Curitiba, cidade mais inteligente conectada do Brasil, recebe segunda edição do Happy Tech

Reunindo um público maior e de diferentes momentos profissionais, a segunda edição do Happy Tech, organizado pelo ecossistema de inovação do Paraná, brindou a diversidade de ideias e o resultado que a soma de tudo isso representa. Foram convidados para o evento, realizado no Armazém Garagem Bar, em Curitiba/PR, empresários e, pela primeira vez, acadêmicos do setor de tecnologia da capital e algumas regiões do Paraná.

“Momentos como este são especiais e necessários. É quando acontece a união da diversidade, a troca, e isso é bem enriquecedor”, destacou Cris Alessei, presidente na Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação.

Cris fala com propriedade. Citando dados do Vale do Pinhão, programa de fomento aos movimentos techs da Prefeitura de Curitiba, ela informa que a capital, por exemplo, é a cidade mais empreendedora do Sul, também uma das sete comunidades mais inteligentes do mundo, a mais inteligente conectada do Brasil, o segundo ecossistema de startups do país, uma das três cidades brasileiras que mais empregou em 2022, e que é casa para três dos 21 unicórnios no Brasil. “Tudo isso só é possível de se conquistar com a presença dos atores que compõe todo o setor de tecnologia”, assinala.

A experiência inédita de reunir estudantes ao lado do empresariado gerou oportunidades. Caique Melh, estudante de Análise de Desenvolvimento de Sistema, saiu do Happy Tech com dois contatos no bolso. “O networking foi incrível. Esse contato com o pessoal é muito bom. Não é todo evento que proporciona isso”, comentou. Ruan Sidre, colega de turma do Caique e que mira seguir carreira no setor, já sabe para quem vai enviar seu currículo. “Peguei alguns contatos, trocamos bastante aqui no evento e vamos tentar. Tecnologia é o que eu quero e o evento nos aproximou muito”, disse. Para o empresário Denis Bonfá, da DocuSign, empresa que cuida da criação do armazenamento da assinatura digital, a troca de experiencia com os mais jovens oxigenou a rotina. “Me senti até mais jovem (risos). Parabenizo demais a organização pela iniciativa. Conversava aqui com uma pessoa que como seria importante se nós tivéssemos tido essa oportunidade quando nós éramos estudantes. Essa troca é bem importante”, observou.  

Gerando oportunidades

O nascimento do Happy Tech é fruto de uma necessidade identificada pelos empresários do setor de TI. Para eles, a aproximação de parceiros é importante para fomentar mais negócios e deixar ainda mais robusto o setor. A Associação das Empresas de Tecnologia do Paraná (Assespro-PR) é uma das apoiadoras do evento.

“Especialmente neste ano, quando os acadêmicos foram convidados, entendemos ainda mais a importância do evento. Somos gigantes no setor de TI, mas não raras vezes, nos deparamos com a falta de mão de obra especializada. O Happy Tech gerou essa oportunidade, para empresário e estudante. Além disso, sabemos que os bancos acadêmicos produzem conteúdo e essa juventude cheia de ideia é muito bem-vinda para o setor”, destacou o presidente Lucas Ribeiro. “Entendemos que o Paraná tem um grande potencial para o setor e o Happy Tech veio para conectar tudo isso”, compartilhou Paulo Raymundi, um dos organizadores do evento.

Leve e descontraído, o evento contou com a apresentação dos apoiadores em breves pitchs, e teve ainda a participação dos comediantes Cadu Scheffer e Claudinho Castro, artistas do grupo curitibano de humor Tesão Piá. 

Além da Assespro e Vale do Pinhão, apoiaram a segunda edição também a agência Engenharia de Comunicação – Assessoria de Imprensa, o Sebrae, o Núcleo de Tecnologia da Informação, o Software by Maringá, a Sociedade dos Usuários de Tecnologia do Paraná, a Associação Brasileira de Tecnologia, Inovação e Comunicação Brasil e a Associação de Empresas de Tecnologia do Oeste do Paraná.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você se sente segura nos apps de transporte?

De acordo com dados dos institutos Patrícia Galvão e Locomotiva, apoiados pela empresa de transporte Uber, cerca de 97% das mulheres brasileiras com mais de 18 anos já foram de alguma forma assediadas em transportes públicos ou privados do país. Isso a partir de uma amostragem de 1.081 mulheres entrevistadas, o que significa mais de mil casos diretos de assédio relatados somente durante a pesquisa.

Os aplicativos de mobilidade urbana são também terreno fértil da ação de criminosos, como testemunha Rosângela Ramos, motorista particular que foi vítima de assalto durante corrida noturna e que ficou traumatizada a partir do risco de vida que correu. Foi pensando na segurança de passageiras e motoristas que Ana Maria, Cristiane Bernardes e Larissa Colombo criaram o Drivers Mulheres, um app exclusivo para o sexo feminino.

As empresárias contam que “o aplicativo que está ativo em Curitiba, Ponta Grossa e regiões metropolitanas oferece uma segurança maior, já que permite apenas mulheres ou homens acima de 60 anos acompanhados por elas”. As mães também podem embarcar com filhos de até 12 anos, e a segurança transmitida por essas corridas faz com que o dia a dia delas seja facilitado.

