Da arquitetura a uma das franquias que mais cresce no país: os diferentes ramos de atuação (e sucesso) de André Henning

“Construir” é uma palavra diretamente ligada à carreira de André Henning – e não apenas por sua formação acadêmica. O arquiteto e urbanista é também apresentador de um programa de TV, empresário e vem abarcando sociedade em variadas áreas. E cada uma de suas ocupações vem se edificando de forma sólida, estruturando-se criativamente e de maneira muito bem sucedida.

Apesar de hoje administrar variadas atividades, Henning começou com um foco muito preciso. O curitibano, que morou em seis cidades diferentes em seus primeiros 17 anos de vida, resolveu voltar à terra natal para estudar Arquitetura. “Fiz da faculdade a coisa mais importante da minha vida”, revela. A estratégia deu resultado: esteve entre os primeiros alunos da turma e ganhou uma bolsa para o México. Assim conseguiu a dupla formação, pela Universidade Positivo e pela Universidad Marista de Mérida. “Esse estudo no México refletiu muito no meu estilo de arquitetura hoje, menos minimalista, mais colorido”, conta.

De volta ao Brasil, o desafio de encontrar clientes e iniciar a carreira foi enfrentado com criatividade. No início dos anos 2010, enquanto ainda era mais comum um profissional levar seu portfólio físico até escritórios de arquitetura, André montou um site com seus projetos e enviou direto para o e-mail de um dos maiores nomes da arquitetura no Paraná. A forma irreverente de se apresentar garantiu seu primeiro trabalho. Foi quase um ano dedicado à Jayme Bernardo Arquitetura, conceituada agência no ramo. “Foi como uma pós-graduação, de tanto que aprendi”, Henning afirma. Mas a estabilidade profissional ainda estava longe de acontecer.

Em 2015, uma recessão econômica afetou diretamente o setor. O olhar clínico de André, no entanto, viu uma oportunidade em meio à crise. Investindo em projetos pessoais, foi desenvolvendo ainda mais sua visão única e o toque autoral de seus trabalhos. Conquistou destaque no cenário curitibano, em especial com empreendimentos comerciais ligados à gastronomia. Um deles foi o Lolla Bar, premiado por seu espaço.

Gastronomia

A conexão com a gastronomia foi abrindo portas, não só para a arquitetura como para um novo ramo na carreira de André. Em 2017, fez a primeira sociedade com Eloi Ferreira no ramo. Seu olhar para construir e harmonizar foi aliado ao talento gastronômico de Eloi na elaboração de cestas para o Dia dos Namorados. Em uma semana, tinham 200 encomendas. O que começou de forma descontraída para gerar renda extra foi o início de uma parceria de sucesso.

Quando Henning foi contratado para fazer uma consultoria de arquitetura para o salão de cabeleireiros Jean Louis David, no centro de Curitiba, que queria montar um café dentro do ambiente, o timo empresarial do arquiteto o levou a uma proposta arriscada. Queria desenhar uma cafeteria que tivesse também uma saída para a rua, podendo atender clientes do salão e também que estivessem passando pela Rua Vicente Machado – ponto estratégico de muito movimento na capital paranaense.

André se especializa em marketing, enquanto Eloi estuda gastronomia com foco em cafeterias. Para o investimento financeiro, um desafio: o empréstimo. Pedindo apoio ao pai, o arquiteto escuta um alerta e um estímulo: “É todo o dinheiro da família. Abra um café não para ser só mais um, como qualquer outro, mas para ser bom”. Topando o risco, Henning faz todo o desenho da marca. “Foi meu primeiro projeto sem cliente: foi para mim mesmo, a Go Coffee tem a minha essência”, conta.

Por um tempo, dividia seus horários entre administrar a cafeteria – no formato to go – e a arquitetura. Mas uma não se desassocia da outra: a arquitetura da Go Coffee começou a ganhar reconhecimento, o que o destaca no ramo de arquitetura comercial. Em 2019, ambas as profissões estavam a todo vapor. Ampliou o escritório, AH Arquitetura, e agregou Caio Nardes à cafeteria, que ficaria responsável pela expansão.

Sem aporte financeiro, o sistema de franquias foi feito, como André diz, “com muito trabalho e investimento próprio”. Mesmo com a pandemia começando ainda nas primeiras fases de expansão da marca, a Go Coffee conseguiu destaque no mercado, aliando a excelência de produtos ao design especial das lojas. De Macapá a Porto Alegre, são 115 unidades em 70 cidades pelo Brasil, com outras dezenas de lojas já planejadas.

Mesmo com o sucesso da empresa, Henning não parou de apostar na arquitetura, pelo contrário. “Comecei a atender muitos empresários, que se espelhavam na minha carreira”, explica. “Entendo de pay back, de custo mínimo, aprendi a falar para o cliente onde investir dentro do empreendimento, no que vale a pena gastar, indo além da arquitetura”. O resultado: São quase 200 projetos (sem contar os desenvolvidos para a própria Go Coffee) no portfólio da AH, que conta com dez arquitetos atualmente.

