De virada, Londrina vence o Coritiba nos minutos finais

Com a temperatura próxima dos 30ºC, Coritiba e Londrina entraram em campo as 11h da manhã, no Estádio do Café. As equipes que estão em lugares opostos na tabela fizeram um jogo truncado e de muita marcação. O jogo parecia bom para o time de Curitiba que abriu o placar logo aos 13′ minutos após cobrança de falta de William Matheus, Igor Jesus subiu bonito entre os zagueiros e cabeceou no canto.

Por conta do calor, o jogo precisou ser paralisado aos 26′ minutos da primeira etapa para os jogadores tomarem se hidratarem.

O segundo tempo começou e o Coxa continuava mais próximo de fazer o segundo. O zagueiro Lucas Costa, do Londrina, foi expulso com pouco mais de 10′ minutos da etapa final e o jogo ficou mais morno.

A REVIRAVOLTA!

Vitor Carvalho deu bobeira, Anderson Leite rouba a bola na área e ficou na cara de Muralha. Mesmo pressionado, bateu firme e empatou o jogo para o Londrina. Que com o gol, cresceu, e no apagar das luzes aos 46′ chegou ao gol da vitória. Em mais uma falha grotesca da zaga coxa branca, Léo Passos ganha a bola, fica na cara de Muralha e bate com categoria. O Tubarão vira o jogo com um a menos e respira mais longe da zona de rebaixamento.

Resultado amargo para o Coritiba que entrará em campo no sábado (21) contra o CRB, no Couto Pereira em busca de recuperação.

E aí, o que achou? Deixe seu comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paranaense: Cittadini marca no final e dá vitória ao Athletico

Com um gol do meia Léo Cittadini aos 45 minutos do segundo tempo, o Athletico derrotou o Coritiba por 1 a 0, neste domingo (2), no primeiro jogo da final do Campeonato Paranaense, disputado na Arena da Baixada.

Quem avalia o jogo apenas pelo placar pode pensar que o Athletico foi melhor com a bola em jogo, mas o que se viu no Atletiba foi um Coritiba mais organizado e criando as principais oportunidades de marcar.

O panorama só mudou nos últimos minutos do segundo tempo, quando o Furacão valorizou mais a posse de bola e, aos 45 minutos, conseguiu alterar o marcador, quando Cittadini acertou um belo chute para vencer o goleiro Muralha.

Agora, no segundo jogo da final, que acontece no Couto Pereira na próxima quarta (a partir das 20h), o Athletico conta com a vantagem do empate. Em caso de vitória do Coxa por vantagem mínima, o campeão sairá na disputa de pênaltis. Para ser campeão nos 90 minutos o Coritiba precisa de triunfo com dois gols de vantagem.


Athletico e Coritiba iniciam tira-teima em finais pelo Paranaense

Athletico e Coritiba decidem o título do Campeonato Paranaense. Em 105 anos de competição, essa manchete se repete pela 19ª vez. Até hoje, são nove taças para cada lado. Só nesta década, é a sétima final Athle-Tiba. O primeiro duelo é neste domingo (2), às 16h (horário de Brasília), com mando athleticano, na Arena da Baixada, em Curitiba (PR). Na próxima quarta-feira (5), às 20h, o palco será o Couto Pereira, casa do Coxa.

Nos últimos anos, o Athletico vinha utilizando o time sub-23 no Estadual, priorizando outros torneios no primeiro semestre, como a Libertadores. Com a pandemia do novo coronavírus (covid-19), a necessidade de ritmo de jogo fez a equipe principal ser escalada para a reta final, embora já fosse um desejo do técnico Dorival Júnior.

A classificação do Furacão veio após o empate em 0 a 0 com o FC Cascavel, fora de casa, na última quarta (29). No jogo de ida, na Arena, o Athletico fez 5 a 1. “Mesmo tendo a necessidade de segurar alguns jogadores, os garotos que entraram deram uma resposta positiva e acho que é isso que nós queremos”, destacou Dorival, em entrevista após a partida em Cascavel (PR).

O volante Erik, que vinha atuando na lateral-direita, contundiu o ligamento colateral do joelho e está fora da final. O Furacão, porém, terá a volta do zagueiro Thiago Heleno, que cumpriu suspensão, e de atletas poupados na partida em Cascavel (PR), como os meias Léo Cittadini e Nikão.

Pelo lado do Coxa, o técnico Eduardo Barroca teve trabalho para montar o time que venceu o Cianorte por 2 a 0 e se classificou para a final – a equipe já tinha vencido fora de casa por 3 a 2. Diante do Athletico, o treinador poderá contar outra vez com o zagueiro Rhodolfo, o volante Nathan Silva, o meia Thiago Lopes e os atacantes Robson e Igor Jesus, que cumpriram suspensão.

Será o segundo duelo entre os rivais no Estadual. Na primeira fase, pela última rodada, o Coritiba atropelou – vitória por 4 a 0 –  o time sub-23 do Furacão, dirigido por Eduardo Barros. “É outro treinador, são outros jogadores, mas o que fica de referência é nossa atitude. Para enfrentar um adversário dessa qualidade, a gente vai precisar ter aquela atitude como referência, para mais”, avaliou Barroca, em entrevista depois da partida da última quarta.