Ella explora o desejo e solidão no cinematográfico clipe “Highlies”

A cantora e compositora curitibana Ella explora solidão, desejo e busca por companhia em meio ao caos em “Highlies”, poético e cinematográfico clipe. A direção é de Carolina Bassani e Thiago Prestes. Já a produção musical é assinada por Janluska.

Assista ao clipe “Highlies”: https://youtu.be/xwKe5yYeS4I 

Ouça “Highlies”: https://onerpm.link/highlies  

“‘Highlies’ é drama. É sobre você estar perdido e tentar se encontrar em coisas que sei lá talvez não te façam tão bem. E mesmo assim você se entrega, se doa, e no final só se machuca. Você se ilude e escolhe não enxergar tudo que está na tua cara… E é com essa música que eu inicio essa nova fase”, conta Ella.

A artista quer consolidar uma longeva vivência artística que envolve o trabalho como atriz e cantora, além de  dialogar com suas experiências como modelo e influenciadora digital. São todas facetas de uma mesma criadora inquieta, intencional e profundamente sincera. Essa caminhada perpassa seus estudos – as formações em Economia, Teatro e Moda, com cursos na Berklee, em Nova York e em Paris. Tem um pouco de tudo isso presente nessa nova fase. Depois de uma carreira intermitente, com algumas pausas, a artista quis se reinventar trazendo canções que faziam parte de sua vida com um novo olhar, foi quando surgiu a parceria com Janluska.

“Quando ele me mostrou ‘Highlies’, eu fiquei arrepiada. Era o som que eu queria fazer e ele me incentivou a retomarmos com essa identidade”, resume a artista. “Essa identidade mostra essa pessoa multifacetada que eu sou, não só na música, mas tudo que posso fazer dentro da arte, inclusive me transformar”.

Primeiro single do novo EP da artista, “Highlies” está disponível em todas as plataformas de música e pode ser conferido no canal do YouTube de Ella

Crédito: Vitor Augusto

Ficha técnica

direção: Carolina Bassani e Thiago Prestes 

direção criativa: Marcella Malczewski e Priscilla Busato

direção de fotografia: Léo Silva 

assistente de câmera: Juliano Iskandar 

chefe de maquinária: Arnaldo Gabardo 

assistente de maquinária: Marcos Ravazzani 

chefe de elétrica: Angelo Foltran 

assistente de elétrica: Bruno Guimarães

direção de arte: Gigi Biglia 

assistência de arte: Duane Mota 

contraregragem: Victor Leal Alonso 

efeitos: Kanô Cenografia 

figurino: Rafael Chaouiche 

produção: Mateus Martins 

maquiagem: Tabatha 

cabelo: Nata Cunha 

bailarino: Leonardo Lino 

figuração: Gabriela Casagrande, Pedro Sunye, Marina Ferreira, Tabatha, Pri Busato, Janluska, Edu Rozeira, Chaouiche, Moi

edição: Carolina Bassani e Thiago Prestes

pós produção e color grading: Tiago Gavassi 

locadora: Backbros 

apoio: Asteroide / Backbros 

produção musical: Janluska

mix/master: Joao Milliet

assit mix: Dani Mariano

guitarras: Eduardo Rozeira

edição: Amadeus Assunção

captado em nicos studio

Acompanhe Marcella:

www.instagram.com/listentomarcella 

www.youtube.com/c/listentomarcella 

www.listentomarcella.com 

www.listentomarcella.hearnow.com 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Exposição celebra a lineart de artista curitibano no Nex

A força da simplicidade nas linhas desenhadas sobre o canvas cria espetáculos visuais na nova exposição artística de Manoel Felipe Doria. A mostra “infinito a infinito” reúne obras do artista, arquiteto e ilustrador, focadas na técnica lineart, e ganharão as paredes do Nex – Casa de Pedra a partir de 26 de janeiro (quinta-feira). Nesta data, acontece o coquetel de lançamento, a partir das 19h30, com bate-papo com o artista. A exposição ficará aberta até 26 de abril.

