Covid: Paraná ultrapassa marca de 3 milhões de pessoas vacinadas com a primeira dose

Mais de 3 milhões de paranaenses já iniciaram sua imunização contra o coronavírus. A marca foi ultrapassada nesta quarta-feira (10): segundo o Vacinômetro do Sistema Único de Saúde, foram 3.002.506 primeiras doses (D1) aplicadas. O número corresponde a 28,75% da população paranaense.

No total, o Paraná já administrou 4.253.371 doses, sendo as outras 1.250.865 referentes à dose de reforço (D2), que completa o ciclo de imunização. O número representa 11,97% dos paranaenses, e 41,66% dos que tomaram a D1. O Vacinômetro é atualizado em tempo real com informações da Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS), abastecida pelos municípios.

Das primeiras doses aplicadas, a maior parte (56,3%) foram vacinas Covishield, produzidas na parceria AstraZeneca/Oxford/Fiocruz. 38,8% correspondem à Coronavac, do Instituto Butantan/Sinovac, e 4,8% à Comirnaty, vacina da Pfizer/BioNTech.

“Alcançamos mais um marco importante para vencer a pandemia no Paraná. O único caminho para isso é através da vacinação, nossa principal estratégia de combate ao coronavírus. Por isso, precisamos continuar avançando em aplicar doses no maior número possível de paranaenses, e no menor tempo”, incentiva Beto Preto, secretário estadual da Saúde.

GRUPOS PRIORITÁRIOS 

Os grupos prioritários que tiveram o maior número absoluto de aplicação da D1 são as pessoas de 60 a 64 anos, com 675 mil doses, seguido por comorbidades (430 mil), 65 a 69 anos (420 mil), trabalhadores de saúde (375 mil) e 70 a 74 anos (307 mil).

Outros grupos que também já foram contemplados pela vacinação, segundo o painel, são os idosos acima de 75 anos, trabalhadores da educação do ensino básico, indígenas, quilombolas, forças de segurança e salvamento, pessoas com deficiência permanente grave, pessoas com deficiência institucionalizadas, população ribeirinha, gestantes e puérperas, e trabalhadores portuários, aéreos e de transporte coletivo rodoviário.

Nas remessas mais recentes de vacinas enviadas pelo Ministério da Saúde, os grupos de trabalhadores do ensino superior e caminhoneiros também serão contemplados. Além disso, o Estado começou a vacinar a população em geral por faixa etária. A meta do Governo do Estado é vacinar toda a população com mais de 18 anos até o fim deste ano.

MUNICÍPIOS 

Entre os municípios que mais vacinaram com a primeira dose em números absolutos, Curitiba lidera o ranking com 531.611 doses, seguida por Londrina (150.550), Maringá (160.194), Cascavel (82.606) e Foz do Iguaçu (73.921).

Segundo o Ranking da Vacinação mantido pela Secretaria Estadual da Saúde, as cidades que proporcionalmente mais aplicaram a D1 na sua população são São Jorge d’Oeste (53%), Kalore (46,2%), Paranaguá (43,2%), Maringá (43,1%) e Capanema (42,3%).

Quando consideradas as duas doses, que completam a imunização do cidadão, os rankings mostram pouca mudança. Nos números absolutos, Curitiba tem 763.140 doses totais administradas, seguida por Londrina (233.934), Maringá (234.632), Cascavel (122.444) e Ponta Grossa (64.346).

No ranking proporcional, Maringá lidera com 20,5% da população imunizada, seguida por São Jorge D’Oeste (20,2%), Capanema (19,6%), Miraselva (18,9%) e Terra Roxa (18,7%).

VACINAÇÃO 

Nesta semana, o Estado recebeu mais 145 mil doses de vacinas da Pfizer/BioNTech e 238 mil doses da AstraZeneca/Oxford/Fiocruz, compondo a 23ª pauta de distribuição do Ministério da Saúde.

As doses são destinadas aos grupos de pessoas com comorbidades e deficiência permanente, gestantes e puérperas, trabalhadores do ensino básico, forças de segurança e salvamento e forças armadas, povos e comunidades tradicionais ribeirinhos, trabalhadores da assistência social, trabalhadores portuários, trabalhadores do transporte aéreo, e trabalhadores do ensino superior.

Com a nova remessa, o Paraná ultrapassa as seis milhões de doses recebidas. Também é esperada, para esta sexta-feira (11), a chegada de uma nova vacina: a Janssen, fabricada pelo braço farmacêutico da Johnson & Johnson. A vacina, aplicada em dose única, será destinada ao grupo prioritário dos caminhoneiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja o cronograma da dose de reforço da vacina contra a covid

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) divulga o cronograma da aplicação da dose de reforço da vacina anticovid. Deverão ser atendidas quase 78 mil pessoas que receberam a segunda dose entre 7 e 23 de julho (programação abaixo).

