Ex-presidente Bolsonaro é internado em hospital nos EUA

O ex-presidente Jair Bolsonaro, que deixou o país no último dia 30 de dezembro, antes do fim do mandato, foi internado em um hospital no estado da Flórida, nos Estados Unidos (EUA), onde foi passar uma temporada. A informação foi confirmada pela esposa do ex-presidente, Michelle Bolsonaro, em uma postagem nas redes sociais. 

“Meus queridos, venho informar que o meu marido Jair Bolsonaro se encontra em observação no hospital, em razão de um desconforto abdominal decorrente das sequelas da facada que levou em 2018 de um ex-filiado ao PSOL. Estamos em oração pela saúde dele e pelo Brasil. Deus nos abençoe”, escreveu. Ela não informou o local da internação.

Desde que sofreu o atentado, durante a campanha eleitoral de 2018, Bolsonaro passou por pelo menos sete internações cirúrgicas e de recuperação. Esta nova internação ocorre um dia depois de extremistas invadirem e depredarem os prédios do Congresso Nacional, do Palácio do Planalto e do Supremo Tribunal Federal (STF). Os autores dos atos antidemocráticos são apoiadores do ex-presidente e não aceitam a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva. Bolsonaro chegou a se pronunciar ontem (8) dizendo repudiar os atos ocorridos em Brasília.

Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Reconstrução e fortalecimento marcam Dia da Luta dos Povos Indígenas

A criação do Ministério dos Povos Originários e a condução da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) por uma mulher marcam o Dia Nacional da Luta dos Povos Indígenas, comemorado nesta terça-feira (7). A data foi criada em 2008 como forma de dar visibilidade aos debates sobre pautas importantes desses povos.

Para a ministra dos Povos Originários, Sônia Guajajara, há uma crise humanitária no Brasil. Ela citou como causas as invasões de territórios, o desmatamento, o garimpo ilegal, a falta de assistência adequada em saúde e saneamento, entre outros.

“Não é mais possível convivermos com povos indígenas submetidos a toda sorte de males, como desnutrição infantil e de idosos, malária, violação de mulheres e meninas e altos índices de suicídio. Presidente Lula, arrisco dizer, sem exagero, que muitos povos indígenas vivem verdadeira crise humanitária em nosso país e agora estou aqui para trabalharmos juntos, para acabar com a normalização deste estado inconstitucional que se agravou nestes últimos anos”, disse Guajajara, a primeira indígena a ocupar um cargo de ministra, no dia de sua posse.

Ela tem acompanhado as ações interministeriais que tentam conter a crise humanitária envolvendo o povo Yanomami. Afetados pela presença do garimpo ilegal em suas terras, os indígenas enfrentam casos de desnutrição e doenças como malária e pneumonia, situação histórica que piorou nos últimos quatro anos.

Entrevista coletiva da ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, com lideranças ao voltar da visita a Terra Indígena Yanomami, no Distrito Sanitário Especial Indígena Yanomami.

Entrevista coletiva da ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, com lideranças ao voltar da visita a Terra Indígena Yanomami, no Distrito Sanitário Especial Indígena Yanomami. – Fernando Frazão/Agência Brasil

Segundo Guajajara, setores de inteligência do governo federal e o movimento indígena identificaram a fuga de garimpeiros da Terra Indígena Yanomami, em Roraima.

“Temos essa informação de que muitos garimpeiros estão saindo. Mas é bom que saiam mesmo, porque assim a gente até diminui a operação que precisa ser feita para retirar 20 mil garimpeiros, [o que] demora um tempinho”, disse a ministra, em entrevista. “Importante dizer que, para que a gente consiga sair dessa situação de emergência em saúde, é preciso combater a raiz, que é o garimpo ilegal. Não é possível que 30 mil yanomami sigam convivendo com 20 mil garimpeiros dentro do seu território”, destacou.

