Ensino de espanhol pode se tornar obrigatório nas escolas públicas no Paraná

Uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) foi protocolada na Assembleia Legislativa pelo deputado Arilson Chiorato (PT) para instituir o ensino da língua espanhola como disciplina obrigatória nas escolas públicas no Paraná. A proposição, que endossa a luta do Movimento Fica Espanhol, prevê o ensino do idioma do ensino fundamental II ao final do ensino médio, em todas as escolas paranaenses, no horário regular de ensino, no mínimo, de duas horas-aulas por semana.

O deputado Arilson avalia que a PEC do Espanhol, caso seja aprovada, irá representar um avanço para o processo de formação dos estudantes. “Saber um novo idioma, em especial o espanhol, língua falada por nossos vizinhos, abre não só um leque de possibilidades na comunicação pessoal, como também profissional. Com certeza, vai facilitar a integração a sul-americana e o desenvolvimento regional”, avalia.

Ainda segundo Arilson, a implementação do ensino da língua espanhola na Educação Básica faz parte de uma estratégia eficaz para assegurar a formação de uma comunidade latino-americana de nações a longo prazo, promovendo a integração social e cultural dos povos da América Latina, conforme prevê o artigo 4º da Constituição Federal do Brasil.

A professora universitária Amábile Piacentine, de Apucarana e integrante do Movimento Fica Espanhol, lembra que a luta começou em 2016. “Ver a PEC do Espanhol ser protocolada traz um misto de gratidão, ansiedade e esperanças. Gratidão ao deputado Arilson Chiorato e aos deputados e deputadas que assinaram e estão assinando à PEC; ansiedade acompanhando cada um que assina, que indica, que se manifesta a favor, que escreve uma moção de apoio, que deixa uma mensagem nas redes sociais, etc., e esperança de que o resultado seja favorável ao Paraná, que essa PEC seja aprovada e que nossas crianças, adolescentes e jovens tenham esse direito assegurado, que o Espanhol seja para todos e esteja em todas as escolas”,  diz Amábile.

A proposta foi assinada também pelas deputadas Luciana Rafagnin (PT), Mabel Canto (PSC) e peos deputados Ademir Bier (PSD), Anibelli Neto (MDB), Delegado Fernando Martins (PSL), Delegado Jacovós (PL), Do Carmo (PSL), Galo (PODE), Goura (PDT), Luiz Fernando Guerra (PSL), Michele Caputo (PSDB), Nelson Justus (DEM), Professor Lemos (PT), Requião Filho (MDB), Soldado Adriano José (PV), Soldado Fruet (PROS), Tadeu Veneri (PT) e Tercílio Turini (CDN).

A PEC precisa ser analisada incialmente pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que aprovará ou não a admissibilidade da proposta. Caso aprovada, será criada uma Comissão Especial para análise da proposição. após parecer desta Comissão, o texto segue para votação em plenário, sendo necessário 33 votos favoráveis em dois turno de votação para a aprovação da PEC.

Dados – O espanhol é falado por mais de 585 milhões de pessoas em diferentes países do mundo. É o segundo idioma em relevância comercial. A língua oficial de 21 países, sendo que 19 deles na América, 7 países fazem fronteira com o Brasil e 2 países fazem fronteira com o estado do Paraná. Também é língua de estudo de mais de 22 milhões de alunos em 110 países, inclusive na China e no Japão, que são os principais países parceiros do Brasil em transações comerciais fora da América Latina.

Na perspectiva econômica, a língua é um componente essencial de capital humano e social de uma comunidade, estima-se que 15% do Produto Interno Bruto (PIB) de um estado está vinculado à língua.

No campo educacional, desde 2010, o espanhol é opção para nossos estudantes na prova de Língua Estrangeira do ENEM e, de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (INEP), desde essa data em todos os anos, sem exceção, o percentual de alunos que escolhe Espanhol é superior ao que escolhe Inglês.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Hino do Colégio Positivo marca campanha de matrículas 2023

“A hora é agora, Positivo é o lugar”. O trecho do hino do Colégio Positivo, cantado desde os anos 70, marca o conceito da campanha de matrículas 2023 da instituição. A campanha contempla ações nas mídias on e off-line, que entram ao ar a partir de agosto, em Curitiba e, em setembro, nas outras unidades do Paraná e Santa Catarina. “A hora é agora, Positivo é o lugar” é o resultado de um trabalho conjunto da equipe de Marketing do colégio com a agência 433 AG, que envolveu ao menos 20 profissionais na criação, planejamento e produção. 

“Esse é um ano especial para o Grupo Positivo, por isso a ideia foi justamente fazer um resgate à memória afetiva de todos os que passaram pela instituição. O hino, tocado até hoje no intervalo das escolas, faz parte de eventos artísticos e culturais, e está ligado a essa memória, e envolve todas essas gerações”, afirma a gerente de Marketing do Colégio, Patricia Russo Gibran. O Grupo Positivo comemora 50 anos em 2022, com o desafio constante da renovação de métodos de ensino, tecnologia aplicada à educação e o compromisso de formar cidadãos conscientes e solidários. 

De acordo com o diretor de atendimento e sócio da 433 AG, Cicero Lago, o trecho do hino é mais que um conceito ou assinatura. “É uma resposta ou complemento às habilidades propostas nas peças de comunicação. É um convite imediato aos pais e alunos para que pensem no futuro, mas que tomem uma atitude hoje, reforçando que o momento para as escolhas é o presente e que o lugar para que as coisas aconteçam é o Positivo”, detalha. 

A campanha, voltada às praças do Paraná (Cascavel, Curitiba, Foz do Iguaçu, Londrina e Ponta Grossa) e Santa Catarina (Florianópolis e Joinville), contempla peças que têm como linguagem central as habilidades desenvolvidas no colégio. “Na criação, o objetivo foi reforçar que o momento de aprimorar habilidades é agora e que o Positivo é o melhor local, com tudo o que é necessário para que o aprendizado seja efetivo”, explica Lago. 

Fazem parte da campanha spots para rádios, anúncios em mídia impressa e exterior, além de desdobramentos para as mídias digitais e redes sociais. “O desenvolvimento de habilidades específicas e principalmente socioemocionais nunca foi tão fundamental para a formação do aluno”, pontua Patrícia. A escolha do hino se faz atemporal e vai ao encontro desse objetivo, como reforça Lago. “A letra traz valores importantes que são atuais e representam o colégio até hoje. O trecho escolhido para se transformar no nosso conceito de campanha vem de encontro com o que buscamos como mensagem principal de nosso discurso”, finaliza.

Hino do Colégio Positivo

Venha, vibre,

faça essa energia toda acontecer

Seja um de nós 

Aqui você tem voz

Com raça e emoção 

Cabeça e coração 

Aqui

O ensino é completo

A formação integral

Dance, cante

Saúde é a coisa mais importante 

Pra gente vencer

Pra gente brilhar

Se a hora é agora

Positivo é o lugar!

Aqui

O ensino é completo 

A formação integral

Campanha de matrículas 2023 “A hora é agora, Positivo é o lugar” 

Ficha Técnica:

Anunciante: Colégio Positivo

Agência: 433 AG

Diretor de Atendimento: Cícero Lago

Atendimento: Felippe Brana

Criação: Edmundo Guimarães e Pesly Krieger

Produtor: Gabriela Schunck

Planejamento: Fernanda Weisheimer e Jasmine Lira

Mídia: Gabryel Westfal, Jennifer Luz e Nathaly Lenartowski 

Briefing e aprovação: Patricia Russo Gibran

Sobre o Colégio Positivo

O Colégio Positivo compreende sete unidades na cidade de Curitiba, onde nasceu e desenvolveu o modelo de ensino levado a todo o país e ao exterior. O Colégio Positivo – Júnior, o Colégio Positivo – Jardim Ambiental, o Colégio Positivo – Ângelo Sampaio, o Colégio Positivo – Hauer, o Positivo International School, o Colégio Positivo – Água Verde e o Colégio Positivo – Boa Vista atendem alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio, sempre combinando tecnologia aplicada à educação, material didático atualizado e professores qualificados, com o compromisso de formar cidadãos conscientes e solidários. Em 2016, o grupo chegou em Santa Catarina – onde hoje fica o Colégio Positivo – Joinville e o Colégio Positivo – Joinville Jr. Em 2017, foi incorporado ao grupo o Colégio Positivo – Londrina. Em 2018, o Positivo chegou a Ponta Grossa (PR), onde hoje está o Colégio Positivo – Master. Em 2019, somaram-se ao Grupo duas unidades da escola Passo Certo, em Cascavel (PR), e o Colégio Semeador, em Foz do Iguaçu (PR). Em 2020, o Colégio Vila Olímpia, em Florianópolis (SC), passou a fazer parte do Grupo. Em 2021, com a aquisição da St. James’, em Londrina (PR), o Colégio Positivo passa a contar com 16 unidades de ensino, em sete cidades, no Sul do Brasil, que atendem, juntas, aproximadamente 16 mil alunos desde a Educação Infantil ao Ensino Médio.

Trabalhos acadêmicos de Curitiba são destaques em prêmio do Crea-PR

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR) divulgou os vencedores da edição 2022 do prêmio Melhores TCCs do Paraná. Foram selecionados os melhores Trabalhos de Conclusão de Curso apresentados em 2021, nas modalidades de Agrimensura, Agronomia, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica e Metalúrgica, Geologia e Minas, Engenharia Química e Especiais (Segurança do Trabalho).

Em Curitiba, foram dois vencedores. Na categoria de Agronomia, a terceira colocada foi Milena da Silva Werner, da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Já na área de Geologia, o primeiro colocado foi Fabrício Alves Mendes, também da UFPR.

Para o gerente da regional Curitiba do Crea-PR, Eduardo Ramires, o Melhores TCCs do Paraná pode ser servir como um ponto de partida na carreira do profissional. “Considero a iniciativa interessante, pois estreita o relacionamento do Crea-PR com os futuros profissionais e as instituições de ensino do Paraná. É uma premiação que considera, não apenas o aspecto acadêmico, mas também busca analisar o aspecto profissional”.

Além disso, Ramires aponta como primordial a participação dos colegiados durante todo o processo. “Com o apoio do Colégio de Instituições de Ensino (CIE), do Colégio de Entidades de Classe (CDER) e do Colégio de Inspetores, o Crea-PR permite que seja promovida uma avaliação criteriosa com os pontos previstos no regulamento do prêmio, principalmente com foco no grau de inovação, abrangência do trabalho e a aplicabilidade do TCC”.

Segundo o gerente do Departamento de Relações Institucionais (DRI) do Crea-PR, Claudemir Marcos Prattes, foi uma premiação bem concorrida. “Nós tivemos cerca de 300 trabalhos inscritos. Foi, talvez, a disputa mais acirrada desde o início do prêmio, com quase 80 instituições de ensino participantes com trabalhos”, comenta. “Fizemos duas etapas – uma regional, nas nossas oito regionais, nas quais foram eleitos os melhores trabalhos em oito categorias – e agora chegamos à etapa final com os vencedores. São trabalhos de muita qualidade, que foram avaliados no ano passado, e são de profissionais que já compõem nosso sistema profissional. São TCCs de referência”, pontua.

O gerente destaca a qualidade dos estudos premiados. “O nível dos trabalhos está impressionante porque os critérios de avaliação do Prêmio estão diretamente ligados à inovação e à aplicabilidade no mercado. O Prêmio do Crea-PR foca em questões ligadas à inovação no exercício das profissões e à aplicabilidade desses trabalhos científicos”, frisa.

Agronomia

O trabalho desenvolvido por Milena da Silva Werner foi o “Estimativas para inventário florestal em plantios florestais: uma abordagem comparativa entre a aplicação das tecnologias Katam e o Inventário Tradicional”, sob orientação de Ana Paula Dalla Corte.

“Estava bem concentrada com o andamento do material e fiquei feliz em ter esse reconhecimento e de conquistar essa visibilidade. Na sociedade, a engenharia florestal ainda é um pouco desconhecida. Esses espaços que conseguimos chegar por meio do Crea-PR são importantes para o desenvolvimento do nosso setor e da profissão”, celebra.

A autora conta que a ideia do seu trabalho surgiu em 2021, ao realizar um estágio em uma startup sueca que utiliza novas tecnologias voltadas para florestas plantadas. Dessa forma, Milena realizou um levantamento das técnicas tradicionais e promoveu uma comparação com as inovações da empresa.

“Tive bastante contato com as novas tecnologias e por isso me interessei em realizar uma pesquisa científica. Com isso, busquei entender a melhor abordagem e, assim, cheguei à conclusão de que a ideia de testar e comparar os novos procedimentos com os tradicionais. Acredito que isso faz com que os olhos voltem para o meio florestam, com o intuito de que as empresas possam aderir ou ter interesse em como funcionam as tecnologias”, conclui.

Geologia

Fabrício Alves Mendes foi premiado com o TCC de tema “Modelo de inundação para o rompimento hipotético de barragens de rejeito utilizando HEC-RAS”, com orientação de Adriana Ahrendt Talamini.

“Receber esse prêmio foi muito gratificante, é o reconhecimento de um trabalho árduo e cansativo, foram seis meses realizando esse material. É um sinal de que valeu a pena. Escolhi o tema de barragens abandonadas por ser um cenário pouco comentado e o principal questionamento que motivou o meu TCC foi por conta do impacto ambiental que as barragens podem trazer ao meio ambiente”, ressalta.

Atualmente, Fabrício mora em Maringá, onde atua no mercado de trabalho no setor de poços artesianos e hidrogeologia.

“Se a gente pega as barragens como um todo, produção e operação, o geólogo se mostra essencial em todas as fases, ao lado do engenheiro civil. O profissional precisa estar atualizado com os novos métodos e com aquilo que afeta diretamente a produção. Um profissional que sabe construir modelo confiável e preciso tem um mercado de trabalho muito grande”, afirma.

Critérios para eleição

O Crea-PR, com o apoio do Colégio de Instituições de Ensino (CIE), do Colégio de Entidades de Classe (CDER) e do Colégio de Inspetores, estabelece critérios para a indicação, eleição e divulgação dos melhores Trabalhos de Conclusão de Curso – TCCs apresentados em cursos ofertados por Instituições de Ensino Superior no Paraná, afetos ao Sistema Confea/Crea.

Todos os trabalhos indicados e o regulamento podem ser consultados na Biblioteca Virtual do Crea-PR em seção específica denominada “Melhores TCCs do Paraná”.

 
Sobre o Crea-PR

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná, criado no ano de 1934, é uma autarquia responsável pela regulamentação e fiscalização dos profissionais das áreas das engenharias, agronomias e geociências. Além de regulamentar e fiscalizar, o Crea-PR também promove ações de orientação e valorização profissional por meio de termos de fomentos disponibilizados via Editais de Chamamento.