Conta de celular também poderá ser paga com PIX

[ad_1]

O Banco Central (BC) informou nesta quarta-feira (16) que assinou um acordo com o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) para permitir que o pagamento de faturas de celular e a recarga de serviços pré-pagos móveis e fixos possa ser feita com o Pix.

“A parceria tem o objetivo de proporcionar o Pix como alternativa, melhorando a experiência de pagamento dos usuários e a gestão financeira dos recebimentos das empresas de telefonia móvel. Além disso, reforça o Pix como uma alternativa de pagamento entre a população brasileira”, informou o BC, em nota. 

Segundo o órgão, a utilização do Pix para pagamento do celular será feita gradualmente, de forma autônoma, voluntária e independente pelas empresas.

Em agosto, Banco Central (BC) já havia assinado acordo semelhante com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), para também permitir o pagamento da conta de luz com o Pix.

Desde que entrou em operação, em 15 de novembro, o Pix, novo sistema brasileiro de pagamentos instantâneos, movimentou R$ 83,4 bilhões, num total de 92,5 milhões de transações, de acordo com balanço do Banco Central.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

IBGE oferece 266 mil oportunidades de emprego até 21 de janeiro

Cerca de 78 milhões de residências brasileiras devem receber, a partir do dia 1º de agosto, a visita de um agente recenseador do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), informou nesta segunda-feira (17) o presidente do órgão, Eduardo Luiz Gonçalves Rios Neto.

Entrevistado pelo programa A Voz do Brasil, Neto afirmou que o levantamento censitário brasileiro, que é realizado a cada 10 anos, seguirá rígidos protocolos de distanciamento e de segurança sanitária, tanto para os agentes quanto para os entrevistados.

Essencial para a formulação de políticas públicas e para traçar o perfil de todas as camadas sociais, o Censo é a mais completa pesquisa realizada no Brasil sobre a realidade da população em todo o território nacional.

“O Censo é a única investigação familiar que cobre todos os municípios do país. É uma oportunidade única de ver o retrato estrutural que é essencial para o planejamento. É uma pesquisa socioeconômica completa”, afirmou o presidente.

Para tanto, o instituto contratará, até o dia 21 de janeiro, 266 mil profissionais em diversos cargos para realizar o Censo 2022. Destes, 183 mil serão recenseadores. A escolaridade necessária é o ensino fundamental completo, e a remuneração começa em R$ 1,7 mil, podendo alcançar R$ 2,1 mil.

» Veja o edital e como fazer inscrição no processo seletivo.

Os contratos serão temporários, com jornada prevista de três meses – podendo haver renovação por um mês adicional. Todos os contratados receberão férias e 13º salário proporcionais.

Sobre o Censo 2022

Segundo Eduardo Luiz Gonçalves Rios Neto, o questionário padrão que será aplicado durante o Censo 2022 terá 26 perguntas que investigarão o perfil básico domiciliar da família. Cerca de 92% da população entrevistada responderá ao questionário básico. Já os outros 8% – cerca de 8,5 milhões de domicílios – responderão ao questionário longo, de 77 perguntas.

Sobre condições adversas em cidades que atualmente sofrem com inundação, e também sobre populações isoladas, Neto afirmou que o IBGE está completamente preparado para coletar dados de todas as pessoas, independente da situação.

“O IBGE tem toda uma logística, inclusive de equipamentos especiais, para levar o recenseador lá. Os territórios indígenas, os territórios quiliombolas. Ninguém vai ficar para trás”, disse.

Testes para o Censo

Os testes para o Censo 2022 foram feitos inicialmente na cidade de Paquetá, no Rio de Janeiro, em 2021. Escolhida por ter um índice de vacinação acima da média nacional, o modelo desenvolvido pelo IBGE em Paquetá foi expandido a nível nacional, relatou Neto. Isso permitiu que a logística de coleta de dados fosse testada previamente em todos os estados brasileiros, e não apenas em pontos específicos. Com os resultados, o Censo que ocorrerá em 2022 implementará a metodologia aprovada na fase de testes.

