Exército Brasileiro em: Show das Poderosas

Exército Brasileiro em: Show das Poderosas

PRE-PA-RA

Esse desfile aconteceu hoje nas ruas do Rio de Janeiro e eles tocaram “Show das Poderosas”? Pode isso? Ok, sei que tocam algumas músicas populares, e sei que Anitta é popular atualmente, mas… Mc Mayara talvez? Quem sabe um funk Ostentação? Ou sei lá Belo?! AHAHHAHAHAHA Próxima vez, bora pedir pra tocar Raul?

Vi esse vídeo no twitter do Plantão 190, se você tem alguma sugestão de vídeo, envie para: busaocuritiba@hotmail.com

0 Comments

  1. A musica pode ser uma merda, mas esse exercito merece muito respeito, e só tocaram pq é musica que o povo lixo gosta de ouvir, o evento é popular, se eles tocassem hinos e canções militares ninguém iria apreciar ou se quer filmar…isso é uma apresentação o intuito é chamar atenção nem que para isso tenha que tocar lixo de musica!!!

  2. Tudo muito bonito, a fanfarra está de paarabéns, afinal, sem uma letra desgostosa daquelas e ao som se instrumentos dignos a sonoridade fica ímpar.. pena.. muita pena é que é impossível não ouvir a fanfarra e impedir seu cérebro de remeter-se à voz da annita que fica láááa no fundo da sua cabeça cantando prepara com aquele par de peitos subindo e descendo hm' o dó

  3. O exercito merece o respeito, eles trouxeram uma musica que todos ouviram pelo menos uma vez… para uma fanfarra que normalmente as pessoas ja dizem que so toca coisas "chatas"…

  4. quanta humilhação para estes soldados,.ao inves de mandarem tocar alguma outra sinfonia nao tocam a musica da Anitta, por isso o país nao vai para frente.

  5. Adorooooo ficar lendo os comentários uns descendo a lenha e outros elogiando, sempre, mas sempre me mato de rir… tem pessoas que levam a sério esse negocio de comentar… kkkk… Mas enfim vejo como louvável o exercito brasileiro tocar uma musica popular, pois a festa de 7 de setembro é um festejo popular então fica tudo bem, é claro que a banda militar não vai tocar uma Anitta da vida em uma apresentação formal militar, né!?

  6. Luke Tre Tenho amigos que fazem manutenção no pátio da cidade e existem mais de 30 blindados americanos do tipo bradley que estão sendo reformados pelo nosso exército pois eles já eram sucata para os americanos e iriam ser despejados no golfo do méxico, e mesmo assim falta uma quantidade enorme de peças e pessoal treinado, isso para o senhor é poder e eficiencia? hmm, acho que não.

  7. Luke Tre Talvez devessemos falar sobre o grande exército brasileiro que não tem nem a pachorra de fazer a manutenção básica dos beliches, paredes, tetos e chão dos alojamentos deixando-os cheios de buracos com massa corrida inacabada, os beliches cheios de ferrugem e os colchões tão velhos que o tecido rasga só de fazer um movimento mais brusco durante a noite após um treinamento inteso no campo, isso que estou falando das unidades militares de uma capital, eu posso falar pois já estive dentro de vários quarteis pela cidade e todos eles apresentam a mesma situação é obvio que o senhor, luke, como um bom soldado sempre irá protejer a sua corporação, mesmo sabendo lá no fundo que eu estou certo. Mas digo isso por pura parte de falta de recursos, não desmereço nada as ações do exército no Haiti antes, durante e após os terremotos, foram extremamente honrosas, sem nem falar no show que vocês deram nos americanos numa dessas simulações de combate, acompanhei de perto as notícias da mesma, agora não da nem para comparar um exército com o outro, apesar de que vocês estão indo bem o com o projeto Leopard 1, são blindados de alta tecnologia e deixam a armada cada vez mais forte, agora que vocês sofrem vocês sofrem.

  8. Kleon Rockenbach Kleon Rockenbach M-113 que estão a ser modernizados, M2/M3 Bradley é um veículo de combate de infantaria que só os EUA e a Arábia Saudita possuem.

  9. Se esta banda tivesse tocado a canção de uma arma qualquer com certeza não estaria bombando nas redes sociais tem que tocar o que o povo gosta e Anita esta com o poder no momento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Micro e pequenas empresas têm até hoje para aderir ao Simples

As micro e pequenas empresas e os microempreendedores individuais (MEI) têm até amanhã hoje (31) para pedir a inclusão ou reinclusão no Simples Nacional – regime especial de tributação para os negócios de pequeno porte. Diferentemente dos últimos anos, não haverá prorrogação para a regularização de pendências. O pequeno negócio precisa quitar ou renegociar as dívidas até hoje para não ser excluído do programa.

