Cenário atual coloca menos pressão nos jovens ao escolher carreira profissional

Com os últimos meses do ano, chegam os vestibulares e, com eles, uma questão de peso: qual carreira os estudantes devem escolher para seu futuro? A autora do livro “A escolha profissional: do jovem ao adulto”, Dulce Helena Penna Soares, defende que a escolha profissional é influenciada por fatores políticos, econômicos, sociais, familiares e psicológicos, como percalços econômicos que afetam a vida profissional, a divisão da sociedade em classes sociais, a busca da realização das expectativas familiares e as motivações, habilidades e competências pessoais do profissional. Por conta dessas questões, ainda é muito difícil para os jovens escolher a carreira que querem seguir – 82% dos mais de dois mil entrevistados pela plataforma de carreira Cmov, em 2021, revelaram não saber ou ter dúvidas na hora de definir a futura profissão.

Entretanto, é possível perceber uma mudança desse cenário nos últimos anos, principalmente com a aceleração do trabalho remoto causado pela pandemia de covid-19. As mudanças geradas pela globalização, a expansão de mercado e os avanços tecnológicos refletem diretamente nas decisões dos jovens que passam a gerenciar suas prioridades e seus interesses na busca do autodesenvolvimento com mais autonomia e mobilidade profissional e, por conta disso, a escolha da carreira ao sair do Ensino Médio já não tem mais o mesmo peso como tinha nas décadas passadas, aponta a assessora de projeto de vida do Centro de Inovação Pedagógica, Pesquisa e Desenvolvimento do Colégio Positivo (CIPP) e professora do Colégio Positivo, Micheline Castelli de Souza. “Alguns elementos, como satisfação pessoal e autorrealização, surgem com muita importância, além do status social e do salário. O jovem observa essas mudanças na sociedade e sente-se menos pressionado a fazer uma escolha única e assertiva em sua vida, podendo levar em consideração as inúmeras variáveis e oportunidades que podem surgir”, revela.

Micheline explica que essas mudanças na escolha da profissão ocorrem graças à evolução do próprio conceito de carreira, influenciadas pelas novas configurações de atividades vivenciadas no dia a dia. “À medida que a sociedade evolui, o contexto de carreiras adquire novas estruturas geradas a partir dos processos sociais, econômicos e culturais. Nota-se uma necessidade maior de adaptação às mudanças de cenários cada vez mais rápidas, o que altera diretamente as relações de trabalho entre os indivíduos e as organizações”, completa a professora, ressaltando que, atualmente, as escolhas de carreiras não se limitam a uma única trajetória, pois as pessoas dão importância às oportunidades que surgem ao longo do caminho, levando-as a buscar carreiras menos lineares e mais diversificadas. “Além disso, passaram a considerar o propósito de vida e o que faz sentido para elas, mesmo na área profissional.”

Na atualidade, por não se limitarem a percorrer um único caminho, a ideia de ter uma carreira vertical já não é mais tão envolvente quanto já foi no passado. A educadora destaca que essa ideia ainda é muito válida para quem quer desenvolver-se no campo em que já trabalha, porém, não para os que querem adquirir conhecimento em diferentes áreas de atuação. “É certo que a priorização de crescimento vertical foca mais na retenção de talentos, mas nota-se uma grande movimentação das novas gerações com foco horizontal. Ao contrário dos pais e avós, o jovem de hoje não vê problema em trocar de emprego.” Além disso, o crescimento do trabalho remoto trouxe a liberdade de escolher o modelo que mais atende ao perfil de cada um, conforme explica o coordenador do Ensino Médio do Colégio Positivo – Boa Vista, Tarsis Prado. “A idealização do sucesso rápido no empreendedorismo, a discussão e a ampliação dos estudos em investimentos financeiros levam os jovens a desejarem uma carreira solo, e não necessariamente em uma só área”, completa. Os dois professores defendem que, além do conflito de gerações e da falta de ações das empresas para engajar esses jovens profissionais, as questões anteriores também têm a ver com a diminuição da ideia de longevidade dentro de uma mesma empresa.

Por conta dessa horizontalidade, tanto a mudança de empresa quanto a de carreira são mais aceitas hoje em dia, analisa Micheline. “Mudar de ocupação exige um planejamento detalhado e é fundamental entender como esse novo mercado funciona e, principalmente, definir o motivo de querer tomar essa decisão, e refletir sobre fatores como salário, flexibilidade de horários, potencial de aprendizado e crescimento, além do propósito pessoal estar alinhado à transição de carreira”, pondera. Tarsis completa lembrando que o mundo corporativo muda constantemente, principalmente pelo grande número de inserção de startups e a rotatividade dessas empresas.

Além de todas essas questões, deve-se levar em conta também a introdução e popularização das carreiras digitais, como influenciador e criador de conteúdo, por exemplo. Uma pesquisa realizada por Elizabeth Saad, da Universidade de São Paulo (USP), revelou que, em 2021, o Brasil foi o país com o maior número de consumidores impactados por influenciadores digitais. Tarsis explica que a busca por essas profissões se dá porque, para a atual geração, é um modelo a ser seguido. “Nas décadas de 1980 e 1990, esses modelos eram as engenharias, a medicina e o direito. No momento atual, essas novas profissões tornaram-se o exemplo e a concretização dos anseios da nova geração”, justifica. Por serem profissões altamente concorridas, já não basta ter muitos seguidores. É preciso ter planejamento estratégico e consistência de conteúdo. “Esses novos profissionais enfrentam também novos desafios. Apesar de ainda não regulamentada, essas profissões estão em destaque como sonho de muitos brasileiros, pela possibilidade de fama e alta remuneração em curto período de tempo”, finaliza Micheline.

Sobre o Colégio Positivo

O Colégio Positivo compreende sete unidades na cidade de Curitiba, onde nasceu e desenvolveu o modelo de ensino levado a todo o país e ao exterior. O Colégio Positivo – Júnior, o Colégio Positivo – Jardim Ambiental, o Colégio Positivo – Ângelo Sampaio, o Colégio Positivo – Hauer, o Positivo International School, o Colégio Positivo – Água Verde e o Colégio Positivo – Boa Vista atendem alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio, sempre combinando tecnologia aplicada à educação, material didático atualizado e professores qualificados, com o compromisso de formar cidadãos conscientes e solidários. Em 2016, o grupo chegou em Santa Catarina – onde hoje fica o Colégio Positivo – Joinville e o Colégio Positivo – Joinville Jr. Em 2017, foi incorporado ao grupo o Colégio Positivo – Londrina. Em 2018, o Positivo chegou a Ponta Grossa (PR), onde hoje está o Colégio Positivo – Master. Em 2019, somaram-se ao Grupo duas unidades da escola Passo Certo, em Cascavel (PR), e o Colégio Semeador, em Foz do Iguaçu (PR). Em 2020, o Colégio Vila Olímpia, em Florianópolis (SC), passou a fazer parte do Grupo. Em 2021, com a aquisição da St. James’, em Londrina (PR), o Colégio Positivo passa a contar com 16 unidades de ensino, em sete cidades, no Sul do Brasil, que atendem, juntas, aproximadamente 16 mil alunos desde a Educação Infantil ao Ensino Médio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Site Toda Matéria vai eleger melhor professor do Brasil 

Site Toda Matéria vai eleger melhor professor do Brasil    Primeira edição do prêmio “Professor do Ano” vai reconhecer destaque do ensino fundamental e médio. Comunidade escolar pode indicar os mestres preferidos até 11 de novembro.   Um dos sites de conteúdo educativo mais acessados pelos estudantes brasileiros vai premiar o professor que se destacou em sala de aula. Quem indica os docentes que merecem concorrer ao título do Toda Matéria é a comunidade escolar: a comissão julgadora aceita indicações de alunos, ex-alunos, pais e profissionais da educação que tenham presenciado os feitos do indicado. A primeira edição do “Toda Matéria – Professor do Ano” recebe inscrições por meio de formulário online até 11 de novembro. O vencedor será anunciado em dezembro. Computador, smartphone e uma viagem fazem parte da premiação. 
 
Podem concorrer professores de ensino fundamental e médio de escolas públicas e privadas de todo Brasil. “A proposta é dar destaque aos docentes que, de alguma forma, fizeram a diferença. A dinâmica que criamos para indicação faz com que o verdadeiro reconhecimento venha da própria comunidade escolar”, ressalta Paulo Stenzel, head de marketing da 7 Graus, que é a empresa que administra o Toda Matéria. Os indicados serão avaliados por um time de especialistas em educação que compõem o júri. Há apenas uma categoria premiada e até cinco menções honrosas. 

