Feira da Inovação leva startups de Curitiba para Rua XV de Novembro

Curitiba celebra seus 326 anos com uma inédita Feira da Inovação, em pleno calçadão da Rua XV de Novembro, no Centro, que irá reunir startups, universidades, representantes da economia criativa e projetos da Prefeitura que vem mudando o dia a dia da população. O evento, que começa nesta quinta-feira (28/3) e segue até sábado (30/3), também terá um desfile de moda conceitual,comemorativo ao aniversário da capital, com estampas inspiradas em artistas curitibanos e peças de artesãos locais das lojas #CuritibaSuaLinda.

O Adam Robo é a segunda geração de um equipamento de pré-teste de visão criado pela startup curitibana Prevention.
Foto: Guido Ferreira

Três tendas gigantes na Rua XV de Novembro, entre a Avenida Marechal Floriano Peixoto e a Alameda Doutor Muricy, irão receber 14 startups curitibanas, que irão expor seus produtos, soluções e serviços. Boa Impressão (impressora 3D popular), Ebanx (pagamento em sites estrangeiros), Hi Technologies (saúde), VRGlass (realidade virtual na educação e treinamento), Prevention (Adam Robo), 4vants (inspeção remota) e Favo Tecnologia (hortas residenciais automatizadas) são algumas das empresas que vão apresentar, durante os três dias do evento, suas inovações.

“Todas as startups da Feira de Inovação foram destaques no Smart City Expo Curitiba 2019, que ocorreu na semana passada, e agora é hora da população também ver de perto as novidades criadas por elas”, salienta Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba, órgão ligado à Prefeitura e responsável pela organização do evento comemorativo.

Ela reforça que todas as empresas integram o Vale do Pinhão, o movimento do município e do ecossistema para levar a inovação para toda a cidade. “Serão três dias para os curitibanos conhecerem as inovações que garantiram à capital o título de cidade mais inteligente do país”, frisa ela.

Duas equipes de competição da Universidade Federal do Paraná (UFPR) também vão expor veículos construídos por estudantes e que buscam ser mais eficientes em termos de energia. Uma das atrações será um Baja, pequeno modelo off-road para uma pessoa e que alcança a velocidade máxima de 60 km/h.

Dois outros carros serão apresentados pela equipe Eco Octano da UFPR, que irá mostrar um veículo convencional a gasolina e outro movido à energia elétrica com autonomia de 150 quilômetros por quilowatt-hora.

O evento terá ainda um palco para a realização de pitchs (pequenas apresentações) com representantes de startups, movimentos sociais, do setor de economia criativa e de órgãos do município. A população poderá conhecer iniciativas da Prefeitura, como os Faróis do Saber e Inovação, espaços públicos makers, em que as crianças das escolas municipais podem construir protótipos com impressora 3D; os aplicativos Saúde Já e Curitiba APP; os Worktibas Barigui e Cine Passeio; e o Centro de Agricultura Urbana, que está sendo implantado no bairro Cajuru. Os pitchs estão programados para sexta-feira (29/3), durante todo o dia de funcionamento do evento.

Desfile

Além disso, na sexta-feira (29/3), dia do aniversário de Curitiba, a Feira de Inovação irá receber, às 15h, um desfile de moda em homenagem à cidade. Organizado pelo Instituto Municipal de Turismo e pela escola Centro Europeu, a apresentação terá modelos usando roupas com estamparia inspirada na “Arborização de Curitiba”, com ipês, araucárias e pinhões, bem como acessórios criados por artesãos da rede #CuritibaSuaLinda, como as echarpes de Pedrina Maria dos Santos e joias de Nanda Gagliastri e de Cristiane Arcega.

A artista Denise Roman, inclusive, criou uma estampa para o desfile e que servirá de motivo para futuras peças da rede da Prefeitura especializada em suvenires com motivos curitibanos.


Serviço: Feira da Inovação de Curitiba

Data: de quinta (28/3) a sábado (30/3)

Horários: Quinta-feira (28/3), das 13h às 19h; sexta-feira (29/3), das 9h às 19h; e sábado (30/3), das 9h às 13h. O desfile ocorre na sexta-feira (29/3), às 15h. Já os pitchs estão programados para sexta-feira (29/3), durante todo o dia de funcionamento do evento.