Até a última sexta-feira (27), 348.077 micro e pequenas empresas haviam pedido a adesão ao Simples Nacional. Desse total, 97.572 foram aprovadas, 233.530 dependem de regularização de pendências com um ou mais entes federados (União, Estados, Distrito Federal ou município) e 16.975 solicitações foram canceladas pelo contribuinte. O resultado final será divulgado na segunda quinzena de fevereiro.

Tradicionalmente, quem não pagou os débitos até 30 dias depois da notificação é retirado do Simples Nacional em 1º de janeiro de cada ano. As empresas excluídas, no entanto, têm até 31 de janeiro de cada ano para pedir o regresso ao Simples Nacional, desde que resolvam as pendências – de cadastro ou de débitos em atraso.

Por causa da pandemia de covid-19, em 2021 e 2022, o governo tinha prorrogado o prazo para o pagamento de débitos. A micro ou pequena empresa aderia ao Simples até 31 de janeiro, data fixada por lei complementar, mas ganhava algumas semanas ou meses para quitar ou renegociar as dívidas. No ano passado, o prazo para a regularização de pendências havia sido estendido até 31 de março. Neste ano, a data limite voltou para 31 de janeiro.

Renegociação

Antes de renegociar a dívida por meio do Programa de Reescalonamento do Pagamento de Débitos no Âmbito do Simples Nacional, a empresa deve verificar onde se encontram os débitos: na Receita Federal ou na Dívida Ativa da União.

Os interessados em regularizar as pendências, podem entrar com um pedido de parcelamento, o qual deve ser feito no Portal do Simples Nacional ou no Portal e-CAC da RFB, no serviço “Parcelamento – Simples Nacional”.

O processo de regularização deve ser feito por meio do Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da Receita Federal (e-CAC), requerendo certificado digital ou código de acesso. O devedor pode pagar à vista, abater parte da dívida com créditos tributários (recursos que a empresa tem direito a receber do fisco) ou parcelar os débitos em até cinco anos com o pagamento de juros e multa.

Caso o débito esteja inscrito em dívida ativa, a regularização deverá ser feita no Portal Regularize-se, da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN). Pendências cadastrais podem ser resolvidas no Portal Redesim.

Como funciona

Criado em 2007, o Simples Nacional é um regime tributário especial que reúne o pagamento de seis tributos federais, além do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), cobrado por estados e pelo Distrito Federal, e do Imposto Sobre Serviços (ISS), arrecadado pelos municípios.

Em vez de pagar uma alíquota para cada tributo, o micro e pequeno empresário recolhe, numa única guia, um percentual sobre o faturamento que é repassado para os três níveis de governo. Somente as empresas que faturam até R$ 4,8 milhões por ano podem optar pelo regime.

Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil

Senado conclui 1º restauração de obras danificadas nos atos golpistas

O Senado terminou a recuperação de uma das 14 obras de arte que foram danificadas durante os atos golpistas de 8 de janeiro. A primeira obra restaurada é o quadro Trigal na Serra, produzido em 1967 pelo pintor brasileiro Guido Mondin. A tela será reposta na recepção da presidência da Casa.

Após a retomada do controle do Congresso pelas forças de segurança, o quadro foi encontrado no chão, separado da moldura. A obra estava encharcada de água e tinha sofrido arranhões provocados por estilhaços de vidro.

O trabalho de recuperação foi feito pelo laboratório de restauração do Senado. Foram retirados fungos provocados pela umidade e fragmentos de vidro. Uma prensa foi utilizada para planificar a tela, que também ficou empenada.

Guido Mondin produziu cerca de 4 mil telas, que estão expostas no Brasil, nos Estados Unidos e na Europa.  Além de pintor, ele atuou como deputado federal e ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). Mondin morreu em 2000, aos 88 anos.

De acordo com a Advocacia-Geral da União (AGU), até o momento, os prejuízos causados pela depredação às instalações do Congresso, do Palácio do Planalto e do Supremo Tribunal Federal (STF) chegaram a R$ 18,5 milhões. O valor está sendo cobrado na Justiça pelo órgão para garantir o ressarcimento aos cofres públicos.

Desde que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito em segundo turno, no final de outubro de 2022, apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro demonstram inconformismo com o resultado do pleito e pedem um golpe militar no país, para depor o governo eleito democraticamente. As manifestações dos últimos meses incluíram acampamentos em diversos quartéis generais do país e culminaram com a invasão e depredação das sedes dos Três Poderes, em Brasília, no dia 8 de janeiro.

Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com