quinta-feira, fevereiro 22, 2024
spot_img
InícioNotíciasPolíticaEspero que os paranaenses não virem apenas passageiros nesta longa jornada dos...

Espero que os paranaenses não virem apenas passageiros nesta longa jornada dos pedágios, afirma deputado Luiz Claudio Romanelli (PSD) – De olho nos deputados


“A assinatura dos contratos de pedágio dos lotes 1 e 2 inicia uma viagem longa, de 30 anos ou mais. Espero que os paranaenses não virem meros passageiros nesta longa jornada”, disse nesta quarta-feira, 31, o deputado Luiz Claudio Romanelli (PSD) a respeito da formalização da nova concessão de rodovias que cortam o Paraná na terça-feira, 30, em Brasília.

Romanelli reitera que a expectativa dos paranaenses é de que não se repitam erros da concessão anterior. “Vivemos uma experiência que deixou um legado negativo e o sentimento de que fomos explorados por muito tempo por pedágios abusivos e falta de obras”, ressaltou ele, que também manifesta que ainda há preocupações em relação ao sistema que está sendo implantado.

“Em relação à nova concessão, ainda há preocupações sobre o valor das tarifas, que devem ficar muito próximas das anteriores, e em relação à garantia das obras”, considera o deputado. Segundo ele, o programa de investimentos é bastante robusto, mas haverá um reajuste automático de 40% após as duplicações. “É um percentual questionável, resultado da famosa ‘matemágica’ que sempre privilegia as concessionárias”.

Na avaliação de Romanelli, o início da concessão chega com um atraso de pelo menos dois anos. Para ele, as licitações e leilões deveriam ter acontecido em 2021, antes do encerramento dos contratos anteriores para evitar a deterioração das estradas. “Com a assinatura dos contratos esperamos que os trechos privatizados sejam recuperados rapidamente, porque quem está nas estradas constantemente sabe o caos que é rodar pelo Paraná”, avaliou.

Vigilância

Crítico da modelagem das concessões, o deputado Romanelli afirma que vai manter uma vigilância rigorosa sobre os novos contratos.  “Torço para que as concessões contribuam com o desenvolvimento do Paraná. Mas não vou mover um milímetro na minha intenção de fiscalizar de perto os novos pedágios. O interesse público e dos usuários deve prevalecer”, considerou ele.

Os dois primeiros contratos de concessão de rodovias foram assinados em uma solenidade com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do governador Carlos Massa Ratinho Junior, dos ministros Renan Filho (Transportes) e Rui Costa (Casa Civil), representantes das empresas vencedoras dos leilões, além de autoridades federais e estaduais.

Trechos

O Lote 1 será administrado pela concessionária Via Araucária, que assume 473 quilômetros de trechos das rodovias BR-277, BR-373, BR-376, BR-476, PR-418, PR-423 e PR-427 que passam pela Região Metropolitana de Curitiba, Centro-Sul e Campos Gerais. O contrato prevê 344 quilômetros de duplicações.

O Lote 2 ficará sob responsabilidade da concessionária EPR Litoral Pioneiro e abrange 605 quilômetros das rodovias BR-153, BR-277 e BR-369 e das estaduais PR-092, PR-151, PR-239, PR-407, PR-408, PR-411, PR-508, PR-804 e PR-855 em trechos que passam por Curitiba, Litoral, Campos Gerais e Norte Pioneiro. O contrato de concessão inclui a duplicação de 350 quilômetro.

As duas empresas devem assumir os lotes após a assinatura do Termo de Arrolamento e Transferência de Bens, o que deve ocorrer nos próximos 30 dias.



Leia mais informações no site da Alep

MATÉRIAS RELACIONADAS
- Publi -spot_img
- Publi -spot_img
- Publi -spot_img

As últimas do Busão