Curitiba autoriza volta de público aos estádios

Curitiba mantém bandeira amarela de alerta contra a covid-19 pela sétima semana consecutiva e passa a permitir a presença de público em eventos esportivos, mas com medidas de segurança.

Após a avaliação dos indicadores epidemiológicos da semana de 11 a 17 de agosto, o Comitê de Técnica e Ética Medica da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) decidiu pela renovação das regras restritivas, com algumas mudanças.

Será permitido público nos eventos esportivos, com limitação máxima de cinco mil pessoas, desde que respeitada a ocupação de 20% da capacidade do local. Para participar será necessário apresentar exame RT-PCR ou antígeno para detecção do novo coronavírus de amostra coletada em até 48 horas antes da data do evento, com resultado negativo, mesmo para quem já tomou as doses da vacina. Também não será permitida a comercialização e o consumo de alimentos e bebidas alcóolicas no local.

A segunda mudança estipulada é a permissão de venda de produtos em tabacarias, mas a proibição de consumo no local continua vigente.

As novas regras estarão no Decreto Municipal 1.340, que será publicado ainda nesta quarta-feira (18/8). O decreto começa a valer a partir da publicação e terá duração de duas semanas, até 1º de setembro.

Cenário de cautela

A avaliação dos indicadores está em 1,85. A pontuação está abaixo de 2, nota que indica necessidade de mudança de bandeira, porém o momento exige cautela, pois a nota é um pouco pior que na semana anterior (1,74).

A média móvel de novos casos nos últimos sete dias está em 664, um aumento de 54% em relação há 14 dias. O número de casos ativos também apresenta alta de 24% no mesmo período.

Já a taxa de retransmissão (RT), que indica o número de contaminados por cada pessoa na fase ativa da doença, ficou em 1,05. Embora acima de 1, o que significa progressão dos casos, a taxa apresentou redução com relação a semana anterior, quando o índice estava em 1,16.

A capacidade de resposta do sistema hospitalar, taxa de maior peso na pontuação da bandeira, também segue em estabilidade, mesmo com a desativação de leitos. A ocupação da UTI está em 68% nesta quarta-feira (18/8) e a ocupação dos leitos clínicos está em 71%.

“Embora os casos tenham aumentado, não se observa o agravamento, o que pode ser visto como algo positivo. Mas, ressalto que a pandemia não acabou, não é vida normal, devemos continuar com todos os cuidados”, esclarece a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

Outro ponto positivo para o cenário da pandemia é o avanço da vacinação contra a covid-19, que resulta na diminuição da gravidade da doença. Até agora, 83,1% dos moradores da cidade acima de 18 anos já tomaram ao menos uma dose da vacina.

Com a vacinação associada ao cumprimento de protocolos cumprimento, Curitiba vive um cenário de estabilidade da pandemia.

Veja como ficam as principais atividades

Atividades suspensas

– Estabelecimentos destinados ao entretenimento, tais como casas de shows, casas noturnas e atividades correlatas;
– Eventos esportivos com público externo;
– Consumo local nas tabacarias;
– Reuniões com mais de 300 pessoas, incluindo comemorações, confraternizações e encontros familiares, em espaços localizados em bens públicos ou privados;
– Consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas, salvo em feiras livres e de artesanato.

