Como aproveitar os dados do cliente para personalizar a experiência de férias

Após um longo período de trabalho, que geralmente é de um ano para os trabalhadores brasileiros, muitos anseiam por uma pausa bem-vinda em suas rotinas: as férias. Com o fim de algumas restrições e o avanço da vacinação contra a Covid-19, também notamos que essas férias voltam a ser dedicadas ao lazer e a viagens, mesmo com alguns riscos ainda envolvidos e diversas recomendações se mantendo para certas atividades. Inclusive há uma geração de expectativas em muitos negócios que vivem do turismo e foram muito impactados nos últimos anos.

Porém há um fator novo que esses negócios precisam considerar: o consumidor mudou. Os turistas estão ficando mais tempo em seus destinos e têm horários mais flexíveis que antes, graças aos trabalhos em regime home office. Eles priorizam a conveniência e o conforto, e a fidelidade à marca não é mais um dado adquirido. Segundo a Booking.com, desde a pandemia, as pessoas têm optado cada vez mais por visitar paisagens naturais e praias. Os consumidores passam mais tempo comparando destinos e têm mais dados à disposição. Por exemplo, o mercado de hospedagem online AirBnb lançou, recentemente, 56 novas categorias que permitem aos viajantes descobrirem mais propriedades, destinos e datas flexíveis do que teriam usando uma caixa de pesquisa convencional. Os turistas podem combinar pesquisas usando categorias como proximidade de parques nacionais, locais históricos e vinhedos, por exemplo.

Os fornecedores de turismo enfrentam a necessidade de trabalhar mais e se envolverem com seus potenciais consumidores em plataformas digitais antes, durante e depois das férias para garantir níveis ideais de satisfação e experiência geral. No Relatório de Engajamento do Cliente 2022, realizado pela Twilio, percebemos muitas das tendências em que as empresas do setor de viagens e turismo precisam prestar atenção se quiserem estar à frente da concorrência. Elas incluem:

  • O envolvimento digital do cliente impulsiona as receitas: o investimento em engajamento digital com os clientes compensa. O Brasil teve o maior aumento (95%) na receita em 2021 como resultado do investimento em engajamento digital em comparação com a média global. E os consumidores brasileiros disseram que esperam que 73% das interações com marcas sejam digitais até 2025;
  • Personalização: a personalização é muito importante para gerar vínculo com uma marca, principalmente para o cliente latino-americano. O relatório da Twilio mostrou que 3 em 4 clientes no Brasil, Colômbia e México parariam de usar uma marca se a experiência não fosse personalizada. A Segment Customer Data Platform da Twilio, que permite que as organizações coletem dados sobre clientes de vários pontos de contato em um local por meio de uma única API, viu um aumento notável no número de clientes que usam aplicativos especializados em personalização;
  • O fim dos cookies de terceiros: mais de 80% das empresas em todo o mundo dependem de cookies de terceiros para coletar dados sobre seus clientes, quando a tendência é que se usem dados primários coletados diretamente do cliente. Cerca de 83% dos consumidores brasileiros querem que as empresas usem dados primários para garantir que recebam as informações mais precisas sobre um cliente e possam realmente personalizar sua experiência. No entanto esse é um grande desafio. 50% das empresas no mundo dizem que não estão preparadas para quando os principais navegadores eliminarem os cookies de terceiros em 2023. E elas temem que, sem cookies de terceiros, não serão capazes de medir campanhas de marketing com eficiência;
  • Protegendo os dados e a privacidade do cliente: os clientes podem ficar felizes em fornecer às empresas seus dados primários, mas apenas com a condição de que eles os protejam ferozmente. Cerca de 81% dos consumidores brasileiros querem que as empresas façam mais para proteger sua privacidade e 54% dizem que vão parar de comprar de marcas que não o fazem;
  • Fadiga digital: as empresas devem trilhar um bom caminho de marketing, mantendo o equilíbrio. Bombardear os consumidores com marketing pode levar ao resultado oposto. Quase 50% dos consumidores brasileiros reclamaram de fadiga digital nos últimos 30 dias antecedentes à pesquisa. Lidar com a fadiga digital demanda automação digital, a fim de conhecer o consumidor, lidar com suas preferências e conseguir alcançá-lo em escala massiva.

Concluindo, um número crescente de viajantes valoriza atividades e acomodações localmente relevantes como parte de sua experiência geral de férias. Os canais pelos quais as empresas se conectam com esses clientes também são fundamentais. Muitos clientes agora estão mais abertos ao envolvimento em tempo real antes de uma viagem e enquanto estão na propriedade, o que ajuda a aprofundar o relacionamento com o fornecedor. O envolvimento pode ajudar a sinalizar e resolver problemas em tempo real ou pode ser usado para incentivar os hóspedes a experimentar algo novo, como convidá-los para um happy hour. Isso eleva a experiência do hóspede e cria novas receitas para a empresa.

Onde quer que as pessoas passem férias, o certo é que o consumidor mudou, tem prioridades diferentes e demanda um atendimento mais personalizado. As empresas que entenderem isso primeiro serão as que terão sucesso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Negócios, chope, música e empreendedorismo: Happy Tech acontece dia 16, em Curitiba

Imagine um evento em que você vai conhecer pessoas novas e que tenham a mesma sinergia. Adicione boas doses de chances reais para novos negócios e match de soluções que podem fazer toda a diferença para o seu negócio.

