Curitiba confirma 39ª Oficina de Música em janeiro. Inscrições abrem nesta terça-feira

Curitiba volta a respirar música. A Fundação Cultural e o Instituto Curitiba de Arte e Cultura confirmaram a realização da 39ª Oficina de Música de Curitiba, que acontecerá de 16 a 30 de janeiro, em formato híbrido, tanto na etapa pedagógica quanto na programação de espetáculos, shows e concertos abertos ao público.

Um dos eventos mais importantes do país na área de formação, a Oficina de Música de Curitiba que ocorreu integralmente de forma virtual na edição anterior, volta em 2022 com oferta de cursos presenciais descentralizados em vários espaços culturais da cidade, na região do Centro Histórico, e também com a opção on-line.  

“A música vai abraçar o Rosto da Cidade fazendo circular a encomia criativa com a movimentação controlada de alunos e professores que aqui estarão para aprender e ensinar música. Voltamos a respirar alegria, e a Oficina de Música traz esse acalanto para a vida e para alma”, destaca o prefeito Rafael Greca.

Inscrições

As inscrições para os cursos de aperfeiçoamento em música Erudita, Antiga e Popular abrem nesta terça-feira (7/12), no site www.oficinademusica.curitiba.pr.gov.br . Os valores dos cursos variam de R$ 100 (1 curso) a R$ 180 (3 cursos) para o presencial, e de R$ 30 (1 curso) a R$ 120 (pacote completo) na modalidade on-line.

Na sua 39ª edição, a Oficina de Música de Curitiba homenageia o compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos em referência ao centenário da Semana de Arte Moderna.

Para alunos, a Oficina oferece cerca de 100 cursos com aulas ministradas por professores de destaque no atual cenário musical do país e mundo.  

Em 2022 serão 50 cursos presenciais, com o máximo de 15 vagas por turma, e outros 50 na modalidade EAD.

“A programação pedagógica atenderá a milhares de alunos, oferecendo formação individual, aliado às práticas em conjunto, em um intenso trabalho sob a tutela individual ou coletiva de aproximadamente 80 professores e artistas consagrados do cenário nacional e internacional”, destaca Janete Andrade, coordenadora geral da Oficina de Música de Curitiba.

Os cursos serão divididos nas seguintes fases: música erudita (16 a 22 de janeiro), música antiga (16 a 29 de janeiro) e música popular (23 a 30 de janeiro).

Presencial

Para os cursos presenciais será feita uma seleção. Os inscritos deverão enviar até 17/12 um vídeo demostrando o nível de conhecimento para avaliação da organização do evento. A lista de aprovados será divulgada no dia 22 de dezembro, no site da Oficina de Música.

A modalidade presencial contará com seis aulas por curso, sendo uma on-line que pode ser adquirida de forma avulsa. Ou seja, quem quiser pode se inscrever apenas nessa última aula de um determinado curso, que transmitida diretamente do Teatro José Maria Santos, um dos espaços de cursos da 39º Oficina de Música de Curitiba.

Os cursos da modalidade EAD não terão processo seletivo, e as inscrições ficarão abertas até dia 9 de janeiro.

Para o público

Nesta edição a Oficina de Música de Curitiba manterá a tradição de espalhar uma programação de apresentações de concertos e shows pelos palcos da cidade, a maioria deles com entrada grátis e outra parte com preços populares. Serão cerca de 35 espaços como teatros, salas de concertos e parques que recebem a programação da Oficina de Música.  

Entre as atrações já confirmadas para essa edição estão Toquinho, Renato Borghetti e o músico e compositor Cláudio Nucci. Um dos fundadores do grupo Boca Livre, Nucci participa pela primeira vez de da Oficina de Música de Curitiba. A programação será recheada ainda de músicos da cena local.

A previsão da coordenação da Oficina de Música é colocar nos palcos da cidade mais de 120 apresentações abertas ao público, entre espetáculos de ópera, orquestras, bandas, duos e cantores e cantoras de vários estilos.

A programação ainda está sendo elaborada, mas prevê muitos palcos a céu aberto e transmissões ao vivo dos principais shows para o público acompanhar as atrações de casa.

Os eventos paralelos como a Oficina Verde, a Jazztronômica e o Circuito Off pelos bares e restaurantes também voltam a acontecer nessa 39ª Oficina de Música de Curitiba, bem como a mostra temática de cinema no Cine Passeio.

