Dancinha na XV


Dancinha na XV

Pois é! Aconteceu ao som de Pink Floyd – Another Brick In The Wall a dancinha na XV dessa última quinta-feira!
Confiram:

E depois de assistir ao vídeo eu pensei:
Não é possível que em Curitiba, uma cidade tão peculiar com tanta gente louca criativa, não exista mais vídeos como esse. E então achei:

HAHUAHUAHUHAHAUHUAHUAHAHHAUHUAHUAHUHAUAHA. Bota a mãozinha no bolso e vai no rebolation! E que pena que o vídeo acabou, porque no final ali o outro cara começou uma dança do robô. Aposto que ia ser sensacional! Hhuahuhaaha
E também:

E vendo esse vídeo eu pensei: “eu já vi esse cara antes”! E então percebi que é o mesmo cara do primeiro vídeo, não?! É a mesma careca e a mesma calça! Hhuahuahuaha, só a dança que evoluiu um pouco. Ainda bem! Hhuahuhauahuhaha

0 Comments

  1. kkkkkkkkk. Muito bom! Essa cidade é a que tem mais gente esquisita por metro quadrado do mundo!!. Mas vá que as músicas são boas. Tem loja que coloca 'eu quero tchu' no último volume, dá vontade de passar correndo.

  2. O Tiozinho do primeiro e terceiro video eu tinha 10 anos e ja lembro dele dancando na rua XV. Ele vinha puxar papo com quem tava bebendo chop ali no calcadao e minha mae que nao se desfaz de ninguem deixava ele falar as abobrinhas dele. Voce via ele hoje no dia seguinte ele dizia que tinha acabado de chegar de Miami!
    Ele eh a literal bicha "louca" porque deve sofrer de algum desvio mental devido ao comportamento mas nao o torna perigoso. Ao menos na epoca em que eu vivia no Brasil ainda era inofensivo.

  3. Esse tiozinho fica dançando em frente as lojas há anos!
    Lembro que quando era bem mais novo passava todo fim de semana por ele uhauhauahu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curitiba apresenta plano municipal de vacinação contra Covid-19

Com 7.500 mil metros quadrados, o Centro de Exposições Positivo, no Parque Barigui, será o espaço oficial de Curitiba para imunização da população contra a covid-19. O local contará com 50 salas de vacinação, onde trabalharão por turno 100 profissionais da Secretaria Municipal da Saúde (SMS).

O Centro de Vacinação e outros detalhes estão no Plano Municipal de Vacinação contra a Covid-19, apresentado nesta quinta-feira (14/1), pela SMS de Curitiba no Comitê Municipal de Respostas às Emergências em Saúde Pública (Comresp).

A escolha de Curitiba por um centro de vacinação é por razões de segurança, e otimização das doses de vacinas. Além de ser um espaço que permite o distanciamento social adequado. O lugar também é estratégico para caso de vacinação por drive-thru, se necessário.

“Entre os primeiros vacinados estarão profissionais da linha de frente da covid-19, equipes de UTIs e no atendimento direto de pessoas contaminadas, portanto não seria prudente fazer uma vacinação desse público nas unidades de saúde, por exemplo. Além do mais, estamos lidando com uma vacina nova e não podemos nos dar o luxo de desperdícios”, disse a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

No Plano Municipal de Vacinação constam ainda dez Unidades de Saúde que poderão ser ativadas exclusivamente para imunizar a população quando mais vacinas forem enviadas.

“Nós teremos vacinação descentralizada nas Unidades de Saúde quando tivermos doses suficientes, mas como nesse início serão grupos prioritários, o objetivo é ter o máximo controle para não haver perdas”, complementou Márcia.

Grupos prioritários

Curitiba seguirá as etapas de vacinação do plano nacional de imunização. Os primeiros a serem vacinados na cidade serão pessoas de maior vulnerabilidade como profissionais de saúde da linha de frente da covid-19 e idosos e trabalhadores de instituições de Longa Permanência (asilos) e a população indígena.

Nessa etapa estão previstos 18.150 pessoas a serem vacinadas. Ainda dentro da primeira fase serão atendidos os demais profissionais de saúde, seguindo a ordem do Plano Municipal.

“Esses três primeiros grupos estão em alinhamento com o Plano Nacional de Vacinação, pois precisamos dos nossos profissionais imunizados para que continuem na linha de frente, atendendo a população”, explica a secretaria municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

Vacina por agendamento

Para evitar aglomerações e facilitar a identificação, a vacina para a população será agendada pelo Aplicativo Saúde Já, de acordo com o cronograma.

Quem tem cadastro no Saúde Já receberá a informação do agendamento pelo aplicativo. Os demais serão informados por outros canais.

Os três primeiros grupos (profissionais de saúde, idosos em instituições de longa permanência e indígenas) não precisam do agendamento pelo aplicativo. A Secretaria começou a identificação dos profissionais que serão vacinados nessa primeira fase.

Monitoramento

Uma rede de suporte e monitoramento pós-vacina foi estruturado pela Saúde. A farmacovigilância, como é chamada, é comum sempre que novos medicamentos ou imunizantes são aplicados. 

As pessoas vacinadas também receberão pelo aplicativo Saúde Já um questionário para avaliar o pós-vacinação.

Grupos prioritários serão avisados por aplicativo e redes sociais para dia da vacinação em Curitiba

Os profissionais de saúde e os idosos com idades entre 60 anos e 105 anos serão os primeiros

Com a confirmação de que o “Dia D e Hora H” da vacinação contra a Covid-19 irá acontecer no próximo dia 20 de janeiro, muita gente ficou animada nesta quinta-feira (14) com a possibilidade de receber logo uma dose do imunizante, mas em todo o Brasil será necessário respeitar uma sequência de grupos de risco para a doença. Em Curitiba, por exemplo, os profissionais de saúde e os idosos com idades entre 60 anos e 105 anos serão os primeiros, respeitando uma ordem decrescente de idade.

Como Curitiba tem 70 mil profissionais de saúde e cerca de 350 mil idosos acima de 60 anos, é claro que nem todos serão vacinados de uma só vez. Para organizar a ordem de imunização centralizada no Centro de Eventos do Parque Barigui, a prefeitura terá uma aliada: a tecnologia.

Segundo o anúncio feio nesta quinta, a vacinação será agendada pelo aplicativo ‘Saúde Já’, da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba e não será necessário fazer nenhum tipo de cadastro.

Mais grupos prioritários

Em entrevista à Banda B, o prefeito Rafael Greca confirmou que demonstrou ainda uma intenção de criar mais grupos prioritários na cidade. “Eu tenho vontade de comprar vacinas em doses extras, mandar importá-las, para poder vacinar todo mundo que na prefeitura lida com o público. Quero tornar a prefeitura imune o mais rápido possível, dos professores aos motoristas [de ônibus], dos guardas municipais aos coletores de lixo e recicladores”, disse.

O calendário de vacinação está sendo elaborado pela Secretaria Municipal da Saúde e deve ser divulgado nos canais oficiais da prefeitura nos próximos dias.

Informações Banda B.