Sala de Concerto”, “Relatos Efêmeros da França Antártica”, “Sísifo.gif” – primeira colaboração cênica entre Gregorio Duvivier e Vinicius Calderoni- e “Tráfico”, do dramaturgo franco-uruguaio Sergio Blanco.

O musical “Elza” homenageia a trajetória da cantora Elza Soares, suas múltiplas facetas e as reviravoltas de sua vida. Canções como “Lama”, “O Meu Guri”, “A Carne”, “Se Acaso Você Chegasse”, entre outras, fazem parte do repertório.

Os espetáculos “Uma Frase Para Minha Mãe”, “Fedra”, “Quando Quebra Queima”e “Orquestra Mundana Refugi” são atrações gratuitas.

A edição de 2019 conta ainda com duas mostras convidadas pelo Festival: comemorando 30 anos, a companhia Os Satyros retorna ao Festival com “Cabaret TransPeripatético”, além das estreias de “Mississipi”, “Todos os Sonhos do Mundo” e “O Rei de Sodoma”.  Já a Companhia de Teatro curitibana Stavis-Damaceno celebra seus 15 anos com quatro espetáculos de repertório: “Homem ao Vento”, “Psicose 4h48”, “Árvores Abatidas ou Para Luis Melo” e “Artista de Fuga”.

O Festival de Curitiba também é composto por: Interlocuções – palestras, oficinas, lançamentos de livros; todos com programação gratuita; Fringe – sem curadoria, com participações espontâneas de companhias de 13 estados brasileiros e 7 atrações internacionais, da Argentina, Portugal, Chile e Uruguai; e o MishMash – com shows de variedades que divertem a família inteira. Também fazem parte do evento oPrograma Guritiba – com atrações para crianças e adolescentes; o Risorama – destacando o melhor do stand up comedy nacional; e o Gastronomix – com música de primeira, aulas shows e pratos com assinatura de grandes chefes.

O que é o Festival de Curitiba

O Festival de Teatro de Curitiba começou em 1992 com 14 espetáculos e a proposta de promover o encontro das artes com o entretenimento. Palco de estreias internacionais e de nomes fortes das artes brasileiras, também é vitrine para quem busca reconhecimento nas artes cênicas, bem como a oportunidade para que os paranaenses desfrutem de produções premiadas no cenário nacional.

Ao longo de seus 27 anos se consolidou como um dos eventos mais importantes do calendário cultural brasileiro, agregando novas programações, se transformando no Festival de Curitiba. Sob este nome passou a atender novos públicos, tomando o cuidado de manter-se como um canal de formação, atualização e reflexão, com a promoção de debates, palestras e oficinas. Atualmente o Festival de Curitiba abriga a Mostra 2019 e o Fringe; e os eventos simultâneos: MishMash, Programa Guritiba, Risorama e Gastronomix.

Os segmentos do Festival de Curitiba

·         Mostra – espetáculos convidados pela curadoria, formada por profissionais atuantes que acompanham o cenário nacional e internacional para traçar um panorama relevante e diverso do que é produzido.

·         Mostra Convidada: novidade em 2019, a convite do Festival abriga duas mostras de repertório de companhias brasileiras importantes;

·         Interlocuções: compondo a Mostra 2019, a plataforma amplia a experiência da arte, da reflexão e da convivência aproximando público, artistas e aprendizes em debates, oficinas, encontros, lançamento de livros e outras experiências. Programação inteiramente gratuita.

·         Fringe: um espaço aberto, democrático e sem curadoria, recebe a participação voluntária de companhias profissionais que recebem apoio de produção do Festival de Curitiba. Alguns grupos se organizam por afinidades artísticas e criam suas próprias mostras. O Fringe se tornou uma grande vitrine no cenário teatral brasileiro.

·         Programa Guritiba – voltado ao público infantil e juvenil tem atrações teatrais, musicais, brincadeiras e promove ações sociais itinerantes que perduram ao longo do ano;

·         MishMash – com curadoria de Rafael Barreiros, apresenta variadas formas de atrações artísticas em um único palco mesclando teatro, musica, circo e dança, em uma programação familiar que diverte todas as idades;

·         Risorama – sob os cuidados de Diogo Portugal promove a mistura de estilos de up comedy reunindo os melhores humoristas do país;

·         Gastronomix – evento musical e gastronômico oferece um variado cardápio a preços acessíveis, criado por grandes chefs brasileiros sob a curadoria de Celso Freire.

