Famílias vão escolher formato das aulas para crianças e estudantes da rede municipal a partir do dia 19

No retorno do recesso escolar de julho, no próximo dia 19, as famílias de crianças e estudantes da rede municipal de ensino poderão optar pelos formatos de ensino híbrido (presencial + videoaulas da TV Escola Curitiba) ou remoto (videoaulas + kits pedagógicos).

A partir do resultado dessa consulta as unidades organizarão as turmas, conforme o Protocolo de Retorno das Atividades Presenciais.

Assim como foi feito em fevereiro, o formulário ficará disponível na página da Secretaria Municipal da Educação. O preenchimento pode ser feito de 19 a 23 de julho e o retorno híbrido em todas as unidades inicia em 2 de agosto.

No dia 19 de julho retornam ao formato híbrido cem das 415 unidades, aquelas onde os estudantes têm maior dificuldade ao ensino remoto. São os 50 Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) e as 50 escolas com o programa Leia +. Essas, consultadas pela Educação, já optaram pelo formato híbrido.

“O andamento das atividades presenciais nessas unidades será acompanhado pela secretaria, para que possamos cuidar da segurança de todos, profissionais e estudantes. A escolha continua sendo das famílias, que decidem se a criança ou estudante vai frequentar presencialmente a escola ou não”, explica a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila.

Na sequência, a partir do dia 2 de agosto, todos que optarem pelo formato híbrido poderão retornar para a sala de aula.

Protocolo próprio

Protocolo de Retorno das Atividades Presenciais traz todos os cuidados necessários nas unidades da rede municipal de ensino.

A secretária reforça que cada unidade tem um comitê local para organizar e monitorar a nova rotina, de acordo com as orientações do protocolo.

O documento foi construído a partir dos estudos e planejamento de um comitê composto por 28 membros de diversos segmentos e validado pelo Comitê de Técnica e Ética Médica da Secretaria Municipal de Saúde.

“Nesse documento estão todas as orientações para oferecer uma volta segura àqueles que preferirem o ensino híbrido, respeitando o distanciamento e os cuidados como uso obrigatório da máscara e higienização com álcool 70%”, afirma Maria Sílvia.

O protocolo prevê uso obrigatório de máscara, distanciamento entre as carteiras de 1,5 metro, horários alternados de intervalo, uso de álcool gel, tapetes sanitizantes, interdição de bebedouros coletivos, aferição de temperatura, entre outros.

A ocupação máxima será de 50% da capacidade, o que varia conforme o tamanho da escola. Para garantir os limites dentro das salas de aula, os estudantes serão divididos em grupos.

Os equipamentos de proteção individual e produtos de limpeza – como tapetes sanitizantes, totens de álcool gel, face shields, máscaras, álcool gel 70% – já foram adquiridos pela Secretaria da Educação e distribuídos às unidades.

Veja os principais cuidados:

– Uso obrigatório de máscara para profissionais e estudantes
– Totens e frascos de álcool gel disponíveis
– Horários de entrada, saída, refeições e intervalos escalonados para evitar aglomerações
– Interdição de bebedouros coletivos
– Distanciamento social de 1,5 metro
– Desinfecção de mobiliário e materiais em geral com álcool 70%

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carrossel do Passeio Público e roda-gigante da Santos Andrade já estão reabertos em Curitiba

Carrosséis e roda-gigante voltam a ser montados para celebrar os 330 anos de Curitiba

Três atrações do Natal de Curitiba – Luz dos Pinhais 2022 estão de volta para as celebrações dos 330 anos de Curitiba este ano. São os carrosséis venezianos do Passeio Público e do Parque Tanguá e a roda-gigante da Praça Santos Andrade, no Centro. Os brinquedos do Passeio Público e da Santos Andrade já estão em funcionamento desde o último sábado (28/1).

As atrações são gratuitas e funcionam de terça a sexta-feira, das 12h às 20h; e aos sábados e domingos, das 9h às 20h. A previsão é de que o carrossel do Parque Tanguá comece a funcionar no final desta semana. Os brinquedos só não funcionarão nas segundas para manutenção.

De acordo com o superintendente de Obras da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA), Jean Brasil, a previsão é de que os brinquedos estejam abertos para o público por um período de quatro meses.

“Além de serem uma atração para o aniversário da cidade, os carrosséis e a roda gigante também poderão ser usados pelas crianças no período de férias escolares e também pelos turistas que visitam a nossa cidade”, explica ele.

Como ocorreu na temporada natalina, os carrosséis venezianos irão receber crianças de até 12 anos. Adultos poderão acompanhar crianças de 0 a 2 anos. Já a roda-gigante irá receber crianças e adultos (a altura mínima será de 1 metro). Além disso, os brinquedos terão acessibilidade para o público com dificuldade de locomoção.

330 anos de Curitiba

O aniversário dos 330 anos de Curitiba será celebrado com uma ampla programação descentralizada e os eventos e entrega de obras farão parte dela. O aniversário será só no dia 29 de março, mas vários eventos estão agendados.