Arquitetura de compartilhamento

André Henning – foto por Duda Dalzotto

Desde a época em que montou um site para apresentar seu portfólio, muita coisa mudou, não só na vida de André como no mercado brasileiro. A internet e as redes sociais ganharam proporções maiores do que o esperado, e isso se reflete nos projetos. Uma tendência que Henning tem aproveitado é o que chama de Arquitetura de Compartilhamento. “A arquitetura não é uma foto estática, é um reels”, comenta, sobre como as rede sociais são aproveitadas tanto por usuários quanto por empreendimentos. “Não é estático, é uma experiência. Sei atingir o cliente do meu cliente, que busca essa experiência”.

Esse olhar direcionado à experiência das pessoas foi sendo aprimorado não só pelo tempo de atendimento direto na Go Coffee como também pelo seu programa de TV. No ano passado, começou a comandar o “Repaginando”, na RIC TV, com audiência para Curitiba e Região Metropolitana. No programa, ele visita desde estabelecimentos comerciais até residências, nas quais faz reformas rápidas e significativas, mostrando que o olhar de arquiteto aliado ao toque humano pode trazer grandes transformações. O sucesso, além do reconhecimento do público, veio com a confirmação da terceira temporada e o convite para participar de outro reality, dessa vez ligado à gastronomia, “Você é o Chef” – dois pontos de interesse do arquiteto que acabam se encontrando, mais uma vez.

O contato com a audiência reforça a ideia de um público interessado em arquitetura, e também na elaboração de uma arquitetura mais ligada às pessoas, repensando o aspecto humano de compartilhar um espaço, um momento, um ambiente. O projeto das lojas Go Coffee, por exemplo, é pensado para ser um “refúgio” dentro da cidade – apostando em elementos naturais e tons de verde contrastando com branco e preto. Um dos destaques entre projetos da AH mais recentes foi o Strô, casa de estrogonofe do chef Vitor Bourguignon.

André Henning _ foto por Uelton James

Crescimento ramificado

A projeção nacional da Go Coffee acaba sendo também um chamariz para o escritório de arquitetura e para a visão comercial de Henning. “Empresários veem o crescimento da Go Coffee e querem crescer também”, explica. Esse movimento o levou a uma nova atividade: a aceleração de marcas, expandindo empresas e também fazendo sociedade com algumas. Uma delas é a Casa das Capas, loja especializada em acessórios para celular focada em cidades do interior do Brasil.

Outra novidade será inaugurada na CASACOR Paraná, evento de design e arquitetura para o qual foi convidado a criar não apenas um, mas dois ambientes. Além de repetir o sucesso da edição anterior com um stand da Go Coffee, André lançará o Matiz, bar de drinks pensado em oferecer uma experiência única, altamente instagramável. Desde coquetéis cintilantes até paredes que mudam de cor com iluminação interna, com destaque para uma piscina de bolinhas transparentes que recebem iluminação de diferentes tons, o espaço é uma vivência sensorial exclusiva. O projeto já nasce com a estrutura para virar um pop up bar depois do evento.

Com esses variados empreendimentos, muitas pessoas questionam André se ele deixaria a arquitetura para focar no sucesso de marcas como a Go Coffee. “A arquitetura me move”, explica. “Hoje sou um empresário que também é arquiteto”. E essas carreiras se mesclam, com Henning aliando forças e saberes de cada área para fortalecer os mais diferentes aspectos profissionais. Seja desde o contato com pessoas, na elaboração de projetos ou administração e aceleração de empreendimentos, André não deixa de lado o foco em construir bases sólidas para o sucesso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Negócios, chope, música e empreendedorismo: Happy Tech acontece dia 16, em Curitiba

Imagine um evento em que você vai conhecer pessoas novas e que tenham a mesma sinergia. Adicione boas doses de chances reais para novos negócios e match de soluções que podem fazer toda a diferença para o seu negócio.

Tudo isso, com discussões descontraídas e embaladas por boa música em um ambiente descolado e stand up no palco, é o que propõe a primeira edição do Happy Tech, evento direcionado para quem é do Paraná e atua no segmento de tecnologia. A iniciativa é do Ecossistema de Inovação do Estado do Paraná e conta com o apoio de alguns segmentos do setor. A estreia será no Armazem Garagem Bar, um mega bar com exposição permanente de carros antigos e chope artesanal, além da assinatura que remete há algumas décadas e casa com o estilo rock in roll.

O Happy Tech, que espera reunir até 300 convidados, está em contagem regressiva: ele acontece no dia 16 de agosto e tem como projeção se tornar uma agenda mensal de encontro entre os empresários, recebendo sempre novos interessados e empreendedores da categoria. Para a primeira edição, estão sendo convidadas todas as empresas do setor de tecnologia da informação (TI) do Paraná.  