Atividades liberadas com protocolos

– Atividades comerciais de rua não essenciais, galerias, centros comerciais e shopping centers;
– Atividades de prestação de serviços não essenciais, tais como escritórios em geral, salões de beleza, barbearias, atividades de estética, serviços de banho, tosa e estética de animais, floriculturas e imobiliárias;
– Academias de ginástica e demais espaços para práticas esportivas individuais e coletivas;
– Restaurantes, lanchonetes, panificadoras, padarias, confeitarias e bares;
– Lojas de conveniência em postos de combustíveis;
– Comércio varejista de hortifrutigranjeiros, quitandas, mercearias, sacolões, distribuidoras de bebidas, peixarias, açougues, e comércio de produtos e alimentos para animais;
– Mercados, supermercados, hipermercados e lojas de material de construção;
– Feiras livres;
– Parques infantis e temáticos: sendo permitida apenas a utilização de equipamentos/brinquedos e espaços lúdicos com o distanciamento mínimo de 1,5 (um metro e meio) entre os usuários, em todas as direções, realizada a assepsia após o uso por cada pessoa ou grupo de pessoas, vedado o funcionamento de piscina de bolinhas;
– Feiras de artesanato, teatros, cinemas, museus e circos;
– Casas de festas e de recepções, incluídas aquelas com serviços de buffet, e salões de festas em clubes sociais e condomínios: autorizado até 300 (trezentos) convidados, desde que seja respeitada a capacidade de ocupação de 50% da capacidade do local;
– Eventos corporativos, de interesse profissional, técnico e/ou científico, como jornadas, seminários, simpósios, workshops, cursos, convenções, fóruns e rodadas de negócios: autorizado até 300 (trezentos) participantes, desde que seja respeitada a capacidade de ocupação de 50% da capacidade do local;
– Mostras comerciais, feirões e feiras de varejo;
– Hotéis, resorts, pousadas e hostels deverão funcionar com até 70% (setenta por cento) da sua capacidade de público;
– Nos parques e praças, fica permitida a prática de atividades individuais e coletivas ao ar livre, com uso de máscaras, observado o distanciamento social;
– As igrejas e os templos de qualquer culto deverão observar a Resolução n.º 440, de 30 de abril de 2021, da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, que regulamenta a realização das atividades religiosas de qualquer natureza;
– Hotéis, resorts, pousadas e hostels deverão funcionar com até 70% (setenta por cento) da sua capacidade de público;
– Nos parques e praças, fica permitida a prática de atividades individuais e coletivas ao ar livre, com uso de máscaras, observado o distanciamento social;
– As igrejas e os templos de qualquer culto deverão observar a Resolução nº 705, de 30 de julho de 2021, da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, que regulamenta a realização das atividades religiosas de qualquer natureza;
– Eventos esportivos com público externo, autorizado até 5.000 (cinco mil) participantes, desde que seja observada a ocupação de 20% (vinte por cento) da capacidade de público prevista no Certificado de Licenciamento do Corpo de Bombeiros – CLCB, com acesso restrito a pessoas que testaram negativo em teste RT-PCR ou Pesquisa de Antígeno para detecção do vírus SARS-COV-2 coletado até 48 horas antes da data do evento, realizado por laboratório de análises clínicas ou unidades de prestação de serviços de saúde devidamente autorizados pelas autoridades sanitárias, proibida a comercialização e o consumo no local de alimentos e bebidas alcoólicas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Curitiba promove ações em estilo test drive para incentivar adoção de cães

Curitiba promove ações em estilo test-drive para incentivar adoção de cães. Curitiba, 04/10/2022. Foto: Hully Paiva/SMCS

Um “test drive” para incentivar a adoção dos animais da cidade está entre as ações que a Prefeitura de Curitiba lança na Semana da Proteção Animal, aberta nesta terça-feira (4/10), na Secretaria Municipal do Meio Ambiente. A Rede de Proteção Animal também vai reforçar a divulgação das adoções de sucesso, fazer entregas do Banco de Ração e dar início ao censo animal na cidade. 

A partir desta semana, entram em prática os programas Lar Adotivo e Passeio para Adoção. No Lar Adotivo, famílias poderão levar cães previamente treinados para passar uma ou mais noites em suas casas. Quem preferir, pode levar os animais ao Passeio para Adoção, por um período mais curto, de cerca de três horas (leia mais abaixo).

A participação acontece mediante o preenchimento de um formulário on-line.

Os bichinhos são do Centro de Referência para Animais em Situação de Risco (Crar) que, em especial, acolhe os cães e gatos recolhidos pela ambulância de resgate animal. Após a recuperação, eles são encaminhados para adoção.

As ações têm a parceria da UFPR. Para a secretária Marilza do Carmo Oliveira Dias, é uma união muito importante para aumentar os índices de adoção da cidade. “Essa parceria vem fortalecer o trabalho da Proteção Animal no município”, acredita.

O diretor de Pesquisa e Conservação da Fauna, Edson Evaristo, reforça que a ideia é manter os programas a longo prazo. “A adoção é um dos pilares do trabalho da Rede de Proteção, que vem trabalhando também na política de castração e educação para a guarda responsável e contra o abandono”, explica.

Adoção: Outras atividades

Durante o evento desta terça, ONGs receberam vouchers para retirada de insumos pelo Banco de Ração para o mês de outubro, totalizando quase 13 toneladas. Criado em 2019, o programa já distribuiu mais de 114 toneladas de alimentos.

E o Projeto Ajudei, instituição selecionada para ajudar a abrigar os animais resgatados, assinou contrato com o município. Foi assinado também o contrato para início do trabalho do Censo Animal, que deve ser concluído em cerca de um ano, ampliando a informação sobre a população de cães e gatos em Curitiba.