Musicalização pelas Regionais

Nesta edição a Oficina também retorna com atividades de musicalização para crianças e adolescentes em nove Regionais de Curitiba, por meio do projeto MusicaR, da Fundação Cultural de Curitiba.

As inscrições são de graça, podem ser feitas pelo site www.oficinademusica.curitiba.pr.gov.br no ícone Cursos, “Musicalização-Ruas da Cidadania”.

O MusicaR nas Regionais dará a largada para a Oficina de Música. As aulas acontecerão de 10 a 14 de janeiro nas Ruas da Cidadania. São 20 vagas para as crianças e adolescentes que já participam do MusicaR e outras 10 para crianças e jovens que não participam do projeto da Prefeitura.


Música pelo Rosto da Cidade

Nesta edição, os cursos da 39ª Oficina de Música vão ocorrer dentro de 15 espaços culturais já consagrados na cidade como Casa Hoffmann, Memorial de Curitiba, Conservatório de Música Popular Brasileira, Solar dos Guimarães, Solar da Cultura, Prédio histórico da Universidade Federal do Paraná, Teatro Guaíra e Capela Santa Maria e até Cine Passeio.

Quase todos os espaços destinados aos cursos da oficina são edificações histórica recuperada pelo programa Rosto da Cidade, da Prefeitura de Curitiba.  

Durante várias edições anteriores, a Oficina de Música concentrava os cursos num único espaço, como nas instalações da Pontifícia Universidade Católica (PUC-PR), no bairro Padro Velho.

Serviço:

Inscrições para a 39ª Oficina de Música de Curitiba
www.oficinademusica.curitiba.pr.gov.br

A partir de 7 de dezembro
Presencial: 1 curso (R$ 100), 2 cursos (R$ 150) e 3 cursos (R$ 180)
On-line: (curso único): R$ 30, R$ 120 (todos)
 

MÚSICA ERUDITA
(16 a 22 de janeiro)
50 cursos presenciais
50 cursos on-line
80 professores
Músicos destaques: pianistas Erika Ribeiro e Cristian Budu, o spalla da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Emmanuele Baldini; o violista Iberê Carvalho, o trompista Nikolay Genov, o violonista Everton Gloeden, os compositores Alexandre Lunsqui, Julian Maple-Oliveira e Màri Makó.

MÚSICA ANTIGA
16 a 29 de janeiro
15 cursos somente na modalidade online de Música Antiga
Professores convidados: Anna Besson (França) – flauta transversa barroca, Cecilia Bernardini (Holanda)  – violino,  Oliver Weber (inglaterra) – violino, Kristin von der Goltz (Alemanha) e Anderson Fiorelli (Brasil/Alemanha)– violoncelo barroco

MÚSICA POPULAR
23 a 30 de janeiro
11 cursos presenciais
11 cursos on-line
Professores convidados: a pianista Debora Gurgel, o saxofonista Gabriel Schwartz, o bandolinista Henrique Araújo o cavaquinhista Lucas Arantes e outros.

MusicaR nas Regionais
Grátis – 20 vagas por Regional
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

SOUQ Curitiba lança happy hour com mais de 20 opções em dobro

Entre elas estão o chopp pilsen da BeerMad, garrafa de vinho Victorium (tinto, branco ou rosé) do Wine Not?, combo The Sushi,  Happy Burger do Tee Jay’s , steak de ancho com polenta frita e molho de queijo do Parrilla del Puerto, Talharim Carbonara do Bella Italia e muito mais.

O Happy Hour do SOUQ também vem acompanhado de música ao vivo. Nessa semana, dia 09/08, quem anima a programação é Maycon Carvalho com POP e MPB. Já na quarta, 10/08, Hisaiti é quem assume o palco do SOUQ com o melhor do samba rock, pop rock e MPB.

O SOUQ tem amplo estacionamento, é pet Friendly e tem espaço kids supervisionado por monitoras para que os pais aproveitem sem preocupações enquanto seus filhos brincam e aprendem.

SOUQ: Av. Iguaçu, 4.399.