Atualmente, a Casa de Saúde Indígena (Casai), em Boa Vista, tem 601 yanomami, entre pacientes e seus acompanhantes. Além disso, 50 indígenas estão internados no Hospital Geral de Roraima (HGR) e no Hospital da Criança Santo Antonio (HCSA), ambos em Boa Vista. Há duas equipes compostas por profissionais da Força Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS), uma em Auaris e outra no Surucucu, onde são feitos, em média, de 60 a 70 atendimentos diários.

Reconstrução

Ao tomar posse na presidência da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai), Joenia Wapichana prometeu reconstruir o órgão e elogiou o fato de a Funai estar pela primeira vez sob o comando de indígenas.

“Esse é o primeiro passo que a gente tem de dar. Reorganizar a Funai. Fortalecer, buscar orçamento”, afirmou. A presidenta também citou a falta de servidores públicos e o estoque de ações judiciais acumuladas nos últimos anos como desafios para o órgão.

“Todo esse caminho que percorremos até hoje para chegar aqui foi longo e muito sofrido. Muitas vidas se perderam no caminho e ainda estão se perdendo. Passamos anos de desmonte, de sucateamento, de desvalorização dos servidores públicos”, declarou Wapichana.

Ambivalência

Para o coordenador jurídico da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil, Maurício Terena, a data é “ambivalente” pois esses povos vivem momento significativo em relação às políticas  brasileiras para a área.

“Digo que ela carrega um sentimento de ambivalência porque, ao passo que estamos felizes com [as novas interlocuções para os povos indígenas], também temos assistido a situação dos yanomami, que sofrem uma crise humanitária desde 2020. Acho importantíssimo salientar a articulação dos povos indígenas, que já vinha denunciando a invasão garimpeira dentro do Território Yanomami”, afirmou.

Segundo Terena, a gestão de Jair Bolsonaro promoveu “uma desestruturação dos órgãos responsáveis pelos povos indígenas”. Entre os pontos destacados pelo coordenador, como sucateamento de políticas públicas, está o enfraquecimento da Funai e a queda no orçamento destinado à área.

Sepé Tiaraju

O Dia Nacional de Luta dos Povos Indígenas é celebrado desde 2008. A data escolhida é uma homenagem ao guarani Sepé Tiaraju, guerreiro morto em 7 de fevereiro de 1756 durante a histórica Batalha de Caiboaté, em São Gabriel (RS).

O motivo do conflito foi o Tratado de Madrid, que estabelecia novas fronteiras entre as colônias da Espanha e de Portugal e, consequentemente, determinou a evacuação da população que vivia na República Guarani, na região das Missões, abrangendo o que é hoje o oeste do Rio Grande do Sul, o Norte da Argentina e o Paraguai. Assim como Sepé, cerca de 1.500 indígenas foram mortos na batalha. Contudo, o corpo dele não foi encontrado e, assim, nasceu o mito de que o herói teria subido aos céus, tornando-se um santo.

Em 2017, o Vaticano autorizou o início do processo de canonização do guarani para se tornar, oficialmente, santo. Atualmente, a canonização está na fase de beatificação e pode demorar alguns anos para ser concluída.

*Com informações da Agência Senado

Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil

Programa vai formar empreendedores que apoiem floresta amazônica

Serão abertas, no próximo dia 13, as inscrições para o primeiro programa de 2023 da Jornada Amazônia, o Gênese, destinado a jovens talentos, com o objetivo de despertá-los para o empreendedorismo. A Jornada Amazônia é uma plataforma de inovação que visa a promover negócios que apoiem a manutenção da floresta em pé. O Programa Gênese pretende incentivar também a pesquisa orientada para produtos e processos de impacto para a floresta.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site genese.jornadaamazonia.org.br até o dia 12 de março. A iniciativa é coordenada e executada pela Fundação Certi e conta com a coparticipação e investimentos do Bradesco, Fundo Vale, Itaú-Unibanco e Santander, dentro do Plano Amazônia, uma aliança entre os três bancos, e do Programa de Bioeconomia do Fundo Vale.

