Estudantes de escola de Curitiba trabalham a autoestima em projeto e produzem livros para ajudar crianças

Trabalhar as emoções de crianças e adolescentes com atividades de conscientização e expressão de sentimentos. Esse foi o objetivo de um projeto da Escola Pedro Apóstolo, no bairro Capão Raso, em Curitiba, durante o segundo semestre de 2022. O trabalho, realizado com estudantes do Ensino Fundamental II, contou com um belo intercâmbio de conhecimentos com outras instituições, até mesmo de fora do Brasil. E o fruto desse projeto foi bastante inusitado: a produção de livros direcionados ao público infantojuvenil em que os alunos falam sobre autoestima. As obras foram produzidas em parceria com alunos de uma escola pública do bairro Parolin, que trabalharam nas ilustrações. Para encerrar o projeto, os estudantes fizeram uma sessão de autógrafos.

Segundo Carolina Paschoal, pedagoga e diretora da Pedro Apóstolo, a ideia do projeto, intitulado “Eu vejo você!”, surgiu quando os profissionais da escola identificaram a necessidade de trabalhar a autoestima dos estudantes em seu retorno à rotina regular pós pandemia. Ela acredita na influência das redes sociais na vida dos jovens, especialmente depois deste longo período de reclusão.

“Nós entendemos que principalmente nesse período os estudantes tiveram sua autoestima abalada. No dia a dia da escola nós podemos perceber o quanto os alunos se baseiam na vida de outras pessoas que se expõem mais nas redes sociais. Quando a criança e o adolescente, com a consciência ainda em desenvolvimento, são influenciados por uma rotina do mundo virtual, podem se frustrar por achar que a vida ideal é aquela que se baseia em número de curtidas. Como escola, precisamos trabalhar sobre estas impressões e até que ponto são genuínas”, afirma a diretora.

Dentro do projeto, os alunos tiveram contato com realidade de fora do Brasil. A escola realizou videochamadas nas quais seus estudantes ouviram relatos das crianças e adolescentes de escolas de outros países sobre os pontos positivos e negativos que eles enfrentam em suas rotinas. “Muitas vezes o brasileiro tem autoestima baixa e o pensamento de que somente aqui no nosso país enfrentamos problemas e não conseguimos resolvê-los. Esse contato foi importante para nossos alunos conhecerem que isso acontece em outros países e perceberem que essas crianças também enfrentam momentos de alegria e tristeza”, comenta Jhony Grein, o professor coordenador deste projeto.

“Expressões que se complementam”

Na prática, o projeto aconteceu por meio de propostas nas quais os alunos trabalharam ansiedade, angústia e frustrações de forma coletiva e individual. A escola os incentivou a produzirem textos nos quais expressam suas emoções. O conteúdo foi transformado em livros feitos em parceria com estudantes de uma escola pública do Parolin.

Funcionou assim: a equipe da Pedro Apóstolo levou os textos dos seus estudantes para a instituição da comunidade que, com base na escrita, incentivou seus alunos a produzirem as ilustrações e, dessa forma, também demonstrarem seus sentimentos. “Foi uma experiência importante para as crianças das duas escolas esse intercâmbio. Nossos alunos se expressaram por meio da redação e na comunidade isso ocorreu por meio de desenhos. Duas formas de expressão que se complementam”, afirma a diretora.

Após a finalização das obras, os livros foram colocados à venda. Como bons escritores, os alunos participaram no início de dezembro de uma tarde de autógrafos, momento no qual a comunidade escolar pode conhecer melhor tanto o projeto, como as obras produzidas nesse intercâmbio.

Os alunos também realizaram uma aula de campo no Museu da Vida, que fica no bairro Vista Alegre, com intuito de conhecer o trabalho realizado na Pastoral da Criança, instituição que tem como propósito apoiar e ajudar crianças em situação de vulnerabilidade. Lá, os estudantes visitaram uma exposição que mostra a réplica de uma comunidade carente e as condições que algumas pessoas vivem. Para o coordenador do projeto, “esta vivência permitiu aos alunos entenderem não só a importância do autoconhecimento, mas, sobretudo, a realidade do próximo, enriquecendo ainda mais a visão deles sobre o mundo que os cerca”.

Contribuição de quem trabalha nas redes

Outra atividade que a escola realizou com os estudantes foi uma palestra do influenciador Rui Morschel, conhecido por ter participado de um reality show de culinária na TV. Nessa oportunidade, os alunos puderam conhecer a realidade por trás das redes sociais, quais os impasses e dificuldades que um influenciador digital pode enfrentar e como o contato com essa realidade pode afetar a rotina e a autoestima de uma pessoa que trabalha dessa forma.

“Muitas vezes os influenciadores estão sujeitos aos juízes do mundo digital. Esse contato permitiu que nossos estudantes percebessem o quanto isso pode atingir pessoas que estão completamente envolvidas com essa realidade”, explica a diretora.

