sexta-feira, setembro 29, 2023
spot_img
InícioCuritibaCatadores do Ecocidadão vão testar carrinhos elétricos pelas ruas de Curitiba

Catadores do Ecocidadão vão testar carrinhos elétricos pelas ruas de Curitiba


Os associados das cooperativas de catadores de materiais recicláveis do programa Ecocidadão, da Prefeitura de Curitiba, vão começar a testar dois carrinhos elétricos para fazer a coleta de materiais recicláveis na capital. Nesta terça-feira (19/9), o prefeito Rafael Greca, o vice-prefeito e secretário de Estado das Cidades, Eduardo Pimentel, e o presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Carlos Valter Martins Pedro, assinaram o termo de comodato que cedeu dois carrinhos elétricos para as associações Acuba e Mutirão, que participam do Ecocidadão.

O evento foi na sede da Associação Acuba, na Rua Ludovico Zanier, 319, CIC. Os dois carrinhos elétricos serão testados como protótipos. O projeto foi desenvolvido pelo Instituto Senai de Tecnologias, em parceria com o instituto Gerando Falcões e tem o nome de Projeto Formiga. 

“Esses carrinhos inteligentes, assim como a cidade de Curitiba é inteligente, não usam a força humana para se movimentar. Eles usam a força da eletricidade. Se os catadores aprovarem, esse carrinho será o futuro para a reciclagem. A inovação só vale quando ela se transforma em processo social”, afirmou Greca.

O vice-prefeito e secretário de Estado das Cidades, Eduardo Pimentel, agradeceu a todos os catadores pelo importante trabalho que fazem para ajudar Curitiba a ser uma das cidades mais sustentáveis da América Latina.

“Essa entrega dos carrinhos elétricos é para fortalecer cada vez mais o trabalho que os catadores do Ecocidadão fazem em Curitiba. Esse trabalho continuará a ser feito na capital para incrementar a renda de cada família que participa do programa”, disse Pimentel.

Testes

Os catadores das associações Acuba e Mutirão participaram de um treinamento para conhecer os dois carrinhos elétricos, na semana passada. Todos afirmam que o equipamento vai ajudar no trabalho do dia a dia. 

Sônia Mara de Oliveira, de 63 anos, há 10 anos trabalha na Associação Mutirão, no Bairro Novo. “O carrinho é ótimo, fácil no manejo. Não vamos precisar fazer força, principalmente nas subidas, e cabe bastante material dentro”, disse. 

Para Leoni Maria Linhares, 59 anos e 13 na Associação Acuba, a novidade também vai ajudar no dia a dia. Ela conta orgulhosa como o Ecocidadão mudou a vida dela e da família. “Com o Ecocidadão consegui tudo o que queria, construí minha casa e encaminhei meus dois filhos na vida, hoje eles trabalham na área de vendas”, contou.

O presidente da Fiep explicou que o investimento no projeto também vai trazer muitos ganhos sociais. “Agora os dois carrinhos irão para o teste efetivo, de rua, para ver a aprovação final dos catadores, depois que o Senai e nós da indústria fizemos o investimento nestas duas unidades. Quero ressaltar a extrema importância da reciclagem que o programa Ecocidadão faz. Esse é o grande valor social e nós da indústria também temos essa função social”, afirmou o presidente da Fiep.

Projeto Formiga

O Projeto Formiga do Senai propõe a transformação na vida dos catadores de recicláveis e no poder da inovação para gerar impacto social. O objetivo é proporcionar uma boa experiência para os trabalhadores, garantindo condições de trabalho mais dignas, cuidados na ergonomia, segurança durante a jornada de trabalho e melhoria na qualidade de vida.

Família Folhas

Os integrantes da Família Folhas participaram do evento e reforçaram a mensagem da correta separação do lixo e de como os recicláveis podem gerar renda para as famílias que participam do Ecocidadão

Ecocidadão

Sob a responsabilidade da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, o Programa Ecocidadão surgiu em 2007 e tem as suas raízes ainda na década de 1990, durante a primeira gestão do prefeito Rafael Greca, com o programa Carrinheiro Cidadão, lançado na ocasião pela primeira-dama Margarita Sansone. Na época, Curitiba foi reconhecida pela Organização das Nações Unidas com o Prêmio Mundial do Habitat.

O programa conta com mil associados beneficiados. Os barracões recebem o material da coleta feita pelos caminhões do Lixo que Não é Lixo, além do material entregue diretamente pela população ou por empresas e condomínios próximos aos barracões. Nos locais, é feita a separação, triagem e venda para reciclagem e reaproveitamento. Cada associação recebe um valor por tonelada pelo beneficiamento.

Segundo a diretora de Educação Ambiental, Leila Zem, o programa Ecocidadão faz a classificação de todo o lixo da coleta seletiva de Curitiba, tanto do Lixo que Não é Lixo quanto do Câmbio Verde. “As 40 associações do Ecocidadão recebem 1.700 toneladas de lixo reciclado por mês. Elas são responsáveis pela separação e triagem de 100% dos recicláveis da coleta seletiva de Curitiba”, afirmou Leila.

O lucro das associações do Edocidadão vem da venda de materiais. O repasse da Prefeitura de Curitiba cobre a manutenção de equipamentos e as despesas do galpão, como água e luz, além da compra de fitas para organizar o material.

Presenças

Também participaram do evento a secretária municipal do Meio Ambiente, Marilza do Carmo Dias, e o superintendente de Controle Ambiental, Ibson Gabriel de Campos; a presidente da Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Acuba, Iva Aparecida Pierrotti Moreira; a presidente da Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Mutirão, Sandra Mara Lemos; a superintendente do Sesi, IEL e diretoria Regional do Senai Paraná na Fie´p, Fabiane Franciscone; o administrador da Regional CIC, Raphael Keiji Assahida; o superintendente da Guarda Municipal, Carlos Celso dos Santos Júnior; os vereadores Beto Moraes e Zezinho Sabará; e associados das cooperativas Corbélia, Acampa, Novo Horizonte, Curitiba Mais Limpa, todas da CIC, e Acarfs, que tem sede em Campo Magro.



Leia a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

MATÉRIAS RELACIONADAS
- Publi -spot_img
- Publi -spot_img
- Publi -spot_img

As últimas do Busão