Escola de Inglês home based com foco 100% na conversação

Comprar uma franquia é uma opção segura para quem busca empreender. Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o Brasil conta com mais de 170 mil unidades de franquias e quase 3 mil opções de marcas. Em 2021 o setor registrou o faturamento de mais de R$ 185 bilhões.

Um dos modelos que mais tem crescido entre os novos empreendedores é o home based, cuja base do negócio é a casa do franqueado e é um investimento de baixo custo, ideal para quem não possui capital para investir grandes quantias.

O grande diferencial desse modelo é que os alunos não vão presencialmente até a escola, pois é a escola que se desloca até eles, ou as aulas são realizadas virtualmente.

O ensino on-line se expandiu devido a restrição impostas pelo distanciamento social, mas a Top English apostou nesse modelo desde a sua fundação, em 1997, e oferece esse diferencial os franqueados. “Por ser home based os custos operacionais fixos são extremamente baixos, já que não tem aluguel, funcionários e taxas inerentes a operação física de uma escola”, explica Dilson Kossoski, CEO e fundador da Top English.

De acordo com os últimos números divulgados pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) houve um avanço das operações nos formatos mais enxutos, de menor investimento. Enquanto em 2020, as franquias home based representavam 7,1% do total das unidades das redes pesquisadas, no ano seguinte eram 10,3% e em 2022 subiram para 14,8%.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Memória, história e identidade: por que o Patrimônio Histórico-Cultural é responsabilidade também dos jovens

Certa vez, a historiadora Emília Viotti da Costa disse que “um povo sem memória é um povo sem história. E um povo sem história está fadado a cometer, no presente e no futuro, os mesmos erros do passado”. A frase parece refletir uma tragédia constante da sociedade brasileira, mimetizada em episódios como o do incêndio no Museu Nacional, no Rio de Janeiro, ocorrido em 2018. Iniciativas voltadas ao Patrimônio Histórico são tentativas de incentivar a educação patrimonial e a preservação das riquezas materiais e imateriais da sociedade brasileira.

Quando se fala em patrimônio histórico, a imagem que chega imediatamente à mente é a das grandes e imponentes construções que fazem parte da paisagem de muitas cidades brasileiras, mas estão alheias à dinâmica da população em geral. No entanto, o próprio Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) atualizou a nomenclatura para patrimônio cultural, o que engloba um conjunto de bens materiais e imateriais. “Esse conjunto inclui tradições, expressões artísticas, rituais, práticas, conhecimentos, obras de arte e construtivas, sítios arqueológicos, espaços paisagísticos, núcleos históricos de determinadas cidades, entre outros”, explica o professor de História e coordenador do Núcleo de Evolução de Conteúdo do Sistema Positivo de Ensino, Norton Frehse Nicolazzi Jr.

De acordo com o especialista, o frequente abandono do patrimônio se deve, em parte, à falta de investimentos na conscientização das novas gerações, mas não apenas. “Na prática, a coletividade não se identifica com o patrimônio quando ele é definido e imposto por órgãos específicos do poder público, sem que haja um diálogo com a sociedade como um todo”, destaca. Para ele, é preciso aproximar o público em geral desse tipo de decisão. Atualmente, no Brasil, quem decide o que deve ou não ser preservado são as agências de fomento cultural (fundações, associações, sociedades culturais, instituições, etc.). “O objetivo é construir uma visão do passado do país, o que pode causar distorções enviesadas da realidade”, salienta.

Patrimônio é identidade

Faz parte do patrimônio cultural de determinada sociedade tudo o que tem importância para a constituição de sua identidade e memória. Por isso é tão relevante trabalhar para que esse patrimônio seja sempre preservado. Assim como afirma Emília Viotti da Costa em sua frase mais famosa, não é possível guardar a história se não há preocupação com a memória.