Acompanharam o lançamento o superintendente de Controle Ambiental da Secretaria do Meio Ambiente, Marcos Traad; a professora de Medicina Veterinária da UFPR Rita Garcia; e as equipes da Rede de Proteção Animal e da Secretaria do Meio Ambiente.

Adoção: Lar adotivo e passeio

Com foco em aumentar os números da adoção de forma responsável, a partir desta semana entram em prática os programas Lar Adotivo e Passeio para Adoção, em parceria com a UFPR e parte de uma pesquisa de doutorado da instituição.

A participação acontece mediante o preenchimento de um formulário on-line. Os interessados receberão o contato da Rede de Proteção Animal para combinar a melhor data.

No Lar Adotivo, famílias poderão levar cães  previamente treinados do Centro de Referência para Animais em Situação de Risco (Crar) para passar uma noite ou várias noites em suas casas.

“Eles vão com kits com coberta, vasilhas de água e comida e ração, tudo personalizado”, conta a chefe da Rede de Proteção Animal, Sueli Sasaoka. Esse contato permitirá que a família interaja com o cão fora do abrigo, o que aumenta a chance de uma futura adoção.

Quem preferir, pode levar os animais para passeios mais curtos, de cerca de três horas, que podem acontecer todos os dias da semana, pela manhã ou à tarde. Os cães que participam são também treinados. No Passeio para Adoção, eles saem com um colete com o bordado “Me Adote”.

A idealizadora dos programas, a doutoranda da UFPR Ana Lucia Baldan, conta que o principal diferencial é trabalhar o comportamento dos cães para que eles estejam aptos a se adaptar às novas famílias. “Os interessados não correm risco de ter um animal que não sabe se comportar em casa”, comenta.

O incentivo à adoção de animais é uma das frentes de trabalho da Rede de Proteção Animal do município, que já promoveu a castração gratuita de mais de 90 mil cães e gatos; além de avaliações clínicas gratuitas, com atendimentos básicos e vacinação, também em parceria com a UFPR; e a distribuição de alimentos pelo Banco de Ração.

Adoção: Programação

A semana termina com uma edição especial do evento de adoção Amigo Bicho, que volta ao Parque Barigui, no sábado (8/10), das 10h às 16h, com patrocínio do pet shop Rei dos Animais, que doa a estrutura para o evento e mais duas toneladas de ração para o Banco de Ração da Prefeitura de Curitiba.

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

Personagem Mafalda é tema de mostra literária no Boqueirão

Personagem Mafalda é tema de mostra literária no Boqueirão

Fãs da personagem Mafalda, do cartunista argentino Quino, têm até o fim desta semana para conferir o Varal Literário temático montado pela equipe da Casa da Leitura Wilson Martins, na Rua da Cidadania do Boqueirão. A escolha da menina questionadora para a exposição é uma homenagem ao artista, que completou 2 anos de falecimento na última sexta-feira (30/9) e os quase 60 anos de publicação da primeira tira.

A mostra está na entrada da biblioteca, que é uma das unidades da Gerência de Literatura da Fundação Cultural, desde meados de setembro, e é formada por tiras selecionadas pela mediadora de leitura Juliana Souto e sua assistente, a estudante de Letras Rebeca Dias. “A ideia é que o público pare para ver a exposição antes de chegar ao nosso guichê”, explica Rebeca, que destaca a crítica social e atemporal continuamente feita por Mafalda. “Ela tem um olhar político sobre tudo e que sempre vai surpreender o leitor”, completa.

Exposição e marcador

Depois de pesquisar e selecionar as tiras, Juliana e Rebeca organizaram o material no expositor suspenso. O trabalho também embasou rodas de leitura oferecidas na Casa e a confecção de um mimo para os visitantes: cópias avulsas de outras tiras da personagem, para levar para casa, e que podem servir como marcador de livro. Quem quiser pode colorir as peças.

A primeira tira de Mafalda – a menina de 6 anos que usa um grande laço de fita vermelha no cabelo – foi publicada há 58 anos, em setembro de 1964. Porém, começou a ficar famosa no ano seguinte. Foi em 1965, quando passou a frequentar as edições diárias do jornal Mundo, de Buenos Aires, a capital Argentina. A personagem agradou tanto o público que sobreviveu ao fechamento do periódico e tornou seu criador um dos mais famosos artistas gráficos de humor do mundo.

Serviço: Mafalda no Varal Literário

Data: até sexta-feira (7/10), das 8h30 às 17h30

Local: Casa da Leitura Wilson Martins (Avenida Marechal Floriano, 8.430, mezanino, na Rua da Cidadania do Boqueirão)

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba