Comissão da OMS faz recomendações para evitar próxima pandemia

[ad_1]

Um novo sistema global transparente deveria ser criado para apurar surtos de doenças, habilitando a Organização Mundial da Saúde (OMS) a enviar pesquisadores com pouca antecedência e revelar suas descobertas, disse uma comissão de estudo da pandemia de covid-19 nesta quarta-feira (12).

A OMS deveria ter declarado o novo surto de covid-19 na China uma emergência internacional antes de 30 de janeiro de 2020, mas o mês seguinte foi “perdido” porque os países não adotaram medidas fortes para deter a disseminação do vírus, disse a comissão.

Em um grande relatório sobre a reação à pandemia, ospecialistas independentes pediram reformas ousadas na OMS e uma revitalização dos planos de prontidão nacional para evitar outro “coquetel tóxico”.

“É essencial ter uma OMS empoderada”, disse Helen Clark, copresidente da comissão e ex-primeira-ministra da Nova Zelândia, à imprensa no lançamento do relatório “Covid-19: façam dela a última pandemia”.

Ellen Johnson Sirleaf, também copresidente do grupo e ex-presidente da Libéria, disse: “Estamos pedindo um novo sistema de vigilância e alerta que se baseie na transparência e permita à OMS publicar informações imediatamente”.

Ministros da Saúde debaterão as conclusões na abertura da assembleia anual da OMS, em 24 de maio. Diplomatas dizem que a União Europeia está estimulando os esforços de reforma da agência da Organização das Nações Unidas (ONU), o que exigirá tempo.

Segundo o relatório, permitiu-se que o vírus SARS-CoV-2, que surgiu na cidade chinesa de Wuhan no fim de 2019, se transformasse em uma “pandemia catastrófica” que já matou mais de 3,4 milhões de pessoas e devastou a economia mundial.

“A situação na qual nos encontramos hoje poderia ter sido evitada”, disse Johnson Sirleaf. “Ela se deve a uma série de erros, lacunas e atrasos na prontidão e na reação.”

Médicos chineses relataram casos de pneumonia atípicas em dezembro de 2019 e informaram as autoridades. A OMS recebeu relatos do Centro de Controle e Prevenção de Doenças de Taiwan e outros, disse a comissão.

De acordo com o relatório, o Comitê da OMS deveria ter declarado emergência de saúde internacional em sua primeira reunião de 22 de janeiro, em vez de esperar até 30 de janeiro.

O comitê não recomendou restrições de viagens devido aos regulamentos internacionais de Saúde da OMS, que precisam ser reformulado, segundo o documento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja o cronograma de aplicação da segunda dose da vacina contra Covid-19

A partir de segunda-feira (4/10), cerca de 98 mil moradores de Curitiba que receberam a primeira dose da vacina anticovid devem retornar aos pontos de vacinação para completar o ciclo de imunização com a segunda dose. Pessoas vacinadas com a vacina da Pfizer terão as segundas doses antecipadas. Aqueles vacinados com Coronavac e Astrazeneca receberão a segunda dose no prazo normal de aplicação. (Veja o cronograma abaixo.)

É importante que as pessoas que foram vacinadas com a primeira dose da Pfizer fiquem atentas à data da segunda dose, disponível no aplicativo Saúde Já. Conforme  a disponibilidade de doses em estoque, a segunda aplicação vem sendo antecipada.

O objetivo é cumprir a determinação do Ministério da Saúde de redução do intervalo ente as doses para oito semanas.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) não está enviando mensagem avisando da antecipaçao das vacinas Pfizer. Foi alterada a data da segunda dose no aplicativo e é lá que deve ser feita a consulta (veja abaixo como consultar).

A SMS lembra que todas as pessoas que, por alguma razão, perderam a data de aplicação da segunda dose marcada no aplicativo, podem procurar um dos pontos de vacinação para completarem o ciclo de imunização.

Cronograma de aplicação da segunda dose da vacina.

Como consultar o dia da segunda dose

Pelo aplicativo Saúde Já:
1 – Abrir o aplicativo no celular;
2 – Clicar em “Carteira de Vacinação”;
3 – Visualizar a data que aparece em Próximas Vacinas;
4 – Procurar um dos pontos de vacinação da cidade que estejam abertos nesse dia.

Pelo site:
1 – Abrir www.saudeja.curitiba.pr.gov.br;
2 – Clicar em “Vacinação”;
3 – Visualizar a data que aparece em Próximas Vacinas;
4 – Procurar um dos pontos de vacinação da cidade que estejam abertos nesse dia.

O que levar

Para receber a segunda dose da vacina, basta procurar um dos pontos de vacinação da cidade, das 8h às 17h, levar um documento de identificação com foto e CPF. A partir desta segunda-feira (4/10) serão 27 locais para vacinação (veja lista abaixo). 

Repescagem

Na segunda-feira (4/10) os pontos estarão atendendo o público da primeira dose na repescagem contínua. São aqueles que já foram convocados, mas ainda não compareceram, inclusive os adolescentes nascidos entre 2 de outubro de 2003 e 31 de dezembro de 2005.
Também segue sendo aplicada a segunda dose e a dose de reforço para os que não compareceram na data do agendamento.

Cronograma da semana para segunda dose

Segunda dose de Coronavac:
– 4 de outubro – Vacinados com a primeira em 7, 8 e 9 de setembro;
– 5 de outubro – Vacinados com a primeira em 10 de setembro;
– 6 de outubro – Não há agendamento;
– 7 de outubro – Não há agendamento;
– 8 de outubro – Vacinados com a primeira em 13 de setembro.

Segunda dose de AstraZeneca
– 4 de outubro – Vacinados com a primeira em 10 de julho;
– 5 de outubro – Vacinados com a primeira em 12 e 13 de julho;
– 6 de outubro – Vacinados com a primeira em 14 de julho;
– 7 de outubro – Vacinados com a primeira em 15 de julho;
– 8 de outubro – Vacinados com a primeira em 16 de julho.

Segunda dose de Pfizer
– 4 de outubro – Vacinados com a primeira em 3, 4 e 5 de agosto;
– 5 de outubro – Vacinados com a primeira em 6 de agosto;
– 6 de outubro – Vacinados com a primeira em 7 e 8 de agosto;
– 7 de outubro – Vacinados com a primeira em 9,10, 11 e 12 de agosto;
– 8 de outubro – Vacinados com a primeira em 13 de agosto

Locais de vacinação

Das 8h às 17h

1 – US Ouvidor Pardinho 
Rua 24 de Maio, 807 – Praça Ouvidor Pardinho
 
2 – Centro de Referência, esportes e atividade física 
Rua Augusto de Mari, 2.150 – Guaíra
 
3 – US Salvador Allende 
Rua Celeste Tortato Gabardo, 1.712 – Sítio Cercado
 
4 – US Parigot de Souza 
Rua João Eloy de Souza, 111 – Sítio Cercado
 
5 – US Vila Diana 
Rua René Descartes, 537 – Abranches
 
6 – Centro de Esporte e Lazer Avelino Vieira 
Rua Guilherme Ihlenfeldt, 233 – Bacacheri
 
7 – US Bairro Alto 
Rua Jornalista Alceu Chichorro, 314 – Bairro Alto
 
8 – US Santa Efigênia 
Rua Voltaire, 139  – Barreirinha
 
9 – US Atuba 
Rua Rio Pelotas, 820 – Bairro Alto
 
10 – US Tarumã 
Rua José Veríssimo, 1352 – Bairro Alto
 
11 – US Abranches 
Rua Aldo Pinheiro, 60 – Abranches
 
12 – US Jardim Paranaense 
Rua Pedro Nabosne, 57 – Alto Boqueirão
 
13 – US Visitação 
Rua Dr. Bley Zornig, 3136 – Boqueirão
 
14 – US Camargo 
Rua Pedro Violani, 364 – Cajuru
 
15 – US Uberaba 
Rua Cap. Leônidas Marques, 1392 – Uberaba
 
16 – Clube da Gente CIC 
Rua Hilda Cadilhe de Oliveira, nº 700
 
17 – US Oswaldo Cruz 
Rua Pedro Gusso, 3749 – Cidade Industrial
 
18 – US Vila Feliz 
Rua Pedro Gusso, 866 – Novo Mundo
 
19 – US Aurora 
Rua Theofhilo Mansur, 500 – Novo Mundo
 
20 – US Pinheiros 
Rua Joanna Emma Dalpozzo Zardo, 370 – Santa Felicidade
 
21 – US Orleans 
Av. Ver. Toaldo Túlio, 4.577 – Orleans
 
22 – US Campina do Siqueira 
Rua General Mário Tourinho, 1684 – Campina do Siqueira
 