Com o novo cronograma, Curitiba antecipa a dose de reforço em até dez dias para os novos convocados. A decisão segue uma recomendação do Comitê de Técnica e Ética Médica da Secretaria Municipal da Saúde, que considerou a disponibilidade atual de doses em estoques, a chegada de uma nova variante de preocupação aos país (ômicron), além da proximidade das comemorações de festas de fim de ano e viagens.

“A dose de reforço ajuda a manter o sistema imunológico ativo contra a covid-19, o que é fundamental neste momento, considerando a chegada da nova variante e as festas e viagens do fim do ano. Como atualmente temos essas doses em estoque, tomamos a decisão de adiantar o reforço alguns dias para que nossa população fique mais protegida”, afirma a secretária municipal da saúde de Curitiba, Márcia Huçulak.

Os convocados para receber a dose de reforço nesta semana receberam uma mensagem pelo aplicativo Saúde Já até a sexta-feira passada (3/12), avisando que estão elegíveis para retornar aos pontos de vacinação.

Quem não puder comparecer no dia da convocação ou quem está com a dose de reforço em atraso pode buscar os pontos de vacinação, de segunda a sexta-feira. A Saúde tem mantido a repescagem contínua para primeira dose, segunda dose e dose de reforço.

Confirme os endereços

Os locais de vacinação podem sofrer alterações de acordo com o público estimado para receber vacina a cada dia. Antes de procurar uma unidade, confira as que farão a aplicação no site Imuniza Já.

Janssen

Pessoas vacinadas com imunizantes da farmacêutica Janssen ainda não poderão tomar a dose de reforço neste momento. A indicação atual do Ministério da Saúde é que estas pessoas recebam uma outra dose do mesmo imunizante num período entre dois a seis meses após a primeira aplicação. O município ainda aguarda o recebimento de doses para esta convocação.

Orientação para receber a dose de reforço

Para receber a dose de reforço, basta procurar um dos pontos de vacinação da cidade, das 8h às 17h, levar um documento de identificação com foto e CPF.

Quem pode receber a dose de reforço na próxima semana

– Segunda-feira, 6 de dezembro: todos com 18 anos ou mais vacinados com a segunda dose até 14 de julho;
– Terça-feira, 7 de dezembro: todos com 18 anos ou mais vacinados com a segunda dose até 17 de julho;
– Quarta-feira, 8 de dezembro: todos com 18 anos ou mais vacinados com a segunda dose até 20 de julho;
– Quinta-feira, 9 de dezembro: todos com 18 anos ou mais vacinados com a segunda dose até 21 de julho;
– Sexta-feira, 10 de dezembro: todos com 18 anos ou mais vacinados com a segunda dose até 23 de julho.

Outros grupos e repescagens

Os pontos de vacinação também seguem aplicando nos dias úteis:

Primeira dose
– Primeira dose para pessoas com 12 anos completos ou mais;

Segunda dose
– Segunda dose agendada;
– Repescagem de segunda dose de pessoas anteriormente convocadas;

Dose de reforço
– Dose de reforço agendada;
– Repescagem de dose de reforço de pessoas anteriormente convocadas.

Brasil supera marca de 90% da população-alvo vacinada com a 1ª dose

A Campanha de Vacinação contra a covid-19 do Brasil ultrapassou a marca de 90% da população-alvo com a primeira dose da vacina. Com o avanço na imunização dos brasileiros contra a doença, nove estados já ultrapassaram essa marca. Entre os estados que mais aplicaram a primeira dose do imunizante estão Santa Catarina, Roraima, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraíba, Piauí, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Para o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, isso se deve à política do governo em adquirir, logo no início, mais de 550 milhões de doses de vacina contra a covid-19. Dessas, mais de 378 milhões já foram distribuídas e 314 milhões foram aplicadas, graças a um forte programa de imunização.

“Nós temos um Programa Nacional de Imunizações (PNI), que é forte e realiza hoje uma das maiores campanhas de vacinação da história do Brasil. Se juntarmos os outros agentes imunizantes do Calendário de Vacinação brasileiro, ao todo, são quase 1 bilhão de doses de vacina. Isso só demonstra que o nosso Sistema Único de Saúde é forte, que foi capaz de implementar e colocar em prática uma campanha de vacinação tão importante e significativa”, disse.

De acordo com o ministério, “das mais de 314,1 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 aplicadas, 159,5 milhões de brasileiros iniciaram o ciclo vacinal e 140,5 milhões completaram o esquema com a segunda dose ou dose única do imunizante. Com o envio de doses de reforço, 14,1 milhões de brasileiros já reforçaram a imunidade com a dose adicional ou de reforço. Para 2022, mais de 354 milhões de doses estão garantidas para dar continuidade à campanha no próximo ano”.