Curitiba recebe mais de 11 mil doses da vacina Pfizer

Curitiba inicia nesta quinta-feira (6) a aplicação da primeira parte da remessa recebida da vacina produzida pela farmacêutica norte-americana Pfizer, em parceria com a empresa de biotecnologia alemã BioNtech. O município recebeu na quarta-feira (5), 11.700 doses desta vacina.

“Essa é uma vacina complexa e delicada. Mas Curitiba, ao lado de algumas poucas capitais, está pronta para receber e aplicar”, afirma a secretária municipal da saúde de Curitiba, Márcia Huçulak.

Estas doses fazem parte da primeira parte da remessa total 32.760 do município e vão permitir a Curitiba a conclusão do primeiro grupo prioritário do Plano Nacional de Imunização (profissionais de saúde) e também iniciar a vacinação do grupo de comorbidades, com pacientes de hemodiálise e deficientes mentais institucionalizados. 

Logística 

As vacinas da Pfizer chegaram no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na noite de segunda-feira (3). De lá, o material foi encaminhado diretamente ao Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), do Governo do Estado, para validação da qualidade e armazenamento.

Por causa das especificidades técnicas e exigências de armazenamento em temperaturas muito baixas, essas vacinas da Pfizer estão sendo distribuídas apenas em Curitiba.

O imunizante exige uma cadeia logística e rede de frios até chegar na ponta. Isto porque deve passar por um delicado processo de descongelamento para o uso final. A cada fase que avança não pode haver retrocesso. 

As vacinas da Pfizer, armazenadas inicialmente em freezer de ultra baixa temperatura (-80ºC a -60ºC), foram enviadas pelo Ministério da Saúde ao Paraná em caixas térmicas em temperaturas entre -25°C e -15°C. No Cemepar, foram guardadas em freezers de baixa temperatura. Nesta temperatura, conforme orientações técnicas do Ministério da Saúde, a conservação das vacinas pode ser feita por no máximo 14 dias.

Para aplicação em Curitiba, a vacina precisa ainda sofrer mais uma etapa de “descongelamento”. Dessa forma, a vacina é armazenada nos pontos de vacinação em geladeiras com temperatura entre 2ºC e 8ºC. Nesta temperatura, a conservação das vacinas pode ser feita por no máximo 5 dias. Por este motivo, as retiradas da remessa serão feitas aos poucos pelo município.

Além da logística de armazenamento e distribuição, a vacina da Pfizer também tem peculiaridades em relação a aplicação. O imunizante, após descongelado, precisa ser diluído em solução injetável de cloreto de sódio 9 mg/ml (0,9%). Após a diluição a vacina deve ser utilizada em no máximo seis horas. Para a aplicação também são necessárias seringas e agulhas específicas, as chamadas seringas de alta precisão.

Por conta da complexidade envolvendo o armazenamento, distribuição e utilização, a aplicação do imunizante da Pfizer estará concentranda em três pontos de vacinação em Curitiba: Pavilhão da Cura (Barigui), Ouvidor Pardinho e Centro de Referência, Esportes e Atividade Física (Creaf) do Guaíra. A vacinação nestes pontos funcionará por meio de agendamento enviado pelo app Saúde Já Curitiba aos profissionais de saúde.

Além destes três pontos, a vacina será aplicada em clínicas e instituições pelas equipes de saúde em pacientes de hemodiálise e deficientes mentais institucionalizados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Drive do Zoo de Curitiba vai arrecadar ração para pets resgatados

Quem agendar visitas de carro ao Zoo de Curitiba a partir da próxima semana vai poder colaborar com o Banco de Ração da Rede de Proteção Animal da Prefeitura. No passeio, podem ser doadas rações comerciais para cães e gatos secas ou úmidas, em embalagens fechadas, que serão distribuídas às ONGs e protetores de animais parceiros da Rede. 

Os interessados podem entrar no Agenda Online a partir das 20h desta sexta-feira (18). Serão abertos quatro horários por dia (10h, 11h, 14h e 15h) de terça-feira a sábado. As rações serão entregues na entrada do drive-thru à equipe de recepção dos visitantes.

Foto: Pedro Ribas/SMCS

“Além de matar as saudades dos animais do Zoo e aprender sobre eles de um jeito diferente, a população vai poder ajudar pets resgatados”, diz o diretor do Departamento de Pesquisa e Conservação da Fauna, Edson Evaristo.

O Banco de Ração da Prefeitura de Curitiba existe desde 2019. Até hoje foram distribuídas 107 toneladas de alimento para os animais resgatados.

Leia mais aqui

Butantan entrega mais 2,2 milhões de doses de vacina contra a covid-19

O Instituto Butantan fez hoje (18) a entrega de mais 2,2 milhões de doses da vacina contra o coronavírus CoronaVac. O imunizante vai ser distribuído pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) para ser usado em todo o país. 

Com o lote de hoje, o Butantan alcança a marca de 52,2 milhões de doses entregues desde janeiro. A previsão é que até o final de setembro o instituto tenha disponibilizado 100 milhões de doses da vacina ao PNI.

A entrega de hoje é referente ao processamento de 3 mil litros de ingrediente farmacêutico ativo (IFA) recebidos da China no último dia 25 de maio. A matéria-prima permitiu a produção de 5 milhões de doses.

O Butantan espera receber até o fim deste mês mais uma remessa com 6 mil litros de IFA para poder envazar mais 10 milhões de doses. 

Segundo os últimos dados disponibilizados pelo governo estadual, já foram aplicadas em São Paulo 20,2 milhões de doses, sendo 5,8 milhões da segunda dose da imunização.