De acordo com o Iphan, “a Educação Patrimonial constitui-se de todos os processos educativos formais e não formais que têm como foco o patrimônio cultural, apropriado socialmente como recurso para a compreensão sócio-histórica das referências culturais em todas as suas manifestações, a fim de colaborar para seu reconhecimento, sua valorização e preservação”. O órgão ainda destaca a importância de que esse processo de educação seja uma “construção coletiva e democrática do conhecimento”, sempre por meio de uma participação das comunidades que produzem as referências culturais. “O patrimônio cultural pode abarcar tudo o que consideramos que traz contribuições relevantes para a constituição da identidade e da memória da nossa sociedade”, finaliza Nicolazzi.

________________________ 

Sobre o Sistema Positivo de Ensino 

É o maior sistema voltado ao ensino particular no Brasil. Com um projeto sempre atual e inovador, ele oferece às escolas particulares diversos recursos que abrangem alunos, professores, gestores e também a família do aluno com conteúdo diferenciado. Para os estudantes, são ofertadas atividades integradas entre o livro didático e plataformas educacionais que o auxiliam na aprendizagem. Os professores recebem propostas de trabalho pedagógico focadas em diversos componentes, enquanto os gestores recebem recursos de apoio para a administração escolar, incluindo cursos e ferramentas que abordam temas voltados às áreas de pedagogia, marketing, finanças e questões jurídicas. A família participa do processo de aprendizagem do aluno recebendo conteúdo específico, que contempla revistas e webconferências voltadas à educação.

Planeta PUCPR retorna ao presencial em 2022

Depois de dois anos de atividades remotas em razão da pandemia de Covid-19, o Planeta PUCPR, tradicional feira de cursos e profissões da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), retorna à presencialidade em 2022. Em Curitiba, o evento será realizado nos dias 23 e 24 de setembro, enquanto em Londrina e em Toledo o Planeta PUCPR está marcado para os dias 06 de outubro e 29 de setembro, respectivamente.

“Há mais de duas décadas o Planeta PUCPR vem ajudando vestibulandos a tomarem melhores decisões sobre o seu futuro. Com o passar dos anos, o evento foi se aprimorando e hoje busca mostrar aos futuros universitários que a PUCPR é um ambiente que fomenta a inovação e valoriza a pluralidade de ideias”, afirma Vidal Martins, vice-reitor da PUCPR.

A PUCPR conta com graduações nas modalidades presencial, semipresencial e EAD (Educação a Distância). A Universidade é considerada a melhor instituição de ensino superior privada do Paraná e uma das melhores do Brasil, de acordo com o ranking da Times Higher Education, revista inglesa referência em Educação.

No Planeta PUCPR, os participantes poderão tirar dúvidas sobre projetos de pesquisa, bolsas, financiamento e internacionalização. 

Multiversidade – A programação do evento inclui sessões de bate-papo com os professores dos cursos, tour pelos câmpus, jogos e atividades interativas, experiências imersivas, apresentações culturais e food trucks. Ainda, serão realizadas oficinas para vivenciar os cursos na prática – em Curitiba, serão mais de 100 oficinas.

“Dizemos que a PUCPR é mais do que uma Universidade: é multiversidade. E se preparar para um futuro multi demanda vivenciar experiências de aprendizagem interdisciplinares e inovadoras, capazes de impulsionar e desenvolver todas as versões dos acadêmicos”, acrescenta Vidal.

A participação no Planeta PUCPR é gratuita, mas é necessário se inscrever previamente pelo site oficial do evento (https://planetapuc.com.br/), onde também estão disponíveis mais informações sobre a feira.

Vestibular – As inscrições do vestibular presencial da PUCPR para ingresso no primeiro semestre de 2023 podem ser realizadas durante o evento com a isenção na taxa de inscrição para o vestibular tradicional e o de Medicina.

Confira os dias e horários:

Câmpus Curitiba

Dia 23 de setembro (sexta-feira), das 13h às 18h, e dia 24 de setembro (sábado), das 9h às 17h

Rua Imaculada Conceição, 1155 – Prado Velho

Câmpus Londrina

Dia 06 de outubro (quinta-feira), das 8h30 às 18h

Av. Jockei Club, 485 – Hípica

Câmpus Toledo

Dia 29 de setembro (quinta-feira), das 8h às 11h30, das 13h30 às 17h e das 19h às 22h

Av. União, 500 – Vila Becker