Sobre a Escola Pedro Apóstolo 

Respeito ao próximo, igualdade, humildade e liberdade de expressão. Esses foram os principais valores que inspiraram a criação da Escola Pedro Apóstolo. Mais de vinte e cinco anos depois, a instituição orgulha-se de ter mantido seu foco e expandido sua atuação. Sediada em um terreno localizado no bairro Capão Raso, com 2.984 metros quadrados, atualmente atende alunos da Educação Infantil ao Ensino Fundamental II e oferece aulas em meio período (matutino e vespertino), intermediário e integral bilíngue. 

A Escola Pedro Apóstolo foi fundada em 1997 pelos pedagogos Odilon Augusto Paschoal e Dircea Paschoal. A ideia do casal era que a escola apresentasse um ensino no qual o aluno pudesse ser visto como único e que as habilidades dele fossem valorizadas e estimuladas por meio de aulas dinâmicas, professores capacitados, comprometidos e experientes com o olhar cuidadoso e atendimento individual. Mais tarde, sua filha Carolina Paschoal assumiu a direção geral da escola e já atua há 18 anos na instituição. 

A formação integral do aluno é o propósito da escola e consiste no aprimoramento do desenvolvimento intelectual aliado ao emocional. Com ambientes projetados para que os alunos se sintam pertencentes do seu espaço, há uma constante busca por novas tecnologias, formação continuada e metodologia de ensino. 

Escola Pedro Apóstolo   
Rua Dr Manoel Linhares de Lacerda, 69 – Capão Raso   
Telefone:  41-3347-5834  

Whatsapp: 41-99684-7218  
secretaria@pedroapostolo.com.br   

www.pedroapostolo.com.br   

Facebook: escolapedroapostolo   

Instagram: escolapedroapostolo   

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Oito dicas para ajudar na escolha da escola

Entrada na vida escolar, mudança de bairro ou de cidade, encerramento de uma fase escolar e questões financeiras são alguns dos motivos que levam os pais a procurarem uma nova escola para os filhos. Seja na educação infantil, no ensino fundamental ou médio, essa tarefa não é nada fácil e requer um olhar atento por parte da família, pois o espaço escolhido será o “segundo lar” do estudante.

De acordo com o diretor-executivo dos Colégios do Grupo Positivo, Celso Hartmann, a dúvida é comum e a preocupação se a criança irá se adaptar, gostar da professora e fazer amigos, são frequentes. “Muitas vezes, os pais ficam mais aflitos que as crianças. E para que a decisão seja mais assertiva é preciso visitar o local, buscar informações, conhecer a metodologia de ensino e os valores da escola, que deverão estar alinhados com os da família, e ponderar o investimento. Além disso, observar questões de logística, como distância, trânsito e se oferece atividades culturais, esportivas e cursos de línguas na própria escola, o que facilita e otimiza tempo”, completa.

O Colégio Positivo preparou um e-book com informações para orientar as famílias na escolha da escola. O material pode ser acessado por meio deste link. Não existe uma fórmula mágica, no entanto algumas dicas podem ajudar:

  • Religião

É importante analisar qual é o peso da religião para a família e se a orientação da escola pode conflitar com a educação familiar.

  • Formação da equipe

A formação dos profissionais é muito importante. Avalie como é a seleção da equipe, quais as exigências para a contratação, a rotatividade e se há investimento na continuidade dos estudos para que os professores se mantenham atualizados.

  • Conteúdo

Conheça a proposta pedagógica da instituição e como ela é aplicada em sala de aula, se está alinhada ao desenvolvimento de habilidades e competências dos estudantes com foco na formação de cidadãos que tenham compromisso com a sociedade, atuantes e conscientes de suas responsabilidades, e às novas demandas, como o uso da tecnologia, inclusão social, meio ambiente, ética e cidadania.

  • Distância

Longos deslocamentos sempre geram desgaste físico e emocional. Chegar cansado pode interferir na produção escolar.

  • Faça as contas

Além do valor da mensalidade, é preciso pôr na ponta do lápis outras despesas, como aulas extracurriculares, lanches e lista de materiais de apoio. Assim, é possível chegar ao investimento real da escola e do impacto que ela terá no orçamento familiar.

  • Criatividade

Durante a visita, analise a criatividade da instituição escolar observando o mobiliário. A disposição de mesas e cadeiras, design, espaço de lazer e orientação dos professores pesa muito nessa questão.

  • Tamanho da escola

Analise se prefere uma escola focada em determinada fase da vida do seu filho ou se optaria por uma que reúne toda a educação básica em um mesmo espaço. Ambas têm suas vantagens e desvantagens.

  • Apoio

Avalie se existe uma equipe que fornece apoio pedagógico e psicológico para ajudar a lidar com a complexidade inerente ao ser humano em formação.