 

Apresentadores, patrocinadores e apoiadores

O Festival de Teatro de Curitiba tem parceiros fundamentais para sua realização e é apresentado pelo Banco RCI Brasil, com patrocínio da Junto Seguros, EBANX, Uninter e GRASP.

 Os eventos simultâneos – Programa Guritiba, MishMash, Gastronomix e Risorama -, igualmente, contam com o apoio de parceiros importantes para levar a arte, cultura e entretenimento ao público.

O Programa Guritiba é apresentado por Caterpillar e Perkins Motores, com patrocínio da Tradener Comercialização de Energia e tem como apoiadores as empresas Novozymes, New Holland, Mili e Savana | Mercedes-Benz. São parceiros também na realização do Guritiba a Berneck, Brose do Brasil e o BRDE.

O Banco RCI Brasil, Instituto Grupo Boticário e a Denso do Brasil apresentam o MishMash,  evento que tem também o patrocínio da Unimed Curitiba e Rumo.

O Risorama é apresentado pela Potencial Petróleo e Restaurante Madero e patrocinado por Lojas Havan, FH, Ferramentas Worker e Sistema Fiep. O segmento de stand up comedy do Festival de Curitiba tem também o apoio do Grupo Barigui.

O Gastronomix, por sua vez, é apresentado por Electrolux, tem o patrocínio da Melitta e o apoio da Electra Energy, Da Magrinha e da Ritmo Logística. Conta ainda com a Oxford como fornecedora da louça oficial do evento.

As bilheterias do Festival de Curitiba são uma parceria com o ParkShoppingBarigüi e o Shopping Mueller.

Ingressos

A venda dos ingressos será pelo site www.festivaldecuritiba.com.br, pelo aplicativo “Festival de Curitiba 2019” e nas bilheterias oficiais do evento, no ParkShoppingBarigüi (Piso Superior – Lado Norte), de segunda a sexta, das 11h às 23h, no sábado, das 10h às 22h e, aos domingos, das 14h às 20h; e no Shopping Mueller (Piso L3), de segunda a sábado, das 10h às 22h, domingos e feriados das 14h às 20h.

 

Valores:

Mostra 2019

De R$ 0 a R$ 70,00 (entrada inteira) + taxa administrativa

Fringe

De R$ 0 a R$ 60,00 (entrada inteira) + taxa administrativa

Risorama

R$ 70,00 (entrada inteira) + taxa administrativa

Mish Mash

R$ 40,00 (entrada inteira) + taxa administrativa

Guritiba

De R$ 0 a R$ 40,00 (entrada inteira) + taxa administrativa

Gastronomix

R$ 12,00 (não consumível) + taxa administrativa


Serviço:

O que: 28.º Festival de Curitiba

Quando: De 26/03 a 07/04 de 2019.

Valores: Os ingressos vão de R$ 0,00 até R$ 70,00.

Ingressos: www.festivaldecuritiba.com.br, aplicativo: Festival de Curitiba 2019 e nas bilheterias do Shopping Muller e ParkShoppingBarigui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira os destaques do 9º Olhar de Cinema – Festival de Curitiba

O 9º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba acontece em um formato diferente este ano, de 7 a 15 de outubro. Ser online é uma novidade, mas a inspiração e o cuidado da seleção de filmes continuam os mesmos, com o diferencial de que nesta edição todo o país tem a oportunidade de conhecê-la. 

A Mostra Outros Olhares mescla em sua seleção longas e curtas-metragens ainda inéditos e filmes que já possuem uma trajetória em festivais e mostras internacionais recentes. São várias propostas, estilos, linguagens e abordagens feitos em torno de uma série de extremidades que reflete o mundo atual.

Fazem parte da seleção de longas-metragens os brasileiros inéditos O Índio Cor de Rosa, de Tiago Almeida, e A Flecha e a Farda, de Miguel Antunes Ramos, além de O Reflexo do Lago, que esteve na seleção Festival de Berlim. Da Berlinale também chegam o indiano Crônica do Espaço, de Akshay Indikar, a co-produção França, Bélgica e Burkina Faso, Traverser (Após a Travessia), dirigido por Joël Akafou, e o longa argentino Responsabilidade Empresarial, de Jonathan Perel. 

