Curitiba tem sete mortes por covid-19, o menor número em um mês

A Secretaria Municipal da Saúde registrou terça-feira (25/8) mais 312 novos casos e sete óbitos de moradores da cidade infectados pelo novo coronavírus, o menor número desde 26 de julho, quando foram anunciados cinco óbitos.

Todos estes óbitos ocorreram nas últimas 48 horas. As vítimas são cinco homens e duas mulheres, com idades entre 63 e 92 anos. Com isso, Curitiba registra 532 mortes pela covid-19.

Além da idade, as sete vítimas tinham doenças crônicas como fator de risco para a covid-19 e estavam internados em hospitais da cidade.

Novos casos

Com os 312 casos de hoje, 30.537 moradores da cidade testaram positivo para a covid-19 desde o início da pandemia – 25.597 estão liberados do isolamento e sem sintomas da doença.

Já o total de casos ativos na cidade é de 4.008. Esse é o número de pessoas com potencial de transmissão do vírus.

Há ainda outros 581 casos em investigação, aguardando diagnóstico ou o resultado de exames laboratoriais.

Entre os casos confirmados, 541 pacientes estão internados em hospitais públicos e privados da capital paranaense, 191 deles em UTIs.

UTIs do SUS

Nesta terça-feira, a taxa de ocupação dos 355 leitos de UTIs do SUS exclusivos para covid-19 é de 84%. Todos os pacientes internados com quadro de síndrome respiratória aguda grave vão para os leitos exclusivos covid-19 e não apenas os casos confirmados da doença. Há 57 leitos de UTI do SUS livres em hospitais de Curitiba.

Números da covid-19 em Curitiba em 25 de agosto

312 novos casos
7 novos óbitos

Números totais

Confirmados – 30.537
Investigação – 581
Recuperados – 25.597
Óbitos – 932

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Com Ômicron, Paraná vai aguardar e manter obrigatoriedade do uso da máscara

Com o monitoramento de seis passageiros, que estavam no mesmo voo do brasileiro que veio da África do Sul e testou positivo para Covid-19, o governador Ratinho Junior anunciou nesta terça-feira (30) que o Paraná vai manter a obrigatoriedade do uso das máscaras. A informação foi confirmada em entrevista concedida ao Meio Dia Paraná, da RPC TV.

Segundo o governador, o estado precisa monitorar a variante e agir com cautela neste fim de ano. “Esse é o presente de Natal que gostaríamos de dar para toda a população do Paraná, ter a diminuição de restrições. Mas, em especial na saúde,  temos que tomar decisões com muita cautela e agora precisamos ver como será a resposta com a variante”, disse.

Na segunda-feira (29), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que monitora seis passageiros que desembarcaram no Paraná e estavam no mesmo voo do brasileiro que veio da África do Sul e testou positivo para Covid-19, podendo estar com a variante Ômicron.

De acordo com Ratinho Junior, o Paraná vai aguardar para tomar a melhor decisão possível. “A população, de forma voluntária, já tem tido uma atitude responsável de, mesmo ao ar livre, usar máscara. E queremos ter uma análise bem criteriosa para, quando tirar, tirar a máscara com muita confiança”, explicou.

Coronavírus

Até o momento, os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 1.572.312 casos confirmados e 40.563 mortos pela doença.

Informações Banda B

Ômicron: Paraná monitora 6 passageiros do mesmo voo de homem que veio da África com Covid

A Secretaria de Estado da Saúde (SESA) monitora seis passageiros que desembarcaram no Paraná e estavam no mesmo voo do brasileiro que veio da África do Sul e testou positivo para Covid-19, podendo estar com a variante ômicron. A informação foi confirmada pela pasta à Banda B.

O Ministério da Saúde está investigando se o homem está contaminado com a variante ômicron, que tem origem no continente africano. O rapaz, de 29 anos, morador de Guarulhos, em São Paulo, está com esquema vacinal completo e apresenta sintomas leves do novo coronavírus.

Segundo a SESA, é feito o monitoramento junto aos municípios dessas pessoas que estavam no voo com o contaminado, além da solicitação de quarentena. Não há motivo para alarde.

Nesta segunda-feira (29), a Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que a nova variante ômicron, reportada na semana passada, representa um “risco muito elevado” para o planeta, pois ainda existem incógnitas sobre essa cepa, entre elas se as vacinas existentes são suficientes para barrar a ômicron.

Na África do Sul, 24% dos habitantes estão totalmente vacinados. Enquanto no Brasil, 60% da população já tomaram as duas doses da vacina ou a dose única.

Informações Banda B