“A pandemia serviu para que o IBGE desenvolvesse uma boa entrevista domiciliar por telefone. Agora, posso dizer com segurança que somos experts na entrevista por telefone”, complementou.

No Paraná, pagamento do IPVA poderá ser feito via PIX em qualquer banco

O calendário de pagamento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) começa no dia 17 de janeiro e, neste ano, o contribuinte poderá pagar a guia via PIX, no banco de sua preferência – inclusive os digitais – por meio de um QRCode. Antes, só era possível pagar um boleto com código de barras, exclusivamente no Banco do Brasil.

A nova opção tem como objetivo facilitar a vida dos contribuintes, que enfrentaram algumas dificuldades para realizar a transação, principalmente durante a pandemia.

O pagamento pode ser feito em duas modalidades: à vista com desconto de 3%, ou parcelado em 5 vezes sem juros, emitindo a guia com vencimentos em janeiro, fevereiro, março, abril e maio. Para veículos adquiridos em anos anteriores a 2022, a cobrança se inicia em janeiro, e a alíquota é de 3,5% ou 1% do valor do veículo.

COMO PAGAR – Para efetuar o pagamento na nova modalidade, basta o contribuinte abrir o aplicativo do seu banco, escolher a opção em que é possível pagar um débito com PIX e apontar a câmera do celular para o QR Code, que estará no canto superior direito do documento.

CONSULTA – Desde 2020, os contribuintes não recebem mais o boleto em casa para pagar o IPVA, nem qualquer outro tipo de correspondência. Para emitir a guia, é preciso acessar esse SITE (oficial da Secretaria de Estado da Fazenda). Será necessário inserir o número do Renavam, que consta no Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV). A emissão já está disponível desde o dia 4 de janeiro, pelo Portal do IPVA.

CAIXAS – Com o número do Renavam, também é possível pagar o imposto diretamente nos caixas ou canais de atendimento de sete bancos credenciados: Banco do Brasil, Itaú, Santander, Bradesco, Sicredi, Banco Rendimento e Bancoop.

Pela página da Secretaria de Estado da Fazenda o contribuinte também tem acesso a outros serviços do IPVA, como pedidos de isenção e imunidade, regularização de débitos e revisão do valor venal, além de receber atendimentos pelo Serviço de Atendimento ao Cidadão.

PAGAMENTO NO CRÉDITO – Ainda em 2022, também será possível pagar a guia pelo cartão de crédito. A nova modalidade está passando por ajustes finais e, em breve, estará disponível. Essa é mais uma novidade dentro da política de modernização do IPVA no Paraná, que incluiu o aumento no parcelamento para cinco vezes; até o ano passado, o parcelamento máximo era de três meses.

SOBRE O IPVA – O Estado destina 50% do valor arrecadado com o IPVA para o município de emplacamento do veículo. Sua arrecadação é utilizada para custear investimentos públicos como educação, saúde, segurança e transporte. A quitação do IPVA também é requisito obrigatório para emissão do certificado de licenciamento de veículo pelo Detran/PR.

PRAZO DE PAGAMENTO

À VISTA (com bonificação de 3%)

FINAL DE PLACA / VENCIMENTO:

1 e 2 / 17/01

3 e 4 / 18/01

5 e 6 / 19/01

7 e 8 / 20/01

9 e 0 / 21/01

PARCELADO (sem bonificação)

FINAL DE PLACA / VENCIMENTO

1 e 2 / 17/01 – 17/02 – 17/03 – 18/04 – 17/05

3 e 4 / 18/01 – 18/02 – 18/03 – 19/04 – 18/05

5 e 6 / 19/01 – 21/02 – 21/03 – 20/04 – 19/05

7 e 8 / 20/01 – 22/02 – 22/03 – 22/04 – 20/05

9 e 0 / 21/01 – 23/02 – 23/03 – 25/04 – 23/05