Com nova fábrica da Fiocruz, Curitiba avança para se tornar polo de inovação em biotecnologia

Prefeito Rafael Greca participa do evento em comemoração ao aniversário do Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP). Curitiba, 05/08/2022. Foto: Pedro Ribas/SMCS

O prefeito Rafael Greca participou, na noite desta sexta-feira (5/8), no Clube Curitibano,  da comemoração do aniversário do Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP), criado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e pelo Governo do Estado do Paraná para atuar no desenvolvimento tecnológico, inovação e produção industrial de soluções para a saúde. Greca destacou trabalho do IBMP durante a pandemia e o investimento na nova unidade de biotecnologia na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), que vai produzir insumos para vacinas e terapias avançadas em câncer.

Greca estava acompanhado da primeira-dama, Margarita Sansone.

Eu vim aqui marcar a inauguração da feliz ideia de uma nova planta industrial de ponta, com investimentos superiores a R$ 100 milhões. Curitiba está orgulhosa em receber o novo projeto, que reflete o bem que queremos à nossa gente e nossa terra. Mais saúde e proteção para nossas vidas. A nova planta do instituto vai contribuir para que a nossa CIC avance para se tornar um polo de empresas de inovação”, disse o prefeito.
 

Greca apoia instalação de “fábrica” de vacinas da Fiocruz em Curitiba

CIC vive nova onda de desenvolvimento, com investimentos de R$ 2 bilhões e abertura de empresas

O vice-presidente de produção e inovação em saúde da Fiocruz, Marco Aurélio Krieger, que no evento representou a presidente da empresa, Nísia Veronica Trindade Lima, ressaltou o papel do IBMP durante a pandemia de Covid-19. “O instituto teve uma atuação exemplar, reconhecido pela sociedade paranaense e brasileira. O IBMP é hoje considerado a joia da coroa da Fiocruz, que passa a olhar essa operação como modelo do seu próprio desenvolvimento”, afirmou.

Desde o início da pandemia, o IBMP produziu mais de 35 milhões de testes rápidos entregues ao SUS, por meio da Fiocruz, e, em tempo recorde, atuou no desenvolvimento e produção do teste molecular, utilizado como contraprova na confirmação do primeiro caso no Brasil. Também implantou a unidade de testagem molecular da Covid-19 no Paraná, responsável por processar mais de 3,5 milhões e meio de amostras.

“O IBMP nasceu já com o DNA da inovação que é marca da Fiocruz desde a sua fundação. A inovação é um processo sistêmico, que precisa ser alimentado com fomento, proteção e acesso a mercados. Curitiba tem tudo para ser um polo de ciência e tecnologia. Até 2023 vamos dobrar a capacidade, com investimentos de cerca de R$ 150 milhões, com duas ou três novas plantas, com produção de insumos estratégicos para vacinas e terapias de câncer, que hoje não são feitas no Brasil, que dependem de importações”, disse Pedro Ribeiro Barbosa, diretor-presidente do IBMP.

Nesta sexta-feira, o IBMP comemorou a fundação (1999) e a implantação da unidade em Curitiba (2009). A unidade de produção foi a primeira fora do Rio de Janeiro da Fiocruz, que ontem também celebrou os 150 anos do nascimento do cientista Oswaldo Cruz, seu fundador. Médico, bacteriologista epidemiologista e santarista, Cruz foi pioneiro no estudo de moléstias tropicais no Brasil. “Oswaldo Cruz derrotou a morte, com a grandeza de um Brasil que ousa pensar, que faz da inteligência um ofício e homens e mulheres de bem. E provou que a inovação só faz sentido quando se transforma em processo social”, destacou Greca.

Nova fábrica

O IBMP está adquirindo a área da Curitiba S.A. no Parque da Saúde CIC para construir uma planta industrial para a produção de insumos para vacinas e para terapias avançadas em câncer.  Serão duas plantas da área de biotecnologia na CIC. Uma é destinada ao desenvolvimento e produção de vacinas e insumos para terapias avançadas a partir de terapia gênica (que utiliza vetores, como moléculas de DNA do agente infeccioso para dentro da célula humana, para criar anticorpos). A outra planta será para o desenvolvimento e produção de novos medicamentos para doenças autoimunes a partir de proteínas terapêuticas, em uma estrutura inédita no país.

Também estiveram presentes ao evento, o secretario de Estado da Saúde, Cesar Augusto Neves Luiz; a presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, Cris Alessi; o vice-presidente de gestão e desenvolvimento institucional da Fiocruz, Mario Santos Moreira; o diretor presidente do Tecpar, Jorge Augusto Callado; o diretor do instituto Carlos Chagas/Fiocruz, Stênio Fragoso, demais diretores do IBMP e colaboradores do instituto.

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba