Chancela de peso: turismo de Itaipu recebe o prêmio Traveller’s Choice 2020

Prêmio é baseado em milhões de avaliações e opiniões de viajantes de todo o mundo no site da Tripadvisor. É uma espécie de Oscar do setor.

Já reconhecido com várias premiações pela qualidade de seus atrativos, o turismo da usina de Itaipu, na fronteira do Brasil com o Paraguai, acaba de receber mais um reconhecimento importante do setor: o prêmio Melhor dos Melhores do Travellers’ Choice, promovido pelo site de viagens TripAdvisor.

O selo Traveller’s Choice 2020, uma espécie de Oscar do segmento de viagens, é o único prêmio concedido com base em avaliações e opiniões deixadas no site por milhões de viajantes de todo o mundo.

Para o general Eduardo Garrido, diretor-superintendente do Parque Tecnológico Itaipu, que administra o CTI, a premiação confirma a excepcionalidade dos atrativos da usina e é motivo de grande orgulho para todos os envolvidos nesse trabalho.

“Ficamos muito felizes porque essa chancela não só reconhece a qualidade dos atrativos da usina, que ano a ano vem aprimorando protocolos de atendimento e serviço, como os esforços de uma equipe inteira dedicada a oferecer com primazia uma experiência única e segura aos visitantes”, disse Garrido.

Para o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, essa premiação dá ainda mais tranquilidade para Itaipu continuar fazendo investimentos no turismo, carro-chefe da economia de Foz do Iguaçu. “Estamos concentrando nossos esforços para ajudar na retomada da economia da cidade e esse prêmio mostra que estamos no caminho certo. Parabéns a todos os envolvidos”.

Fundado em 2002, o prêmio Melhor dos Melhores do Travellers’ Choice é a maior homenagem que o Tripadvisor concede. Só recebem o selo 10% dos atrativos, hotéis e restaurantes reconhecidos como melhores entre os melhores em serviço, qualidade e satisfação do cliente para acomodações, destinos, atrações, restaurantes e experiências.

Os vencedores do prêmio são selecionados anualmente com base no feedback de milhões de membros do Tripadvisor. A premiação destaca as escolhas populares e as “experiências verdadeiramente excepcionais que fazem os viajantes voltarem”, como informa o TripAdvisor.

Reconhecimentos

No último dia 24, o CTI recebeu a certificação de responsabilidade sanitária e selo de ambiente protegido. Foi o primeiro atrativo de Foz do Iguaçu a receber a chancela, concedida pela Secretaria Municipal de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos, Sebrae-PR e Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

A outorga atesta os atrativos turísticos, meios de hospedagem, restaurantes e demais estabelecimentos que cumprem os protocolos de segurança sanitária no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Complexo Turístico Itaipu

O Complexo Turístico Itaipu reabriu as atividades no dia 22 de julho. Com o reforço das medidas sanitárias para resguardar os trabalhadores e atender o visitante de forma segura, a operação retornou de maneira limitada.

Inicialmente, foi reaberta apenas a Visita Panorâmica, que possibilita aos turistas uma visão privilegiada da usina. O passeio acontece de hora em hora, das 9h às 16h.

Turismo de Itaipu

Desde 1976, quando foi aberta para visitação, a Itaipu já recebeu mais de 24 milhões de turistas. Em 2019, Itaipu fechou o ano com 1.028.225 visitantes, estabelecendo um novo recorde de visitação anual, considerando os números das duas margens.

Com as campanhas e melhorias planejadas para o turismo, espera-se superar a marca de 2 milhões de visitantes em um único ano até 2023.

Itaipu também montou um cronograma de revitalização para todos os atrativos do complexo turístico, que será implementado a partir desse ano. A primeira fase das obras no Mirante do Vertedouro já foi finalizada. Também serão feitas melhorias no Centro de Recepção de Visitantes, Mirante Central e Ecomuseu.

tripadvisor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraná registra o maior número de novos casos de Covid-19 dos últimos 10 meses em um mesmo boletim

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta terça-feira (18) mais 23.870 casos confirmados e 21 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Um número de novos casos maior do que esse foi registrado apenas em 7 de março do ano passado, quando o boletim apontou 44.967 novos diagnósticos da doença. Os dados deste novo boletim são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas, que são de 16.809 casos e três óbitos. 

O monitoramento da Covid-19 mostra que o Paraná soma 1.721.264 casos confirmados e 40.727 mortos pela doença.

Os casos divulgados nesta data são de janeiro (22.499) de 2022; dezembro (113), novembro (49), outubro (90), setembro (159), agosto (218), julho (66), junho (83), maio (76), abril (49), março (85), fevereiro (29) e janeiro (34) de 2021; e dezembro (83), novembro (128), outubro (28), setembro (26), agosto (26), julho (24), junho (3), maio (1) e abril (1) de 2020.

Os óbitos são de março (3), abril (4) e dezembro (2) de 2021 e janeiro (12) de 2022.

Internados

68 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados em leitos SUS (27 em UTIs e 41 em leitos clínicos/enfermaria) e nenhum em leitos da rede particular (UTI ou leitos clínicos/enfermaria).

Há outros 856 pacientes internados, 305 em leitos de UTI e 551 em enfermarias, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Mortes

A Sesa informa a morte de mais 21 pacientes. São sete mulheres e 14 homens, com idades que variam entre 38 e 92 anos. Os óbitos ocorreram entre 25 de março de 2021 e 18 de janeiro de 2022.

Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (6), Ponta Grossa (2), Maringá (2), Umuarama, Rosário do Ivaí, Pontal do Paraná, Pinhais, Pato Branco, Londrina, Ibiporã, Curiúva, Borrazópolis, Araucária e Almirante Tamandaré.

O monitoramento da Sesa registra 8.301 casos de residentes de fora do Estado – 224 pessoas foram a óbito.

Monitoramento

A Sesa está monitorando a situação epidemiológica do Paraná e o crescimento no número de casos diários divulgados pela pasta. A Secretaria reforça que as medidas de prevenção como uso de máscaras, lavagem das mãos e uso do álcool em gel permanecem sendo necessárias, juntamente com a continuidade da vacinação contra a Covid-19.

Um ano após início da vacinação, PR tem mais de 70% da população completamente imunizada

Em 18 de janeiro de 2021, o Paraná recebia as primeiras doses do imunizante CoronaVac, produzido pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. A data marcou a aplicação das primeiras doses em oito profissionais de saúde da linha de frente do Complexo Hospitalar do Trabalhador, de Curitiba, e o início de uma campanha de vacinação em massa para diminuir os efeitos devastadores da pandemia de Covid-19.

Um ano depois, nesta terça-feira (18), o Estado já ultrapassou uma série de etapas no que diz respeito à imunização, como, por exemplo, o número de paranaenses completamente imunizados: mais de 70% da população já recebeu as duas doses ou dose única, e mais de 80% já tomaram a primeira. O Paraná é o sexto estado com o maior número de aplicações.

Até o momento, foram 19.045.464 vacinas aplicadas na população geral, sendo que, destas, 9.099.905 foram destinadas à aplicação da primeira dose, e 8.397.774 à segunda dose ou dose única. As doses de reforço em idosos e imunossuprimidos já contabilizam 1.664.602 aplicações. Em relação à dose adicional, para imunossuprimidos que receberam mais uma dose, além das duas normais ou dose única, foram aplicadas 141.868. Os dados constam no sistema do Ministério da Saúde, atualizado em tempo real pelos estados, portanto, pode haver algumas divergências.

Segundo o secretário estadual de Saúde, Beto Preto, o alto índice de cobertura vacinal no Estado contribuiu para uma redução na ocupação de leitos, no número de mortes e também na incidência de casos graves. “Nós conseguimos ultrapassar os momentos difíceis por causa da vacina. Senão, teríamos perdido a vida de muitos paranaenses”, ressaltou.

No dia 18 de janeiro de 2021 o índice de internamento em UTI era de 84% (1.199 leitos). O último boletim do Estado mostra ocupação de 56% em 477 leitos. Apesar da nova onda ligada à Ômicron, a média de óbitos diária é de 2, contra 28 em janeiro de 2021. Em janeiro do ano passado foram 1.936 mortes. Em dezembro, 120, diminuição de 93,8%.

Além disso, o secretário fez questão de ressaltar a mobilização do Estado para garantir a execução da campanha de vacinação. “Nossa imunização é exemplar porque temos a cultura da vacina no Estado, onde temos pessoas extremamente conhecedoras do tema, e que nos ajudam a fazer acontecer essa vacinação lá na ponta. Através delas, nós tivemos esse resultado tão positivo, mas que não acabou. A tarefa continua”, reforçou.

“A vacina é fundamental. Quem não toma vacina está vulnerável, vira uma presa fácil dos vírus. Começa a ocorrer uma seleção natural e o vírus vai tentando se reproduzir através da infecção, e ele vai procurar o hospedeiro que tenha menos imunidade. Quem não tomou vacina está com menos imunidade que os outros nesse momento”, ressaltou o secretário.

CRIANÇAS – No último sábado (15), o Paraná deu mais um passo no objetivo de imunizar completamente a população, com o início da vacinação de crianças com idade entre 5 e 11 anos. O secretário faz um apelo para que os pais levem seus filhos aos postos de vacinação. “Nós temos um momento importante para cumprir nos próximos dois ou três meses, e quero convocar os paranaenses para ficarem muito alertas. Vamos fazer essa vacinação acontecer da melhor forma possível”, afirmou o secretário.

PÚBLICOS – O Paraná aplicou 14.807.472 doses de imunizantes no público com idade acima de 18 anos. Foram, por exemplo, 1.318.626 doses nos profissionais da saúde; 1.429.357 em pessoas com comorbidades; 543.756 em trabalhadores da educação; 162.713 em profissionais do transporte; 137.740 em gestantes e puérperas; 119.271 em pessoas com deficiência permanente; 57.722 na população privada de liberdade; 23.496 em indígenas; e 6.260 em pessoas em situação de rua.

MUNICÍPIOS – Em números absolutos, os dez municípios que mais aplicaram vacinas foram Curitiba (3.277.908); Londrina (1.035.844); Maringá (862.911); Cascavel (583.327); Ponta Grossa (512.855); São José dos Pinhais (388.652); Foz do Iguaçu (432.346); Colombo (423.528); Guarapuava (254.364); e Paranaguá (266.290).

DISTRIBUIÇÃO – Ao longo de um ano de imunização, foram distribuídas no Paraná quatro vacinas aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa): CoronaVac, vacina adsorvida inativada, fabricada pela Sinovac (China) e Instituto Butantan (Brasil); AstraZeneca, vacina recombinante, elaborada pela AstraZeneca, Oxford e Fiocruz; Pfizer, vacina de RNA mensageiro (RNAm), da parceria Pfizer e BioNTech; e Janssen, vacina recombinante, produzida pela Janssen-Cilag, braço farmacêutico da Johnson & Johnson.