De virada, Londrina vence o Coritiba nos minutos finais

Com a temperatura próxima dos 30ºC, Coritiba e Londrina entraram em campo as 11h da manhã, no Estádio do Café. As equipes que estão em lugares opostos na tabela fizeram um jogo truncado e de muita marcação. O jogo parecia bom para o time de Curitiba que abriu o placar logo aos 13′ minutos após cobrança de falta de William Matheus, Igor Jesus subiu bonito entre os zagueiros e cabeceou no canto.

Por conta do calor, o jogo precisou ser paralisado aos 26′ minutos da primeira etapa para os jogadores tomarem se hidratarem.

O segundo tempo começou e o Coxa continuava mais próximo de fazer o segundo. O zagueiro Lucas Costa, do Londrina, foi expulso com pouco mais de 10′ minutos da etapa final e o jogo ficou mais morno.

A REVIRAVOLTA!

Vitor Carvalho deu bobeira, Anderson Leite rouba a bola na área e ficou na cara de Muralha. Mesmo pressionado, bateu firme e empatou o jogo para o Londrina. Que com o gol, cresceu, e no apagar das luzes aos 46′ chegou ao gol da vitória. Em mais uma falha grotesca da zaga coxa branca, Léo Passos ganha a bola, fica na cara de Muralha e bate com categoria. O Tubarão vira o jogo com um a menos e respira mais longe da zona de rebaixamento.

Resultado amargo para o Coritiba que entrará em campo no sábado (21) contra o CRB, no Couto Pereira em busca de recuperação.

E aí, o que achou? Deixe seu comentário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paratletas de Curitiba embarcam para os Jogos Paralímpicos de Tóquio

Os primeiros paratletas de Curitiba que vão representar o Brasil nos Jogos Paralímpicos de Tóquio embarcaram, na madrugada deste domingo (8/8), com uma parte da delegação brasileira. O voo que levou os paratletas partiu de Guarulhos às 2h40, e fez uma escala em Doha, capital do Catar, antes de chegar à capital japonesa na manhã desta segunda-feira (9/8).

Após o pouso na capital japonesa, os 130 atletas brasileiros do tiro com arco, judô, remo, vôlei sentado, tênis em cadeira, bocha, e futebol de 5, além de membros da comissão técnica, ainda fazem uma viagem de ônibus até a cidade de Hamamatsu. Lá eles se juntarão aos atletas da natação, tênis de mesa, goalball, halterofilismo e atletismo, que já estão no Japão para um período de aclimação antes do início dos Jogos Paralímpicos, que acontecem entre os dias 24 de agosto e 5 de setembro.

Entre os paratletas que viajaram neste domingo (8/8), Curitiba está representada pelos jogadores do Vôlei Sentado, Daniel Jorge da Silva e Anderson Rodrigues dos Santos, e do Futebol de 5, Jefferson da Conceição Gonçalves, Cássio Lopes dos Reis e Gledson da Paixão Barros. 

Os paratletas do vôlei sentado curitibano treinam no Instituto de Promoção do Paradesporto (IPP), enquanto os paratletas do Futebol de 5 integram a equipe Maestro Curitiba, mantida pela Associação Maestro da Bola. As duas entidades são beneficiárias do Programa Municipal de Incentivo ao Esporte da Prefeitura de Curitiba. 

Na próxima quinta-feira (12/8), o curitibano Vitor Tavares, do parabadminton e que treina no Badminton Zardo Morgenau, também segue para o Japão partindo de Guarulhos. Neste mesmo dia, as canoístas Mari Santilli e Adriana Azevedo, do Clube de Regatas Curitiba (CRC) também embarcam com destino à capital Japonesa.

Os últimos representantes da cidade que seguem para o Japão, embarcando entre os dias 17 e 25 de agosto, são a esgrimista em cadeira de rodas Carminha Celestina de Oliveira, que treina na Academia Mestre Kato, o triatleta Ronan Cordeiro e os técnicos James Lowry Neto (Tiro Paradesportivo) e Rodrigo Ferla (Parataekwondo). Todos são beneficiários do Programa Municipal de Incentivo ao Esporte da Prefeitura, sob a gestão da Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude (Smelj).

Todos os atletas paralímpicos e demais integrantes foram submetidos aos rigorosos protocolos sanitários que foram alinhados com o Comitê Organizador de Tóquio 2020, o governo japonês e o Comitê Paralímpico Internacional (IPC). 

Foram realizados dois testes PCR antes do embarque e, durante o processo de imigração, serão feitos mais testes na chegada ao Japão.

Veja os dias em que os atletas paranaenses competem em Tóquio

O Programa Geração Olímpica conta com a participação de dez bolsistas nos Jogos Olímpicos de Tóquio, que terão sua abertura oficial nesta sexta-feira (23), às 8h. No fim da matéria, é possível conferir uma tabela que lista a data, o horário, a modalidade e a rodada dos competidores.

Esse guia será atualizado de acordo com eventuais mudanças e também considerando possíveis classificações dos bolsistas para as próximas fases.