Tudo isso, com discussões descontraídas e embaladas por boa música em um ambiente descolado e stand up no palco, é o que propõe a primeira edição do Happy Tech, evento direcionado para quem é do Paraná e atua no segmento de tecnologia. A iniciativa é do Ecossistema de Inovação do Estado do Paraná e conta com o apoio de alguns segmentos do setor. A estreia será no Armazem Garagem Bar, um mega bar com exposição permanente de carros antigos e chope artesanal, além da assinatura que remete há algumas décadas e casa com o estilo rock in roll.

O Happy Tech, que espera reunir até 300 convidados, está em contagem regressiva: ele acontece no dia 16 de agosto e tem como projeção se tornar uma agenda mensal de encontro entre os empresários, recebendo sempre novos interessados e empreendedores da categoria. Para a primeira edição, estão sendo convidadas todas as empresas do setor de tecnologia da informação (TI) do Paraná.  

Quem participar, também será convidado a ingressar na Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro-PR), para, a partir disso, estreitar o relacionamento e ter acesso a toda oferta de ações que a entidade defende e promove. “O ingresso de novos associados é sempre muito bem-vindo. Além disso, quem entra, ajuda a oxigenar ideias e fortalece a categoria. A expectativa é bastante grande para essa primeira, de muitas, edições”, comenta o presidente da entidade, Lucas Ribeiro.

Como participar

A presença depende uma inscrição através de um link (veja mais em Serviço). O investimento é de R$ 30 e dá direito a dois chopes. Além da noite agradável e de novos relacionamentos, para amizades e negócios, o Happy Tech conta ainda com um convidado especial, o apresentador e humorista Zico Lamour, que fará um show de stand-up e imitações. 

Tecnologia no Paraná

O Estado é o quarto em quantidade de empresas de tecnologia em desenvolvimento de softwares no País. No quesito inovação, o Paraná também é destaque. O Mapeamento das Startups Paranaenses 2022, realizado pelo Sebrae-PR (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná), divulgado em março, mostra que o Estado tem 522 startups a mais que no último levantamento, totalizando 1.956 empresas inovadoras em atividade em 108 municípios.

SERVIÇO

O que

Happy Tech

Quando

Dia 16/08

Local e horário

Armazém Garagem Bar – Rodovia Curitiba/Ponta Grossa BR-277, 2630 – Santo Inácio, a partir das 18 horas

Como participar

Inscrição pelo link: https://www.sympla.com.br/happy-tech__1641402 [vagas limitadas]

Investimento

R$ 30,00

Tunas do Paraná e Sebrae vão trabalhar o desenvolvimento dos pequenos negócios

Visando a melhoria do ambiente de negócios e a promoção de potenciais empreendedores existentes no município, a Prefeitura de Tunas do Paraná e o Sebrae Paraná realizaram, nesta quarta-feira (10), a assinatura de parceria para realizar capacitações e para o desenvolvimento sustentável e inovação junto a empreendedores locais. Atualmente, a cidade possui 860 empresas ativas e 104 produtores rurais cadastrados. 

Com duração prevista de 33 meses, serão trabalhadas atividades com os setores de turismo, agronegócio e educação empreendedora. Além disso, também estão em pauta a revisão do código tributário municipal, o desenvolvimento de novas lideranças, o apoio às compras públicas e a realização de missão técnica relacionada às experiências de turismo e agronegócio.

“Essa parceria demonstra o compromisso do Sebrae em estar presente no território e com expectativas para apoiar o desenvolvimento da cidade. Por meio do desenvolvimento de forma integrada, estaremos ao lado da Administração Municipal para que as ações possam incentivar o cooperativismo e o associativismo, a fim de ter reflexos positivos na vida do produtor rural e do empreendedor”, diz o gerente da Regional Leste do Sebrae Paraná, Weliton Perdomo. 

A união com Tunas do Paraná faz parte das ações que estão sendo promovidas no Vale do Ribeira. Recentemente, o Sebrae Paraná também formalizou parcerias com as prefeituras de Cerro Azul e de Rio Branco do Sul. 

“Com essa iniciativa, esperamos aumentar a qualidade da prestação dos serviços públicos ofertados à população e nos tornar um ambiente fértil para setor privado, gerando assim mais empregos e renda e trazendo mais desenvolvimento ao nosso município”, afirma o prefeito de Tunas do Paraná, Marco Antônio Baldão.

Renda no campo

A família de Marcos Lima possui um sítio arrendado em Tunas do Paraná, onde produz milho, feijão e mandioca. A produção é focada na subsistência com vendas do excesso para amigos, mas o objetivo é que a comercialização se intensifique. 

“No momento, estamos limpando e preparando o solo para conseguir plantar maior área de milho e mandioca, para que a gente consiga fazer a venda desses produtos no próximo ano e, quem sabe, ser uma fonte de renda. Com essa parceria, acredito que poderemos aumentar a produção e diversificar a cultura. Tudo isso vai gerar renda para a região”, completa o produtor. 

Ainda estiveram presentes, durante a assinatura, a secretária municipal de indústria e comércio, Camila Sestrem, o secretário municipal de administração, Antonio Marco Frazão Baldão e o gestor do Sebrae Paraná no Vale do Ribeira, Ivan Silva Evangelista.

Sobre o Sebrae 50+50

Em 2022, o Sebrae celebra 50 anos de existência, com atividades em torno do tema “Construir o futuro é fazer história”. Denominado Projeto Sebrae 50+50, a iniciativa enfatiza os três pilares de atuação da instituição: promover a cultura empreendedora, aprimorar a gestão empresarial e desenvolver um ambiente de negócios saudável e inovador para os pequenos negócios no Brasil. Passado, presente e futuro estão em foco, mostrando a evolução desde a fundação em 1972 até os dias de hoje, com um olhar também para os novos desafios que virão para o empreendedorismo no país.