Sobre o Colégio Positivo

O Colégio Positivo compreende sete unidades na cidade de Curitiba, onde nasceu e desenvolveu o modelo de ensino levado a todo o país e ao exterior. O Colégio Positivo – Júnior, o Colégio Positivo – Jardim Ambiental, o Colégio Positivo – Ângelo Sampaio, o Colégio Positivo – Hauer, o Positivo International School, o Colégio Positivo – Água Verde e o Colégio Positivo – Boa Vista atendem alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio, sempre combinando tecnologia aplicada à educação, material didático atualizado e professores qualificados, com o compromisso de formar cidadãos conscientes e solidários. Em 2016, o grupo chegou em Santa Catarina – onde hoje fica o Colégio Positivo – Joinville e o Colégio Positivo – Joinville Jr. Em 2017, foi incorporado ao grupo o Colégio Positivo – Londrina. Em 2018, o Positivo chegou a Ponta Grossa (PR), onde hoje está o Colégio Positivo – Master. Em 2019, somaram-se ao Grupo duas unidades da escola Passo Certo, em Cascavel (PR), e o Colégio Semeador, em Foz do Iguaçu (PR). Em 2020, o Colégio Vila Olímpia, em Florianópolis (SC), passou a fazer parte do Grupo. Em 2021, com a aquisição da St. James’, em Londrina (PR), o Colégio Positivo passa a contar com 16 unidades de ensino, em sete cidades, no Sul do Brasil, que atendem, juntas, aproximadamente 16 mil alunos desde a Educação Infantil ao Ensino Médio.

Dúvidas na hora do vestibular são comuns, principalmente em um mundo cada vez com mais opções de profissões, afirma coordenador pedagógico

Escolher o curso que irá prestar no vestibular é um passo importante na vida de todo estudante da terceira série do Ensino Médio. É quando ele precisa escolher a profissão que mudará o seu futuro. Ao escolher o curso, o estudante leva em consideração toda sua bagagem cultural, social e as habilidades e afinidades que têm com determinadas disciplinas, conteúdos e ensinamentos adquiridos durante sua trajetória acadêmica.

Em muitos casos os pais são responsáveis e influenciam a escolha dos filhos. Por exemplo, médicos tentam encaminhar seus filhos para cursar Medicina, assim como outros profissionais para outras áreas, como Direito ou Engenharias. “Isso se dá pela base no histórico familiar ou até mesmo pelo imaginário de que o(a) estudante será auto suficiente, terá estabilidade financeira ou será bem-sucedido(a). Essa influência, caso seja bem conduzida e orientada, desde que o estudante realmente queira seguir a profissão dos pais ou a que eles julguem apropriada, é válida. Do contrário, pode frustrá-los e isso é muito ruim”, explica o coordenador pedagógico do Elite Curitiba unidade Ponta Grossa, Gilberto Santos Gueretz.

Fazer testes vocacionais, estudar o mercado de trabalho, avaliar as competências e habilidades técnicas e socioemocionais, conversar com profissionais da área, analisar a credibilidade e como ingressar em determinada instituição de ensino e pensar em construir uma carreira de acordo com as expectativas e prioridades são formas que contribuem na hora de escolher qual graduação cursar. Segundo Gueretz, o momento de escolher qual vestibular prestar é de empolgação, mas também pode causar medo e dúvida nos estudantes, principalmente no mundo atual que surgem novas opções de profissões a cada momento e que as informações estão cada vez mais rápidas. 

“A escolha do aluno deve ser baseada na sua identificação com a área de interesse a fim de detectar afinidades e domínio das disciplinas ou conteúdos condizentes com a área. Isso é necessário para que, em seguida, o estudante possa direcionar sua atenção para o curso de preferência, que pode ser por meio da interação e da identificação com profissionais das áreas de interesse. Além disso, é válido ler e estudar bastante a respeito do curso que pretende fazer, pois informação e conhecimento contribuem com a melhor tomada de decisão”, aconselha o coordenador pedagógico do Elite Curitiba unidade Ponta Grossa.

Ensino de base

A vida universitária é o início de uma caminhada profissional e contribui para o crescimento pessoal, aquisição de novos conhecimentos e aumento de networking.  Assim, independente de qual for o curso que o estudante escolher, é importante estar preparado para o vestibular, e isso requer muito foco nos estudos, bastante dedicação, disciplina e determinação.

Além disso, um ensino de base bem estruturado desde a primeira série do Ensino Médio é fundamental no momento de prestar o vestibular. “Isso fortalece e prepara o(a) estudante para esse evento que, muitas  vezes, é apavorante. Então, independente de qual seja a área ou curso que o(a) estudante escolher, estará confiante para enfrentar esse desafio”, garante Gilberto.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com