Conheça o cliente mais fiel de Curitiba

 “O cliente mais fiel de Curitiba”, é como o engenheiro Reinaldo de Oliveira Fernandes se classifica. Mas esse atributo não foi inventado por ele. O título veio dos próprios funcionários da Rua 24 Horas, um dos endereços mais tradicionais da cidade. Jhow, como é conhecido no local, frequenta o empreendimento diariamente desde sua primeira abertura, em 1991.

Quando a Rua 24 Horas foi inaugurada, no Centro de Curitiba, Jhow trabalhava no bairro Pinheirinho e se dirigia ao local todos os dias, no final da tarde, para aproveitar o happy hour com os colegas. “Era novidade, vinha muita gente de fora e sempre tinham pessoas novas pra conhecer”, explica ele. Com o passar do tempo, os colegas de trabalho pararam de acompanhá-lo, mas Reinaldo continuou. “Se fosse só pra tomar uma cervejinha eu poderia ir em qualquer outro lugar, mas continuei a vir aqui porque me sinto acolhido pelas pessoas”, conta.

Reinaldo lembra da primeira vez que se sentiu parte da equipe da Rua 24 Horas. “Era fim de ano e o pessoal que trabalhava aqui ia fazer uma confraternização de Natal. Mesmo sendo um evento interno da empresa, eles me convidaram pra participar. Foi muito legal, tive até que ir embora de taxi de tanto que festamos”, conta ele. Desde então, Jhow só parou de frequentar o local durante o período em que a Rua esteve fechada, de 2007 a 2011.

Foto: Priscilla Fiedler

“Quando vi os tapumes aqui na frente e descobri que iam reabrir a Rua, fiquei muito feliz”, afirma. “O Luiz (proprietário do Grupo Bávaro) abraçou esse lugar, trouxe vida de novo. Admiro essa cabeça dinâmica dele, de sempre querer melhorar. Ele tá sempre pensando ‘tá bom agora? Sim, mas ainda podemos fazer mais’ e por isso aqui é tão bom”, enaltece ele.

Atualmente, Reinaldo trabalha em frente à Rua 24 Horas, o que facilitou ainda mais a concretização do título de cliente mais fiel da cidade. “Eu venho almoçar aqui todos os dias, aí volto pro trabalho e 18h02 já estou de volta pra fazer meu happy hour”, diz. Jhow conta que em dia de futebol é ainda mais divertido encontrar a galera no local. “A Rua 24 Horas respira futebol. Se vai ter futebol, todo mundo vem pra cá”, conta. Reinaldo não possui televisão em casa e nem pensa em comprar, já que prefere assistir aos seus programas preferidos com os amigos do bar.

Depois de tantos anos frequentando o empreendimento, Reinaldo ganhou uma homenagem do Bávaro, seu bar favorito na Rua 24 Horas. Agora ele tem uniforme, cadeira personalizada e crachá de Embaixador. “Em dia de jogo fico na mesa 43, entre a televisão e o telão. Chego aqui e minha cadeira já está posicionada e todo mundo sabe que é meu lugar reservado”, diz animado. Esta foi a forma que o bar encontrou para agradecer o cliente mais fiel da cidade.

A Rua 24 Horas está localizada na Rua Visconde de Nácar (sem número) e funciona diariamente, a partir das 09h.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Iniciativa da Itaipu e Polo Iguaçu vai beneficiar 2.250 profissionais do turismo

Itaipu investirá 4,7 milhões no projeto, que irá garantir bolsas de R$ 550 durante os três meses da capacitação

A Itaipu Binacional e o Instituto Polo Iguassu lançaram, nesta quinta-feira (22), o Capacita Foz, uma iniciativa de educação on-line, com atividades ao vivo e gravadas, e que deverá beneficiar 2.250 profissionais do turismo de Foz do Iguaçu, em áreas do trade turístico e afins. O projeto, com duração de dois anos e investimentos de R$ 4,7 milhões por parte da Itaipu, também fornecerá uma bolsa de R$ 550 reais por três meses a esses profissionais que foram impactados pelas limitações impostas pela pandemia de covid-19.

O Capacita Foz aprofunda as atividades de capacitação promovidas em duas edições do Capacita Guias pelo Instituto Polo Iguassu, com apoio da Itaipu. Juntamente com o lançamento, ocorreu a entrega de certificados da segunda turma, que formou mais 66 profissionais (além dos 147 da primeira). Eles foram capacitados sobre novas formas de apresentar os atrativos de Foz, além dos cuidados para promover uma experiência segura para os turistas.

Agora, com o Capacita Foz, a ideia é levar conhecimento para outras áreas que se beneficiam da atividade turística. Por meio de uma plataforma de ensino a distância, os participantes terão acesso a diversos conteúdos. Na primeira fase, que se inicia em agosto, será a capacitação em si, com atividades para recepcionistas, mensageiros, camareiras, garçons, motoristas de aplicativos, artesãos, produtores rurais, entre outros. Uma avaliação do perfil socioeconômico irá selecionar participantes para receber a bolsa de R$ 550 por três meses.