Quem participar, também será convidado a ingressar na Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro-PR), para, a partir disso, estreitar o relacionamento e ter acesso a toda oferta de ações que a entidade defende e promove. “O ingresso de novos associados é sempre muito bem-vindo. Além disso, quem entra, ajuda a oxigenar ideias e fortalece a categoria. A expectativa é bastante grande para essa primeira, de muitas, edições”, comenta o presidente da entidade, Lucas Ribeiro.

Como participar

A presença depende uma inscrição através de um link (veja mais em Serviço). O investimento é de R$ 30 e dá direito a dois chopes. Além da noite agradável e de novos relacionamentos, para amizades e negócios, o Happy Tech conta ainda com um convidado especial, o apresentador e humorista Zico Lamour, que fará um show de stand-up e imitações. 

Tecnologia no Paraná

O Estado é o quarto em quantidade de empresas de tecnologia em desenvolvimento de softwares no País. No quesito inovação, o Paraná também é destaque. O Mapeamento das Startups Paranaenses 2022, realizado pelo Sebrae-PR (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná), divulgado em março, mostra que o Estado tem 522 startups a mais que no último levantamento, totalizando 1.956 empresas inovadoras em atividade em 108 municípios.

SERVIÇO

O que

Happy Tech

Quando

Dia 16/08

Local e horário

Armazém Garagem Bar – Rodovia Curitiba/Ponta Grossa BR-277, 2630 – Santo Inácio, a partir das 18 horas

Como participar

Inscrição pelo link: https://www.sympla.com.br/happy-tech__1641402 [vagas limitadas]

Investimento

R$ 30,00

Tunas do Paraná e Sebrae vão trabalhar o desenvolvimento dos pequenos negócios

Visando a melhoria do ambiente de negócios e a promoção de potenciais empreendedores existentes no município, a Prefeitura de Tunas do Paraná e o Sebrae Paraná realizaram, nesta quarta-feira (10), a assinatura de parceria para realizar capacitações e para o desenvolvimento sustentável e inovação junto a empreendedores locais. Atualmente, a cidade possui 860 empresas ativas e 104 produtores rurais cadastrados. 

Com duração prevista de 33 meses, serão trabalhadas atividades com os setores de turismo, agronegócio e educação empreendedora. Além disso, também estão em pauta a revisão do código tributário municipal, o desenvolvimento de novas lideranças, o apoio às compras públicas e a realização de missão técnica relacionada às experiências de turismo e agronegócio.

“Essa parceria demonstra o compromisso do Sebrae em estar presente no território e com expectativas para apoiar o desenvolvimento da cidade. Por meio do desenvolvimento de forma integrada, estaremos ao lado da Administração Municipal para que as ações possam incentivar o cooperativismo e o associativismo, a fim de ter reflexos positivos na vida do produtor rural e do empreendedor”, diz o gerente da Regional Leste do Sebrae Paraná, Weliton Perdomo. 

A união com Tunas do Paraná faz parte das ações que estão sendo promovidas no Vale do Ribeira. Recentemente, o Sebrae Paraná também formalizou parcerias com as prefeituras de Cerro Azul e de Rio Branco do Sul. 

“Com essa iniciativa, esperamos aumentar a qualidade da prestação dos serviços públicos ofertados à população e nos tornar um ambiente fértil para setor privado, gerando assim mais empregos e renda e trazendo mais desenvolvimento ao nosso município”, afirma o prefeito de Tunas do Paraná, Marco Antônio Baldão.

Renda no campo

A família de Marcos Lima possui um sítio arrendado em Tunas do Paraná, onde produz milho, feijão e mandioca. A produção é focada na subsistência com vendas do excesso para amigos, mas o objetivo é que a comercialização se intensifique. 

“No momento, estamos limpando e preparando o solo para conseguir plantar maior área de milho e mandioca, para que a gente consiga fazer a venda desses produtos no próximo ano e, quem sabe, ser uma fonte de renda. Com essa parceria, acredito que poderemos aumentar a produção e diversificar a cultura. Tudo isso vai gerar renda para a região”, completa o produtor. 

Ainda estiveram presentes, durante a assinatura, a secretária municipal de indústria e comércio, Camila Sestrem, o secretário municipal de administração, Antonio Marco Frazão Baldão e o gestor do Sebrae Paraná no Vale do Ribeira, Ivan Silva Evangelista.

Sobre o Sebrae 50+50

Em 2022, o Sebrae celebra 50 anos de existência, com atividades em torno do tema “Construir o futuro é fazer história”. Denominado Projeto Sebrae 50+50, a iniciativa enfatiza os três pilares de atuação da instituição: promover a cultura empreendedora, aprimorar a gestão empresarial e desenvolver um ambiente de negócios saudável e inovador para os pequenos negócios no Brasil. Passado, presente e futuro estão em foco, mostrando a evolução desde a fundação em 1972 até os dias de hoje, com um olhar também para os novos desafios que virão para o empreendedorismo no país.