A gerente do Centro de Economia Verde da Fundação Certi, Janice Rodrigues Maciel, informou que podem participar jovens talentos residentes nos nove estados da Amazônia Legal, maiores de 18 anos, estudantes do ensino médio, ensino técnico, graduandos e pós-graduandos de instituições de ensino superior da região. Segundo Janice, a meta é alcançar 2 mil inscritos. “O objetivo é despertar os jovens talentos e estimular o empreendedorismo e a pesquisa orientada para a geração de novas empresas que causem impacto positivo na floresta. Porque o nosso propósito é, justamente, ajudar a fortalecer a cultura empreendedora da região da Amazônia”.

Comunidade de formação

Uma vez inscritos, os jovens começam a fazer parte de uma comunidade de formação, voltada a fortalecer a cultura de empreendedorismo de inovação de impacto, informou Marcos Da-Ré, diretor de Economia Verde da Fundação Certi. Nessa formação, com duração estimada de quatro semanas e início previsto para o dia 20 de março, os jovens vão se ambientando com conteúdos sobre empreendedorismo, bioeconomia, inovação, completou Janice. A ideia é incentivar ideias que tragam novas soluções e que considerem oportunidades locais, demandas de mercado, além da sustentabilidade socioeconômica e ambiental da floresta amazônica.

Ao final da formação, os jovens empreendedores mais engajados e que mais participarem podem concorrer a uma viagem para conhecer o Ecossistema de Empreendedorismo e Inovação de Florianópolis, no fim do ano. Esse ecossistema é um grande polo de startups (empresas emergentes) no país. Alguns dos elementos do polo estão sendo adaptados e levados para a Amazônia, a fim de ajudar a fortalecer o ecossistema de inovação e empreendedorismo na região, como forma de valorizar a floresta em pé, afirmou Janice. Ela disse que a viagem, para os jovens inscritos, é fonte de inspiração, na medida em que poderão conhecer casos de sucesso.

A gerente acrescentou que a cada semana de formação, será tratado um tema novo, como biotecnologia, ecossistema de inovação, negócios de impacto, por exemplo. “Ao longo dessas semanas, vamos preparando os jovens para a curiosidade de empreender. A gente simula uma jornada empreendedora, a criação de uma startup desde o nascimento até uma fase de escala. É bem dinâmico, interessante e interativo”. Uma série de conteúdos interativos como videoaulas, podcasts (programa de rádio com conteúdo sob demanda), quizzes (jogos de questionários), webinars (videoconferência) ao vivo, envolvendo recursos como a realidade virtual, são disponibilizados para os jovens.

Os trabalhos se encerram em abril. Os participantes recebem certificado com o total de horas para validação de atividade complementar. “No final, surgem ideias de negócios e, aí, a gente linka com o próximo programa, que também faz parte da Jornada Amazônia, que é o Sinapse da Bioeconomia”.

Sinapse

Esse programa ajuda os empreendedores a tirar a ideia do papel e transformá-la em negócio de fato. Trata-se de um programa de mais longa duração, com prazo estimado de um ano, no qual os empreendedores recebem recursos não reembolsáveis para criar o seu negócio. “O Gênese ajuda a estimular a cultura empreendedora e o nascimento de ideias para, em uma próxima etapa, começar a pensar em abrir o seu próprio negócio”, explicou Janice. As inscrições para o Sinapse da Bioeconomia serão abertas em meados do ano. Ou seja, quem tiver uma boa ideia durante o programa Gênese, que integra a Jornada Amazônia, poderá se inscrever no meio do ano para a Sinapse da Bioeconomia.

No ano passado, foi realizada uma edição do programa no Pará, envolvendo 97 diferentes municípios do estado, desde a capital até pequenas comunidades como a Aldeia Gavião Parkatêjê, Comunidade Quilombola de França e Quilombo Tiningu. Ao todo, 516 jovens acessaram a Comunidade de Formação e 273 se capacitaram nas ações propostas. O ciclo resultou em 105 novas ideias de soluções empreendedoras voltadas para a bioeconomia na região da Amazônia Legal.

Plataforma

Até 2025, a plataforma Jornada Amazônia pretende contribuir para a mobilização de mais de 20 mil talentos empreendedores no país e promover a criação de 200 startups de impacto na região, capacitando e financiando essas empresas com soluções mais promissoras.

Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com