Em jogo fraco, Coritiba e Athletico não saem do zero pelo Brasileiro

O empate sem gols deste sábado (9), no estádio Couto Pereira, não foi bom para as pretensões nem de Coritiba, nem de Athletico-PR na Série A do Campeonato Brasileiro. O primeiro dos clássicos reservados para a 29ª rodada foi marcado por oportunidades escassas de gol e baixo nível técnico.

Sem vencer há 10 jogos, o Coxa segue na lanterna da competição, com 22 pontos, sete pontos atrás do Vasco, primeiro time fora da zona de rebaixamento. Se o Cruzmaltino e o Bahia vencerem as respectivas partidas neste domingo (10), a diferença para deixar o Z-4 pode subir para nove pontos. O Furacão, por sua vez, teve uma sequência de três vitórias seguidas interrompida e perdeu a chance de se aproximar das seis primeiras colocações, que classificam à próxima edição da Libertadores. O clube rubro-negro é o décimo, com 38 pontos, mas ainda pode cair uma posição no complemento da rodada.

Os primeiros 45 minutos foram de um Athletico com muitas dificuldades para sair jogando e um Coritiba apresentando mais volume e transpiração, mas sem inspiração. Aos 17 minutos, na única chance real de gol, o meia Martín Sarrafiore bateu de longe e o goleiro Santos espalmou. De resto, foi uma primeira etapa de muitos erros. Segundo números do Sofascore, site de estatísticas de futebol, os alviverdes só acertaram metade dos 30 lançamentos que tentaram e tiveram êxito em duas das 15 bolas que levantaram na área adversária. O time rubro-negro finalizou somente uma vez (para fora, nos acréscimos) e perdeu as oito bolas aéreas ofensivas que buscou.

O cenário não se alterou no segundo tempo. O Coritiba seguiu mais agressivo, mas sem finalizar com precisão. A exceção foi uma chute de fora da área do atacante Robson, aos nove minutos, que parou na trave direita de Santos. O Furacão sequer conseguiu assustar o goleiro Wilson, com a única tentativa – uma batida do meia Christian, da entrada da área – travada pela zaga alviverde. Pouco, muito pouco, para o que as duas equipes almejam no Brasileirão.

Os rivais voltam a campo somente no próximo fim de semana. No sábado (16), o Coritiba visita o Vasco às 21h (horário de Brasília), em São Januário, no Rio de Janeiro. No domingo (17), o Athletico recebe o líder São Paulo na Arena da Baixada, em Curitiba, às 16h. Os duelos são válidos pela 30ª rodada do Brasileiro.

Confira a classificação da Série A do Campeonato Brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lázaro Barbosa é morto em troca de tiros com policiais em Goiás

Após 20 dias de uma megaoperação, com mais de 270 policiais, Lázaro Barbosa, de 32 anos, foi morto em uma troca de tiros com policiais nesta segunda-feira (28), em Goiás.

Condenado por assassinatos e estupros, o fugitivo da Justiça era procurado por uma série de crimes na Bahia e em Goiás. Ele também é acusado da morte de quatro pessoas de uma família em Ceilândia, no Distrito Federal, e de um caseiro de uma fazenda no distrito de Girassol, em Goiás.

Quando foi capturado, policiais e moradores da região comemoraram. As informações sobre a captura de Lázaro foram divulgadas pelo governador de Goiás, Ronaldo Caiado. “Como eu disse, era questão de tempo até que a nossa polícia, a mais preparada do País, capturasse o assassino Lázaro Barbosa. Parabéns para as nossas forças de segurança. Vocês são motivo de muito orgulho para a nossa gente! Goiás não é Disneylândia de bandido”.

Com dívidas, Grupo Madero pode fechar em até um ano

O balanço do grupo Madero para o primeiro trimestre de 2021 afirma que, por falta de garantias de que conseguirá renegociar dívidas, há “dúvidas substanciais sobre a capacidade da companhia de continuar em funcionamento dentro de um ano após a data em que essas demonstrações financeiras consolidadas foram emitidas”. Apesar dessa declaração, a empresa continua firme em seu propósito de fazer um IPO (oferta inicial de ações) até o fim do ano.

Fundada pelo empresário Junior Durski, um dos apoiadores mais aguerridos do presidente Jair Bolsonaro no meio corporativo, a empresa paranaense fez ousada expansão pelo Brasil. Em 2019, vendeu, por R$ 700 milhões, 22% de seu capital para o fundo americano Carlyle (que recentemente repassou seus ativos no País à SPX, gestora de Rodrigo Xavier).

A companhia planejava um IPO para 2020, mas teve de interromper os planos por causa da pandemia. Além da abrupta queda de receita, por causa do fechamento dos restaurantes, a companhia também viu sócios como o apresentador Luciano Huck, que tinha uma participação minoritária, deixando o negócio rapidamente e por valor simbólico.

Agora, no entanto, o IPO estaria em pé novamente. A empresa até já contratou quatro bancos para a operação: Bank of America, BTG, Itaú e UBS estariam à frente da emissão de ações que viabilizaria a chegada do negócio à Bolsa paulista. A operação está marcada para este ano, segundo apurou o Estadão.

Apesar do que está escrito no balanço, fontes próximas à companhia disseram que o negócio foi bastante afetado pela crise da covid-19, mas que está se recuperando rapidamente com a reabertura da economia.

As ressalvas nas demonstrações financeiras dizem respeito a riscos que têm de ser informados aos investidores, mas não seriam nada que evidencie um risco concreto ao negócio.

“A empresa sofreu como várias outras e agora está se recuperando rápido, renegociando dívidas com os bancos e se preparando para o IPO, vida normal”, disse uma fonte próxima ao negócio.

Procurado, o Madero afirmou que não poderia se pronunciar, por estar em período de silêncio. Bank of America, BTG, Itaú e UBS foram contatados, mas não responderam até o fechamento desta edição.

Informações O Estado de S. Paulo.