A programação de aniversário da capital já começou, este mês, com a 40ª Oficina de Música de Curitiba. Além dos cursos voltados para artistas e professores, BNegão, Vanessa da Mata e Gilsons são alguns dos destaques do line up de shows da 40ª edição do evento da Prefeitura de Curitiba.

Já em março ocorre o Smart City Expo Curitiba 2023, versão brasileira do maior evento de cidades inteligentes do mundo. Serão três dias, 22, 23 e 24 de março, do congresso e feira organizados pelo hub de negócios e soluções iCities e com apoio da Prefeitura de Curitiba, da Secretaria Municipal de Administração, da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, Gestão de Pessoal e TI (Smap) e do Vale do Pinhão.

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

Atendimento para pessoas trans avança com novos serviços da Prefeitura de Curitiba

Assessoria de Direitos Humanos - Políticas da Diversidade Sexual promoveu o Ciclo de Debates sobre Visibilidades Trans. Curitiba, 30/01/2023. Foto: Hully Paiva/SMCS

A população transgênera (transexuais e travestis) de Curitiba passou a contar com dois novos serviços da Prefeitura, a partir deste mês de janeiro. O Ambulatório Municipal que fica na Rua do Rosário, 144, 6º andar, Centro, vai atender travestis, mulheres e homens trans que desejam fazer o processo transexualizador. Para ser atendida no Ambulatório, a pessoa precisa primeiro buscar uma Unidade de Saúde que fará o encaminhamento.

Outro importante serviço que começou a funcionar agora em janeiro é o Hotel Social para mulheres trans, que vai fazer o acolhimento para mulheres trans que se encontram em situação de vulnerabilidade. O encaminhamento é feito pelas unidades de atendimento da Fundação de Ação Social (FAS).

Os dois avanços marcam o mês de janeiro, dedicado a dar visibilidade às pessoas trans. “Ambos serviços foram implementados com o objetivo de atender às demandas da população trans, que solicitam serviços de qualidade e que atendam às suas necessidades com respeito, cuidado e dignidade”, explicou o assessor da Diversidade Sexual, Fernando Ruthes.

Ciclo de debates

Também para marcar o mês da visibilidade trans, nesta segunda-feira (30/1) a Assessoria de Direitos Humanos – Políticas da Diversidade Sexual promoveu o Ciclo de Debates – Visibilidades Trans. No dia 29 de janeiro é celebrado o Dia Nacional da Visibilidade Trans.

O evento foi no auditório da Assessoria de Direitos Humanos e reuniu representantes da Fundação de Ação Social (FAS) de Curitiba, Conselho Tutelar, secretarias municipais da Educação, Finanças, de Administração, Gestão de Pessoal e Tecnologia da Informação (Smap), da Saúde, do Governo Municipal, da Guarda Municipal, da Regional Portão, da Agência Curitiba e entidades que atuam com a temática.

Os palestrantes foram Karollyne Nascimento, ouvidora externa geral da Defensoria Pública do Estado do Paraná; Fabian Alegarte da Silva, contador, coordenador Nacional da Área de Homens Trans e Transmasculinidades da Aliança Nacional LGBTI+ e secretário Executivo do Instituto Brasileiro de Transmasculinidades – IBRAT; e Marise Felix – mãe de um homem trans, professora aposentada e membro do grupo Mães pela Diversidade.

“Essa discussão no âmbito dos direitos humanos é fundamental. Não é só discutir a visibilidade trans, é debater políticas públicas através das necessidades dessa população. Ouvir o que eles apresentam e efetivamente enfrentar os desafios, o preconceito, afirmou a assessora de Direitos Humanos da Prefeitura, Elenice Malzoni. “Todos têm os mesmos direitos de ir e vir, trabalhar e de ser feliz. Já conseguimos alguns avanços, mas precisamos continuar”, completou.

Empregabilidade

Para o coordenador de Relações de Trabalho da FAS, Renan Rodrigues, a discussão sobre a visibilidade trans é importante para que os setores de recursos humanos das empresas avancem na área da diversidade.

“Temos contato diretamente com os empresários que ofertam vagas de emprego através dos Sines que estão nas Ruas da Cidadania. Temos conversado com eles para levar as vagas de emprego para essa população”, disse Rodrigues.

Histórico

O dia da visibilidade trans foi instituído em 2004 e tem como objetivo fortalecer e ampliar a discussão sobre a garantia de direitos e da cidadania da população trans.

O direito à vida, e a vida sem discriminação e violência é um dos princípios básicos da Constituição Federal e da Declaração dos Direitos Humanos.

Processo transexualizador

É o atendimento integral de saúde a pessoas trans, incluindo acolhimento, uso do nome social, hormonioterapia e cirurgia de adequação do corpo biológico à identidade de gênero. Esse serviço é oferecido de modo gratuito pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com