“Este é um projeto perfeitamente alinhado com a vocação de Foz do Iguaçu para o turismo e Itaipu, que tem como missão investir no desenvolvimento regional sustentável, não poderia ficar de fora de uma iniciativa como essa”, afirmou o diretor-geral brasileiro, general João Francisco Ferreira. “A gente se sente feliz em investir em algo assim porque são recursos bem empregados e que trarão retorno. Creio que Foz do Iguaçu vai sair dessa dificuldade da pandemia para voos muito mais altos.”

De acordo com a diretora executiva do Polo Iguassu, Fernanda Fedrigo, após a capacitação, os profissionais passarão por uma atividade de gamificação: os participantes ganham selos e pontuações que qualificam o profissional dentro da plataforma. Dessa forma, a plataforma funcionará, também, como vitrine de vendas e banco de talentos. “A educação está no DNA do Polo Iguassu e a educação é libertadora. Por meio dela, podemos oferecer condições para superar essa situação em que o setor foi impactado pela pandemia”, afirmou.

O lançamento ocorreu no Centro Executivo da Itaipu. E, além do diretor-geral brasileiro da Itaipu e da diretora executiva do Polo Iguassu, contou com a participação da diretora de Promoção, Marketing e Eventos da Secretaria Municipal de Turismo, Cristiane Santos, do presidente do Conselho Municipal de Turismo e gerente-geral do Complexo Turístico Itaipu, Yuri Benites, e da representante do Sebrae-Paraná, Camila Giacomeli.

A abertura das inscrições para o Capacita Foz será divulga nas redes sociais do Polo Iguassu (@poloiguassu) nas próximas semanas.

Formandos

Dos 66 formandos do Capacita Guias, cinco foram convidados a representar a turma na cerimônia de entrega dos certificados. Natural de Itabuna, Ana Maria Ferreira de Souza (46) falou em nome dos colegas. “Agradeço muito pelo curso, por essa oportunidade de estar aprendendo. Daqui para frente, é com os profissionais, o guia que cada um se tornará”, afirmou a guia, que trabalhou por 14 anos como gerente de operações na Loumar Turismo e atua como guia há seis anos, atendendo turistas que falam português, espanhol e inglês.

Arlete Fritzen tem 58 anos e é natural de Foz. Ela trabalha como guia há 22 anos, é formada em hotelaria e atua principalmente com turistas que falam inglês, especialmente da Austrália, Grã-Bretanha e Estados Unidos. “Antes, eu trabalhava só com whatsapp e achava que estava bem. O Capacita Guias veio para mostrar a importância de trabalhar em conjunto com as empresas de turismo para potencializar a imagem do Destino Iguaçu nas redes sociais, mostrando os passeios para quem está do outro lado do mundo. Então, aprendi a tirar fotografias e usar outros meios de comunicação. Foi maravilhoso”, afirmou.

Já Keiko Edna Kimura Kanno, 54 anos, atua principalmente com turistas de língua japonesa. “A gente acha que sabe de tudo, mas todo dia é dia de aprender. E esse curso trouxe muito conhecimento. Todo aprendizado vai me ajudar muito e já quero fazer o Capacita Foz também”, disse Keiko, que atua como guia desde 2007.

Musicoterapia avança para garantir tratamento em todo o País

A musicoterapeuta Gizely Delmonico Amin destacou nesta quinta-feira, 15, que a lei que institui o programa e Incentivo à utilização da musicoterapia como tratamento terapêutico no Paraná é um avanço para que a medida seja adotada em todo o País. A proposta, de autoria do deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), foi aprovada pela Assembleia Legislativa e seguiu para sanção do governador Ratinho Junior (PSD).

Ex-presidente da AMT (associação de musicoterapia) do Paraná, Gizely Amin disse que os profissionais do setor lutaram para incluir o tratamento como essencial para que seja assegurado o atendimento universal no Brasil. “Travamos uma luta juntos e o deputado Romanelli criou uma lei no Paraná para incluir a musicoterapia nos tratamentos complementares. A partir daí, esperamos que os planos de saúde comecem a cobrir esse tipo de tratamento em todo o Brasil”, explica.

Gizely é musicoterapeuta especialista em análise do comportamento aplicada com enfoque em autismo e em TEA. Ela presidiu a AMT até 2020, quando encampou a luta pela criação da lei, proposta por Romanelli. Ela explica ainda que algumas especialidades têm cobertura dos planos de saúde, que garantem atendimento ilimitado de sessões com psicólogos, terapeutas ocupacionais e fonoaudiólogos, o que se soma à cobertura ilimitada já assegurada para as sessões com fisioterapeutas.

“Vários estados brasileiros já adotaram a mesma medida aprovada no Paraná, o que fortalece nosso trabalho de incentivar a Agência Nacional de Saúde a garantir os mesmos direitos aos autistas, de receber tratamento com musicoterapia”, acrescenta.

Fundada em 1971, a Associação de Musicoterapia do Paraná promove o uso e desenvolvimento da musicoterapia no tratamento, educação, treinamento, reabilitação e demais objetivos terapêuticos e sociais de todos aqueles que necessitem desta modalidade, como é o caso dos autistas. A entidade reúne profissionais musicoterapeutas e instituições oficiais e particulares que estimulam a investigação e pesquisa em musicoterapia.