Da gerência à corrida, o app feito de mulher para mulher ajuda centenas de pessoas a se locomoverem mais rápido e com mais confiança. Vale ressaltar ainda que “àquelas que desejam se tornar motoristas, o aplicativo oferece taxas mais acessíveis pensando na geração de renda para as chefes de família e na valorização do trabalho feminino”, finalizam as diretoras.

Serviço: Drivers Mulheres

App de transporte exclusivo de mulher para mulher

(41) 99789-3305

Instagram: @driversmulheres

Android e IOS: Drivers Mulheres – Passageira | Drivers Mulheres – Motorista

www.driversmulheres.com.br

Curitiba é a cidade mais empreendedora do Brasil pelo segundo ano consecutivo e atrai investimentos da franquia Bio Mundo

Pelo segundo ano consecutivo, Curitiba (PR) ficou em primeiro lugar na categoria Empreendedorismo do Ranking Connected Smart Cities 2022. A capital paranaense ainda superou São Paulo (SP) e se tornou a cidade mais conectada e inteligente do país, além de se manter entre as três mais bem ranqueadas na avaliação geral desde a primeira edição do levantamento, em 2015.

Fruto de um estudo elaborado pela consultoria em inteligência de mercado Urban Systems, em parceria com a criadora de plataformas de conteúdo Necta, o ranking mapeia todos os 680 municípios com mais de 50 mil habitantes. O objetivo é definir as cidades com maior potencial de desenvolvimento do Brasil, levando em conta 75 indicadores em 11 eixos temáticos.

O resultado reflete-se nos números. De janeiro a julho deste ano, foram gerados 30,2 mil novos empregos com carteira assinada – o maior desde 2003. Com quatro polos tecnológicos e 12 incubadoras, Curitiba registrou, no mesmo período, crescimento de 2,44% no número de empresas de tecnologia e aumento de 17,3% entre as microempresas individuais.

O cenário atrativo para negócios tem despertado o interesse de investidores Brasil afora, que encontram na capital paranaense uma oportunidade para empreender e movimentar a economia local. É o caso do engenheiro civil, e agora empresário, Patrick François Amorim, que recentemente escolheu a cidade para abrir seu primeiro empreendimento comercial.

Morador de Brasília (DF) e bem estabelecido no segmento da construção civil, Patrick vinha avaliando possibilidades de investimento em um negócio próprio há alguns anos. Em 2019 ele se reuniu pela primeira vez com gestores da Bio Mundo, franquia originada na capital federal e hoje a rede mais completa de produtos naturais do Brasil, e a partir daí iniciou os estudos de viabilidade financeira.

O sonho, no entanto, ficou suspenso por quase três anos, em razão da pandemia de Covid-19. Com o retorno gradual da economia do país, em 2022 Patrick tirou os planos do papel e firmou uma sociedade com o sogro, Adir Cortiano, que é aposentado e morador de Curitiba, para começar o empreendimento em um tradicional shopping da cidade. O franco crescimento da capital paranaense e o apoio do sócio foram determinantes para a tomada de decisão.

“Conheci a Bio Mundo desde o início da montagem da primeira loja em Brasília, em 2015. Sob a perspectiva de cliente, acompanhei o crescimento e a forte expansão da marca. Ao conhecer o modelo de franquia, fiquei impressionado com a qualidade e o profissionalismo da empresa”, explica Patrick.

De acordo com ele, a primeira loja aberta na cidade é apenas o primeiro passo para novos investimentos em Curitiba. “A expansão é um caminho certo, afinal fizemos o plano de negócios e os estudos sobre a localização e sabemos que ainda há muito o que explorar, especialmente no mercado de bem-estar, já que a busca por qualidade e alimentos saudáveis têm crescido muito, e isso a Bio Mundo entrega com maestria”, avalia.

SERVIÇO

Evento de inauguração da Bio Mundo Shopping Mueller

Com degustação de produtos e entrega de brindes

Data: 22/10/2022 (sábado)

Horário: a partir das 10h

Local: Shopping Mueller – Piso L2

Endereço: Av. Cândido de Abreu, 127 – Centro Cívico. Curitiba (PR)

Sobre a Bio Mundo

Rede de lojas de produtos naturais e nutrição esportiva, a Bio Mundo foi fundada em 2015, em Brasília, pelo empresário Edmar Mothé. Adriana, uma das filhas, foi quem deu origem à criação da marca, pois precisava de uma alimentação específica em razão de necessidades nutricionais particulares.

Em apenas sete anos de história, a Bio Mundo já possui mais de 150 lojas espalhadas em 17 estados do Brasil, conta com mil produtos em prateleira e mais de 200 opções de produtos à granel, entre itens diet, light, integrais, veganos, sem glúten, sem lactose, funcionais, vegetarianos, entre outros. A empresa é a vencedora do Prêmio Líderes do Brasil e detentora do Selo de Excelência em Franchising pela Associação Brasileira de Franchising (ABF).