Feirinha da Osório e Santos Andrade terminam nesta semana

“Você sabe por que as bonecas russas de pano não têm boca? Porque elas sorriem com o coração!” A explicação dada por Sandra Olivet, sobre a característica mais marcante do brinquedo, faz parte da atenção acolhedora dada aos visitantes da banca da artesã na Feira Especial da Primavera e Criança da Praça Osório.

Até sábado (12/10), último dia das feiras especiais, no Centro, o que não faltam são opções de lembranças criativas para a criançada, bem como produtos com temática flores, artesanato para casa e comidas de várias partes do mundo. São 59 barracas na Osório e dez na Praça Santos Andrade.

Sandra Olivet expõe na Osório suas lúdicas bonecas russas de pano e divertidos pesos de porta em forma de cachorro, vaca, porco e rato. Foto: Divulgação

Além de expor bonecas russas de pano, Sandra Olivet também comercializa pesos de porta em forma de cachorro, vaca, porco e rato; e “naninhas” para bebês de ursinho, ovelha e unicórnio.

Ao lado da banca de Sandra, a colega Ana Ianchuki atrai a atenção de crianças e adultos com bonecas de feltro. Cabeças, que lembram almofadinhas com franjas e cabelinhos; e vestidinhos de estampa floral repletos de adereços, como rendas e miçangas, deixam o brinquedo nostálgico.

“Cada elemento da boneca é criado e costurado por nós no Bairro Alto”, diz Ana, que ainda oferece como acessórios para as bonecas babeiros personalizados com o nome da criança.

Guirlandas

Na feira da Osório não faltam itens de decoração para casa, inclusive, com o tema primavera. De seu ateliê no Tingui, Gracie Bollmann expõe delicadas guirlandas florais.

Já Nedia Martelli comercializa jogos de banheiro, passadeiras, portas papel higiênico e trilhos de mesa em crochê. “São peças bonitas, mas resistentes, para serem usadas no dia a dia”, ressalta ela.

As Feiras Especiais da Primavera e Criança da Prefeitura reúnem ainda bancas de comidinhas e bebidas de regiões do Brasil e do mundo, como acarajé, bolinho de bacalhau, pierogi, empanadas chilenas e polpeta. Além disso, barracas de artesanato culinário, com pães, geleias, mel, chocolate, bolachas e biscoitos, e de oficinas de artesãos e de programas da Prefeitura podem ser encontradas nos pontos das praças Osório e Santos Andrade.

 

Serviço: Feiras Especiais da Primavera e Criança

Data: até sábado (12/10)
Locais: praças Osório e Santos Andrade, no Centro
Horários: na Praça Osório, de segunda a sábado, das 10h às 21h, e domingo, das 14h30 às 19h30. Na Santos Andrade, de segunda à sábado, das 10h às 20h, e domingo, das 14h30 às 18h.

Via: Prefeitura Municipal de Curitiba

E aí, partiu feirinha? Deixe seu comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curitiba faz homenagem às vítimas da explosão no Líbano

A Prefeitura de Curitiba promoveu na manhã deste sábado (8/8), às 11h, uma cerimônia em homenagem às vítimas da explosão que ocorreu na região portuária de Beirute, no Líbano, na última terça-feira (4/8). A solenidade reuniu autoridades diplomáticas e religiosas no Memorial Árabe, localizado na Praça Gibran Khalil Gibran, que fica na Avenida João Gualberto, 141, no Centro Cívico.

Na ocasião, foi entregue ao cônsul do Líbano no Paraná, Nizar Hachem, uma carta endereçada ao prefeito de Beirute, Jamal Itani, que será enviada pela embaixada libanesa do Brasil na próxima semana. A carta destaca a amizade e apreço que une brasileiros e libaneses, além de reverenciar os mortos e expressar solidariedade aos enlutados e desabrigados pela explosão que abateu a capital libanesa.

O ato ecumênico e cívico, contou com a presença do reverendo sheik Mahdi Elahi, da Mesquita Imam Ali ibn Abi Talib, que agradeceu a homenagem, além de citar versos do livro sagrado do Islã, o Alcorão. Já o padre Samaan Nasri, da Igreja Católica Ortodoxa Antioquina de São Jorge, declamou a oração do Pai Nosso pelas vítimas da tragédia e da covid-19 em todo o mundo.

“Que Deus conceda aos enfermos a honra de participar dos méritos sua paixão. Cure as suas enfermidades, consolando-os com sua constante presença”, disse o padre Nasri.

De acordo com Rodolpho Zannin Feijó, assessor de Relações Internacionais da Prefeitura, a homenagem renova os laços históricos de amizade entre Curitiba e a nação libanesa. “Seguiremos fortalecendo nossas relações com o Líbano, em especial neste momento de dificuldade”, destacou Feijó.

As autoridades fizeram 1 minuto de silêncio, além das orações, num ato simbólico em honra às vítimas. Até a manhã deste sábado (8/8), foram registrados 157 mortos, mais de 5 mil feridos e cerca de 300 mil desabrigados pela explosão. 

Também estiveram presentes na solenidade, o cônsul da Síria no Paraná, Gourg Abdullah; o superintendente da Guarda Municipal, Carlos Celso dos Santos Junior; o vice-presidente da Sociedade Beneficente Muçulmana do Paraná, Ibrahim Mohamed Charchich, e o diretor religioso da entidade Gamal Oumairi; além de outros representantes da comunidade árabe na cidade.

Carta endereçada ao prefeito de Beirute, Jamal Itani:  

Ao cumprimentar vossas excelências, profundamente consternado, informo que nossa cidade de Curitiba reverencia os mortos e se solidariza com enlutados e desabrigados pela explosão que abateu a mundialmente querida cidade de Beirute.

Isto o fazemos pela grande amizade e apreço que une brasileiros e libaneses e também em respeito a história desta belíssima capital, referência mundial em urbanismo, que remonta a uma antiga cidade fenícia, mencionada em hieróglifos egípcios já no século 15 antes de Cristo.

Os antigos gregos cantaram sua beleza. Os conquistadores romanos a reverenciaram chamando-a de “Júlia Augusta”. Os civilizados bizantinos nela conservaram uma prestigiosa Escola de Direito.

Capital da República do Líbano desde 1946. A “Paris do Oriente”, é sede de três Universidades e de um importante Museu Arqueológico guardião das descobertas no sítio várias vezes milenar de Biblos.

Minha mulher, Margarita Elizabeth Pericás Sansone, guarda esplêndidas memórias de seus dias de juventude ali passados com seus saudosos pais, em inesquecível viagem cultural. Lembro do nosso entusiasmo ao ver a reconstrução de Beirute depois das chagas que lhe imprimiu a dolorosa guerra civil.

Agora, no último dia 4 de agosto de 2020, a cidade de Beirute foi sacudida por danosa explosão de armazéns a beira da Baía de São Jorge, provocando luto libanês e consternação mundial.

Para reverenciá-la e, em consideração à contribuição dos imigrantes Libaneses na construção da nossa Curitiba e do Brasil moderno, vamos promover no sábado, 7 de agosto, na praça Gibran Khalil Gibran, junto ao Memorial Árabe, um tributo a Beirute, com preces pela sua consolação e pronta recuperação.

O ato ecumênico e cívico, além da minha presença, dos nossos secretários e do senhor Cônsul do Líbano em Curitiba, será honrosamente oficiado pelo reverendo Sheik Mahdi Elahi, da Mesquita Imam Ali ibn Abi Talib, e pelo reverendo Padre Samaan Nasri, da Igreja Católica Ortodoxa Antioquina de São Jorge.

Pedimos a Deus clemente e misericordioso; Alto e Glorioso Deus Único de todas as três religiões Monoteístas, que se digne a consolar o povo libanês e a duplicar o seu ânimo em mais um difícil momento histórico a ser superado por proverbial resiliência.

Tal o fazemos também ouvindo o imortal poeta libanês Gibran Kalhil Gibran que empresta seu glorioso nome à praça do Memorial: “Oceano de perdão e mar de ternura música fraterna que nos une/ em tuas profundezas depositamos nossos corações e almas. / Tu nos ensinaste a ver com os ouvidos /e a ouvir com os corações…”

Teste da vacina contra a Covid-19 começa a ser aplicado no HC de Curitiba

O teste da vacina contra a Covid-19 começou a ser aplicado no Hospital de Clínicas (HC) de Curitiba nesta sexta-feira (7).

Profissionais da saúde e que atuam na linha de frente contra o novo coronavírus são as primeiras a pessoas a receber a vacina, que é chinesa. O HC é um dos 12 centros de saúde do Brasil escolhidos para fazer o teste.

Dez voluntário vão receber as primeiras doses no HC da capital paranaense. Profissionais da saíde foram escolhidos para recebê-las porque eles têm mais contato com a Covid-19 e, por isso, garantem ao estudo uma resposta da eficácia da vacina mais rápida.

Ao todo, 850 voluntários vão receber as doses da vacina produzida por uma farmacêutica da China em parceria com o Instituto Butantan. Esses voluntários receber duas doses, com intervalo de 14 dias entre cada uma.

Leia mais no G1