Local: Calçadão da Rua XV de Novembro, entre a Avenida Marechal Floriano Peixoto e a Alameda Doutor Muricy, no Centro.

 


Conheça as 14 startups que estão expondo na Feira de Inovação da Rua XV de Novembro

Beetools

Escola de idiomas curitibana usa a realidade virtual e a inteligência artificial para ensinar inglês.  Segundo a Beetools, ao criar simulações cotidianas com óculos de realidade virtual, como uma ida ao mercado ou à farmácia, o aluno consegue reter melhor as informações ensinadas em sala de aula. A Beetools já conta com oito escolas em Curitiba e outras cidades do país, além de parcerias com empresas e entidades como o Sesi.

 


Ebanx

No Brasil, 40% dos correntistas têm acesso limitado a produtos financeiros, incluindo cartão de crédito internacional. É esse espaço que a startup curitibana Ebanx ocupa, ao oferecer um serviço que permite a qualquer pessoa, mesmo se ela não tiver conta bancária, fazer uma compra on-line internacional. Entre os clientes mais conhecidos do Ebanx estão Airbnb, AliExpress, Gearbest, Spotify e Wish.

 


MCities

A startup curitibana adotou soluções da chamada “Internet das Coisas” (rede de tecnologia embarcada capaz de coletar e transmitir dados) para criar as duas primeiras ruas “interativas” do Brasil. Na Alameda Prudente de Morais e na Rua XV de Novembro, no Centro, minúsculos dispositivos denominados beacons transmitem para os smartphones de quem circula pelas vias informações sobre serviços, além de dicas turísticas e de roteiros por toda a cidade.

 


Prevention

O Adam Robo é a segunda geração de um equipamento de pré-teste de visão criado pela startup curitibana Prevention. O equipamento usa a inteligência artificial para identificar, em no máximo cinco minutos, problemas oftalmológicos como miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia (vista cansada). A startup vai mostrar ainda o protótipo da terceira geração do Adam Robo, que será autônomo (sem operador).

 


VRGlass

Além de produzir óculos de realidade virtual para smartphones, a VRGlass desenvolve conteúdos educacionais, de treinamento e promocionais para serem utilizados por meio da realidade virtual, aumentada e mista. Uma equipe de desenvolvedores é responsável por criar games e captar imagens de ambientes reais por meio de câmeras que filmam em 360 graus e transformá-las em vídeos interativos. A startup já tem como clientes o Grupo Positivo, Faber-Castell, Hershey’s, Samsung, 3M e Rede Globo.

 


Smart Matrix

A empresa da capital desenvolve softwares baseados em inteligência artificial para gestão geográfica e territorial. Na prática, o software utiliza as imagens em alta resolução obtidas por drones para gerar um modelo de realidade virtual das cidades. Todo o trabalho faz com que os municípios sejam vistos nos mínimos detalhes, centímetro por centímetro. Calçadas, ruas, placas de trânsito, muros, prédios e até os carros podem ser vistos em 3D.

 


Favo Tecnologia

A Favo Tecnologia é uma startup da capital que surgiu, há dois anos, e comercializa hortas verticais automatizadas para pequenos espaços com autoirrigação via aplicativo de smartphone. Denominada Apis, a horta vertical pode ser instalada na parede das casas. O morador pode plantar verduras e temperos de ciclo curto em uma mistura de terra especial também fornecida pela startup.

 


ForeVR

Startup, que irá se instalar no Worktiba Cine Passeio, é especializada em foto e filmagem 360° e realidade virtual. A empresa busca proporcionar ao usuário uma experiência totalmente imersiva, com cenas dinâmicas e fluidas.

 


4vants

Voltada a empresas e concessionárias do setor elétrico, a startup usa drones e inteligência artificial para inspecionar de forma remota as redes de distribuição e transmissão de eletricidade. Tudo é feito a partir da captura de fotos e vídeos, que ajudam a identificar com inteligência artificial a quantidade de ativos, anomalias e localização de cada item.

 


WAAS

O Instituto Social WAAS (We Are All Smart), com sede no Centro de Curitiba, promove o desenvolvimento de habilidades necessárias para o mercado 4.0 (cognição, interpessoal e intrapessoal) e ensino tecnológico (eletrônica, programação e gestão de projetos) para jovens.