23 – US Butiatuvinha
Avenida Manoel Ribas, 8640 – Butiatuvinha
 
24 – US São Braz
Rua Antonio Escorsin, 1960 – São Braz
 
25 – Rua da Cidadania do Tatuquara 
Rua Olivardo Konoroski Bueno, s/n
 
26 – Rua da Cidadania do Fazendinha 
Rua Carlos Klemtz, 1.700
 
27 – US Santa Quitéria 2 
Rua Bocaíuva, 310 – Santa Quitéria

Curitiba flexibiliza regras e autoriza reabertura de casas noturnas e de shows; confira o decreto

Após quase três meses consecutivos de bandeira amarela e melhora contínua dos indicadores da pandemia de covid-19, Curitiba adota novas regras menos rígidas para o funcionamento do comércio e atividades. O Decreto Municipal 1650 será publicado nesta quarta-feira (6) e começa a valer a partir da publicação até 4 de novembro.  

O Comitê de Técnica e Ética Médica da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) avaliou os indicadores epidemiológicos da semana de 28 de setembro a 5 de outubro. A nota da bandeira fechou em 1.7.

“Desde do início da pandemia nunca permanecemos um período tão longo de bandeira amarela e com continuidade na redução dos números. Isso mostra os benefícios da vacinação e nos dá liberdade de avançar um pouco mais na retomada do cotidiano, claro, sem deixar de lado os cuidados”, comemorou a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

 

Principais mudanças

Podem voltar a funcionar as casas de shows e casas noturnas, mas com 70% de ocupação, cumprimento de protocolos e limitação máxima de mil pessoas. Também estão liberadas as saunas com 70% de ocupação. 

As regras de 70% de ocupação e limitação máxima de mil pessoas também passam a valer para casas de festas e de recepções, considerando a similaridade entre as atividades.

Pistas de danças poderão funcionar em área delimitada, com o uso de máscaras e sem consumo de bebidas e alimentos no espaço destinado para dançar. O consumo de bebidas e alimentos nos estabelecimentos segue restrito para clientes sentados. Continuam suspensos o consumo em tabacarias e de bebidas alcóolicas em vias públicas, com exceção em feiras livres e feiras de artesanato. 

Atividades comerciais e serviços, que já podiam funcionar com 50% da capacidade, agora podem atender com até 70% da capacidade de ocupação. Igrejas e templos também.

Os eventos esportivos com público externo e as apresentações teatrais e musicais em espaços abertos, que também já estavam liberados, poderão acontecer agora com 50% da ocupação, com a testagem prévia do público pela metodologia RT-PCR ou antígeno e a proibição da comercialização e consumo de alimentos e bebidas alcóolicas.

Os estabelecimentos destinados à hospedagem, como pousadas, hotéis, resorts e hostels, podem atuar com a capacidade total de ocupação (antes era 70%).

Eventos coorporativos de interesse profissional também poderão ser realizados, sem limitação máxima de público, desde que respeitada a regra de 70% de ocupação do espaço, não havendo mais a necessidade de realização de testagem prévia. 

A regra da testagem para esse tipo de evento mudou devido ao entendimento de que o público deva permanecer sentado, com uso de máscara facial e o distanciamento entre os participantes.

“Vale ressaltar que embora o momento seja otimista ainda não é hora de abandonarmos o uso da máscara, que se mostrou muito eficaz na prevenção da contaminação. Os indicadores ainda não permitem esse avanço, mas estamos no caminho”, alertou o diretor do Centro de Epidemiologia, Alcides Oliveira.

 

Indicadores em queda

Além da bandeira em 1.7, a avaliação dos indicadores de forma isolada vem apresentando melhora significativa nos últimos 14 dias, o que sustenta as flexibilizações para a retomada econômica da cidade, desde que sejam cumpridos os protocolos e medidas preventivas.

O número diário de casos novos apresentou queda de 46,7% nos últimos 14 dias. O número de óbitos por data de ocorrência também vem caindo, a redução foi de 43% no mesmo período. Também teve queda de 37,7% o número de casos ativos.

A taxa de retransmissão do vírus, que indica o número de novos contaminados por cada pessoa que estiver na fase ativa da doença, segue em queda, está em 0,81 e na última estava em 0,86. O indicador abaixo de 1 demonstra desaceleração da pandemia.

Mesmo com a retomada de outros atendimentos eletivos e emergenciais eletivos, as taxas de ocupação dos leitos exclusivos para covid-19 seguem baixas. Nesta quarta-feira (6/10) as UTIs estão com 61% de ocupação, enquanto os leitos clínicos estão com 45%, menos da metade da capacidade.

 

Veja como ficam as principais atividades

Atividades suspensas

– Consumo no local em tabacarias;

– Consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas, salvo em feiras livres e de artesanato.

Atividades liberadas com 70% de ocupação e protocolos 

– Atividades comerciais de rua não essenciais, galerias, centros comerciais e shopping centers; 

– Atividades de prestação de serviços não essenciais, tais como escritórios em geral, salões de beleza, barbearias, atividades de estética, saunas, serviços de banho, tosa e estética de animais, floriculturas e imobiliárias; 

– Academias de ginástica e demais espaços para práticas esportivas individuais e coletivas; 

– Restaurantes, lanchonetes, panificadoras, padarias, confeitarias e bares;

– Lojas de conveniência em postos de combustíveis;

– Comércio varejista de hortifrutigranjeiros, quitandas, mercearias, sacolões, distribuidoras de bebidas, peixarias, açougues, e comércio de produtos e alimentos para animais;

– Mercados, supermercados, hipermercados e lojas de material de construção;

– Feiras livres;

– Parques infantis e temáticos: sendo permitida apenas a utilização de equipamentos/brinquedos e espaços lúdicos, desde que realizada a assepsia após o uso de cada pessoa ou grupo de pessoas; 

– Feiras de artesanato, cinemas, museus, circos e teatros para apresentação musical ou teatral; 

– Casas de festas e de recepções, incluídas aquelas com serviços de buffet, salões de festas em clubes sociais e condomínios e estabelecimentos destinados ao entretenimento, tais como casas de shows, casas noturnas e atividades correlatas: autorizadas até 1.000 (mil) convidados;

– Permitidos a disponibilização de música ao vivo e o funcionamento de pista de dança em espaço delimitado, com uso de máscara facial, vedado o consumo de alimentos e bebidas.

– Eventos corporativos, de interesse profissional, técnico e/ou científico, como jornadas, seminários, simpósios, workshops, cursos, convenções, fóruns e rodadas de negócios; 

– Mostras comerciais, feirões e feiras de varejo; 

– Serviços de call center e telemarketing: exceto aqueles vinculados aos serviços de saúde ou executados em home office;

– As igrejas e os templos de qualquer culto deverão observar a Resolução n.º 705, de 30 de julho de 2021, da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, com a ressalva de 70% de ocupação.

Atividades liberadas com 50% de ocupação e protocolos

– Eventos esportivos profissionais com público externo e de apresentação teatral ou musical em espaços abertos com controle de acesso: autorizados desde que seja observada a ocupação de 50% (cinquenta por cento) da capacidade de público prevista no Certificado de Licenciamento do Corpo de Bombeiros – CLCB, com acesso restrito ao público com teste RT-PCR ou Pesquisa de Antígeno para detecção do vírus SARS-COV-2 negativo, coletado em até 48 horas antes da data do início do evento, realizado por laboratório de análises clínicas ou unidades de prestação de serviços de saúde devidamente autorizados pelas autoridades sanitárias, proibida a comercialização e o consumo no local de alimentos e bebidas alcóolicas; 

Atividades com protocolos específicos

– Parques e praças, serviços funerários e congêneres fica condicionado ao cumprimento de protocolo específico, conforme determinado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente;

– Feiras livres ficam condicionado ao cumprimento de protocolo específico, conforme determinado pela Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional – SMSAN, permitido o consumo no local de alimentos e bebidas;

– Feiras de artesanato fica condicionado ao cumprimento de protocolo específico, conforme determinado pelo Instituto Municipal de Turismo – CURITIBA TURISMO, permitido o consumo no local de alimentos e bebidas;

– Comércio ambulante de rua fica condicionado ao cumprimento de protocolo específico, conforme determinado pela Secretaria Municipal do Urbanismo – SMU.