Com foto icônica de Salles, fotógrafo paranaense concorre no prestigiado prêmio Brasília Photo Show

O fotógrafo curitibano Eduardo Matysiak, colaborador da Fórum, foi indicado em duas categorias do prêmio Brasília Photo Show, evento que é considerado o maior festival de fotografia do Brasil – chamado por alguns de “o Oscar da fotografia brasileira”.

Matysiak estará concorrendo em duas categorias. Em “fotojornalismo documental”, ele participa com uma foto polêmica do ministro Ricardo Salles, do Meio Ambiente, na que ele aparece com dois “chifrinhos”, formados pelas pontas dos mastros das bandeiras, que aparecem no fundo da foto, publicada em diversos veículos de comunicação.

O fotojornalista também está indicado na categoria “lockdown”, que inclui fotos sobre a pandemia do coronavírus, com a foto abaixo.

Foto: Eduardo Matysiak

O Brasília Photo Show reúne os principais profissionais da fotografia do Brasil e do mundo, e conta com a participação do público, que pode interagir com sugestões e apoios através das redes sociais, que são fundamentais para a escolha dos vencedores. A imagem de Salles feita por Matysiak e que concorre ao prêmio foi publicada na página oficial do Brasília Photo Show no Facebook, e é neste link que os internautas podem fazer a interação e demonstrar apoio ao fotógrafo. Também possível reagir à foto que concorre na categoria “lockdown” aqui.

A página do evento, para obter maiores informações a respeito, pode ser acessada clicando neste link.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bate-volta: 5 lugares a menos de três horas de Curitiba para conhecer no feriado

Depois do final de semana, na segunda-feira (12) é feriado e, para aproveitar bem esses dias de folga nada melhor do que conhecer pontos turísticos do nosso estado. Por isso, separamos algumas opções de passeio que ficam aqui pertinho de Curitiba, ideias para fazer aquele bate-volta. Confira:

Parque Estadual Vila Velha: O parque é uma das principais atrações do nosso estado. Localizado em Ponta Grossa, a cerca de 100 km da capital (aproximadamente 1h30 de carro).

O Vila Velha conta com uma boa estrutura e oferece passeios pelas trilhas, que levam até as três furnas e, também o passeio pelos arenitos, que são formações rochosas. As duas opções de trilha são ótimas, e você também pode fazer os dois caminhos, pois há um transporte interno que permite conhecer todo o parque em um único dia.

Cachoeira da Mariquinha e Buraco do Padre: A Cachoeira da Mariquinha fica localizada a cerca de 30 km de Ponta Grossa. Com uma cascata de 30 metros e, sendo uma unidade de preservação, a Cachoeira da Mariquinha é o destino ideal para quem curte contato com a natureza. O local tem a formação de um pequeno balneário com areia em volta da cachoeira. O acesso se dá após percorrer uma pequena trilha, sem dificuldade de acesso. Já o Buraco do Padre, que apresenta em seu interior uma cascata. O acesso até a furna se dá após uma trilha de cerca de 1 km a pé.

Foto: AEN PR

Colônia Witmarsum: A colônia é o lugar ideal para conhecer um pouco mais da cultura alemã presente em nosso estado. A Colônia Witmarsum está apenas a 60 km da capital, no município de Palmeira.  

Na região também tem o Museu de História Witmarsum, ideal para conhecer as histórias da colônia. E para as crianças, é possível conhecer o Witmarzoo, uma mini fazenda. 

Foto: Divulgação

Parque Histórico de Carambeí: É um local ao ar livre, que recria uma vila histórica no estilo holandês, a vila de Zaanse Schans (que existe na Holanda). O parque busca preservar a memória dos primeiros colonizadores da região dos Campos Gerais. O trajeto até o parque leva 2h20, pela BR-376. 

Foto: AEN PR

Lapa: A cidade da Lapa, localizada a 70 km de Curitiba é o destino ideal para quem gosta de cultura e história. 

É uma das cidades mais antigas do estado, fundada em 1769

Na cidade você poderá conferir o Monumento Tropeiro, caminhar pelo Centro Histórico da cidade e conhecer o Teatro São João, o terceiro mais antigo do Brasil.  

Outros pontos que podem ser visitados são a Casa Lacerda, Museu Histórico da Lapa, Museu das Armas, Casa Vermelha e a Casa da Memória. Além disso, a cultura gastronômica da cidade é muito boa, com muitos pratos tradicionais.

Foto: Paraná Turismo

E, claro, sempre lembrando que ainda estamos passando pela pandemia do novo coronavírus, então todo cuidado se faz necessário. Por isso, use máscara e faça higienização correta.

Paraná envia nova equipe de bombeiros para o Pantanal

Um ônibus do Corpo de Bombeiros saiu de Curitiba nesta quarta-feira (07) com 35 bombeiros militares com destino ao Mato Grosso do Sul, para substituir os colegas que estão no combate ao fogo na região do Pantanal desde o dia 15 de setembro. Ao todo, 39 bombeiros do Paraná prestam apoio na região.

A saída dos bombeiros foi acompanhada pelo comandante da instituição, coronel Samuel Prestes. “O trabalho deles será em continuidade às ações. No Mato Grosso do Sul, serão destacados para atuar na região de Corumbá. Nossos homens já estiveram na cidade de Alcinópolis, próximo ao Parque Nacional das Emas, e debelaram o incêndio naquela localidade”, disse.

Antes de chegar ao destino, o ônibus passará por Ponta Grossa e Maringá, para buscar outros bombeiros que fazem parte da equipe.

Os profissionais atuarão em conjunto com Exército e com o Corpo de Bombeiros do Mato Grosso do Sul. “O Paraná foi pioneiro nos estudos sobre incêndios florestais na década de 1960. Já prestamos apoio em outras situações e nossa tropa tem o treinamento para dar a resposta necessária”, disse o coronel Prestes.

PREPARAÇÃO – A preocupação do Governo do Estado e do Corpo de Bombeiros com o fogo se alastrando por quilômetros de mata no estado vizinho motivou a formação de uma equipe de apoio, formado por bombeiros militares com treinamento para atuar em incêndio florestal. Também foi disponibilizado um suporte de equipamentos, com caminhões-pipa, caminhonetes e ferramentas para auxiliar o trabalho operacional.

EXPECTATIVA – Os bombeiros que participam da missão já estiveram em combate a incêndio florestal em outras regiões do País, e agora agregam mais experiência atuando numa vegetação diferente da encontrada no Paraná. “Nossa preparação inclui os treinamentos rotineiros, além dos cursos de formação e especialização. Nossa expectativa é fazer o melhor trabalho possível, auxiliando na recuperação da vegetação”, disse o capitão Marco Antônio, oficial mais antigo da equipe.

O cabo Julio Cesar Simões, do Grupo de Operações de Socorro Tático (GOST), destacado para a missão no Pantanal, disse que a experiência pode agregar mais conhecimento e aperfeiçoamento das técnicas. “Vamos enfrentar vários focos de incêndio em diversas regiões, mas esperamos que possamos ajudar a parar com a devastação que assola o Mato Grosso do Sul”.

Informações AEN.