Do FIDMarseille chega a co-produção Eslovênia e República Tcheca, Oroslan, de Matjaz Ivanisin, do NY Film Festival vem Trouble, uma co-produção entre Estados Unidos e Reino Unido dirigida por Mariah Garnett e, por fim, o longa chileno Visão Noturna, dirigido por Carolina Moscoso Briceño.

Curtas de todos os lugares

A seleção de curtas-metragens também traz um recorte na nova produção brasileiro, com os títulos Manual do Zueiro Sem Noção, de Joacelio Batista; Memby, de Rafael Castanheira Parrode e Rafameia, de Mariah Teixeira e Nanda Felix. Representantes de vários outros países também estão na seleção, como Irã, Argentina, Camboja, Cuba e Rússia.

Sobre o Olhar de Cinema

O Olhar de Cinema é um festival que busca destacar e celebrar o cinema independente produzido no mundo. São propostas estéticas inventivas, envolventes e com comprometimento temático, que abrange desde a abordagem de inquietações contemporâneas acerca do micro universo cotidiano de relacionamentos, até interpretações e posicionamentos sobre política e economia mundial.

A seleção apresenta ao público filmes que se arriscam em novas formas de linguagem cinematográfica, que estão abertos ao experimentalismo e que, ainda assim, possuem um grande potencial de comunicação com o público.

Nesta edição, serão seis mostras: Mostra Competitiva, Novos Olhares, Outros Olhares, Olhares Brasil, Exibições Especiais e Mirada Paranaense.

O 9º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Cinema conta com apoio da Copel, Governo do Estado do Paraná, Ademilar, Lojacorr, incentivo da Lei de incentivo à cultura, Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura de Curitiba e PROFICE.

Confira a lista completa de selecionados para a mostra:

OUTROS OLHARES

Longas-metragens

Oroslan (Oroslan, Eslovênia, República Tcheca, 71 min.), de Matjaz Ivanisin

Responsabilidade Empresarial (Responsabilidad Empresarial. Argentina, 68 min.), de Jonathan Perel

Quem Tem Medo de Ideologia? (Who Is Afraid of Ideology?, Líbano, Siria, Curdistão iraquiano, 57 min.), de Marwa Arsanios;

Traverser (Após a Travessia) (Traverser [After the Crossing], França, Bélgica, Burkina Faso, França, Bélgica, Burkina Faso, 77 min.), de Joël Akafou;

Crônica do Espaço (Sthalpuran [Chronicle of Space], Índia, 86 min.) de Akshay Indikar;

Trouble (Estados Unidos, Reino Unido, 82 min.), de Mariah Garnett;

O Reflexo do Lago (Brasil, 80 min.), de Fernando Segtowick.

O índio Cor de Rosa (Brasil, 71 min.), de Tiago de Almeida.

A Flecha e a Farda ( Brasil, 90 min.), de Miguel Antunes Ramos.

Visão Noturna (Visión nocturna, Chile, 80 min.), de Carolina Moscoso Briceño

Curtas-metragens

Manual do Zueiro Sem Noção (Brasil, 16 min.) de Joacelio Batista;

Memby (Brasil, 15 min.) de Rafael Castanheira Parrode;

Rafameia (Brasil, 24 min.) de Mariah Teixeira, Nanda Felix;

Inner Self (Nahan, Irã, 15 min.) deMohammad Hormozi;

Playback. Ensaio de uma Despedida (Playback. Ensayo de una despedida, Argentina, 14 min.) de Agustina Comedi;

Alienígena (REONGHEE, África do Sul, 15 min.) de Jegwang Yeon;

Sonho Californiano (Soben California, Cambodja, 16 min.) de Sreylin Meas;

Garotas Crescem Desenhando Cavalo (Girls grow up drawing horses, EUA, 7 min.) de Joanie Wind;

Mary, Mary, So Contrary (Singapura, 15 min.) de Nelson Yeo;

As Chamas do Sol (Las llamas del sol, Espanha, 12 min.) de Pepe Sapena;

Botões Dourados (Zolotye Pugovitzi (The Golden Buttons), Russia, 19 min.), de Alex Evstigneev;

Os Meninos Lobos (Los niños lobos, Cuba, 18 min.) de Otávio Almeida;

Rio Solitários (Lonely Rivers, Espanha, França, 28 min.) de Mauro Herce.

