Curitibano de 12 anos é promessa de medalha nas Olimpíadas de Paris

O skatista curitibano Gui Khury, 12 anos, entrou para a história do esporte, no mês de julho, ao ser o atleta mais jovem a completar o 1080º – três giros completos no ar – em uma competição de skate vertical. A façanha rendeu a medalha de ouro na prova de melhor manobra dos XGames, em Vista, Califórnia, no dia 16 de julho. Veja o vídeo da manobra aqui.

Com a conquista, Gui Khury se tornou o atleta mais jovem da história a conquistar um ouro nos XGames, competição que é considerada a “Olimpíada dos esportes radicais”. 

A manobra foi feita em frente da “lenda” Tony Hawk, um dos atletas mais admirados do skate, e que também competia na mesma prova. Todos ficaram arrepiados com a habilidade e técnica do curitibano.

Nesta quinta-feira (5/8), o prefeito Rafael Greca recebeu o prodígio do skate curitibano na Prefeitura de Curitiba. “Bem-vindo, você é um orgulho para Curitiba”, disse o prefeito.

Prefeito Rafael Greca recebe o skatista curitibano Gui Khury, vencedor da medalha de ouro da prova de melhor manobra dos XGames, na Califórnia (EUA). Curitiba, 05/08/2021. Foto: Pedro Ribas/SMCS

“Esse valoroso curitibinha campeão é a nossa promessa para os Jogos Olímpicos de Paris. Quando perguntei para ele como se classificava, me respondeu que era apenas uma criança que gira. O Gui é o curitibinha que gira”, afirmou Greca. 

Histórico

Gui Khury anda de skate desde os 4 anos, treina na Califórnia (EUA) e sempre se inspirou com os vídeos do brasileiro Bob Burnquist, multicampeão de vertical e da megarrampa. 

“Sempre quis voar. Curto a modalidade street, mas minha especialidade é vertical e park bowl”, afirmou Gui Khury, que conhece praticamente todos os atletas do skate que competiram em Tóquio, nas Olímpiadas. 

“Eu estava com o Keegan Palmer na Califórnia quando ganhei a medalha”, disse Gui. Palmer conquistou a medalha de ouro na modalidade park do skate em Tóquio.

Os pais de Gui Khury, Bianca e Ricardo Khury, também participaram do encontro com o prefeito. “Sempre vou ficar com medo quando ele descer no half ou na megarrampa, nunca vou me acostumar”, disse Bianca, mãe cuidadosa do jovem skatista. 

Gui Khury mostrou para o prefeito a medalha de ouro que ganhou nos XGames e afirmou que treina todos os dias para conquistar a vaga para as Olimpíadas de Paris, em 2024.

Onde praticar

Curitiba é uma referência no skate desde os anos 80. A pista do Gaúcho, na Praça do Redentor, no São Francisco, foi a primeira pista pública da cidade e palco para surgirem muitos campeões de Curitiba, como o Rodil Araújo Júnior, o Ferrugem, Alex Carolino e Danilo do Rosário, entre muitos outros.

A Prefeitura incentiva a prática e oferece 34 pistas públicas para os skatistas aperfeiçoarem manobras e sonharem alto. Veja os locais onde você pode começar a andar ou aprimorar suas manobras.

Vertical

A modalidade vertical é disputada em um halfpipe, pista em formato de U, e não esteve presente nas Olimpíadas de Tóquio. No Japão as modalidades do skate foram street, onde o Brasil ganhou as medalhas de prata com Kelvin Hoelfler e Rayssa Leal, e park, que na madrugada desta quinta-feira (5/8) rendeu a medalha de prata para Pedro Barros, skatista de Florianópolis.

A presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento, Cris Alessi, a secretária municipal de Comunicação Social, Cinthia Genguini, o diretor de marketing do Ebanx, Andre Boaventura, a coordenadora de comunidade do Ebanx, Michelle de Cerjat, também acompanharam o encontro. O Ebanx é uma das empresas que patrocina o skatista Gui Khury.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.