Mecânica
Nenhum profissional pode se autoindicar, mas é possível que a mesma pessoa indique vários professores, desde que seja usado um formulário avulso para cada nova inscrição. O regulamento está disponível no site todamateria.com.br. A participação é gratuita. 
 
Premiação
O resultado final do concurso será divulgado no dia 16 de dezembro na página online do prêmio: todamateria.com.br/professor-do-ano. O prêmio ao vencedor será composto por: 1 troféu/certificado oficial do Prêmio Toda Matéria; 1 computador portátil; 1 smartphone e 1 vale de viagem. O prêmio “Menções Honrosas” será composto por: 1 certificado atribuído pelo Toda Matéria e 1 voucher para compra de livros. 

Sobre o Toda Matéria
Criado em 2011 pela editora 7Graus, o site Toda Matéria tem o intuito de auxiliar estudantes, professores e pesquisadores no processo de aprendizagem e ensino, proporcionando informações fidedignas sobre temas variados. A missão do Toda Matéria é oferecer conteúdo gratuito e de qualidade com foco na experiência dos usuários. O portal é elaborado por uma equipe de professores, pesquisadores e gestores que produzem, editam, revisam e atualizam os conteúdos permanentemente.

Sobre a 7Graus
A 7Graus é uma empresa tecnológica portuguesa que é líder em mídia na Internet especializada na criação e distribuição de conteúdos gratuitos que ajudam a vida das pessoas de diferentes maneiras. A empresa gerencia mais de 60 sites relacionados à Educação, Cultura, Carreira, Finanças e Tecnologia, incluindo os populares entre os brasileiros Pensador, Calendarr, sinonimos.com.br, todamateria.com.br e antonimos.com.br. 

 

Enem: Reta final! E agora?

Faltam poucos dias para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As provas serão aplicadas nos dias 13 e 20 de novembro. O exame é constituído por quatro provas objetivas com 45 questões de múltipla escolha. Além disso, tem a redação que possui grande peso na nota final. O início das provas será às 13h30.

Mas lembre-se de chegar antes das 13h pois, nesse horário, ocorre o fechamento dos portões. Para evitar imprevistos, conheça o local da prova antes do dia do exame e saia cedo de casa para que possa chegar com tranquilidade.

Evite o nervosismo por conta do horário para que isso não te atrapalhe na prova. Situações como essa podem causar estresse e ansiedade. Esses são os vilões que podem prejudicar seu desempenho e dedicação para realizar uma boa prova.

Algo que tenho notado bastante é que as pessoas estão sentindo medo de errar. Candidato, não tenha medo de errar! O medo pode gerar uma ansiedade que vai acabar te paralisando.

Além disso, percebo que muitos alunos sentem receio de não conseguir terminar a prova no tempo estipulado. Para evitar que isso aconteça, é necessário saber administrar o tempo e ter familiaridade com a prova. Por esse motivo, fazer exames anteriores é indicado.

Outro temor frequente é o medo de ter “branco”. Acredite na sua preparação! Você estudou e sabe fazer o que é pedido. Se o “branco” acontecer, beba água e tente relaxar. Se achar melhor, pule a questão. Mas se, mesmo assim, o esquecimento persistir, vá ao banheiro e lave o rosto. Assim, você tira seu foco de não estar conseguindo e volta mais relaxado.

O Enem é diferente de outras provas, pois 80% é leitura e interpretação. Por isso, indico que tenham calma e tranquilidade para fazer o exame. Aproveite essa reta final de estudos para treinar a redação, interpretação de textos e fazer uma revisão rápida dos conceitos básicos de cada matéria. Isso vai te ajudar a se sentir mais confiante.

Nos dias que antecedem o Enem é importante ficar calmo para fazer uma boa prova. Você se preparou e conhece a estrutura da prova, não tem o porquê de ficar preocupado ou estressado agora. Tenha, neste momento, dedicação, determinação e disciplina. São os “3D´s” que carrego para tudo na vida. O pensamento positivo tem poder. Acredite! Você se dedicou e uma vaga é sua.

(*) Leonardo Chucrute é professor de matemática, diretor – geral e CEO do Zerohum