SERVIÇO


9º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba

De 7 a 15 de outubro

No site do Olhar de Cinema


R$ 5 por filme

Dinâmica das sessões

Os filmes serão exibidos no próprio site do Olhar de Cinema. Cada título estará disponível até às 23h59 da data divulgada na programação. A venda de ingressos para todas as sessões começa no dia 23 de setembro e o número de ingressos para cada filme é limitado.

Emicida abre programação online do Festival de Curitiba nesta quinta-feira (17)

A programação do Festival Online, entre 17 e 24 de setembro, será gratuita.
 A abertura será com uma apresentação exclusiva em live do cantor e compositor Emicida

No ano em que a pandemia do Coronavírus mudou os hábitos no mundo todo, o Festival de Curitiba encontrou um caminho alternativo para manter as artes cênicas em movimento, garantindo sua essência de sempre buscar fazer um festival para todos. Entre 17 e 24de setembro, ocorre o Festival Online, uma versão digital e enxuta, que será uma prévia da 29.ª edição do Festival de Curitiba, que ainda deve acontecer presencialmente seguindo todas as orientações sanitárias de segurança, em data a ser confirmada. As atrações serão disponibilizadas, gratuitamente, nas plataformas digitais do Festival de Curitiba.

O aclamado cantor, compositor e rapper paulista Emicida é o convidado para abrir a programação, com o seu projeto “Emicida – Live Show”. O Festival Online contará ainda com o ao vivo infantil do Grupo Triii, em uma ação do Programa Guritiba e com a obra “Antunes Filho: $odoma \G/omorra { TRANSMISSÃO } de Luiz Päetow”. Uma parceria com o Sesc-SP, a peça fazia parte da Mostra da 29.ª edição do Festival e fará, agora, sua estreia em uma transmissão ao vivo, concebida e dirigida por Luiz Päetow, nas redes sociais do Festival de Curitiba e do Sesc-SP. Haverá também uma edição especial do projeto Teatro Vivo em Casa, iniciativa da Vivo para incentivar a cultura e ampliar o acesso à arte durante esta pandemia, com a apresentação do espetáculo “Maternagem”, dia 19, às 20h, com a atriz Amanda Acosta.

A programação se completa com um curso de Paulo de Moraes, diretor da Armazém Cia de Teatro, voltado a atores, diretores e dramaturgos, além de um bate papo sobre Mediação Teatral, com a participação de três especialistas que são referência no tema: Flávio Desgranges, Annie Martins e Robson Rosseto. Os shows de Emicida e Grupo Triii, o bate papo e a oficina contarão com tradução em libras.

O distanciamento social visa preservar a saúde de todos, porém a necessidade de se ‘isolar’ é dispensável. É nisso que a equipe do Festival de Curitiba acredita e quer colocar em prática com a ação online. As artes trazem em sua essência um forte poder de aproximação que ganha nova intensidade com o apoio da tecnologia. As inúmeras transmissões ao vivo pelas redes sociais ao longo dos últimos cinco meses, que mantiveram o teatro e a música pulsando, apesar das dificuldades enfrentadas pelo setor (incluindo algumas promovidas pelo próprio Festival de Curitiba), demonstram isso muito bem. “Em tempos de distanciamento social, as artes têm o poder curativo de aproximar e aliviar as ansiedades. Passamos esses meses buscando formas seguras de levar cultura e entretenimento para as famílias até chegarmos a este formato. O Festival é para todos e, nesse momento, queremos levar pela internet, um dos canais mais democráticos, parte de nossa programação acessível para todos do Brasil e, até mesmo, do mundo”, diz o diretor e idealizador do Festival de Curitiba, Leandro Knopfholz, reforçando que a 29.ª edição do evento está em desenvolvimento e deverá ser um capítulo especial nesta história de três décadas.