 


Maker Tech

Startup oferece oficinas de desenvolvimento da cultura maker (faça você mesmo) para empresas, projetos sociais e escolas. O trabalho é desenvolvido através de kits, como de robótica, e tem como objetivo mostrar que qualquer pessoa pode consertar, modificar, criar e produzir objetos com as mãos, uma tendência mundial que impulsiona a inovação.

 


Veever

A empresa desenvolveu um aplicativo para celular de fácil manuseio, que permite aos deficientes visuais se localizar pela cidade. O sistema funciona com beacons, cujo sinal é interceptado pelo smartphone do usuário, funcionando como se fosse um GPS, mas com maior precisão. A tecnologia ainda ajuda o deficiente visual a identificar o Interbairros, o Ligeirinho e todo o sistema de transporte da cidade.

 


Hi Technologies

Oferece o Hilab, um laboratório “de bolso” que faz exames remotos por meio de um dispositivo eletrônico e com apenas algumas gotas de sangue. O equipamento permite fazer exames de gravidez, dengue, glicose, vitamina D, HIV, sífilis, entre outros. Após a coleta, o sangue é colocado em contato com os reagentes, dentro do Hilab onde a amostra é “digitalizada” e transmitida via internet para análise pela equipe da Hi Technologies. Em poucos minutos, é liberado o laudo validado, também via internet.

 


Boa Impressão 3D

Uma das impressoras 3D de baixo custo mais vendidas do Brasil nasceu e é produzida em Curitiba, mais precisamente no bairro Bigorrilho. Criada em março de 2018, a startup Boa Impressão 3D fabrica e comercializa a impressora 3D Stella 2, que transforma um filamento de plástico, moldado e fundido em microcamadas, em um novo objeto. O filamento, inclusive, pode ser de PLA, feito à base de materiais vegetais como o bagaço de cana-de-açúcar e palha de milho.

 

VIA: Prefeitura de Curitiba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vai soltar fogos de artifício em Curitiba? Saiba o que é permitido na cidade

Apenas efeitos visuais, sem estampido. Esse deve ser o cenário das festas de fim de ano em Curitiba, pelo segundo ano consecutivo de vigência da lei que proíbe o uso de fogos de artifício com efeitos sonoros na cidade. O consumidor que estiver pensando em adquirir o material para as comemorações, deve estar atento. 

Podem ser usados na capital paranaense fogos de artifício com efeitos de cores, os ditos luminosos, que produzem efeitos visuais sem tiro (fogos de vista, sem estampido). 

“É importante lembrar que a comercialização de fogos com efeito de tiro não é proibida. As lojas fazem a sua parte orientando o consumidor, que deve estar consciente na hora da compra”, explica o superintendente de Controle Ambiental da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Marcos Traad. 

A orientação por parte do comércio é uma exigência do mais recente decreto que regulamenta a norma. Ações de fiscalização do município vem acontecendo neste caráter informativo, informa a diretora de Pesquisa e Monitoramento da Secretaria do Meio Ambiente, Erica Mielke. 

“As lojas receberam cartazes com as informações para que o consumidor não fique em dúvida”, reforça. Também é necessário que o estabelecimento mantenha o cadastro dos compradores, informando o tipo de produto adquirido, data, local e horário previsto da soltura. 

Esforço conjunto

Além de distribuir os folhetos informativos, manter a legislação visível e orientar o consumidor, a Associação Industrial e Comercial de Fogos de Artifício do Paraná (Aincofapar) criou selos que diferenciam os dois tipos de fogos para facilitar a identificação na prateleira. O verde está presente nos produtos com uso liberado em Curitiba e o vermelho, nos que não podem ser soltos na cidade.

O presidente da entidade, Rodolpho Aymoré Junior, conta que o projeto é piloto e que os selos estão disponíveis aos associados. Ainda de acordo com ele, a Aincofapar tem uma lista para orientar a identificação, conforme a legislação municipal. “É uma espécie de homologação dos ‘fogos ecológicos’ que possuem uma frequência sonora menor e atendem aos requisitos da legislação”, comenta.

Para o consumidor que está na dúvida, Aymoré explica que os fogos sem estampido mantêm a beleza e a plasticidade, sem prejuízo nenhum ao evento. “Com a vantagem de poderem ser utilizados em qualquer cidade do Brasil”, acrescenta e alerta, ainda, para que a compra seja feita, sempre, por maiores de 18 anos, em lojas devidamente autorizadas.