Conheça mais sobre os bolsistas que irão competir nos Jogos Olímpicos de Tóquio:

ÁGATHA BEDNARCZUK – Teve seu início no esporte em Paranaguá, no ano de 1992. Em 2001, decidiu ir para o vôlei de praia, modalidade na qual seguiria uma trajetória vencedora. Participou de edições do Campeonato Mundial nos anos de 2005, 2013 e 2015, sendo campeã na edição de 2015 ao lado de Bárbara Seixas.  E campeã do Circuito Mundial de Voleibol de Praia Feminino em 2015 e 2018. 

Foi eleita a melhor jogadora da competição neste ano. Ainda em 2015, conquistou o bronze no World Tour Finals em Fort Lauderdale e o título da temporada do Circuito Mundial. Em 2016, tornou-se medalhista olímpica. Atualmente, Ágatha faz dupla com Duda Lisboa. 

ANA SÁTILA – Nascida em 13 de março de 1996, Ana Sátila é natural de Itaruma (MG). Começou a remar aos nove anos, em Primavera do Leste (MT), para onde se mudou apenas aos 5 anos de idade.

Com apenas 16 anos, foi a mais jovem integrante da delegação brasileira nos Jogos de Londres 2012, e, aos 20 anos, teve sua segunda experiência olímpica no Rio 2016. Em Jogos Pan-Americanos, Ana Sátila já soma três medalhas de ouro e uma de prata após participações em Toronto 2015 e Lima 2019. No Campeonato Mundial de Canoagem Slalom, Ana conquistou quatro medalhas até o momento. A primeira foi bronze, C1, em 2015 e prata, Extreme K1, em 2017.  A consagração do ouro foi em 2018 no Rio de Janeiro. E repetiu o feito em Tacen, em 2020.

LUCAS CARVALHO – Nascido em 16 de julho de 1993, Lucas Carvalho acredita em uma boa chance de medalha nas Olimpíadas em sua modalidade, o 4x400m. No começo da carreira, participou do Campeonato Mundial de Juvenis (Sub-20), em Barcelona, ainda quando disputava nos 110 m com barreiras. Na transição para o adulto, passou a competir em provas rasas. Como profissional, coleciona alguns feitos: foi campeão do Ibero-Americano dos 400 m em Trujillo, no Peru, em 2018, fez parte do time olímpico no Rio-2016, como reserva do 4×400 m masculino, além de marcar presença no Mundial de Londres-2017, e Doha-2019.

NICOLE PIRCIO – Com apenas 18 anos, Nicole Pircio, atleta da ginástica rítmica, já carrega consigo uma história vitoriosa em Jogos Pan-Americanos. Ela conquistou uma medalha de ouro e duas de bronze em Lima, no Peru. Em sua equipe nas Olimpíadas de Tóquio, Nicole terá como companheiras Beatriz Linhares, Deborah Medrado, Geovanna Santos e Maria Eduarda Arakaki. Na competição, o Brasil tentará alcançar a final olímpica pela terceira vez na modalidade.

TABATA VITORINO – Aos 25 anos, Tábata Vitorino vai para a sua segunda experiência em Olimpíadas. Na primeira, no Rio-2016, a atleta ficou como suplente. Hoje, mais preparada e com melhores resultados, chega para a competição de Tóquio como uma das mais qualificadas do país em sua modalidade, o revezamento 4x100m. Tábata começou a competir com apenas 9 anos de idade e chega ao ponto mais alto de sua carreira até aqui ao competir em Tóquio. 

TATIANE RAQUEL DA SILVA – Competidora dos 3.000m com obstáculos, Tatiane Raquel da Silva, hoje com 30 anos, já obteve vitória em mais de quarenta competições brasileiras. Entre elas, nove no Troféu Brasil de Atletismo. Em 2018, Tatiane ficou em primeiro lugar no Ibero Americano, no Peru. Em 2019, venceu o Sul-Americano Adulto no Peru e conquistou o quarto lugar nos Jogos Pan-Americanos.

VAGNER SOUTA – Aos 30 anos, o canoísta Vagner Souta já carrega medalhas de Pan-Americano no seu currículo, tanto em Toronto (2015), no Canadá, quanto em Lima (2019), no Peru. Está indo, agora, para a sua segunda participação em Olimpíadas. Em abril de 2021, garantiu a vaga no K1 1000m nos Jogos Olímpicos depois de o Pré-Olímpico ser cancelado devido a pandemia. Assim, a Federação Internacional distribuiu as vagas considerando os resultados de 2019.

TREINADORES – Companheiro de Ana Sátila no esporte e na vida, o francês Mathieu Desnos tem como grande desejo estar nas Olimpíadas de Paris (no seu país natal), em 2024, ao lado de Ana. No handebol, Leonardo Bortolini e Giancarlos Ramirez compõem a comissão técnica da seleção brasileira. Ex-jogador, Leonardo atuou pela seleção por dezessete anos. Já Giancarlos construiu uma grande trajetória na equipe londrinense de handebol, comandando-a por quinze anos.

Confira data e horários: