Covid-19: Brasil negocia com nove laboratórios sobre possíveis vacinas

O Brasil mantém tratativas com nove laboratórios ou centros de pesquisa atuando em estudos e no desenvolvimento de vacinas contra a covid-19. Com os responsáveis pelas vacinas Oxford e Astrazeneca e do consórcio da OMS Covax Facility, já foram celebrados acordos para a aquisição de 140 milhões de doses no primeiro semestre de 2021, que serão disponibilizadas pelo Programa Nacional de Imunização.

O balanço foi apresentado ontem (8), em entrevista coletiva do Ministério da Saúde. As nove iniciativas de pesquisa são: Oxford/Astrazeneca (Reino Unido), Sinovac/Butantan (China), Pfizer (Estados Unidos e Alemanha), Sinopharm (China), Sputinik5 (Rússia), Covaxx e Novavax (Estados Unidos), Janssen (Bélgica) e Merck (Estados Unidos, França e Áustria). 

No caso da vacina de Oxford, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), responsável por sua fabricação no Brasil a partir da transferência de tecnologia do laboratório Astrazeneca, deu entrada no processo de submissão contínua na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Este é o momento em que os proponentes de uma vacina começam a fornecer informações e abrem o processo de análise pela Anvisa.

De acordo com a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, há perspectiva de resultados dos estudos da Fase 3 em novembro ou dezembro. Esta é a etapa em que a substância é analisada em sua aplicação em humanos. Os testes estão a cargo da Universidade Federal de São Paulo (USP).

Pelo acordo firmado, a Fiocruz vai receber o ingrediente farmacêutico ativo e deve terminar a primeira entrega de 30 milhões de doses até janeiro de 2021. Para o primeiro semestre do próximo ano, mais 100 milhões de doses. O intuito é ter no segundo semestre entre 100 e 165 milhões, totalizando entre 200 e 265 milhões no ano que vem. “Isso depende da complexidade do processo de incorporação de tecnologia”, justificou Nísia Trindade. 

Covax facility

Outra frente de atuação do governo brasileiro está no consórcio de países organizado pela OMS Covax facility. O secretário executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco, informou que o Brasil pagou no dia 7 de outubro a primeira parcela. Com isso, o país passa a ter direito a resultados positivos das pesquisas e de eventuais vacinas desenvolvidas no âmbito do projeto.

O país já assegurou 40 milhões de doses para o primeiro semestre de 2021. Como a aplicação pode demandar duas doses por pessoa, Franco estimou que o produto beneficie 20 milhões de pessoas, cerca de 10% da população.

Foram escolhidos como público-alvo dessa vacina profissionais de saúde e pessoas que estão no chamado grupo de risco, que abrange idosos (60 anos ou mais) ou que apresentem condições médicas que as tornam mais vulneráveis à covid-19.

“Já temos garantido para o primeiro semestre de 2021 o acesso a 140 milhões de doses para aderir ao nosso Programa Nacional de Imunização”, afirmou o secretário executivo do Ministério da Saúde.

Programa de vacinação

Caso alguma das vacinas tenha êxito nas análises, a aplicação na população, ou nos segmentos selecionados, ocorrerá pelo Programa Nacional de Imunização.

A participação exigirá a oferta do CPF, como foi explicado pelo diretor do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (SUS), Jacson Venâncio de Barros. “O registro vai permitir o monitoramento constante de eventos adversos. Podemos ter uma, duas três, vacinas. E quando tivermos 3, 4, 10? Se não tivermos controle, ele vai tomar uma vacina A e B. A identificação unívoca vai permitir que a gente tenha a carteira nacional digital de vacinação”, justificou.

Informações Agência Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curitiba amplia repescagem da vacinação para nascidos até 1985

A Secretaria de Saúde de Curitiba ampliou a repescagem para vacinação contra a covid-19 e nesta sexta-feira (30/7) serão atendidas as pessoas nascidas até 1985 que ainda não tomaram a primeira dose do imunizante. 

Além da repescagem, nos 19 pontos de vacinação (lista abaixo) estão sendo atendidas também gestantes e puérperas (mulheres que deram à luz até 45 dias atrás).

Gestantes e puérperas

Para a vacinação das gestantes e puérperas, a Secretaria da Saúde segue as orientações da Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações, que indica mulheres desse grupo, a partir de 18 anos, somente com os imunizantes Coronavac ou Pfizer.

Além disso, a vacinação contra a covid-19 também está condicionada a uma avaliação individualizada, compartilhada entre a mulher e seu médico.

As gestantes acompanhadas pela rede privada devem apresentar nos postos de vacinação da cidade a declaração emitida pelo médico por meio do Portal do Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR).

Já as gestantes e puérperas acompanhadas pelo SUS Curitibano deve buscar orientação na sua unidade de saúde onde faz o pré-natal. Neste caso, a declaração será incluída no prontuário do E-Saúde e a gestante/puérpera pode procurar um dos pontos de vacinação da cidade.

Orientação para receber a vacina

Para receber a vacina a SMS orienta fazer o cadastro antecipado na plataforma Saúde Já pelo site www.saudeja.curitiba.pr.gov.br ou pelo aplicativo do celular. O cadastro agiliza o processo da vacinação.

Também é preciso apresentar um documento de identificação com foto, CPF e um comprovante de residência com endereço de Curitiba (no caso de estar no nome do cônjuge, deve ser apresentada também certidão de casamento ou de união estável).

A partir de agora, com a vacinação de faixas etárias mais jovens, a Secretaria Municipal de Saúde também aceitará comprovante de residência no nome do pai ou da mãe, anexado a um documento que comprove a filiação.

Já para os casos de locações não formalizadas por imobiliárias, deverá ser apresentado o comprovante do endereço da residência com uma declaração do proprietário do imóvel, com responsabilização legal pela locação e pela informação.

Locais de vacinação 

Das 8h às 17h

1 – Pavilhão da Cura
Parque Barigui (entrada somente pela BR-277)

2 – US Ouvidor Pardinho
Rua 24 de Maio, 807 – Praça Ouvidor Pardinho

3 – Centro de Referência, esportes e atividade física
Rua  Augusto de Mari, 2.150 – Guaíra

4 – US Salvador Allende
Rua Celeste Tortato Gabardo, 1.712 – Sítio Cercado

5 – US Parigot de Souza
Rua João Eloy de Souza, 111 – Sítio Cercado

6 – US Vila Diana
Rua René Descartes, 537 – Abranches

7 – Centro de Esporte e Lazer Avelino Vieira
Rua Guilherme Ihlenfeldt, 233 – Bacacheri

8 – US Jardim Paranaense
Rua Pedro Nabosne, 57 – Alto Boqueirão

9 – US Visitação
Rua Dr. Bley Zornig, 3136 – Boqueirão

10 – US Camargo
Rua Pedro Violani, 364 – Cajuru

11 – US Uberaba
Rua Cap. Leônidas Marques, 1392 – Uberaba

12 – Clube da Gente CIC
Rua Hilda Cadilhe de Oliveira, nº 700

13 – US Vila Feliz
Rua Pedro Gusso, 866 – Novo Mundo 

14 – US Aurora
Rua Theofhilo Mansur, 500 – Novo Mundo

15 – US Pinheiros
Rua Joanna Emma Dalpozzo Zardo, 370 – Santa Felicidade

16  – US Orleans
Av. Ver. Toaldo Túlio, 4577 – Orleans

17 – US Oswaldo Cruz
R. Pedro Gusso, 3749  – CIC

18 – Rua da Cidadania do Tatuquara
Rua Olivardo Konoroski Bueno, s/n

19 – Rua da Cidadania do Fazendinha
Rua Carlos Klemtz, 1.700

Uber doa dez mil corridas para apoiar a vacinação contra covid-19 em Curitiba

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) recebeu a doação de dez mil vouchers de corridas de carros da empresa Uber. A doação que totaliza R$300 mil será usada para apoiar o processo de vacinação contra a covid-19 em Curitiba.

Os vouchers serão distribuídos para trabalhadores de saúde envolvidos na vacinação, para deslocamentos necessários no processo da imunização, como a vacinação de pessoas acamadas ou institucionalizadas.

A doação seguiu todos os ritos legais da Prefeitura, com assinatura do termo formal por ambas partes e publicação no diário Oficial do Município. Também será registrada no Portal da Transparência.

A superintendente executiva da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Beatriz Battistella Nadas, agradeceu a doação e falou da importância desse gesto para os profissionais de saúde.

“A Saúde agradece essa importante doação que vai proporcionar rapidez nos deslocamento dos trabalhadores e contribuir para que a vacina chegue à população que possa ter dificuldade de acesso”, disse.

Uber contra pandemia

A doação faz parte do compromisso anunciado pelo CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, de fornecer em todo o mundo dez milhões de viagens gratuitas ou com descontos para ajudar a assegurar que a mobilidade não seja uma barreira para se tomar a vacina.

A empresa tem empenhado ações para apoiar governos, prefeituras e instituições de saúde no enfrentamento à pandemia. Além das campanhas de orientação para a população a empresa agora voltou esforços para a campanha de imunização de em todo o país. 

“Queremos garantir que a mobilidade não seja mais um obstáculo para quem quer se vacinar”, diz a gerente de Operações da Uber no Brasil, Sílvia Penna.

Além de Curitiba, a Uber também firmou parcerias com as prefeituras de Belo Horizonte, Campo Grande, Maceió, Natal e Porto Alegre e os governos do Espírito Santo, da Paraíba e de Pernambuco.