O que diz a lei

As multas para o cidadão que fizer a soltura ou manuseio dos fogos proibidos variam de R$ 400 a R$ 100 mil, conforme a gravidade da infração. O comércio que não cumprir as normas de orientação e cadastro pode ter o alvará cassado.

Selos desenvolvidos para os produtos para facilitar a venda e orientar os consumidores sobre a legislação municipal. Curitiba, 06/12/2021. Foto: Levy Ferreira/SMCS.

A demanda é, principalmente, da proteção animal, mas também beneficia crianças, especialmente aquelas com Transtorno do Espectro Autista, e os idosos, que também sofrem com os barulhos dos fogos.

A lei foi uma proposta da Câmara Municipal, ainda em 2019, com a motivação, em especial, de proteger animais domésticos, a fauna silvestre, bebês e pessoas portadoras de transtornos do espectro autista. Quem flagrar a soltura de fogos com barulho na cidade, deve fazer a denúncia pela Central 156. 

Veja o cronograma da dose de reforço da vacina contra a covid

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) divulga o cronograma da aplicação da dose de reforço da vacina anticovid. Deverão ser atendidas quase 78 mil pessoas que receberam a segunda dose entre 7 e 23 de julho (programação abaixo).

Com o novo cronograma, Curitiba antecipa a dose de reforço em até dez dias para os novos convocados. A decisão segue uma recomendação do Comitê de Técnica e Ética Médica da Secretaria Municipal da Saúde, que considerou a disponibilidade atual de doses em estoques, a chegada de uma nova variante de preocupação aos país (ômicron), além da proximidade das comemorações de festas de fim de ano e viagens.

“A dose de reforço ajuda a manter o sistema imunológico ativo contra a covid-19, o que é fundamental neste momento, considerando a chegada da nova variante e as festas e viagens do fim do ano. Como atualmente temos essas doses em estoque, tomamos a decisão de adiantar o reforço alguns dias para que nossa população fique mais protegida”, afirma a secretária municipal da saúde de Curitiba, Márcia Huçulak.

Os convocados para receber a dose de reforço nesta semana receberam uma mensagem pelo aplicativo Saúde Já até a sexta-feira passada (3/12), avisando que estão elegíveis para retornar aos pontos de vacinação.

Quem não puder comparecer no dia da convocação ou quem está com a dose de reforço em atraso pode buscar os pontos de vacinação, de segunda a sexta-feira. A Saúde tem mantido a repescagem contínua para primeira dose, segunda dose e dose de reforço.

Confirme os endereços

Os locais de vacinação podem sofrer alterações de acordo com o público estimado para receber vacina a cada dia. Antes de procurar uma unidade, confira as que farão a aplicação no site Imuniza Já.

Janssen

Pessoas vacinadas com imunizantes da farmacêutica Janssen ainda não poderão tomar a dose de reforço neste momento. A indicação atual do Ministério da Saúde é que estas pessoas recebam uma outra dose do mesmo imunizante num período entre dois a seis meses após a primeira aplicação. O município ainda aguarda o recebimento de doses para esta convocação.

Orientação para receber a dose de reforço

Para receber a dose de reforço, basta procurar um dos pontos de vacinação da cidade, das 8h às 17h, levar um documento de identificação com foto e CPF.

Quem pode receber a dose de reforço na próxima semana

– Segunda-feira, 6 de dezembro: todos com 18 anos ou mais vacinados com a segunda dose até 14 de julho;
– Terça-feira, 7 de dezembro: todos com 18 anos ou mais vacinados com a segunda dose até 17 de julho;
– Quarta-feira, 8 de dezembro: todos com 18 anos ou mais vacinados com a segunda dose até 20 de julho;
– Quinta-feira, 9 de dezembro: todos com 18 anos ou mais vacinados com a segunda dose até 21 de julho;
– Sexta-feira, 10 de dezembro: todos com 18 anos ou mais vacinados com a segunda dose até 23 de julho.

Outros grupos e repescagens

Os pontos de vacinação também seguem aplicando nos dias úteis:

Primeira dose
– Primeira dose para pessoas com 12 anos completos ou mais;

Segunda dose
– Segunda dose agendada;
– Repescagem de segunda dose de pessoas anteriormente convocadas;

Dose de reforço
– Dose de reforço agendada;
– Repescagem de dose de reforço de pessoas anteriormente convocadas.