Deputado federal Schiavinato morre por complicações da Covid-19

O deputado federal José Carlos Schiavinato (PP) morreu na noite desta terça-feira (13), em Brasília, por complicações da Covid-19. Ele teve falência múltipla dos órgãos e não resistiu após ficar mais de um mês internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Sírio Libanês, onde deu entrada no dia 10 de março. As informações são do Boca Maldita.

Schiavinato tinha 66 anos e deu entrada no hospital brasiliense no dia 03 de março. No dia 10 do mesmo mês, foi transferido para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde seguiu sedado e em ventilação mecânica, recebendo tratamento. Na última semana, foi acometido por uma infecção hospitalar.

Schiavinato tinha 66 anos e foi prefeito por dois mandatos do município de Toledo, no Paraná. Entre 2015 e 2018 exerceu o mandado de deputado estadual na Assembleia Legislativa do Paraná. Foi eleito deputado federal pelo PP em 2018.

Faleceu 1 mês após esposa

Schiavinato veio a falecer um mês após a morte de sua esposa, Marlene, que tratava um câncer e também sofreu complicações da covid19.

Dadas as circunstâncias, Schiavinato não soube do falecimento da esposa. O filho do casal também esteve internado com Covid19, mas se recuperou.

Quem foi Schiavinato

José Carlos Schiavinato nasceu em Iguaraçu, na região Noroeste, em 12 de setembro de 1954. Era Engenheiro Civil formado na turma de 1977 da Universidade Estadual de Maringá (UEM).

Foi prefeito por dois mandatos do município de Toledo, no Oeste do Paraná. Entre 2015-2018 exerceu seu primeiro mandado como deputado estadual na Assembleia Legislativa do Paraná, para o qual foi eleito com 61.507 votos.

Em 2018, foi eleito deputado federal com 75.540 votos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com La Niña, Paraná pode enfrentar prolongamento do período de estiagem

A confirmação de que, pelo segundo ano consecutivo, o La Niña vai atuar na atmosfera, deve prolongar o período de seca no Paraná. O anúncio do fenômeno foi feito pela Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera (NOAA), agência climática dos Estados Unidos. Na região metropolitana de Curitiba, os reservatórios seguem com armazenamento mais baixo.

O meteorologista Lizandro Jacóbsen explica que o La Niña deve impactar a quantidade de chuvas principalmente no verão. “O impacto aqui no Paraná é reduzir a quantidade de chuvas, ou seja, bem provável que nos próximos meses tenhamos chuvas abaixo da média climatológica”, disse.

O La Niña, de certa forma, frustra a expectativa paranaense pela normalidade nas precipitações. Na última semana, o estado teve boa quantidade de chuva. Em Curitiba, já são 95 milímetros no mês. Com a previsão para a segunda quinzena de outubro, é bem provável que a cidade alcance a média de 146,5 milímetros. “Essas chuvas contribuíram para recuperar vários mananciais e para aumentar o nível dos reservatórios, como na região da capital”, disse Jacóbsen.

Assim, com o possível prolongamento da estiagem, a Sanepar reforça a necessidade por economia no consumo de água.

Informações Banda B

Seis linhas de Colombo recebem reforço a partir desta segunda-feira

A partir desta segunda-feira (18) seis linhas de que atendem o município de Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, receberão reforço em seus atendimentos. Os novos horários e veículos buscam equalizar a oferta de ônibus com a demanda de passageiros após acompanhamento dos fiscais da Comec e constatação de aumento no número de usuários, em especial na manutenção de 65% da capacidade dos veículos.

Apesar do aumento da demanda, o número de passageiros em Colombo ainda é 66% do habitual, tendo uma média de 11.000 passageiros por dia útil, contra 16.500 antes da pandemia.

Com as mudanças, as tabelas de horários também foram atualizadas.

Confira:

B03-GUARAITUBA/GUADALUPE (via MARAC-ALTO DA XV): passa de 44 viagens para 49, de seis para oito veículos na frota operante em dias úteis.

B11-MARACANÃ/STA.CÂNDIDA: passa de 34 viagens para 50, de dois veículos articulados para quatro da categoria comum em dias úteis, com ajuste necessário de redimensionamento dos veículos articulados para operação na linha B20-GUARAITUBA/CABRAL.

B13-JD.DAS GRAÇAS: passa de 30 viagens para 38, de um para dois veículos na frota operante em dias úteis.

B23-GUARAITUBA: passa de 36 viagens para 43, de um para dois veículos na frota operante em dias úteis.

B28-VILA MARIA DO ROSÁRIO: passa de 31 viagens para 41, de um veículo para dois na frota operante em dias úteis. O reforço se dá mediante aproveitamento do veículo que opera na linha B21-PORTEIRA, cuja demanda estará atendida na linha B28.

B43-RIO VERDE: passa de 24 viagens para 32, de dois para três veículos na frota operante em dias úteis.