Graduado em Arquitetura e Urbanismo e sócio do escritório Doria+Arquitetos, Manoel Felipe Doria carrega sua expressão artística tanto na vida profissional como na pessoal, que permitem o uso de seus desenhos em interesses diversos. Com a lineart, técnica focada no uso de linhas, encontrou uma forma de trabalhar as camadas simbólicas da sua percepção sobre a linearidade da vida por meio do traçado ágil e intuitivo, uma expressão que define sua particularidade. Como artista já desenvolveu outros trabalhos variados, que vão do EP musical, “Olhos Nus” (2015) e o material ilustrativo da Bienal Internacional do Cairo (2018) até produções encomendadas para galerias particulares, como o caso da obra “O Mural” (2022).

Em “infinito a infinito”, Doria explora a ideia do movimento que direciona uma narrativa através do espaço ocupado por linhas. “É surpreendente a possibilidade de representar tudo o que é complexo através de uma simples linha”, conta. A técnica aplicada pelo artista pretende revelar sua expressão mais íntima concentrada no essencial.

O título da exposição reflete a característica dessa tipologia de traçado: “linhas paralelas possuem muito em comum, mesmo que jamais se cruzem. Por outro lado, qualquer outro par de linhas retas se encontram somente uma vez e depois se afastam no infinito”, reflete o artista sobre a visão de seus trabalhos. As obras carregam a magnitude da linha, seus movimentos e suas infinitas possibilidades de uso. A curadoria é de Monica Hirano e a produção de Altieres Fim Biela.

A exposição “infinito a infinito”, de Manoel Felipe Doria, será inaugurada no dia 26 de janeiro (quinta-feira), a partir das 19h30, com coquetel e bate-papo com o artista. O Nex – Casa de Pedra fica na Alameda Presidente Taunay (nº 130), no bairro Batel. A exposição pode ser visitada até 26 de abril. Mais informações no perfil oficial do Nex no Instagram (@nexcoworking).

Outono disponibiliza single inédito “Brighter Than The Sun”

A banda OUTONO lançou na primeira sexta-feira 13 deste ano o seu segundo single, “Brighter Than The Sun”, uma peça que confirma sua identidade musical com versos densos e aspectos sonoros surpreendentes. A canção está disponível em todas as principais plataformas de streaming.

Confira o single “Brighter than the Sun”: https://open.spotify.com/track/0sYm0gx6rXwQvBDlZtvGJg

A letra de “Brighter Than The Sun” cria um cenário fantástico ao colocar como protagonistas o primeiro casal do mundo, surgidos do barro, Adão e Eva, como fossem vampiros imortais, que até hoje acompanham as coisas que aconteceram na terra nesta jornada pela eternidade. Segundo o vocalista e baixista Guto Diaz, autor da narrativa,  a letra é “como se fosse a jornada deste casal, que assume diversas identidades”. Em parte da letra, cito que ela é Madalena e ele, o Cristo crucificado. Outra hora, ela é a condessa Bathory, se banhando no sangue dele mesmo. Eles têm este pacto de sangue que os une desde o início dos tempos”.

A OUTONO, que porta consigo um espectro musical bastante rico, é formada, além de Guto Diaz, por Fabiano Cavassin (guitarra) e Wlad Zechner (bateria). Estreando em 2022 com o single “Shades Before Dawn”, o grupo surgiu no cenário como a continuação do trabalho anteriormente desenvolvido pelo The Secret Society, com o álbum Rites of Fire e shows memoráveis – no Brasil e América Latina – ao lado de grandes nomes do rock e do metal mundial, como Dee Snider, Europe, The Sisters of Mercy, Deathstars e Uli Jon Roth, entre outros.

Apostando em climas tétricos e arranjos minimalistas, o OUTONO leva a obra criada por Guto e Fabiano para novos e ramificados caminhos musicais. O primeiro single, “Shades Before Dawn”, foi a declaração de um novo começo e “Brighter Than The Sun”,  a ratificação que o OUTONO é um nome que veio para ficar. Siga o grupo nas redes sociais para acompanhar todas as atividades @outono_band.

Fotos: Dani Duraes

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com